IMPORTANT LEGAL NOTICE - The information on this site is subject todisclaimercopyright notice
Evaluation
  EUROPA > Comissão Européia > EuropeAid > Avaliação > Metodologia > Diretrizes > Check lists
Last updated: 12/01/2006
EuropeAid

Listas de verificação
Garantia de qualidade

EuropeAid
 

Qualidade do relatório da primeira fase (documental)

 


Metodologia
• Directrizes para avaliação
• Bases metodológicas
• Ferramentas de avaliação
• Exemplos
• Glossário
• Mapa do site

Check lists
• Conteúdo de documentos
• Garantía de qualidade
• Reuniões

Garantía de qualidade
• Fase prévia
• Fase documental
• Relatório final

 
 

Os critérios integram e completam os da fase anterior (relatório prévio).


1.Satisfação das necessidades

Este relatório expressa clara e detalhadamente como a equipa de avaliação entende os seguintes pontos:

  • As exigências que aparecem no enquadramento regulador da avaliação, especialmente no que se refere à prestação de contas;
  • As expectativas expressas nos termos de referência;
  • As exigências expressas pelos membros do grupo de referência.

O relatório contextualiza a avaliação, relacionando-a com as bases das políticas de desenvolvimento, de cooperação ou externas e com qualquer outra política da CE ou de algum país parceiro.

As perguntas de avaliação propostas e os respectivos critérios de apreciação relevantes reflectem as exigências identificadas e o uso pretendido da avaliação e devem estar isentas de qualquer ambiguidade.

O relatório dá as primeiras respostas parciais às perguntas de avaliação e estas contribuições reflectem as exigências identificadas.


2. Âmbito pertinente

O relatório delimita o âmbito central da avaliação nas suas dimensões temporal, geográfica e reguladora e justifica as opções para essa delimitação. Inclui também uma análise das sobreposições com outras políticas relacionadas e justifica as opções pelas sobreposições que foram examinadas.

Os temas estudados, as perguntas de avaliação e os critérios de apreciacão reflectem:

  • Os resultados e impactos pretendidos, identificados durante a reconstrução da lógica de intervenção.
  • Os vários sectores, temas e instrumentos.
  • Os critérios de avaliação do CAD, sem deixar de lado a eficácia e a sustentabilidade, ou a coerência/complementaridade e a mais-valia para a comunidade.
3. Justificação do método

O relatório descreve o método de recolha e análise de dados efectivamente aplicado na fase documental. Deve explicar, também, os problemas encontrados e as possíveis limitações.

Além disso, o relatório descreve o método de recolha e análise de dados a aplicar na fase de trabalho de campo. Demonstra como este método permitirá tratar adequadamente o conjunto das perguntas de avaliação, bem como realizar uma apreciação geral. As opções tomadas são discutidas e defendidas em relação a outras possíveis.

O método é viável no contexto da avaliação. Especificam-se claramente os riscos e as limitações. O relatório indica os riscos em que se incorreria se fossem adoptadas outras opções metodológicas.


4. Fiabilidade dos dados

Identificam-se as fontes dos dados qualitativos e quantitativos. A equipa de avaliação faz uma auto-avaliação da fiabilidade dos dados e expõe com clareza os limites da sua validade.


5. Solidez da análise

O relatório inclui uma primeira análise dos dados disponíveis para responder às perguntas de avaliação e deduzir as hipóteses a testar na fase de trabalho de campo. O raciocínio é explícito e bem fundamentado.


Top