Percurso de navegação

Chipre e Malta aderem à zona euro - 03/01/2008

Chipre e Malta adoptam o euro.

Com a adesão de Chipre e Malta à zona euro, novas notas e moedas chegam ao bolso dos seus cidadãos.

Malta e Chipre são os próximos países a beneficiar das vantagens do euro DeutschελληνικάEnglishespañolfrançais, entre as quais se destacam, só para citar duas, uma maior facilidade nos negócios e em viagem. Em 1 de Janeiro, a libra cipriota e a lira maltesa foram convertidas à taxa de, respectivamente, 0,585 e 0,429 em relação ao euro.

Chegou portanto o momento de esvaziar os mealheiros: durante um período de dois anos, no caso das moedas, e de dez anos, no caso das notas, os bancos centrais trocarão ambas as divisas sem encargos adicionais.

Para facilitar a transição, os  preços serão simultaneamente afixados em euros e na antiga moeda até 30 de Setembro de 2008. Além disso, existem conjuntos completos de euros para os cidadãos se irem familiarizando com as moedas e foram criados sítios especiais na Internet quer para os cipriotas English quer para os malteses English.

No que se refere aos aspectos estéticos, os europeus podem começar a procurar o muflão de Chipre e o templo pré-histórico maltês de Mnajdra nas moedas de 1, 2 e 5 cent, assim como o navio Kyrenia de Chipre e o emblema de Malta nas moedas de 10, 20 e 50 cent de cada um dos países. As moedas de 1 e 2 euros cipriotas apresentam um ídolo pré‑histórico em forma de cruz e as de Malta a cruz maltesa de oito pontas.

Os 200 milhões de moedas de euro maltesas English foram cunhadas pela casa da moeda de Paris e os 395 milhões de moedas de euro cipriotas English (num valor de 100,26 milhões de euros) pela casa da moeda finlandesa. Foram produzidos cerca de 80 milhões de euros em notas para Malta e de 79 milhões de euros para Chipre.

A fim de acalmar os receios de uma escalada dos preços durante o período de transição, foram lançadas várias iniciativas para sensibilizar os consumidores e evitar um eventual aproveitamento oportunista por parte dos comerciantes retalhistas. Até à data, ao abrigo de uma iniciativa que promove a fixação de preços justos no retalho, 5000 empresas maltesas comprometeram-se a não aumentar os preços e a afixá-los correctamente nas duas divisas. Será igualmente levado a cabo um exercício de fiscalização dos preços, através de compras efectuadas de forma anónima, para detectar casos de práticas desonestas. Os resultados deste exercício serão apresentados por sector de actividade.

A adesão destes dois países  eleva para quinze o número de membros da zona euro. Dos países que aderiram à União Europeia em 2004, o único outro país que adoptou o euro foi a Eslovénia. A próxima adesão mais provável deverá ser a da Eslováquia em 2009.

Para mais informações ελληνικάEnglishMalti

Ver página em alto contraste Texto tamanho normal Aumentar texto 200 % Enviar esta página a um amigo Imprimir esta página

 

Encontrou a informação que procurava?

Sim Não

O que procurava?

Tem alguma sugestão?

Ligações úteis