Percurso de navegação

Um ensino profissional renovado - 09/06/2010

Desenhador gráfico a trabalhar com computador

Comissão procura revalorizar e tornar mais populares o ensino e a formação profissional.

A Comissão Europeia apresentou hoje um plano DeutschEnglishfrançais com o objectivo de motivar mais estudantes a optarem pelo ensino profissional e melhorar a qualidade da formação prestada.

Este plano será submetido a debate numa reunião prevista para Dezembro, em que ministros europeus da educação, empregadores e sindicatos irão estabelecer uma agenda para o ensino profissional no horizonte de dez anos.

As propostas apresentadas assentam na nova estratégia europeia de crescimento económico e de criação de emprego para a próxima década. Um dos objectivos principais da estratégia «‘Europa 2020 » é aumentar o nível das habilitações para satisfazer a procura de novas qualificações.

O mercado do trabalho europeu encontra-se em rápida mutação para se adaptar à globalização, ao progresso tecnológico, às alterações climáticas e à pressão sobre os recursos. Porém, a Europa tem tido dificuldades para manter um ritmo adequado, em parte devido à falta de qualificação de muitos dos seus trabalhadores.

Hoje em dia, mesmo para os trabalhos mais elementares exigem-se bons conhecimentos técnicos. Contudo, perto de um terço da população na Europa, na casa dos 25 a 64 anos, carece de qualificações ou tem qualificações de baixo nível, uma percentagem bastante mais alta do que nos Estados Unidos, Canadá, Japão e Coreia do Sul.

Há muito que os empregadores europeus se queixam da escassez de mão-de-obra qualificada no mercado. Embora se tenha registado um aumento do desemprego na sequência da recessão, a falta de mão-de-obra qualificada mantém-se. A crise económica veio mesmo acentuar a necessidade de trabalhadores altamente qualificados. Acresce ainda a pressão exercida sobre os trabalhadores para que aumentem a sua produtividade devido ao número crescente de reformados.

A Comissária da Educação Androulla Vassiliou declarou que a Europa tem de «mudar a imagem» do ensino profissional, tornando-o «mais adequado à realidade de hoje».

O plano propõe várias opções para que as pessoas tenham oportunidade de aprender independentemente da idade e para lhes permitir adquirir experiência noutros países no quadro da sua formação profissional. Também propõe medidas para incentivar a criatividade e o espírito empresarial, travar o abandono escolar e apoiar os desempregados, os trabalhadores migrantes e as pessoas com deficiência.

O ensino profissional dá um maior peso aos conhecimentos técnicos e à experiência prática do que aos conhecimentos teóricos. É especialmente interessante para aqueles que preferem aprender um ofício ou adquirir uma qualificação técnica a seguir, por exemplo, um curso universitário.

Os sistemas de ensino profissional da UE variam consoante os países. Embora os níveis de participação sejam diferentes, a sua média é superior à de outras economias rivais.

Mais sobre educação e formação profissionais DeutschEnglishfrançais

Ver página em alto contraste Texto tamanho normal Aumentar texto 200 % Enviar esta página a um amigo Imprimir esta página

 

Encontrou a informação que procurava?

Sim Não

O que procurava?

Tem alguma sugestão?

Ligações úteis