Ambientes saudáveis

Acção da UE

A saúde pública depende de uma série de factores ambientais:

  • poluentes atmosféricos causam ou agravam doenças respiratórias, alergias, intoxicações e cancro;
  • ambientes não seguros podem ser responsáveis por acidentes e lesões e desencorajar a prática de exercício físico;
  • outros factores: produtos químicos, contaminação dos alimentos e alergias, poluição dos solos, qualidade da habitação, decisões de planeamento, ruído, água, sistemas sanitários, etc.

A UE colabora de perto com os governos nacionais e os especialistas para promover ambientes saudáveis e estudar respostas às ameaças à saúde, incluindo as alterações climáticas .

Saúde e ambiente

Os factores ambientais  são responsáveis por uma percentagem significativa de doenças nos países industrializados. As doenças respiratórias e o cancro são particularmente preocupantes, correndo as crianças um risco mais elevado do que os adultos.

A Comissão segue neste contexto uma abordagem integrada, implicando todas as partes interessadas na formulação das suas políticas. Fazem parte desta abordagem:

A Comissão também colabora de perto com a OMS Europa .

Acidentes e lesões

As lesões acidentais  são responsáveis por 235 000 vítimas mortais anualmente, sendo a quarta causa de morte mais comum na UE.

Estão incluidos neste número, por exemplo, os acidentes de viação, os acidentes de trabalho, os envenenamentos, os afogamentos e as quedas.

A Comissão procura, sempre que possível, combater as causas agindo, por exemplo, para melhorar a qualidade da habitação e o planeamento urbano e rural e incentivar a prática de exercício físico.

Ver também segurança dos produtos

Campos electromagnéticos

A rápida proliferação dos telemóveis e de outros dispositivos electrónicos a que assistimos desde os anos noventa aumentou a nossa exposição aos campos electromagnéticos, suscitando alguma preocupação quanto ao seu possível efeito negativo na saúde.

A acção da UE em matéria de campos electromagnéticos  passa, nomeadamente, por incitar os governos a avaliar a situação em termos de exposição e a tomar as devidas medidas no caso de se excederem os limites de segurança.