Vigilância marítima integrada

Definição e âmbito

Legenda: Chipre © Lionel Flageul

A vigilância marítima integrada visa colocar à disposição das autoridades intervenientes e outras partes interessadas na vigilância marítima meios para trocarem informações e dados. O intercâmbio de dados reforça a eficácia da vigilância e diminui os custos que lhe estão associados.

Atualmente, as autoridades da UE e nacionais responsáveis por diferentes aspetos da vigilância, por exemplo, controlo das fronteiras, segurança, controlo das pescas, alfândegas, ambiente ou defesa, recolhem os dados separadamente e, muitas vezes, não os partilham. Os mesmos dados podem, assim, ser recolhidos mais de uma vez.

As ligações úteis dão-lhe informações sobre outras atividades de vigilância específicas, medidas de luta contra a pirataria e segurança marítima em geral.

Vídeos: Vigilância marítima integrada

Como funciona na prática

A Comissão Europeia e os países da UE e do EEE estão a desenvolver um ambiente comum de partilha da informação (CISE), que integrará os atuais sistemas e redes de vigilância e permitirá o acesso de todas as autoridades competentes às informações necessárias ao desempenho da respetiva missão.

O CISE assegurará a interoperabilidade dos vários sistemas de forma a que dados e outras informações possam ser facilmente partilhados através da utilização de tecnologias modernas. Foi adotado um roteiro para o desenvolvimento do CISE pdf - 5 MB [5 MB] Todas as traduções disponíveis..

Documentos oficiais

Mais informações

Projetos

  • MARSUNO – Projeto-piloto sobre a vigilância marítima nas bacias do mar do Norte (encerrado)
  • BLUMASSMED - Projeto-piloto sobre a integração da vigilância marítima no mar Mediterrâneo e seus acessos atlânticos (2009-2012)

Fórum marítimo

Assuntos marítimos

Pesquisa

Assine o nosso boletim electrónico

Notícias