Ação da UE

Estima-se que entre 8% e 12% dos doentes internados nos hospitais europeus sejam afetados pelos seguintes problemas relacionados com os cuidados que lhes foram prestados:

  • infeções associadas aos cuidados de saúde (aproximadamente 25% dos problemas)
  • erros terapêuticos
  • erros cirúrgicos
  • falhas do equipamento médico
  • erros de diagnóstico
  • falta de intervenção ou intervenção inadequada na sequência de exames médicos

Grande parte dos danos infligidos aos doentes poderiam ser evitados, mas as estratégias neste domínio variam consideravelmente de um país da UE para outro.

Por força do Tratado, a UE deve ajudar os seus países membros a coordenar a sua ação tendo em vista proteger a saúde pública. Nesta ótica, a Comissão, que está numa boa posição para os ajudar a partilhar as melhores práticas, tomou uma série de medidas para melhorar a segurança dos doentes na Europa.

Pacote de medidas relativas à segurança dos doentes

  • O pacote de medidas destinadas a reforçar a segurança dos doentes Traduções da ligação anterior English (en) faz um balanço dos meios utilizados pela Comissão e pelos países da UE para resolver o problema da segurança dos doentes. O pacote contém o segundo relatório da Comissão sobre a segurança dos doentes, nomeadamente sobre a prevenção e o controlo de infeções associadas aos cuidados de saúde.

Instrumentos jurídicos

Grupo de trabalho sobre a segurança dos doentes e a qualidade dos cuidados de saúde

O grupo de trabalho sobre a segurança dos doentes e a qualidade dos cuidados de saúde Traduções da ligação anterior English (en) , que reúne representantes de todos os países da UE, dos países da EFTA, de organizações internacionais e de organismos da UE, contribui para a definição de medidas relativas à segurança dos doentes e à qualidade dos cuidados prestados.