Percurso de navegação

Linz e Vilnius iniciam ano de festividades culturais - 07/01/2009

Pessoas a ouvirem a Rocket Symphony durante um concerto ao ar livre em Linz © Linz09

As novas capitais europeias da cultura iniciam ano de festividades culturais.

À meia-noite do dia 31 de Dezembro, milhares de pessoas dançaram ao som de uma valsa vienense na cidade austríaca de Linz. Minutos depois, centenas de cantores convergiram para as margens do Danúbio para a estreia mundial da «Rocket Symphony», uma obra do compositor britânico Orlando Gough que utiliza fogo-de-artifício como tambores e trompetes.

Mas a chegada de 2009 não foi o motivo principal para esta estreia feérica. A verdadeira razão foi o lançamento de Linz como capital europeia da cultura DeutschEnglishfrançais.

Este ano, Linz English partilha o título com a capital lituana, Vilnius DeutschEnglishfrançaislietuvių kalbapolski, que iniciou o ano com um espectáculo de luz do artista alemão Gert Hof.

As festividades de Ano Novo foram só uma pequena amostra. As duas cidades prometem realizar centenas de concertos, exposições e festivais ao longo do ano. Vilnius inaugurará também um novo museu de arte contemporânea e Linz apresentou as novas instalações do Centro de Artes Electrónicas.

Linz e Vilnius são as mais recentes capitais europeias da cultura. Criado em 1985, o título de capital europeia da cultura foi atribuído a 39 cidades europeias. Hoje em dia, esta distinção equivale a 1,5 milhões de euros de fundos da UE. Esta experiência deixou marcas fortes em muitos espíritos, tendo trazido também melhoramentos a nível das infra-estruturas das cidades. Linz e Vilnius começaram os trabalhos preparativos há alguns anos.

Com mais de 500 000 habitantes, Vilnius é a maior cidade da Lituânia. Fundada no início do século XIV, foi durante séculos encruzilhada das culturas lituana, polaca, russa e judaica. Mas a comunidade judaica foi dizimada durante a Segunda Guerra Mundial e a identidade cultural da cidade foi-lhe negada durante a era soviética.

Linz tem cerca de 200 000 habitantes, tendo-se tornado numa cidade industrial sob o jugo os nazis, que tinham planeado convertê-la num centro da cultura germânica.

Este ano, com a exposição “A capital europeia do Führer”, Linz mostra-se aberta ao mundo, reflectindo de forma crítica sobre a sua história e dando uma visão do impacto dos nazis na arte, na música e na literatura na região.

As capitais europeias da cultura de 2008, Liverpool, no Reino Unido, e Stavanger, na Noruega, passaram o testemunho a Linz e a Vilnius.

Ver página em alto contraste Texto tamanho normal Aumentar texto 200 % Enviar esta página a um amigo Imprimir esta página

 

Encontrou a informação que procurava?

Sim Não

O que procurava?

Tem alguma sugestão?

Ligações úteis