Percurso de navegação

Maior protecção para os tubarões - 06/08/2009

«Surfistas atacados por tubarões» - é uma das parangonas habituais dos jornais de Verão nalgumas partes do mundo. Na realidade, são os tubarões que necessitam de protecção, uma vez que um terço das espécies oceânicas estão ameaçadas de extinção.

Nas nossas paragens, os tubarões não gozam de boa reputação. Não se pode dizer que sejam apreciados e já não é mau se só forem apelidados de «exóticos». Muitas vezes até são alvo de crueldade. A título de exemplo, no México foram encontrados congelados 30 tubarões cujos estômagos estavam cheios de cocaína. E, no Extremo Oriente, a sopa de barbatanas custa a vida a muitos tubarões. No chamado «shark finning», as barbatanas dorsais são cortadas e os animais são deitados ainda vivos ao mar, onde morrem numa agonia atroz. E não há quaisquer restrições relativamente ao tamanho, idade ou espécie.

Em todo o mundo, as frotas pesqueiras tentam satisfazer a procura crescente de barbatanas de tubarões. O resultado é a sobrepesca, da qual as populações de tubarões só muito dificilmente recuperam devido à sua longevidade, a uma maturidade sexual tardia e à baixa taxa de reprodução.

Entretanto, o risco de extinção vai aumentando.

A União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN) elaborou uma lista de espécies ameaçadas em todo o mundo. As espécies que correm mais perigo são o tubarão-martelo, o tubarão-martelo-recortado e a manta gigante.

A IUCN considera urgente instituir um plano internacional coordenado de protecção destes animais. Por essa razão, o Comissário europeu dos assuntos marítimos e pescas DeutschEnglishfrançaisMalti, Joe Borg, apresentou um plano de acção para a conservação e gestão das populações de tubarões, que foi adoptado pelos países membros da UE.

Esse plano tem por fim proteger os peixes cartilagíneos, ou seja, não só os tubarões mas também as raias e as quimeras que totalizam mais de 1000 espécies. Na UE, a prática da remoção de barbatanas de tubarões é proibida há muitos anos, mas o plano de acção prevê medidas de controlo ainda mais estritas que irão beneficiar todo o ecossistema marítimo ameaçado por uma pesca cada vez mais intensiva.

Em finais deste ano, o grupo de peritos da IUCN publicará um relatório actualizado sobre a situação das 400 espécies de peixes cartilagíneos.

Perguntas e respostas sobre o plano europeu de protecção dos tubarões Englishfrançais

Ver página em alto contraste Texto tamanho normal Aumentar texto 200 % Enviar esta página a um amigo Imprimir esta página

 

Encontrou a informação que procurava?

Sim Não

O que procurava?

Tem alguma sugestão?

Ligações úteis