Percurso de navegação

Dirigentes europeus reunidos em maio © UE

O desemprego entre os jovens, as PME e o aumento do volume dos empréstimos fazem parte da ordem de trabalhos da cimeira dos dirigentes europeus que se realizará em 27 e 28 de junho.

No âmbito da preparação da cimeira, a Comissão Europeia formulou recomendações em cada um destes domínios e o Presidente da Comissão, Durão Barroso, enviou uma carta aos Chefes de Estado e de Governo europeus instando-os a chegar a um consenso sobre as medidas propostas.

Desemprego

O desemprego afeta atualmente quase 6 milhões de jovens europeus com menos de 25 anos. Em alguns países, mais de metade dos jovens que querem trabalhar estão desempregados.

O apelo à ação contra o desemprego dos jovens DeutschEnglishfrançais lançado pela Comissão contém ideias novas sobre o modo de inserir os jovens no mercado de trabalho e exorta os governos a pôr rapidamente em prática programas já aprovados, como é o caso da iniciativa Garantia para a Juventude DeutschEnglishfrançais .

Trata-se de um mecanismo destinado a assegurar que todos os jovens recebem uma oferta de emprego adequada, seguem uma formação ou estágio profissional ou prosseguem os estudos no prazo de quatro meses após terem deixado o sistema de ensino ou perdido o emprego.

A Comissão preconiza que o montante de 6 mil milhões de euros destinado à luta contra o desemprego dos jovens seja disponibilizado em 2014 e 2015, em vez de ser repartidos ao longo dos sete anos do próximo Quadro Financeiro Plurianual, como estava inicialmente previsto.

Aumento do volume de empréstimos

Dada a escassez de recursos, cada vez menos bancos estão dispostos a conceder empréstimos, especialmente às PME. Contudo, o Banco Europeu de Investimento aumentará até 60 mil milhões de euros por ano a sua capacidade de concessão de empréstimos até 2015: o relatório sobre o reforço do crédito à economia explica o modo como esse montante será canalizado para as pequenas e médias empresas e para os países mais vulneráveis, com vista a estimular o investimento e o emprego.

Este relatório apresenta igualmente três novas formas de acesso ao financiamento por parte das PME: garantias, titularização (processo de repartição de riscos agregando ativos) e mecanismos de centralização dos riscos.

PME

As pequenas e médias empresas são frequentemente consideradas o principal sustentáculo da economia. No entanto, para serem bem sucedidas, devem ter acesso ao financiamento e o mínimo de encargos administrativos possível.

Em 2012, a Comissão solicitou às PME que assinalassem a legislação da UE que lhes criava mais dificuldades. Muitos dos atos incluídos na lista dos dez atos legislativos mais onerosos para as PME («Top 10») DeutschEnglishfrançais já foram melhorados. Consequentemente, as PME dispõem agora de um melhor acesso aos contratos públicos e os requisitos em matéria de segurança dos produtos foram também simplificados.

Um plano de investimento para a Europa

Em 2012, os países da UE chegaram a um acordo sobre uma série de medidas destinadas a estimular a economia, designado por Pacto para o Crescimento e o Emprego. A Comissão considera que os países podem ainda adotar medidas suplementares para melhorar a situação em que se encontram e enumera os domínios em que é necessária uma maior cooperação no Pacto para o Crescimento e o Emprego: um ano depois DeutschEnglishfrançais .

Ver página em alto contraste Texto tamanho normal Aumentar texto 200 % Enviar esta página a um amigo Imprimir esta página

 

Encontrou a informação que procurava?

Sim Não

O que procurava?

Tem alguma sugestão?

Ligações úteis