Percurso de navegação

Estratégia criativa da UE - 01/10/2012

Novo plano para tornar as indústrias culturais e criativas da Europa mais competitivas, estimulando simultaneamente o crescimento e o emprego.

A passagem às tecnologias digitais, a globalização e a evolução do comportamento dos consumidores fazem parte dos desafios com que o setor cultural e criativo se confronta neste momento.

Por exemplo, as empresas criativas têm dificuldade em atrair o investimento necessário para passarem às tecnologias digitais, um fator-chave para reduzir os custos de produção e aceder a novos mercados.

A Comissão propôs um conjunto de medidas English para as ajudar, tanto a nível nacional como a nível da UE, incluindo a promoção do desenvolvimento de competências e o acesso ao financiamento.

Esta ajuda faz sentido num momento em que a Europa está a enfrentar uma crise económica. Cerca de 8 milhões e meio de pessoas trabalham no setor criativo, que inclui a arquitetura, o artesanato, o património cultural, o design, os festivais, a moda, o cinema, a música, as artes do espetáculo, as artes visuais, as bibliotecas, as editoras, a rádio e a televisão.

O setor representa cerca de 4,5 % do PIB da UE e dá um contributo significativo para outras indústrias, em que cada vez mais a inovação assenta na criatividade e no design.

Medidas concretas

A Comissão convida os países da UE a concentrarem-se na melhoria das competências e do acesso ao financiamento, no reforço da competitividade, no aumento das exportações e na intensificação dos laços com outros setores.

A nível da UE, a Comissão propõe utilizar de forma estratégica os 1800 milhões de euros previstos afetados ao próximo programa Europa Criativa DeutschEnglishfrançais (2014-2020), bem como outros fundos. Está, nomeadamente, previsto:

  • promover o empreendedorismo mediante a redução da burocracia para as pequenas empresas, que representam um grande segmento do setor cultural e criativo
  • integrar o mercado digital da UE, por exemplo, através de uma abordagem comum para a proteção dos direitos de propriedade intelectual, e reduzir a quantidade de mercadorias de contrafação vendidas via Internet
  • promover a criação de redes e a partilha das boas práticas comerciais em toda a Europa
  • garantir empréstimos bancários para facilitar o acesso ao financiamento por parte das empresas e organizações criativas
  • adotar medidas de apoio para ajudar a desenvolver audiências, ensaiar modelos de negócio e aumentar as exportações internacionais
  • injetar fundos na educação e formação, a exemplo do que já é feito com o programa da UE Erasmus para todos DeutschEnglishfrançais
  • utilizar fundos existentes para aumentar a contribuição da cultura para o desenvolvimento regional e local, tanto em áreas urbanas como rurais.

Mais sobre a promoção da cultura pela UE DeutschEnglishfrançais

Ver página em alto contraste Texto tamanho normal Aumentar texto 200 % Enviar esta página a um amigo Imprimir esta página

 

Encontrou a informação que procurava?

Sim Não

O que procurava?

Tem alguma sugestão?

Ligações úteis