Percurso de navegação

Mulher empurrando um trólei numa fábrica têxtil ©Reporters

Inquérito: europeus pessimistas quanto às perspectivas de emprego.

Um em cada três europeus está "muito preocupado" com a possibilidade de perder o emprego, sendo ainda maior a percentagem daqueles que temem que o cônjuge ou os filhos percam o emprego nos próximos meses.

Os resultados do inquérito encomendado pela UE English (en) français (fr) e realizado em Junho não são surpreendentes. A Europa está a fazer todos os esforços para sair da pior recessão desde o pós-guerra, estando prevista uma contracção da economia da ordem dos 4% em 2009. Espera-se que os incentivos monetários e financeiros surtam efeito em 2010. Mas, até lá, a economia terá perdido cerca de 8,5 milhões de postos de trabalho.

"É compreensível que os europeus estejam preocupados com o impacto da crise nos seus empregos e nas suas famílias," declarou Vladimír Špidla, Comissário europeu do Emprego. "Por isso foram tomadas medidas a nível europeu desde o início da crise para limitar a sua repercussão no emprego.

O Comissário referiu a proposta da UE de introduzir um sistema de microcrédito, ou seja, pequenos empréstimos para ajudar as pessoas a criar o seu próprio negócio ou a facilitar a expansão de empresas já existentes.

A Comissão pretende também disponibilizar mais financiamentos imediatos para formação profissional e alargar o âmbito de aplicação de um fundo destinado a ajudar os trabalhadores a adaptar-se à evolução do comércio mundial.

Interrogados sobre o que pensavam destas políticas, sete em cada dez europeus responderam que estavam a ter efeitos positivos. E um terço aprova um aumento do financiamento da UE para a criação de emprego.

No ano passado, pelo menos 4 milhões de pessoas perderam o emprego, tendo a taxa de desemprego aumentado sobretudo entre os jovens. De acordo com o serviço de estatísticas da UE, a taxa de desemprego entre os europeus DeutschEnglishfrançais com menos de 25 anos atingiu 18% no primeiro trimestre do ano, ou seja, mais de metade da taxa de desemprego global, que se eleva a 8,3%.

Para ajudar os jovens a entrar no mercado de trabalho, a Comissão Europeia pretende que as empresas da UE assumam o compromisso de aceitar mais 5 milhões de aprendizes ou estagiários.

Acção da UE contra a recessão

Ver página em alto contraste Texto tamanho normal Aumentar texto 200 % Enviar esta página a um amigo Imprimir esta página

 

Encontrou a informação que procurava?

Sim Não

O que procurava?

Tem alguma sugestão?

Ligações úteis