Ação da UE

Os agentes antimicrobianos, nomeadamente os antibióticos, reduziram drasticamente o número de mortes por doenças infecciosas nos setenta anos que se seguiram à sua introdução. No entanto, devido ao seu uso excessivo e, por vezes, inadequado, muitos microrganismos tornaram-se resistentes a estes agentes.

O Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (CEPCD) estima que, por ano, a resistência antimicrobiana esteja na origem de 25 000 mortes e custe mais de 1500 milhões de euros em despesas com cuidados de saúde e perdas de produtividade.

Esta situação é tanto mais grave quanto estes produtos são auxiliares imprescindíveis da medicina moderna. Por exemplo, muitas operações cirúrgicas seriam impossíveis sem a utilização de antibióticos.

Plano de ação contra a resistência antimicrobiana

O plano de ação para lutar contra a crescente ameaça da resistência antimicrobianapdf prevê 12 medidas a aplicar nos países da UE e identifica 7 domínios em que é mais urgente agir:

  • garantir a utilização adequada dos agentes antimicrobianos nos seres humanos e nos animais
  • prevenir as infeções microbianas e a sua propagação
  • desenvolver novos agentes antimicrobianos eficazes ou alternativas de tratamento
  • cooperar com parceiros internacionais no sentido de conter o risco de resistência antimicrobiana
  • melhorar a monitorização e vigilância na medicina humana e veterinária
  • incentivar a investigação e a inovação
  • melhorar a comunicação, a educação e a formação

Promoção e apoio

A Comissão financia vários projetos no domínio da resistência antimicrobiana Traduções da ligação anterior български (bg) čeština (cs) dansk (da) Deutsch (de) eesti keel (et) ελληνικά (el) English (en) español (es) français (fr) italiano (it) latviešu valoda (lv) lietuvių kalba (lt) magyar (hu) Malti (mt) Nederlands (nl) polski (pl) română (ro) slovenčina (sk) slovenščina (sl) suomi (fi) svenska (sv)  através do seu Programa Saúde e monitoriza os riscos neste domínio com o apoio do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças e da Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos.

Em 2011, o grupo de trabalho transatlântico dedicado à resistência antimicrobiana Traduções da ligação anterior English (en) publicou recomendações para uma futura colaboração entre a UE e os EUApdf.