Percurso de navegação

Emprego e formação para os jovens - 05/12/2012

Ao abrigo das medidas propostas pela UE, os desempregados com menos de 25 anos deverão beneficiar de ofertas de emprego ou de mais educação e formação.

Cerca de sete milhões e meio de jovens entre os 15 e os 24 anos não têm emprego nem frequentam o ensino ou uma formação. Num clima de crise económica, é muito mais difícil encontrar emprego. Mais de um em cada cinco jovens não têm trabalho. Na Grécia e em Espanha, esta situação afeta mais de metade dos jovens.

Para os ajudar, a Comissão propõe um pacote de medidas DeutschEnglishfrançais, que inclui uma recomendação aos países da UE para porem em prática um programa de garantia de emprego e formação para os menores de 25 anos.

Ao abrigo desses programas, os países da UE assegurariam que todos os jovens receberiam uma oferta de emprego ou uma proposta para continuar a sua educação ou fazer uma aprendizagem ou um estágio no prazo de 4 meses após acabarem a sua educação formal ou ficarem sem emprego.

A Comissão apoiaria os programas nacionais disponibilizando fundos da UE e criando redes que permitiriam trocar ideias sobre as melhores formas de conseguir que os jovens encontrem um emprego, uma formação ou um estágio.

A Finlândia e a Áustria já dispõem de programas semelhantes. Estes programas custariam ao erário público cerca de 21 mil milhões de euros, um custo bastante inferior ao de deixar os jovens sem ocupação.

Para além das dificuldades sentidas pelos jovens e respetivas famílias, o custo do desemprego jovem para a economia europeia equivale a 1,2 % do PIB da UE ou a 150 mil milhões de euros por ano English (calculados com base nas prestações pagas e nas perdas em imposto sobre o rendimento e outras receitas).

Ajuda urgente

É importante ajudar já em vez de ficar à espera que a economia recupere. Quanto mais tempo os jovens se mantiverem desempregados e sem experiência de trabalho, maior é o risco de ficarem fora do mercado de trabalho quando a economia retomar.

Em toda a Europa, cerca de 30 % dos jovens sem emprego já trabalhou durante pelo menos 12 meses, o equivalente a 1 600 000 jovens em 2011, comparado com 900 000 jovens em 2008.

O pacote de medidas surge em resposta a um pedido dos dirigentes da UE e do Parlamento Europeu, no seguimento de medidas já em vigor para ajudar os jovens a regressarem à escola, a inscreverem-se numa formação profissional ou a adquirirem uma primeira experiência de trabalho.

Mais sobre os programas de emprego jovem da UE

Ver página em alto contraste Texto tamanho normal Aumentar texto 200 % Enviar esta página a um amigo Imprimir esta página

 

Encontrou a informação que procurava?

Sim Não

O que procurava?

Tem alguma sugestão?

Ligações úteis