IMPORTANT LEGAL NOTICE - The information on this site is subject todisclaimercopyright notice
Evaluation
  EUROPA > Comissão Européia > EuropeAid > Avaliação > Metodologia > Ferramentas de avaliação > Entrevista
Last updated: 03/05/2005
EuropeAid

Entrevista

EuropeAid
 

Porquê e quando?




Metodologia
• Directrizes para avaliação
• Bases metodológicas
• Ferramentas de avaliação
• Exemplos
• Glossário
• Mapa do site

Entrevista
• Por que e quando
• Avaliação de país
• Como
• Controlo de qualidade

 
 

QUAIS AS RAZÕES PARA A UTILIZAÇÃO DE ENTREVISTAS?

Qual o propósito de uma entrevista?

A utilização de entrevistas em avaliações é inevitável. Esta ferramenta recolhe informação e pontos de vista, analisando-os em cada etapa de avaliação.
A entrevista geralmente toma a forma de debates cara-a-cara entre o avaliador e o entrevistado.

Qual a origem desta ferramenta?

As entrevistas são usadas em muitas áreas, como na psicologia, etnologia, sociologia, antropologia e filosofia.
Em psicologia, esta ferramenta centra-se na motivação ou nas razões para o comportamento individual. A entrevista é, assim, usada para estudar as acções humanas e ajudar no entendimento da mente humana.
Em etnologia, a entrevista visa principalmente recolher observações directas. Em sociologia, a entrevista é usada em todas as actividades.

Três tipos de entrevistas e as suas contribuições para a avaliação

Entrevistas não-estruturadas
O entrevistado expressa-se livremente e pode discutir tópicos não planeados, uma vez que não há uma lista pré-determinada de perguntas. O avaliador intervém somente para gerar e desenvolver perguntas relacionadas com os comentários do entrevistado.
Este tipo de entrevista é particularmente interessante no início de uma avaliação, para obter uma visão geral do assunto e identificar os tópicos e os problemas principais.

Entrevistas semi-estruturadas
O avaliador modifica as instruções do guião da entrevista com perguntas adicionais, procurando desenvolver áreas úteis de questionamento durante a entrevista.
Este tipo de entrevista é o utilizado com mais frequência, particularmente quando o avaliador sabe o suficiente sobre os objectivos e perguntas principais a avaliar.

Entrevistas estruturadas
O avaliador segue estritamente as instruções do guião da entrevista. Faz a diferentes entrevistados a mesma lista de perguntas e os entrevistados não têm oportunidade de se expressar livremente. O avaliador evita gerar e desenvolver perguntas adicionais. As respostas a cada pergunta tendem a ser curtas. As entrevistas estruturadas são pouco usadas em avaliação, onde o avaliador tem de se adaptar à situação. No entanto, podem ser usadas para classificar, por categorias, pontos de vista e informações sobre o impacto de um projecto/programa. Assim, o avaliador pode usar os resultados destas entrevistas para elaborar um questionário com o intuito de analisar o impacto do projecto/programa.

As entrevistas semi-estruturadas são a ferramenta mais comummente usada em avaliação e serão objecto de orientações posteriores.

Top

QUANDO DEVE SER USADA A ENTREVISTA?

A entrevista recolha que tipo de informação?

A entrevista pode ser usada como uma ferramenta de recolha quantitativa; no entanto, é quase sempre um mecanismo qualitativo.
Em avaliação, o uso de entrevistas é simples, rápido e economicamente acessível.
A entrevista recolhe:

  • Factos e informações para verificação de factos
  • Opiniões e perspectivas
  • Análises
  • Sugestões
  • Reacções às hipóteses e conclusões do avaliador

No entanto, uma série de entrevistas não é suficiente para quantificar um acontecimento, porque as respostas não são normalizadas. Esta é a principal diferença entre a entrevista e o questionário.

A mais-valia da entrevista
Entre outras vantagens, esta ferramenta é essencial para o desenvolvimento de análises, porque recolhe informação obtida directamente do contexto. Assim, fornece uma boa indicação do que motiva as acções dos detentores de interesse, as suas percepções variadas dos objectivos do programa, os problemas encontrados e os resultados efectivos.

Top

A entrevista pode ser combinada com outras ferramentas de recolha de dados?

A entrevista é um mecanismo útil para desenvolver hipóteses e análises. Pode destacar os objectivos e dinâmicas do programa, a lógica dos detentores de interesse, e a organização das várias opiniões e percepções do programa.
Dependendo do tipo de ferramenta de observação utilizada e da etapa de avaliação, a entrevista pode ser usada em combinação com outras ferramentas:

  • Para testar as perguntas principais a abordar no início da avaliação, com vista a preparar uma série de focus groups
  • Para ser a ferramenta de observação principal e apoiar um questionário (se o contexto geral do país permitir) ou, por exemplo, um focus group de beneficiários.

Como deve ser conduzida a entrevista?

Geralmente, a entrevista toma a forma de discussão cara-a-cara. Este modelo é particularmente eficaz porque os relacionamentos baseiam-se na confiança e as entrevistas complementam a informação escrita.
No entanto, além da informação verbal, devem ser considerados outros elementos, como o contexto, o ambiente geral da sessão, as pessoas passíveis de influenciarem o entrevistado, etc., bem como as reacções do entrevistado: hesitação, silêncio, contacto visual, etc.

A entrevista recolhe informação de quem?

A entrevista é uma ferramenta adequada para recolher informação, analisar e formar conclusões a partir de um número limitado (mas essencial) de entrevistados, tais como:

  • Parceiros e pessoas responsáveis pela política ou programa avaliado
  • Detentores de interesse institucionais estratégicos
  • Principais agentes e pessoas a cargo da implementação do programa
  • Representantes dos beneficiários

Mais informação:


Top

EM QUE ETAPA DA AVALIAÇÃO DEVE SER REALIZADA A ENTREVISTA?


Tipos de entrevista adequados a várias etapas de avaliação
Etapas da avaliação Tipos de entrevista A contribuição da entrevista para a avaliação
Fase documental:
aplicação da metodologia e preparação para missão no país
Entrevista preparatória

usada para conceber as grelhas de questionário e seleccionar os entrevistados. Nesta fase, os guias de entrevista devem ser flexíveis e salientar os tópicos que servirão de base à entrevista.
Reforça as bases para escolher os tópicos e assuntos principais; completa a ficha do questionário.

A sua estrutura deve ser flexível.
   
Recolha de informação no país e na Comissão Europeia A entrevista é planeada para recolher informação e opiniões. Devem ser desenvolvidos vários guiões de entrevista que correspondam às diferentes categorias de entrevistados e aos principais tópicos e assuntos. Recolhe informação sobre os objectivos e resultados do programa, das pessoas responsáveis pelo programa, agentes, detentores de interesse e beneficiários.
   
Análise e preparação das apreciações Entrevistas aprofundadas para apresentar e investigar os problemas, usadas para recolher reacções às constatações e análises do avaliador. Nesta etapa, o avaliador pode testar a relevância e a viabilidade de suas conclusões. Obtém o feedback de entrevistados. Oferece informação aprofundada e reformula velhas perguntas.
   


Mais informação:


Top

QUAIS SÃO AS VANTAGENS E LIMITAÇÕES DA ENTREVISTA?

As vantagens

A entrevista é adequada para a avaliação de projecto e para avaliações mais complexas, tais como avaliações sectoriais e avaliações de país/região, onde deve ser combinada com outras ferramentas.

As limitações



Top

QUAIS SÃO OS PRÉ-REQUISITOS PARA A UTILIZAÇÃO DE ENTREVISTAS EM AVALIAÇÃO?

O período de tempo

A preparação para uma entrevista não toma muito tempo.

Mais informação:

Um especialista não poderá conduzir muitas entrevistas por dia. Assim, o número de entrevistas que podem ser desenvolvidas durante a missão é limitado. Na prática, a pedido do entrevistador, o especialista pode conduzir uma entrevista com vários entrevistados ao mesmo tempo. Esta utilização particular da entrevista aumenta a oportunidade de recolher informação necessária num período de tempo relativamente curto.

Recursos humanos

As entrevistas devem ser conduzidas por profissionais treinados. As competências necessárias são:

  • Conhecimento completo dos principais tópicos e problemas contemplados na avaliação
  • Técnicas excelentes de entrevista
  • A capacidade de entender rapidamente a perspectiva do entrevistado (os seus interesses na entrevista, se expressou livremente as suas opiniões, se se empenhou) de forma a ser interactivo e, quando necessário, modificar as perguntas.

Recursos financeiros

Os custos dependem do número de entrevistas e da sua localização física no país. No entanto, além de per diems e custo de transporte, a entrevista em si não conduz a custos substanciais.



Top