Percurso de navegação

Estudar e formar-se no estrangeiro é possível! - 22/08/2011

Grupo de jovens salta com os braços levantados © iStock/Christopher Futcher

O regresso às aulas aproxima-se e mais uma vez este ano milhares de jovens irão estudar ou fazer um estágio noutro país da UE graças aos programas europeus de mobilidade Erasmus e Leonardo da Vinci.

Os programas Erasmus e Leonardo da Vinci são duas das principais iniciativas do programa de educação e formação ao longo da vida da Comissão Europeia.

Erasmus: o preferido dos estudantes

Desde o seu lançamento em 1987, este programa permitiu a 2 500 000 europeus fazer um período de estudo ou de estágio noutro país, com uma duração entre três a doze meses. No ano lectivo de 2009-2010, o programa bateu um novo recorde com 213 000 participantes.

Os estudantes Erasmus descrevem uma experiência que ultrapassa em muito o aspecto dos estudos e que lhes permite criar uma verdadeira consciência europeia. Aprendem e aperfeiçoam as línguas estrangeiras, reforçam a sua capacidade de adaptação e adquirirem uma sensibilidade intercultural, o que os coloca em posição de vantagem no mercado de trabalho.

O programa conta com a participação de 4000 universidades em 33 países da Europa. Os estudantes não pagam propinas nos estabelecimentos que os acolhem e recebem, em média, uma bolsa de 254 euros por mês. No regresso, beneficiam do pleno reconhecimento dos estudos realizados no outro país.

O Erasmus também oferece a possibilidade de fazer um estágio numa empresa estrangeira. Em 2009, 35 000 dos 213 000 estudantes Erasmus escolheram essa opção. Foram igualmente realizados 38 000 intercâmbios de professores e pessoal universitário. Desde 2004, 23 000 estudantes provenientes de outras partes do mundo puderam vir estudar para a Europa graças ao Erasmus Mundus DeutschEnglishfrançais .

Leonardo da Vinci: orientado para a vida profissional

O programa Leonardo da Vinci dirige-se às pessoas que desejam seguir uma formação profissional no estrangeiro: estagiários, aprendizes, diplomados, formadores e professores. Em 15 anos de existência, o programa atribuiu 710 000 bolsas.

Investigadores, engenheiros, trabalhadores sociais, mecânicos ou padeiros puderam assim aprofundar e partilhar os seus conhecimentos num país estrangeiro.

Os participantes no programa desenvolvem as suas capacidades profissionais e pessoais, tornando-se mais competitivos no mercado de trabalho europeu. Em 2010, 92 000 cidadãos aceitaram este desafio.

Mais informações sobre o programa Erasmus DeutschEnglishfrançais
Mais informações sobre o programa Leonardo da Vinci DeutschEnglishfrançais

Ver página em alto contraste Texto tamanho normal Aumentar texto 200 % Enviar esta página a um amigo Imprimir esta página

 

Encontrou a informação que procurava?

Sim Não

O que procurava?

Tem alguma sugestão?

Ligações úteis