Percurso de navegação

«Overdoses» de droga ceifam mais vidas - 06/11/2008

Rapaz afegão colhe resina num campo de papoilas © Reporters

A heroína continua a ser o problema número um em matéria de consumo de droga.

O número de europeus que morrem por «overdose» aumentou na maioria dos países da UE, o que levou à conclusão preocupante de que a heroína poderá estar a invadir os mercados europeus. A maioria da heroína detectada é proveniente dos campos de papoilas do Afeganistão, que produziu uma quantidade de ópio sem precedentes em 2006 e 2007.

Grande parte dos aumentos registados não são elevados. Porém, representam uma profunda mudança em relação à situação de uma década atrás em que as mortes por «overdose» estavam em diminuição.

O número de mortes induzidas pela droga nos países da UE aumentou de 6 350 em 2003 e 6 780 em 2004 para 6 873 em 2005. Na maior parte dos casos, estas mortes devem-se ao consumo de heroína, desde há muito a principal causa de morte de jovens na Europa, essencialmente de jovens de sexo masculino oriundos de zonas urbanas.

O número mais elevado de mortes é apenas um de entre muitos sinais preocupantes. No seu relatório anual sobre o consumo ilegal de droga na Europa English, o Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência – OEDT English - refere também um aumento das quantidades de heroína apreendidas e do número de toxicodependentes que procuram tratamento. Isto contradiz estudos anteriores que indicavam que o problema da heroína na Europa estava a regredir.

Em geral, o consumo de droga continua a registar um aumento sem precedentes, mas a Europa parece estar a entrar numa fase mais estável. Cerca de 2 milhões de europeus tomaram anfetaminas no ano passado e sensivelmente 2,5 milhões consumiram ecstasy, o que, no pior dos cenários, representa uma estabilização ou mesmo uma diminuição geral do consumo.

O consumo de cocaína continua a aumentar. Estima-se que 3,5 milhões de jovens europeus, com idades compreendidas entre os 15 e 34 anos, consumiram cocaína no ano passado. Cannabis (marijuana e haxixe) continuam a ser a droga preferida, mas a sua popularidade parece estar a diminuir. Cerca de 17 milhões de europeus (7%) consumiram cannabis no ano passado e um quarto fizeram-no regularmente.

É difícil saber quantos consumidores de heroína existem na Europa. O Observatório Europeu da Droga estima que, na UE e Noruega, há entre 1,3 e 1,7 miilhões de pessoas que consomem derivados do ópio (morfina e heroína) e drogas sintéticas com efeitos similares.

Embora o número de consumidores de cannabis seja superior ao número de consumidores de heroína, esta última continua a ser o problema mais grave em termos de custos de saúde e de custos sociais. A heroína não só causa um nível elevado de dependência como é responsável por um grande número de mortes por «overdose». Além disso, contribui para a disseminação da SIDA e da hepatite C, que podem ser transmitidas por seringas contaminadas.

As capacidades de controlo do consumo da droga existentes na Europa são das mais desenvolvidas do mundo. A UE prepara um novo plano de acção em matéria de droga DeutschEnglishfrançais (2009–2012), para o qual é necessário um conhecimento ainda mais profundo dos desafios do futuro.

A Europa e o problema do consumo de droga

Ver página em alto contraste Texto tamanho normal Aumentar texto 200 % Enviar esta página a um amigo Imprimir esta página

 

Encontrou a informação que procurava?

Sim Não

O que procurava?

Tem alguma sugestão?

Ligações úteis