Navigation path

Apoiar o desenvolvimento de carreiras

À medida que a globalização institucionaliza a mudança, os trabalhadores da UE devem tornar-se mais adaptáveis e abertos à mudança, para que possam melhorar a sua empregabilidade. Com o apoio do FSE, os empregadores também estão a ajudar a antecipar os requisitos futuros em matéria de competências e a oferecer aos trabalhadores as oportunidades de desenvolvimento necessárias para se adaptarem às novas tecnologias e aos novos mercados.

Tanto os trabalhadores como as empresas estão a enfrentar novos desafios e alterações nos regimes de trabalho. Para beneficiar destas alterações, os trabalhadores e as empresas têm de se tornar mais flexíveis e aprender a viver com a mudança, de forma a antecipá-la e geri-la.

  • Para ajudar a mão-de-obra da UE a encarar a mudança e a flexibilidade, os projetos do FSE estão a tomar várias medidas. Disponibilizam-se oportunidades de formação aos trabalhadores para que obtenham as competências exigidas pelo mercado de trabalho em evolução. Em casos de ameaça de desemprego, a formação também ajuda a reorientar os que se encontram em risco para setores em crescimento onde haja procura dessas competências.
Istockphoto/16749998
  • Também se incentiva uma gestão de carreira mais ativa, em especial ajudando as pessoas a reconhecer e a antecipar as necessidades futuras das suas carreiras, muitas vezes através de programas de aprendizagem ao longo da vida. O FSE apoia também esquemas de mobilidade de trabalhadores que incentivem os indivíduos a deslocar-se para regiões onde haja ofertas de emprego.
  • A responsabilidade de aprender a adaptar-se não recai apenas nos indivíduos. Governos, autoridades regionais e locais, sindicatos, serviços de emprego e empresas de todas as dimensões estão a colaborar na implementação de medidas de emprego ativas. Tal significa modernizar as instituições que lidam com o emprego e fazer com que a sua atuação não se resuma a reagir ao encerramento de empresas e aos despedimentos mas sim a avançar para um planeamento a longo prazo e antecipar a mudança.

Além disso, os projetos do FSE estão a promover o «envelhecimento ativo» entre os trabalhadores e os candidatos a emprego mais velhos. Estes projetos encorajam-nos a melhorar as competências que já possuem, as quais podem já estar desatualizadas – frequentar formações sobre novas competências sempre que seja necessário, fomentar a utilização de novas tecnologias e o saber-fazer em TI e debater alterações às práticas de trabalho com os seus empregadores. Estão a ser utilizadas abordagens individualizadas para incentivar os mais velhos a manterem-se profissionalmente ativos durante mais tempo e a continuarem a dar o seu valioso contributo – um fator fulcral no combate às consequências de uma mão-de-obra em envelhecimento. Simultaneamente, existem iniciativas específicas que incentivam as empresas a contratar candidatos a emprego mais velhos.