Percurso de navegação

Equipamentos de rádio e terminais de telecomunicações

Un cargador para todos - Perguntas frequentes

One charger for all logo © European Union 2008-2011
  1. Qual é o problema? 
  2. Qual é a solução proposta?
  3. Quem é que beneficiará e como?
  4. Que impacto terá o ME sobre os preços?
  5. Todos os telemóveis estão abrangidos pelo ME?
  6. Que interface comum será utilizado?
  7. Para quando está prevista a entrada em vigor da proposta?
  8. Que empresas assinaram o ME?
  9. Onde é aplicável o ME?
  10. Quanto tempo levará a carregar um telemóvel com o novo carregador comum?
  11. Como considera o ME os possíveis riscos de segurança decorrentes da utilização de carregadores e telemóveis produzidos por diferentes fabricantes?
  12. Por que motivo o ME abrange apenas os telemóveis e não outros produtos, como leitores de MP3, computadores portáteis, etc.?
  13. Que destino será dado aos carregadores antigos? Serão simplesmente enviados para lixeiras?
  14. Já tenho um carregador micro USB. Posso utilizá lo para carregar todos os telemóveis com uma ficha micro USB?
  15. Alguns fabricantes já estão a falar em telemóveis que não necessitem de carregador e que possam ser carregados por energia solar ou ondas eléctricas ou de rádio. Por isso, por que motivo se aposta nestes carregadores?
  16. Onde podem os consumidores comprar estes novos carregadores comuns? Estarão disponíveis em todos os Estados Membros a partir de Janeiro de 2011?
  17. Estes novos carregadores custarão aproximadamente o mesmo que outros carregadores ou serão mais caros?

 Qual é o problema?

A incompatibilidade dos carregadores de telemóveis é um grande problema ambiental e um inconveniente para os utilizadores de toda a União Europeia. Hoje em dia, cada telemóvel é vendido com o seu carregador específico. Um utilizador que pretenda mudar de telemóvel acaba, normalmente, por adquirir outro carregador e por eliminar o primeiro, mesmo que este se encontre em perfeitas condições. Esta situação é responsável pela produção desnecessária de uma considerável quantidade de resíduos electrónicos.

[Para o topo]

 Qual é a solução proposta?

A harmonização dos carregadores de telemóveis trará benefícios económicos e ambientais significativos. Na sequência de um pedido da Comissão Europeia e em estreita cooperação com os serviços da Comissão, os principais fabricantes de telemóveis celebraram um Memorando de Entendimento (ME), no qual concordaram em harmonizar os carregadores para telemóveis, com entrada para transferência de dados, vendidos na União Europeia. A indústria compromete-se a disponibilizar carregadores compatíveis com base numa simples ficha micro-USB. Assim que esse objectivo for concretizado, os utilizadores poderão carregar os seus telemóveis, com entrada para transferência de dados, com um carregador comum.

[Para o topo]

 Quem é que beneficiará e como?

Os consumidores não precisarão de comprar um novo carregador cada vez que adquirirem um novo telemóvel, podendo assim beneficiar também de carregadores autónomos mais eficientes e mais baratos. Os consumidores poderão carregar o seu telemóvel com o novo carregador comum.

Esperam se grandes benefícios ambientais com a harmonização dos carregadores: a redução do número de carregadores vendidos desnecessariamente reduzirá o volume de resíduos electrónicos produzidos, que actualmente chegam aos milhares de toneladas. Espera-se ainda que os carregadores comuns melhorem a eficiência energética, uma vez que reduzem o consumo energético ao passarem a cumprir as mais recentes normas da UE em matéria de eficiência energética.

[Para o topo]

 Que impacto terá o ME sobre os preços?

Os consumidores poderão comprar telemóveis sem necessidade de adquirir também o carregador, reduzindo se assim o custo do aparelho. Poderão também comprar carregadores autónomos com uma relação custo/eficácia muito melhor.

[Para o topo]

 Todos os telemóveis estão abrangidos pelo ME?

O ME abrange os telemóveis com entrada para transferência de dados, ou seja, aqueles que têm uma porta de entrada de dados e que podem ser ligados a um computador. O ME exclui os telemóveis que não permitem trocas de dados e alguns formatos pouco habituais de telemóveis como, por exemplo, telemóveis de pulso. Contudo, tendo em conta que, em média, as pessoas substituem os seus telemóveis de dois em dois anos e que as tendências do mercado revelam um aumento contínuo da procura de telemóveis com entrada para transferência de dados, Espera-se que o carregador comum seja o mais utilizado num espaço de dois anos, após a sua introdução no mercado em 2011.

[Para o topo]

 Que interface comum será utilizado?

Com base no interface micro-USB, as empresas concordaram desenvolver uma especificação comum para permitir uma compatibilidade total entre carregadores e telemóveis. Tais especificações traduziram se em normas europeias.

Nota: O acordo prevê a utilização de um adaptador.

[Para o topo]

 Para quando está prevista a entrada em vigor da proposta?

Espera-se que a primeira geração dos novos carregadores comuns chegue ao mercado da UE em inícios de 2011, após a conclusão dos trabalhos de normalização. A Comissão trabalhará em estreita colaboração com a indústria para facilitar a implementação do acordo no mercado com a maior brevidade possível.

[Para o topo]

 Que empresas assinaram o ME?

O memorando foi assinado por 14 empresas: Apple, Emblaze Mobile, Huawei Technologies, LGE, Motorola Mobility, NEC, Nokia, Qualcomm, Research In Motion (RIM), Samsung, Sony Ericsson, TCT Mobile (telemóveis ALCATEL), Texas Instruments e Atmel. Em conjunto, as suas marcas representam mais de 90 % dos telemóveis actualmente vendidos na Europa.

[Para o topo]

 Onde é aplicável o ME?

O ME é aplicável a todos os 27 Estados Membros. Pelo facto de o mercado de telemóveis ser um mercado global, as especificações técnicas dos novos carregadores estão, contudo, a ser discutidas com outras organizações de normalização internacionais, com o objectivo de facilitar a adopção do carregador comum europeu nos mercados mundiais. A possibilidade de usar o carregador comum noutras partes do mundo torná-lo ia ainda mais conveniente.

[Para o topo]

 Quanto tempo levará a carregar um telemóvel com o novo carregador comum?

A grande maioria dos telemóveis carregará num espaço de duas horas. No entanto, nos casos em que a bateria for grande e o carregador pequeno, o processo poderá levar, no máximo, seis horas.

[Para o topo]

 Como considera o ME os possíveis riscos de segurança decorrentes da utilização de carregadores e telemóveis produzidos por diferentes fabricantes?

O ME é acompanhado pela elaboração de novas normas europeias, as quais têm em conta as emissões electromagnéticas e asseguram que os carregadores comuns têm imunidade suficiente às interferências externas. Juntamente com as normas vigentes ao abrigo das directivas aplicáveis, as novas normas permitirão uma utilização segura dos novos carregadores e telemóveis.

[Para o topo]

 Por que motivo o ME abrange apenas os telemóveis e não outros produtos, como leitores de MP3, computadores portáteis, etc.?

Espera-se que, com o tempo, surja uma solução harmonizada em termos de carregadores compatíveis com outros equipamentos de comunicação portáteis, que abranja cada vez mais dispositivos. Contudo, estas medidas não podem ser tomadas imediatamente. Em primeiro lugar, destes produtos, os telemóveis são, de longe, o maior grupo utilizado por um grande número de consumidores. Em segundo lugar, existe uma diferença entre os produtos. Os computadores portáteis, por exemplo, têm baterias muito maiores do que os equipamentos de mão e os requisitos aplicáveis aos respectivos carregadores são diferentes. Em terceiro lugar, existem riscos de segurança diferentes a ter em conta. .

[Para o topo]

 A Directiva 2002/96/CE relativa aos resíduos de equipamentos eléctricos e electrónicos (REEE), que promove a recolha e reciclagem de equipamentos electrónicos, entrou em vigor em Fevereiro de 2003 e prevê a criação de sistemas de recolha que permitam aos consumidores depositarem sem encargos, em locais apropriados, os seus resíduos electrónicos. Todavia, apenas um terço dos resíduos eléctricos e electrónicos produzidos na União Europeia é sujeito a um tratamento apropriado.

Por este motivo, em Dezembro de 2008, a Comissão europeia propôs a revisão das directivas relativas a equipamentos eléctricos e electrónicos, no sentido de aumentar a percentagem de reutilização e reciclagem de equipamentos eléctricos e electrónicos para 65 % do peso médio por aparelho.

[Para o topo]

 Já tenho um carregador micro USB. Posso utilizá lo para carregar todos os telemóveis com uma ficha micro USB?

Apesar de alguns fabricantes já fornecerem carregadores com uma ficha micro USB, esses carregadores foram fabricados para determinados telemóveis e podem não ser compatíveis com todos os tipos de telemóveis com tal ficha.

A elaboração de determinadas normas europeias (incluindo a norma IEC/EN62684) era necessária para assegurar a compatibilidade e a funcionalidade da nova geração de carregadores micro USB e só os novos carregadores que cumpram as novas normas europeias serão considerados «carregadores comuns».

[Para o topo]

 Alguns fabricantes já estão a falar em telemóveis que não necessitem de carregador e que possam ser carregados por energia solar ou ondas eléctricas ou de rádio. Por isso, por que motivo se aposta nestes carregadores?

O ME baseia se numa tecnologia que se espera vir a tornar se comum nos próximos anos. Contudo, o processo de harmonização terá de acompanhar as inovações tecnológicas.

Por enquanto, não existe qualquer sistema de carregamento para telemóveis com carregador incorporado. Existem apenas alguns telemóveis que podem ser carregados através de energia solar, mas estes não são fabricados em série nem se espera que venham a sê lo. Na UE não existe, em média, luz solar suficiente para carregar baterias a partir de superfícies relativamente pequenas.

[Para o topo]

 Onde podem os consumidores comprar estes novos carregadores comuns? Estarão disponíveis em todos os Estados Membros a partir de Janeiro de 2011?

Importa ter em conta que a introdução do carregador comum será gradual e dependerá muito do comportamento dos consumidores e da taxa de substituição dos telemóveis antigos. Seja como for, o trabalho final de normalização prevê que o carregador comum seja disponibilizado nos primeiros meses de 2011 e os principais fabricantes de telemóveis comprometeram se a fazê lo. A Comissão Europeia acompanhará de perto os desenvolvimentos neste caso.

Por outro lado, a Comissão Europeia não pode decidir sobre as estratégias de marketing e distribuição dos fabricantes, mas está confiante de que os carregadores comuns estarão disponíveis ao público através dos canais regulares de comercialização durante o ano de 2011.

[Para o topo]

 Estes novos carregadores custarão aproximadamente o mesmo que outros carregadores ou serão mais caros?

A Comissão Europeia não dispõe de informações sobre esta questão e não pode interferir com as estratégias de preço dos fabricantes. Para a Comissão Europeia, as vantagens dos carregadores comuns em termos de custo prendem se com a possibilidade de os consumidores poderem adquirir telemóveis sem um carregador e ainda com as economias de escala que a definição de normas comuns permite.

[Para o topo]

Partilhar: FacebookGoogle+LinkedInEnviar esta página a um amigo

Texto tamanho normalAumentar texto 200 %Imprimir esta página