Acção da UE

Em 2009, a Comissão preparou um documento de trabalho sobre o impacto das alterações climáticas na saúde do homem, dos animais e das plantas Traduções da ligação anterior български (bg) čeština (cs) dansk (da) Deutsch (de) eesti keel (et) ελληνικά (el) English (en) español (es) français (fr) italiano (it) latviešu valoda (lv) lietuvių kalba (lt) magyar (hu) Malti (mt) Nederlands (nl) polski (pl) română (ro) slovenčina (sk) slovenščina (sl) suomi (fi) svenska (sv) em que explica:

  • de que forma vão as alterações climáticas afectar a saúde do homem, dos animais e das plantas,
  • quais as medidas a tomar pela UE e os Estados-Membros em reacção a estas alterações,
  • quais os instrumentos e os fundos já disponíveis para fazer face aos desafios futuros.

Este documento baseia-se nas linhas gerais do livro branco sobre a adaptação às alterações climáticas Traduções da ligação anterior English (en) .

Saúde humana

As alterações climáticas vão afectar a saúde humana

  • de forma directa, p. ex. incidência de doenças transmitidas por insectos (mosquitos ou carraças),
  • de forma indirecta, p. ex. efeitos na qualidade da água e do ar ou consequências de fenómenos meteorológicos extremos.

Os países da UE são incentivados a cooperar para agirem mais eficazmente neste contexto. O planeamento de contingência Traduções da ligação anterior български (bg) čeština (cs) dansk (da) Deutsch (de) eesti keel (et) ελληνικά (el) English (en) español (es) français (fr) italiano (it) latviešu valoda (lv) lietuvių kalba (lt) magyar (hu) Malti (mt) Nederlands (nl) polski (pl) română (ro) slovenčina (sk) slovenščina (sl) suomi (fi) svenska (sv) foi revisto a fim de ter em conta as alterações climáticas e será testado no que se refere à capacidade de reacção e de coordenação entre os países, com especial atenção para os planos de contingência nacionais.

Saúde animal

Dados recentes indicam que as alterações climáticas têm um impacto na saúde animal. Um exemplo foi o aparecimento da febre catarral ovina, uma doença transmitida por vectores, em 2006 e a sua propagação até à Suécia, para além da sua distribuição geográfica conhecida.

A nova estratégia de saúde animal da União Europeia incide principalmente na prevenção das doenças animais. O seu plano de acção tem em conta a influência das alterações climáticas na saúde animal.

Um novo sistema de informação sobre doenças dos animais está a ser desenvolvido para melhorar a recolha de dados epidemiológicos. O reforço da vigilância das doenças dos animais e a criação de mais bancos de vacinas para determinadas destas doenças permitirá aos responsáveis pela gestão dos riscos reagir melhor em caso de surto de uma doença.

Fitossanidade

As alterações climáticas têm impacto na susceptibilidade das plantas às pragas e às doenças. Além disso, os Verões mais quentes e os Invernos mais curtos resultarão, em geral, na multiplicação das populações de organismos nocivos e no alargamento da sua distribuição geográfica, bem como no aparecimento de novos organismos deste tipo na UE. As espécies seleccionadas para cultivo também irão mudar em resposta às alterações climáticas, trazendo novas oportunidades para pragas e doenças.

O regime fitossanitário da UE em vigor, actualmente em revisão, destaca o papel da quarentena para lutar contra as pragas susceptíveis de terem um impacto na agricultura, nas florestas ou no ambiente natural. Será desenvolvida uma nova estratégia fitossanitária por forma a, nomeadamente, tratar de modo mais adequado as implicações das alterações climáticas neste domínio.

Cooperação com as organizações internacionais

A Comissão colabora com organizações internacionais como a OMS (Organização Mundial de Saúde), a OIE (Organização Mundial da Saúde Animal), a IPPC (Convenção Fitossanitária Internacional) e a FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura).

Promoção e apoio

O programa de Saúde Pública da Comissão financia projectos Traduções da ligação anterior български (bg) čeština (cs) dansk (da) Deutsch (de) eesti keel (et) ελληνικά (el) English (en) español (es) français (fr) italiano (it) latviešu valoda (lv) lietuvių kalba (lt) magyar (hu) Malti (mt) Nederlands (nl) polski (pl) română (ro) slovenčina (sk) slovenščina (sl) suomi (fi) svenska (sv) e outras iniciativas relacionadas com as alterações climáticas.

A Comissão disponibiliza fundos para iniciativas nacionais no domínio da vigilância e da informação (sobre poluição urbana, emissões de alergénios e sazonalidade, exposição aos raios ultravioleta, etc.).

O Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (CEPCD) tem vários projectos relacionados com as alterações climáticas, nomeadamente a rede E3, que modeliza e cartografa os vários tipos de risco de doenças infecciosas.

A UE também financia investigação sobre doenças emergentes ao abrigo do 7.º programa-quadro em curso (ARBO-ZOONET).