Percurso de navegação

Quadro estratégico

O que faz a UE para promover as línguas?

A Comissão Europeia está empenhada em promover a aprendizagem de línguas e a diversidade linguística em toda a Europa a fim de melhorar as competências linguísticas de base dos cidadãos.

Para esse efeito, está a trabalhar em conjunto com os governos nacionais no sentido de atingir uma meta ambiciosa: conseguir que os cidadãos comuniquem em mais 2 línguas, para além da sua língua materna. Este «objetivo de Barcelonapdf» foi definido em 2002 pelos chefes de estado e de governo da UE. 

A comunicação de 2008 intitulada «Multilinguismo - uma mais-valia para a Europa e um compromisso comum» define as atividades da Comissão neste domínio. As principais prioridades são as seguintes:

  • ajudar os países da UE a desenvolver novos instrumentos educativos que permitam melhorar as competências linguísticas de que os jovens dispõem no final do seu percurso escolar
  • recolher dados para acompanhar os progressos no âmbito do ensino e da aprendizagem de línguas, a fim de incentivar o domínio de mais de uma língua estrangeira como forma de melhorar as perspetivas de emprego e facilitar a circulação das pessoas na UE
  • recompensar a inovação no ensino e aprendizagem de línguas
Por que motivo é necessária a intervenção da Comissão?

A aspiração da União Europeia à união na diversidade está na base de todo o projeto europeu. A coexistência harmoniosa de muitas línguas na Europa encarna esta aspiração. As línguas podem criar pontes entre as pessoas, possibilitando o acesso a outras culturas e outros países e facilitando a compreensão mútua.

O conhecimento de línguas estrangeiras é cada vez mais importante para a empregabilidade dos jovens, e fundamental se estes desejarem trabalhar no estrangeiro. Representa também um fator de competitividade, já que a falta de conhecimentos linguísticos está na origem da perda de contratos em muitas empresas, além de constituir um obstáculo para os trabalhadores eventualmente interessados em procurar trabalho noutro país.

No entanto, o número de europeus que terminam o ensino sem um conhecimento prático de uma segunda língua é ainda demasiado elevado, sendo esta uma razão de peso para melhorar a eficácia do ensino e aprendizagem de línguas.

O que está a ser feito

A fim de dar resposta a estes imperativos a Comissão Europeia

Para apoiar estas atividades, a Comissão:

  • colabora com o Conselho da Europa e o seu Centro europeu de Línguas Modernas, que tem como principal centro de interesse a inovação no ensino de línguas
  • colabora com os prestadores de serviços linguísticos das instituições europeias, em especial os serviços de tradução e interpretação, tendo em vista a promoção do ensino e formação de linguistas
  • atribui o Selo Europeu das Línguas para incentivar novas técnicas de ensino de línguas

Por último, o novo programa Erasmus+ oferece aos jovens novas oportunidades de aperfeiçoamento das suas competências linguísticas ao permitir-lhes estudar ou realizar formação profissional no estrangeiro.