Percurso de navegação

AA+A++Versão para impressãoMapa do sítioRSSRSS

Crescimento sustentável: para uma economia eficiente na utilização dos recursos, mais ecológica e mais competitiva

Tufos de erva crescendo no teclado de um computador © iStockphoto

Crescimento sustentável significa:

  • criar uma economia mais competitiva, de baixo teor de carbono e eficiente na utilização sustentável dos recursos;
  • proteger o ambiente, reduzir as emissões e impedir a perda da biodiversidade;
  • tirar partido da liderança da Europa no desenvolvimento de novas tecnologias ecológicas e de novos métodos de produção;
  • criar redes eléctricas inteligentes e eficientes;
  • tirar partido das redes à escala da UE para que as empresas (especialmente as pequenas empresas da indústria transformadora) disponham de uma vantagem competitiva adicional;
  • melhorar o ambiente empresarial, nomeadamente para as PME;
  • ajudar os consumidores a fazer escolhas ecológicas com conhecimento de causa.

Alguns dos objectivos da UE para garantir um crescimento sustentável:

  1. 1. reduzir em 20%, até 2020, as emissões de gases com efeito de estufa em relação aos níveis registados em 1990. A UE está disposta a aumentar essa percentagem para 30% se os outros países desenvolvidos assumirem compromissos equivalentes e se os países em desenvolvimento contribuírem de acordo com as suas possibilidades, no âmbito de um acordo de âmbito alargado à escala mundial;
  2. 2. aumentar para 20% a quota-parte das energias renováveis no consumo final de energia;
  3. 3. aumentar em 20% a eficiência energética.

> Todos os objectivos a atingir a nível da UE

Topo da página

Como tenciona a UE fomentar o crescimento sustentável?

Mediante duas iniciativas emblemáticas:

  1. 1. Uma Europa eficiente em termos de recursos English

    Para promover a transição para uma economia eficiente na utilização de recursos e de baixo teor de carbono, devemos dissociar o crescimento económico da utilização dos recursos e da energia:
    • reduzindo as emissões de CO2;
    • promovendo uma maior segurança energética;
    • reduzindo a intensidade de utilização dos recursos que utilizamos e consumimos.
  2. 2. Uma política industrial para a era da globalizaçãoEnglish

    A UE precisa de uma política industrial que ajude as empresas, especialmente as PME, a dar resposta à globalização, à crise económica e à transição para uma economia de baixo teor de carbono. Por conseguinte, é necessário:
    • apoiar o empreendedorismo com vista a melhorar o desempenho das empresas europeias e a torná-las mais competitivas;
    • contemplar todos os elementos de uma cadeia de valor cada vez mais internacional, desde o acesso às matérias-primas até ao serviço pós-venda.
    Só será possível levar a cabo estas medidas mediante uma estreita colaboração entre as empresas, os sindicatos, os meios académicos, as ONG e as associações de consumidores.

    > Todas as iniciativas emblemáticas da estratégia Europa 2020

Topo da página

Por que precisa a Europa de um crescimento sustentável?

Excessiva dependência dos combustíveis fósseis

A nossa dependência relativamente ao petróleo, gás e carvão:

  • torna os consumidores e as empresas vulneráveis a choques de preços prejudiciais e onerosos;
  • ameaça a nossa segurança económica;
  • contribui para o agravamento das alterações climáticas.

Recursos naturais

A concorrência mundial em relação aos recursos naturais intensificar-se-á, aumentando a pressão exercida sobre o ambiente. A UE pode ajudar a reduzir este tipo de pressões através de políticas de desenvolvimento sustentável.

Alterações climáticas

  • Para atingir os nossos objectivos, teremos de reduzir mais rapidamente as emissões de CO2 e tirar partido de novas tecnologias, como as energias eólica e solar e as tecnologias no domínio da captura e armazenamento do carbono.
  • Teremos também de reforçar a capacidade de resistência das nossas economias aos riscos climáticos e a nossa capacidade de prevenção e de resposta a catástrofes.

Competitividade

  • A UE necessita de melhorar a sua produtividade e competitividade. Deve manter a dianteira em matéria de soluções ecológicas, especialmente atendendo à concorrência crescente da China e da América do Norte.
  • Atingir os nossos objectivos energéticos significa reduzir em 60 mil milhões de euros a factura europeia da importação de petróleo e de gás até 2020, o que se afigura indispensável por motivos de segurança energética e por razões económicas.
  • Uma maior integração do mercado europeu da energia poderá gerar um aumento do PIB entre 0,6% e 0,8%.
  • Suprir 20% das necessidades energéticas da Europa a partir de fontes de energia renováveis poderá conduzir à criação de mais de 600 000 postos de trabalho na UE e de 400 000 postos de trabalho adicionais se atingirmos a meta dos 20% em matéria de eficiência energética.
  • É necessário respeitar os nossos compromissos em matéria de redução das emissões de CO2 de forma a maximizar os benefícios e a minimizar os custos, nomeadamente através da divulgação de soluções tecnologicamente inovadoras.

Topo da página