Percurso de navegação

Dê a sua opinião sobre o futuro da agricultura europeia - 13/04/2010

Agricultor a dar ração às vacas © EU

A UE lança um debate público sobre a política agrícola europeia e planeia uma profunda reforma da agricultura para 2013.

A Comissão divulgou esta semana a sua intenção de proceder a uma reforma em profundidade da política agrícola comum (ou PAC, como é vulgarmente conhecida), em conformidade com a nova estratégia económica da UE a longo prazo.

Num discurso proferido no Parlamento Europeu, o Comissário da Agricultura, Dacian Cioloş, declarou que a PAC terá de fazer face a importantes desafios, como as alterações climáticas, problemas relacionados com a escassez de alimentos e pressões sobre os recursos e as economias rurais.

No final do ano, serão apresentadas propostas de alterações da PAC, depois de a Comissão analisar as respostas à consulta pública agora lançada. Tais alterações deverão produzir efeitos depois de o actual programa de financiamento deixar de estar em vigor em 2013 .

Graças a esta consulta, que termina em Junho, a Comissão espera obter contributos dos consumidores, dos activistas defensores do ambiente e dos grupos de defesa do bem-estar dos animais, para além, obviamente, dos agricultores.

A UE está actualmente a trabalhar num plano económico para os próximos dez anos, conhecido por estratégia Europa 2020, que deverá ter importantes consequências para a agricultura, nomeadamente pela importância que atribui a uma economia menos dependente do carbono.

A política agrícola da UE tem por objectivo assegurar aos agricultores um nível de vida razoável, garantir a disponibilidade de alimentos a preços justos e preservar o património rural da Europa. A PAC custa cerca de 55 mil milhões de euros por ano e representa 40% do orçamento da UE. A maior parte desse montante é canalizado directamente para os agricultores sob a forma de subsídios directos. Cerca de 5% da população activa europeia trabalha no sector agrícola.

Nas últimas décadas, a UE introduziu profundas alterações na política agrícola, tendo nomeadamente abolido as ajudas baseadas na produção e conferido aos agricultores uma maior liberdade para adaptarem a produção às necessidades do mercado.

Um recente inquérito da UE DeutschEnglishfrançais revela um apoio generalizado à política agrícola, com seis em cada dez dos inquiridos a mostrar-se favoráveis aos níveis de despesa actuais ou mesmo a um reforço do orçamento da PAC.

No seu discurso, o comissário Cioloş advertiu que o problema da segurança alimentar continua na ordem do dia: "Os acontecimentos que o mundo conheceu nos últimos dois anos servem para nos recordar isso mesmo."

Em 2008, registou-se uma subida repentina e muito acentuada dos preços dos alimentos, que esteve na origem de vagas de protesto em muitos países. No ano passado, os produtores europeus de produtos lácteos manifestaram-se contra o aumento em espiral dos preços do leite.

A política agrícola comum pós-2013: dê a sua opinião

Ver página em alto contraste Texto tamanho normal Aumentar texto 200 % Enviar esta página a um amigo Imprimir esta página

 

Encontrou a informação que procurava?

Sim Não

O que procurava?

Tem alguma sugestão?

Ligações úteis