Percurso de navegação

Navegação mais segura para os menores - 10/02/2009

UE chega a acordo com 17 redes sociais com vista a uma Internet mais segura.

Dezassete grande sítios Web, entre os quais o Facebook, o MySpace, o YouTube, o sítio francês de vídeos Dailymotion e o popular mundo virtual para crianças Habbo Hotel, concordaram em adoptar medidas para impedir que os jovens coloquem involuntariamente em risco a sua privacidade e segurança.

Só no último ano, as redes sociais cresceram mais de 35 % na Europa, contando agora cerca de 42 milhões de utilizadores regulares. Até 2012, este número deverá aumentar para mais do dobro.

As redes sociais levam os utilizadores a pensar que se encontram entre amigos quando, na realidade, milhões de pessoas têm acesso ao material apresentado. Além de aumentarem o risco de os seus utilizadores receberem mensagens de assédio ou serem contactados por um predador sexual, estes «armazéns» de informações privadas constituem uma verdadeira mina de ouro em termos publicitários, possibilitando a adequação dos produtos e serviços anunciados às informações que os próprios utilizadores dão sobre si próprios.

Ao abrigo do acordo assinado durante uma cerimónia que assinalou o Dia da Internet Segura DeutschEnglishfrançais , as 17 empresas em causa comprometeram-se a:

  • fazer com que os utentes possam denunciar comportamentos ilícitos com um simples clique;
  • classificar como «privados», salvo indicação em contrário, os perfis e as listas de contacto em linha dos internautas com menos de 18 anos;
  • impedir pesquisas nos perfis privados dos internautas com menos de 18 anos;
  • dar mais destaque às opções de protecção da vida privada, por forma a que os internautas saibam quem tem acesso às informações que colocam em linha: apenas os seus amigos ou o mundo inteiro.

 

As empresas prometeram progressos significativos na aplicação do acordo até Abril de 2009. Algumas já puseram este tipo de medidas em prática para se protegerem contra queixas de violação da privacidade e de actividade ilegal. O MySpace, por exemplo, expulsou 90 000 autores de delitos sexuais nos últimos dois anos.

Viviane Reding, a Comissária da Sociedade da Informação e dos Média, considerou o acordo um «passo importante» para tornar as redes sociais mais seguras para os mais jovens.

A Comissária lançou também uma campanha contra o assédio em linha. Trata-se de um problema crescente, que consiste no envio de mensagens de texto, fotografias ou vídeos através da Internet ou do telemóvel para humilhar uma pessoa.

A campanha inclui um vídeo difundido por televisões públicas e privadas de toda a Europa sobre uma rapariga vítima de assédio em linha.

Mais sobre o programa Internet Segura da UE English .

Ver página em alto contraste Texto tamanho normal Aumentar texto 200 % Enviar esta página a um amigo Imprimir esta página

 

Encontrou a informação que procurava?

Sim Não

O que procurava?

Tem alguma sugestão?

Ligações úteis