Percurso de navegação

Défice excessivo: Chipre, Dinamarca e Finlândia juntam-se aos países sob escrutíneo - 16/06/2010

Moedas de euro © EU

12 países tomaram medidas concretas para endireitar os seus orçamentos.

Chipre, Dinamarca e Finlândia juntaram-se ao grupo dos países cujos défices orçamentais são considerados demasiado elevados, representando um risco para a economia europeia no seu conjunto. A Comissão recomenda assim que sejam colocados na lista dos países que requerem um escrutíneo mais aprofundado das finanças públicas.

Até à data, 12 países adoptaram medidas que a Comissão considera eficazes para diminuir o défice, reduzir a despesa pública e aumentar o rendimento, tal como prometido. Entre estes, estão a Irlanda, a Itália, Portugal e Espanha, quatro países no centro das preocupações relacionadas com o alto nível de endividamento nacional que ensombram a zona euro.

Entretanto, em reposta às alegações de que o seu importante excedente comercial estava a prejudicar as outras economias da UE, a Alemanha decidiu incentivar o consumo, tendo igualmente definido medidas de redução do défice para os próximos anos.

Os outros países visados no mais recente relatório da Comissão são a Áustria, a Bélgica, a Eslováquia, a Eslovénia, França, os Países Baixos e a República Checa.

Tal como para todos os outros países na mesma situação, a Comissão propôs 2011, 2012 e 2013, respectivamente, para a Finlândia, Chipre e Dinamarca, como datas-limite para a correcção do défice.

Chipre registou um défice de 6,1 % do PIB no ano passado. Este ano, o défice orçamental da Dinamarca deverá atingir os 5,4 % e o da Finlândia os 4,1 %.

Até há pouco tempo, estes países pareciam usufruir de uma situação económica confortável. Para o Comissário da UE para os assuntos monetários, Oli Rehn, esta reviravolta mostra a gravidade da crise económica, que semeou o caos nas despesas públicas.

O limite de 3 % para os défices, previsto no pacto de estabilidade e crescimento da UE, tem como objectivo prevenir desequilíbrios passíveis de minar a confiança na zona euro, tal como aconteceu no mês passado com a crise da dívida grega.

 

Mais sobre o procedimento da UE por décife excessivo English

Ver página em alto contraste Texto tamanho normal Aumentar texto 200 % Enviar esta página a um amigo Imprimir esta página

 

Encontrou a informação que procurava?

Sim Não

O que procurava?

Tem alguma sugestão?

Ligações úteis