Percurso de navegação

Uma Europa de cabelos grisalhos: é necessário prepararmo-nos - 15/05/2012

Quatro pessoas idosas a jogar às cartas © UE

Relatório prevê que, em 2060, quase um terço de uma população total de 517 milhões de europeus terá, pelo menos, 65 anos.

De acordo com o último relatório English sobre o envelhecimento na UE, hoje publicado, o perfil etário dos cidadãos da UE deverá alterar-se consideravelmente nas próximas décadas,

A população da UE deverá aumentar ligeiramente, passando de 502 milhões em 2010 para 517 milhões em 2060, mas paralelamente deverá envelhecer bastante, estimando-se que 30% dos europeus tenham então, pelo menos, 65 anos. O facto de mais pessoas viverem mais tempo é, em si, muito positivo, mas coloca desafios significativos às economias e aos sistemas de assistência social da Europa.

A outra face da moeda é, obviamente, que existirão menos pessoas em idade de trabalhar. Estima-se que a percentagem dos indivíduos entre os 15 e os 64 anos diminua, passando de 67% para 56%. Grosso modo, o número de pessoas em idade ativa por reformado passará das atuais quatro para apenas duas pessoas.

Esta evolução demográfica terá consequências consideráveis para as finanças públicas da UE. Com base nas políticas atuais, estima-se que as despesas públicas «exclusivamente» relacionadas com a idade (pensões, cuidados de saúde e cuidados prolongados) aumentem 4,1 pontos percentuais do PNB entre 2010 e 2060, passando de 25% para cerca de 29% do PNB. Só as despesas com as pensões deverão aumentar de 11,3% para quase 13% do PNB até 2060. Todavia, o relatório revela grandes diferenças entre os vários países, dependendo em grande medida dos progressos realizados por cada país a nível da reforma das pensões.

Em resumo, o relatório confirma a necessidade de uma ação política determinada para fazer face aos desafios decorrentes do envelhecimento da população.

A dimensão e a velocidade do fenómeno do envelhecimento da população dependem da evolução da esperança de vida, da fertilidade e da migração. Estima-se que, em 2060, a esperança de vida à nascença seja de 84,6 anos para os homens e de 89,1 anos para as mulheres (respetivamente, de 76,7 anos e 82,5 anos em 2010). Por sua vez, a taxa de fertilidade da UE deverá registar um pequeno aumento, passando de 1,59 nascimentos por mulher em 2010 para 1,71 em 2060. Por outro lado, estima-se que a migração líquida acumulada para a UE atinja os 60 milhões de pessoas até 2060.

Mais sobre a UE e o envelhecimento da população

Ano Europeu do Envelhecimento Ativo 2012

Ver página em alto contraste Texto tamanho normal Aumentar texto 200 % Enviar esta página a um amigo Imprimir esta página

 

Encontrou a informação que procurava?

Sim Não

O que procurava?

Tem alguma sugestão?

Ligações úteis