Percurso de navegação

Contenção dos custos e dos preços da energia - 29/01/2014

Mão a segurar uma ficha elétrica próxima de uma tomada © UE

Novo relatório da UE sobre o aumento dos preços da energia a retalho na Europa sugere formas de reduzir os custos para os consumidores para manter a competitividade das empresas da UE no mercado global.

Entre 2008 e 2012, os preços da energia a retalho na Europa aumentaram significativamente apesar da queda do preço da eletricidade por grosso e da estabilidade dos preços grossistas do gás. As diferenças entre os países da UE são também notórias, havendo consumidores que pagam 2,5 a 4 vezes mais do que outros pelo mesmo produto.

O relatório da UE sobre os preços e os custos da energia analisa as razões do aumento dos preços a retalho e propõe formas de os consumidores e da indústria pouparem energia e dinheiro.

Reduzir os custos energéticos dos consumidores

Em 2014, a UE pretende concluir o mercado comum da energia e continuar a desenvolver as infraestruturas energéticas. Uma maior liberalização e uma melhor coordenação do mercado deverão incentivar o investimento e a concorrência e melhorar a eficiência em vários domínios, levando à redução dos preços e proporcionando condições mais equitativas na UE.

Para conter os custos, os agregados familiares e a indústria têm de melhorar a eficiência energética Deutsch (de) English (en) français (fr) , utilizando produtos mais eficientes em termos energéticos e adotando outras práticas que ajudam a poupar energia. Os consumidores devem também aproveitar as tarifas mais baixas ou mudar, sempre que possível, para fornecedores mais baratos.

Dado que o aumento dos custos da energia afeta muito especialmente as famílias mais pobres, os governos da UE devem também adotar medidas de política social para proteger os consumidores vulneráveis.

Manter a competitividade da UE

A diferença entre os preços da energia praticados na UE e noutras grandes economias é cada vez maior. De acordo com a Agência Internacional da Energia, prevê-se que esta disparidade provoque uma redução da parte da UE nas exportações mundiais de produtos com elevado consumo energético, como a indústria cerâmica e as indústrias do alumínio e do aço.

Embora a UE ainda lidere ainda as exportações de mercadorias com elevado consumo de energia, poderá ser necessário intensificar os esforços de contenção dos custos da energia através de medidas de melhoria da eficiência energética.

A UE deve prosseguir os seus esforços em matéria de subsídios energéticos e restrições à exportação junto dos seus parceiros internacionais. Se necessário, deve também contribuir para proteger determinados consumidores industriais através de transferências orçamentais e isenções e reduções de impostos e taxas.

Investir no futuro

Com o aumento previsto dos preços da energia a curto prazo, é necessário começar já a investir em redes elétricas inteligentes e melhores tecnologias para produzir, transportar e armazenar a energia de forma mais eficaz. Juntamente com um mercado comum da energia, estas medidas deverão assegurar uma descida dos preços a longo prazo.

Com sistemas energéticos flexíveis, a colaboração dos consumidores, mercados competitivos e instrumentos governamentais eficazes em termos de custos, a Europa ficará mais bem equipada para conter as subidas de preços, pagar os investimentos e minimizar os aumentos dos custos.

Comunicado de imprensa: perguntas e respostas relativas ao relatório sobre os preços e os custos da energia DeutschEnglishfrançais

Mercado da energia da UE Deutsch (de) English (en) français (fr)  

Uma melhor solução energética para os consumidores

Ver página em alto contraste Texto tamanho normal Aumentar texto 200 % Enviar esta página a um amigo Imprimir esta página

 

Encontrou a informação que procurava?

Sim Não

O que procurava?

Tem alguma sugestão?

Ligações úteis