O que fazer com as lâmpadas usadas

As lâmpadas economizadoras são tão fáceis de utilizar quanto as lâmpadas incandescentes. Mas quando deixam de funcionar requerem cuidados especiais.

 

O que fazer quando uma lâmpada fluorescente compacta ou uma lâmpada LED deixa de funcionar?

Estas lâmpadas contêm componentes electrónicos complexos pelo que, tal como indicado pelo logótipo do caixote do lixo barrado que aparece nas respectivas embalagens, não devem ser deitadas no lixo normal, mas sim entregues numa das lojas que as vendem ou num ecocentro. Em Portugal, já há pontos electrão para lâmpadas junto dos existentes para electrodomésticos, por exemplo, nas grandes superfícies comerciais. Informe-se sobre o ponto mais perto si.

Logótipo na embalagem – Não deitar no lixo normal (logótipo REEE)

 

O que fazer quando uma lâmpada fluorescente compacta se parte?

Ao contrário das lâmpadas LED e de outras lâmpadas de utilização doméstica, as lâmpadas fluorescentes compactas contêm mercúrio. Não há qualquer fuga de mercúrio enquanto as lâmpadas estão intactas ou durante o seu funcionamento. Mas, se uma lâmpada se partir, podem ser libertados até um máximo de 5 mg de mercúrio (o equivalente à marca de tinta deixada pela ponta de uma esferográfica). Em comparação, os termómetros tradicionais contêm cerca de 500 mg de mercúrio.

Quando uma lâmpada se parte, deve abrir-se uma janela e deixar a divisão arejar. Os resíduos não devem ser aspirados e devem ser apanhados de modo a evitar o contacto directo com a pele.

  • Existem LFC com ampolas inquebráveis que obstam ao problema das fugas de mercúrio.
  • Existem tecnologias alternativas, como as lâmpadas incandescentes melhoradas ou as lâmpadas LED, que não contêm mercúrio.