NGO Lifeline

Date

01/01/2005-01/07/2008

Contact

Eda Mölder

Country

Development Partnership

NGO Lifeline

Demand

Na Estónia, a prostituição está associada a muitos mitos, tabus e estigmas. Muitas vezes a prostituição é encarada como um emprego como qualquer outro e no qual as mulheres entram voluntariamente. Por outro lado, as mulheres envolvidas na prostituição costumam ser rejeitadas como membros da sociedade em geral. Um dos objectivos deste projecto era mudar a forma como a prostituição é encarada na Estónia e ajudar as mulheres envolvidas nesta actividade a melhorar a sua capacidade de lidar com os aspectos sociais e a entrar no mercado normal de trabalho.

Solution

Antes da chegada deste projecto à Estónia, não havia qualquer instituição que ajudasse as mulheres envolvidas na prostituição a vários níveis. O nosso centro ajuda estas mulheres a encontrar trabalho no mercado normal de emprego, dando formação e ajudando-as com a burocracia. As mulheres podem assim aprender novas actividades, como florista, esteticista, web designer ou agente imobiliária. Para além disso, estudos indicam que a atitude da sociedade estónia já está a mudar. Por exemplo, em 2005, 63% dos homens considerava que os bordéis eram necessários; em 2008 este número baixou para 53%. A percentagem de mulheres a favor dos bordéis também desceu, de 46% para 38%.

Products

1. A Prostituição na Estónia - um estudo sobre da situação das mulheres envolvidas na prostituição 2. Estudo: O Significado da Prostituição na Sociedade Estónia - Segurança internacional ou Benefício Económico 3. Livro: Vozes silenciadas 4. Filme: Do mercado do sexo ao mercado normal de trabalho

Results

O Centro de Reabilitação ATOLL abriu com o objectivo de dar apoio contínuo a este grupo alvo de mulheres.