Percurso de navegação

Nova estratégia da UE em matéria de prevenção de catástrofes: mais vale prevenir do que remediar - 24/02/2009

Terra seca com fendas e tufos de erva © EC

Nova proposta para reforçar os meios de prevenção de catástrofes e a cooperação com os países em desenvolvimento.

Tempestades violentas em França, incêndios na Grécia, secas em Espanha: qualquer um de nós pode ser apanhado desprevenido por uma catástrofe natural quando e onde menos espera. Além disso, devido às alterações climáticas, é provável que tais catástrofes se tornem cada vez mais intensas e frequentes. Desde 1990, a superfície e a população da UE atingidas pela seca registaram um aumento de 6% para 13%.

Além das catástrofes naturais e epidemias, as catástrofes de origem humana, tais como os derrames de petróleo e as contaminações radioactivas, ameaçam o ambiente e a nossa saúde. Para fazer face a estas situações, a UE tenciona melhorar a sua capacidade de resposta English - antes, durante e depois da ocorrência de uma catástrofe.

As catástrofes não costumam ater-se a fronteiras. As epidemias e os incêndios propagam-se de um país para outro, os rios atravessam fronteiras transportando águas contaminadas e os derrames de petróleo poluem as praias onde quer que acostem.

A nova estratégia proposta pela Comissão DeutschEnglishfrançaisPDF visa sobretudo este tipo de catástrofes transfronteiras, que requerem uma resposta conjunta por parte dos Estados-Membros da UE. Deverá, assim, melhorar o acesso a sistemas de alerta precoce, contribuir para uma utilização mais eficaz dos fundos comunitários DeutschEnglishespañolfrançais e prever a elaboração de um inventário das informações e melhores práticas existentes à escala da UE.

Mas a UE pretende ir mais longe. Outra nova estratégia tem por objectivo reduzir o risco de catástrofes nos países em desenvolvimento EnglishPDF. Prevê-se que as catástrofes resultantes das alterações climáticas afectem especialmente os países menos desenvolvidos e que o rendimento das colheitas em alguns países africanos registe uma redução de 50% já em 2020. As doenças tropicais também deverão tornar-se mais frequentes.

A estratégia proposta visa prestar apoio aos países em desenvolvimento, financiando iniciativas nacionais de redução de riscos. As regiões deverão também beneficiar de verbas para actividades como campanhas de sensibilização.

Em Junho de 2009, a Comissão apresentará acções específicas para dar seguimento a estas estratégias.

Protecção civil europeia – prevenção English

Ver página em alto contraste Texto tamanho normal Aumentar texto 200 % Enviar esta página a um amigo Imprimir esta página

 

Encontrou a informação que procurava?

Sim Não

O que procurava?

Tem alguma sugestão?

Ligações úteis