Percurso de navegação

Financiar a luta contra as alterações climáticas - 10/09/2009

Logótipo da conferência de Copenhaga © cop15.dk

A Comissão apresenta a primeira proposta de financiamento para um acordo sobre as alterações climáticas em Copenhaga.

A fim de pôr termo ao impasse nas negociações internacionais sobre o clima, a Comissão publicou um plano de financiamento da luta contra o aquecimento global nos países em desenvolvimento English em que propõe uma contribuição da UE entre 2 mil milhões e 15 mil milhões de euros por ano até 2020.

O plano constitui um ponto de partida para os debates no Parlamento e no Conselho, que deverão definir a posição da UE relativamente a uma das questões mais espinhosas da agenda da Conferência a realizar em Dezembro, em Copenhaga.

A três meses apenas do início da cimeira, as negociações internacionais de preparação da conferência encontram-se num impasse quanto à forma de ajudar os países em desenvolvimento a adaptar-se e a limitar as emissões.

A UE e outras potências económicas acordaram na necessidade de cobrir os custos de redução dos gases com efeito de estufa emitidos por esses países, mas ainda não há consenso sobre quais serão esses custos e qual a parte que deve ser assumida pelas nações desenvolvidas.

Os custos de limitação do aquecimento global deverão aumentar exponencialmente nos próximos anos. A UE estima que os países em desenvolvimento necessitarão de 100 mil milhões de euros até 2020 para impedir que a temperatura global aumente mais de 2ºC. A partir deste limiar, as alterações climáticas serão irreversíveis.

A Comissão estima que serão necessários entre 22 mil milhões e 50 mil milhões de euros de financiamento público internacional. A contribuição de cada país dependeria das emissões e da capacidade financeira de cada um. A UE poderia contribuir com um montante de 2 mil milhões a 15 mil milhões de euros por ano até 2020. O restante poderia ser assumido por outros países industrializados e pelos países em desenvolvimento economicamente mais avançados, como a China e a Índia.

A proposta prevê também uma contribuição da UE entre 500 milhões e 2100 milhões de euros para o período de 2010 a 2012, mas dada a urgência da questão, a Comissão sugere que esse montante seja aumentado.

O objectivo da conferência de Dezembro é alcançar um novo acordo global mais ambicioso na luta contra as alterações climáticas. O tratado actual (o Protocolo de Quioto) expira no fim de 2012.

O Protocolo de Quioto não previa a participação dos países em desenvolvimento. Actualmente, as nações industrializadas pretendem que as economias emergentes, como a Índia e a China, participem no esforço global e se comprometam a reduzir as emissões.

A ONU convocou uma cimeira mundial para debater as alterações climáticas ainda este mês.

Acção da UE pelo clima

Conferência da ONU sobre alterações climáticas em Copenhaga danskEnglishespañolfrançais

Ver página em alto contraste Texto tamanho normal Aumentar texto 200 % Enviar esta página a um amigo Imprimir esta página

 

Encontrou a informação que procurava?

Sim Não

O que procurava?

Tem alguma sugestão?

Ligações úteis