Percurso de navegação

Conter os preços do petróleo - 24/06/2008

Navio petroleiro num porto

Os países produtores e importadores de petróleo devem colaborar para baixar os preços

Segundo declarou o Comissário da Energia, Andris Piebalgs, na cimeira que decorreu em Djeddah (Arábia Saudita) a 22 de Junho, os preços do petróleo só poderão baixar se as forças da oferta e da procura no mercado forem controladas.

Nas suas palavras, "os preços acima dos cem dólares prejudicam tanto os países consumidores como os produtores.Interessa-nos a todos colaborar com o objectivo de reduzir a volatilidade dos mercados e regressar a preços do petróleo razoáveis. Temos de agir em conjunto para devolver a confiança e a estabilidade à economia mundial e evitar a recessão".

O Comissário europeu instou, por um lado, os países produtores a aumentarem a produção e a investirem mais na capacidade de produção e, por outro, os países consumidores a incrementarem a eficácia energética, a manterem altos níveis de reservas de emergência e a lutarem contra a especulação no mercado.

Para fomentar o diálogo com os países produtores, a UE convidou a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) para um ‘ diálogo sobre a energia’ de alto nível em Bruxelas, a 24 de Junho. A UE importa dos países da OPEP cerca de 40% do petróleo que consome. É o quinto encontro entre ambas as partes desde que começaram as conversações em Novembro de 2005.

A Arábia Saudita, que é o maior exportador mundial, prometeu aumentar a produção em 200 000 barris em Julho, pelo terceiro mês consecutivo, e continuar a aumentá-la se for necessário para conter os preços.

O aumento está a provocar dificuldades e tensões tanto no mundo industrializado como nos países em desenvolvimento. Nas últimas semanas, verificaram-se na Europa vagas de protestos e greves de pescadores, agricultores e camionistas.

Perante a preocupação de que o aumento dos custos seja provocado não só pelas forças do mercado mas também pela especulação, a Comissão propõe-se controlar a evolução dos preços e tornar mais transparentes os mercados do petróleo. A OPEP apresentará, nas conversações de Bruxelas, um relatório sobre a repercussão dos mercados financeiros nos preços do petróleo.

A principal prioridade da Comissão é assegurar a eficiência energética, tanto a nível interno como externo. A UE apresentou uma proposta de política integrada em matéria de energia e alterações climáticas por forma a colocar a Europa na via do futuro sustentável.

Mais sobre a política da UE no sector do petróleo

Ver página em alto contraste Texto tamanho normal Aumentar texto 200 % Enviar esta página a um amigo Imprimir esta página

 

Encontrou a informação que procurava?

Sim Não

O que procurava?

Tem alguma sugestão?

Ligações úteis