IMPORTANT LEGAL NOTICE
 

 Volante XXI ascii version

Portugal

 
DP Managing organisation : Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias
Other national partners : ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE TRANSPORTADORES RODOVIÁRIOS DE PESADOS DE PASSAGEIROS - A
DIRECÇÃO-GERAL DE TRANSPORTES TERRESTRES
RODOVIARIA TEJO SA
TRANSPORTES LUIZ SIMÕES LDA
EQUAL theme :Adaptability - Adaptation to change and NIT 
Type of DP :Sectoral - Services 
DP Legal status :Association without legal form 
DP identification :PT-2004-288 
Application phase :Approved for action 2 
Selection date :04-10-2005 
Last update :08-01-2008 
Monitoring: 2005  2006  2007   

Rationale

Text available in

- 1. Very high return rate to the needs assessment questionnaire undertaken during Action 1, confirms interest with which the Directive’s transposition is faced by firms, and also the strong mobilizing capability of Antram and Antrop; 2. Strong involvement of enterprises in the focus-group organized during Action 1 and awareness raised in both sectors on the need to adapt to change; 3. Availability shown by companies to contribute to the financing of the global system for initial qualification and continuous training of Professional Drivers; 4. Strong commitment from “Direcção Geral de Transportes Terrestres e Fluviais” (public authority which regulates the transports sectors) is an additional guaranty of firm’s engagement in the project and also of political and institutional sponsorship; 5. Truck drivers involved in the 2 focus-groups displayed great interest and motivation to get involved in the project’s activities, namely the community of practices (CoP); 6. Truck drivers highly motivated to assume the costs of their initial qualification and continuous training; 7. Truck drivers foresee their participation in Volante XXI as a kind of test for the creation of a more Professional representative structure (which is, so far, non existent); 8. Involvement of “Rodoviária do Tejo” and “Grupo Luís Simões” guaranty an easier engagement of truck drivers with the Project and benchmarking potential to other firms; 9. Transnational partnership can add significant value in what concerns high quality simulation; 10. Most companies inquired during Action 1 consider important to mobilize more women to become truck drivers; 11. More than 60% of firms are available to engage in Volante XXI activities aimed at attraction more women to the truck driver job; 12. A relevant percentage of companies assert having become aware of the Directive through Antram and Antrop. , - 1. Realities of two sub-sectors (passengers and goods) involved in the Project are very distinct. 2. Truck drivers from both sub-sectors also present different attributes and approach the certification issue in contrasting ways. 3. A relevant percentage of companies (goods sub-sector) shows disagreement with the mandatory nature of certification of truck drivers. 4. Almost 2 in each 10 companies are still not aware of the Directive’s content and implications. 5. Truck driver job remains mostly “masculine”, although several firms already employ women as drivers. 6. Particularly in the goods sub-sector, some enterprises did not show interest in engaging in activities aimed at attracting more women to the truck driver profession. 7. Truck drivers form passengers sub-sector displayed considerable resistance in what concerns their financial contribution to the system. 8. From a general perspective (based only on preliminary results from Action 1 focus groups), truck drivers from passengers sub-sector seem more reluctant to change.

dot Top


Objective

Text available in

Volante XXI was born from a “vision” of what should be the reality of Logistics and Road Transports in Portugal. The strategic relevance Logistics can assume in portuguese society made us wonder it could justify the creation of a Skill Centre for Logistics and Transports able to manage all the “production” of skills and competencies required by enterprises. The initial vision is close to a reconverted platform into learning and training field for all professionals involved in the Logistics and Transports (L&T) business: entrepreneurs to drivers. To train driving skills, the Centre would have several tracks for every kind of vehicles. To train driving in extreme conditions, high quality simulators would be massively used by drivers. But the Centre would be exclusively directed towards driving skills. It would promote adaptation and development of all professionals relevant to L&T business. For example, modern language labs would be used by drivers to learn foreign languages (so they would be better prepared for international transport); technology labs would support the generation of new skills useful for better job performance but also for increased levels of active citizenship; on a residential basis, entrepreneurs and managers would learn and train leadership and teamwork skills using modern outdoor training solutions, etc. When Antram and Antrop became aware of the full implications of transposition of the Directive 2003/59/CE, they saw a real opportunity for the dreamed Centre to become true. The proportion of the Global System needed to create and manage professional certification of truck drivers made us think that only a structure as the Centre could assume such huge responsibility. If one considers the importance that Truck Driver Profession has in Road Transport firms (70% of workers are drivers), the creation of a vocational certification system seems the ideal opportunity to experiment, with Euqal’s help, what could be the better training solutions for this industry. If one also remembers that the industry is heavily marked by a “masculine” tradition, the pertinence with Equal’s purposes is highly reinforced. Volante XXI is, thus, structured in 5 main activities: the creation of a Management Model for the Initial Qualification and Continuos Training of Truck Drivers Global System; the development of training models adapted to needs of firms and drivers; the design of a financial model for the Global System capable of assuring its sustainability; raising firms and drivers awareness of the Directive’s implication and change, and to increase social value of the Truck Driver Job in order to make it more attractive to youth and (mostly) women and; to promote truck driver’s empowerment through communities of practice.

dot Top


Innovation


Nature of the experimental activities to be implemented Rating
Training **
Training on work place ***
Conception for training programs, certification ***
Anticipation of technical changes **
Awareness raising, information, publicity **
Studies and analysis of discrimination features *

Type of innovation Rating
Process-oriented ****
Goal-oriented ***
Context oriented ****

dot Top


Budget Action 2

1 500 000 – 2 000 000 €

dot Top


Beneficiaries


Assistance to persons 
Unemployed  0.0%  0.0% 
Employed  21.2%  78.8% 
Others (without status, social beneficiaries...)  0.0%  0.0% 
  100.0% 
 
Migrants, ethnic minorities, …  0.0%  0.0% 
Asylum seekers  0.0%  0.0% 
Population not migrant and not asylum seeker  21.2%  78.8% 
  100.0%
 
Physical Impairment  0.0%  0.0% 
Mental Impairment  0.0%  0.0% 
Mental Illness  0.0%  0.0% 
Population not suffering from a disability  21.2%  78.8% 
  100.0% 
 
Substance abusers 0.0%  0.0% 
Homeless  0.0%  0.0% 
(Ex-)prisoners  0.0%  0.0% 
Other discriminated (religion, sexual orientation)  0.0%  0.0% 
Without such specific discriminations  21.2%  78.8% 
  100.0% 
 
< 25 year  3.0%  12.1% 
25 - 50 year  12.1%  60.6% 
> 50 year  6.1%  6.1% 
   100.0% 

Assistance to structures and systems and accompanying measures Rating
Low qualification ****

dot Top


Empowerment

 

 With beneficiaries

Participation
Promoting individual empowerment
Developing collective responsibility and capacity for action
Participation in the project design
Participation in running and evaluating activities
Changing attitudes and behavior of key actors

 

 Between national partners

N.C.

dot Top


Transnationality

 

 Linguistic skills

  • português

 Percentage of the budget for transnational activities

  • 0.1%

 Transnational Co-operation Partnerships

Transnational Co-operation Agreement DPs involved
4492 SIMULARE GR 232323
IT IT-G2-PIE-064

dot Top


Background

 

N.C.

dot Top


National Partners


Partner To be contacted for
Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Evaluation
Monitoring, data collection
Transnational partnership
ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE TRANSPORTADORES RODOVIÁRIOS DE PESADOS DE PASSAGEIROS - A
DIRECÇÃO-GERAL DE TRANSPORTES TERRESTRES
RODOVIARIA TEJO SA
TRANSPORTES LUIZ SIMÕES LDA

dot Top


Agreement Summary

Text available in

Resumo do Acordo de PD Os parceiros acordam: 1. Objectivos comuns 1.1 Desenvolver em conjunto o projecto acima referenciado, cujo diagnóstico, objectivos, actividades, resultados e processo de avaliação, e plano de financiamento se descrevem no formulário de candidatura à acção 2. 2. Estruturas e processo de funcionamento da Parceria 2.1 Criar à partida as seguintes estruturas de gestão e funcionamento: A parceria de desenvolvimento será gerida de acordo com um Guia de Trabalho em Parceria (GTP) que estará inscrito no texto do Acordo de Parceria. O projecto será gerido por uma Equipa de Projecto composta por todos os colaboradores de cada entidade parceira, conforme previsto nos formulários de candidatura e respectivos orçamentos. A liderança operacional do projecto caberá à Antram que integra na sua estrutura a figura do Coordenador geral do Volante XXI. A Equipa de Projecto articulará com o Fórum de Acompanhamento e Avaliação que funcionará como órgão consultivo do Projecto. Toda a gestão e funcionamento da parceria de desenvolvimento estará fortemente apoiada na utilização da plataforma de trabalho colaborativo. Para cada uma das 5 actividades do projecto, serão criados grupos de trabalho que assumirão responsabilidades específicas no que diz respeito ao cumprimento de prazos e apresentação de produtos. Por unanimidade, foi decidido pela parceria de desenvolvimento que todos parceiros participarão em todas as actividades do Volante XXI. As comunidades de práticas serão objecto de gestão e funcionamento adequados aos respectivos referenciais teóricos. 2.2 Implementar o seguinte processo de tomada decisão (destacar nomeadamente processos de dos parceiros, mecanismos que promovam a igualdade de género, etc.): Mecanismos de decisão: 1. Processo de decisão As decisões serão tomadas por unanimidade de todos os parceiros, num quadro de participação equitativa num projecto comum, com respeito pelo princípio da igualdade de oportunidades. Relativamente a cada uma das actividades e/ou fases existirá um planeamento específico, com identificação clara dos outputs intermédios e finais de cada fase e cada processo de transferência/incorporação e de disseminação, prevendo-se um prazo razoável para validação por todos os parceiros e/ou pelos parceiros com interesses directos associados à auto-sustentabilidade futura. 2. Participação horizontal e vertical Cada parceiro adoptará um mecanismo de tomada de decisão interna que garanta a participação activa de toda a sua equipa técnica afecta (coordenador e equipa técnica) bem como o compromisso e envolvimento das sua hierarquias superiores, em decisões estratégicas. 2.3 Assegurar a transparência da informação interna relativa ao projecto e à parceria, que será disponibilizada a todos os parceiros da seguinte forma ( ex. recurso às TIC...): A transparência da informação será assegurada através de mecanismos de comunicação: 1. Plataforma de trabalho colaborativo: Esta plataforma será criada e utilizada de forma a garantir, no seio da PD, formas eficazes de comunicação diária, gestão de arquivo de documentos e de correspondência nacional e internacional, visualização permanente de todos os documentos públicos e documentos de trabalho em utilização pelas diversas equipas de trabalho. Esta plataforma será melhorada para poder permitir uma comunicação por grupos de trabalho, com diferentes níveis de acesso, com participações de outros agentes, nomeadamente os que vierem a integrar O Fórum de Acompanhamento e Avaliação. 2. Reuniões: Apesar do recurso à plataforma de trabalho colaborativo, as reuniões presenciais continuarão a desempenhar um papel importante na regulação das actividades e da gestão da parceria propriamente dita. Como se verificou na Acção 1, a periodicidade mensal das reuniões permitiu criar a coesão necessária a um trabalho mais produtivo. Assim, pelo menos no início da Acção 2, prevemos manter a periodicidade mensal das reuniões de parceria. Caso os níveis de eficiência de trabalho em comum o possibilitem, poderemos reduzir esta intensidade. 2.4 Assegurar que a difusão pública dos resultados do projecto, finais ou provisórios, só será efectuada após anuência do(s) parceiro(s) envolvido(s) na sua concepção. 3. Recursos técnicos 3.1 Assegurar estabilidade nos recursos técnicos afectos ao projecto. 4. Ajustamento da parceria 4.1 Proceder ao ajustamento da parceria, à saída ou entrada de novos parceiros, ou eventual revisão deste Acordo, nomeadamente se a avaliação do projecto o indicar como necessário.

Last update: 08-01-2008 dot Top


Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias

(ANTRAM)
Rua Conselheiro Lopo Vaz, Lote A/B - Escritório A
-
P-1800-142-LISBOA Lisboa

Tel:+351218544100
Fax:218544182
Email:cet@antram.pt

 
Responsibility in the DP: Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Evaluation
Monitoring, data collection
Transnational partnership
Type of organisation:Employers' organisation
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:25-09-2004 /

Text available in

A ANTRAM - Associação Nacional dos Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias - foi constituída em 4 de Junho de 1975. A ANTRAM possui cinco áreas orgânicas os seus Serviços Centrais, sediados em Lisboa e quatro Direcções Regionais - Norte, Centro, Lisboa e Sul - sediadas respectivamente nas cidades do Porto, Coimbra, Lisboa e Évora (Évora com Delegação em Faro), mantendo desta forma uma estrutura descentralizada de serviços de apoio directo aos transportadores. A adesão de Portugal à Comunidade Europeia e a progressiva necessidade de intervenção nos grandes centros de decisão a nível da União Europeia levaram a que a ANTRAM criasse também uma Representação Permanente em Bruxelas. O APOIO AOS TRANSPORTADORES Representação e Cooperação: Mantém e desenvolve relações permanentes que permitem reforçar o seu papel de interlocutora privilegiada na análise, discussão e resolução dos problemas que afectam o Sector com o Governo e a Administração Pública, nomeadamente com Ministério das Obras Públicas, Transportes e Habitação; Secretaria de Estado dos Transportes; Direcção-Geral dos Transportes Terrestres; Ministério da Administração Interna; entre muitos outros. Encontra-se envolvida em acções conjuntas com a Administração Pública e outras entidades, como é exemplo a constituição da ASTI - Associação para o Desenvolvimento do Transporte Intermodal - em parceria com a CP e a APAT, com o objectivo de desenvolver o transporte multimodal. Integra também a Federação Portuguesa de Transportes Rodoviários, com a ANTRAL, ANTROP, ANIECRA e APAVT, que tem por finalidade propiciar uma intervenção concertada das associações representativas das empresas de transportes rodoviários profissionais. Participa activamente com estudos e pareceres na criação e actualização dos regulamentos que regem o acesso e exercício da actividade dos transportes públicos rodoviários de mercadorias e colabora com as entidades fiscalizadoras, mantendo em permanência contactos que mutuamente conduzam à moralização da actividade e à correcta interpretação das normas que regem o Sector. Mantém uma intervenção activa nas reuniões de Direcção e Técnicas da IRU (International Road Transport Union) - ocupa presentemente a Presidência do “Comité de Liaison” de Mercadorias da IRU junto da UE, um dos assentos do Conselho da Presidência e a Presidência da Comissão de Serviços da IRU - e acompanha, em permanência, a evolução do Sector a nível internacional. POLÍTICA LABORAL: Negoceia e celebra anualmente as Convenções Colectivas de Trabalho que regem o Sector. FORMAÇÃO PROFISSIONAL - No domínio da Formação Profissional, a ANTRAM organiza regularmente intensa actividade formativa, detendo a maior quota do mercado de formação específica para o sector e ocupando posição líder no que respeita a conteúdos e metodologias. APOIO TÉCNICO - Presta apoio informativo regular sobre assuntos identificados como pertinentes para o sector dos transportes.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Susana Borda D'Água Susana +351218544100 susana.bordadagua@antram.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 08-01-2008 dot Top


ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE TRANSPORTADORES RODOVIÁRIOS DE PESADOS DE PASSAGEIROS - A

(ANTROP)
RUA DO CAMPO ALEGRE, 17 - 2 SALA 5
-
P-4150-177-PORTO Porto

Tel:+351226002104
Fax:226097081
Email:

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Employers' organisation
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE PORTO
Date of joining / leaving:30-09-2004 /

Text available in

A ANTROP nasceu em 17 de Setembro de 1975. Tem a sua sede no Porto e uma Delegação em Lisboa. MISSÃO E ÁREAS DE INTERVENÇÃO DA ANTROP Mantém e desenvolve relações com o Governo e a Administração Pública, tendo em vista a caracterização dos problemas do sector que representa e a procura das melhores soluções. É membro permanente da IRU (International Road Transport Union) e da UITP (International Union of Public Transports). É filiada na FPTR (Federação Portuguesa dos Transportadores Rodoviários) e na PRP (Prevenção Rodoviária Portuguesa). A ANTROP integra a Comissão Permanente DGTT/ANTROP; o Conselho Nacional da Qualidade – CS/12 e CT 148 – IPQ; o Comité de Pilotagem sobre Imagem e Marketing no Transporte Público e Informação ao Passageiro; a Comissão de Planeamento dos Transportes Terrestres de Emergência; a Comissão Técnica Especializada dos Transportes Rodoviários na Certificação Profissional; a Comissão Técnica dos Transportes da CERTIF; a Comissão Técnica de Certificação – Transportes da SGS; a Comissão Técnica de Normalização de Aplicações Telemáticas para Transportes de Circulação Rodoviária – Instituto das Estradas de Portugal; a Comissão Consultiva de Trânsito, da Câmara Municipal de Ílhavo; o Grupo de Trabalho da DGTT para análise da proposta de directiva do Parlamento Europeu e do Conselho relativa à formação dos motoristas de veículos de transporte rodoviário de mercadorias e de passageiros; o Grupo de Trabalho sobre Estatísticas dos Transportes – Conselho Superior de Estatística e o Grupo de Trabalho sobre Imagem e Marketing do Transporte Público e Informação ao Passageiro. A ANTROP está representada no Gabinete de Apoio Técnico Entre Douro e Vouga – GAT; no Estudo Integrado da Mobilidade e do Sistema de Transportes nos Concelhos do Médio Tejo, da Associação de Municípios do Médio Tejo; no Observatório do Emprego e no Observatório dos Transportes da Associação Industrial Portuguesa – AIP. Realiza Congressos, Seminários e Conferências. Edita a Revista trimestral ANTROP e um Anuário. Edita uma página web. Celebra anualmente as Convenções Colectivas de Trabalho do sector. EM MATÉRIA DE FORMAÇÃO: A ANTROP, procurando responder às necessidades dos Associados que, com o Código do Trabalho, se tornaram mais prementes, celebrou um Protocolo com uma empresa especializada nesta área, a CNS – Companhia Nacional de Serviços, S.A., que desenvolveu, no decurso do ano de 2004, um conjunto de acções de formação profissional financiada pelo FSE e pelo Estado Português, que tiveram lugar nas Regiões do Norte, Centro e Algarve. NO DOMÍNIO DO APOIO TÉCNICO ÀS EMPRESAS: Presta apoio informativo regular sobre todos os assuntos relevantes para o sector através de “Informações” semanais e da “Circular Informativa” mensal. Presta apoio técnico, em duas vertentes: assessoria jurídica e económica e apoio administrativo. Realiza estudos de ajuda de interesse para o sector, em particular para os associados, e programas de apoio à gestão e prepara



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Maria Paula Bramão R. Carvalho Maria +351226061350 bus@antrop.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 08-01-2008 dot Top


DIRECÇÃO-GERAL DE TRANSPORTES TERRESTRES

(DGTTF)
Avenida das Forças Armadas, 40
-
P-1649-022-LISBOA Lisboa

Tel:+351217949000
Fax:217973777
Email:dgtt@dgtt.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Public authority (national, regional, local)
Legal status:Public organisation
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:16-06-2005 /

Text available in

É o serviço do Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, dotado de autonomia administrativa, que tem por missão promover o desenvolvimento dos transportes rodoviários e assegurar o seu funcionamento, por forma a satisfazer as necessidades de mobilidade e acessibilidade, cabendo-lhe também assegurar a sua articulação interna e a coordenação com os restantes modos de transporte, bem como colaborar na definição e execução da política global para o sector dos transportes terrestres, incluindo os aspectos relativos à formação e certificação profissional dos motoristas e gerentes das empresas.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
José Manuel Santos Pedro José +351217949056 spedro@dgtt.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 08-01-2008 dot Top


RODOVIARIA TEJO SA

(RODOVIÁRIA DO TEJO, SA)
AV. DR. JOÃO MARTINS DE AZEVEDO, N.º 15
-
P-2354-000-(Desconhecida) Torres Novas

Tel:+351249810700
Fax:249810719
Email:rodotejo@mail.telepac.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Enterprise
Legal status:Private
Size:Staff < 10
NUTS code:MEDIO TEJO
Date of joining / leaving:17-06-2005 /

Text available in

MISSÃO Aumentar a qualidade de vida das populações, através da prestação de serviços adequados às diferentes necessidades de deslocação contribuindo para a preservação do equilibrio ambiental. A Rodoviária do Tejo, S.A. percorreu um longo e atribulado caminho até aos nossos dias, tendo o seu início com a fundação em Torres Novas no ano de 1860 da empresa João Clara & Companhia (Irmãos) Limitada, cuja actividade era o serviço de camionagem. Mais tarde, por questões de estratégia, de imagem e de expansão dos transportes, a empresa passou a designar-se Claras Transportes S.A.R.L., dedicando a sua actividade não só ao serviço de camionagem como também ao turismo. Em 1975, com base no Dec. Lei 288-C/75 de 12 de Junho, a empresa foi incorporada, através do processo de nacionalização, na então criada Rodoviária Nacional (RN-EP). Em 6 de Janeiro de 1990, o Dec.Lei 12/90 alterou a natureza jurídica da RN-EP, convertendo-a de pessoa colectiva de direito público em pessoa colectiva de direito privado, com estatuto de sociedade anónima de capitais exclusivamente públicos, passando a designar-se por Rodoviária Nacional, Investimentos e Participações, S.A. (RNIP, S.A.). Em 1991 e em consequência do objectivo primário do referido Dec. Lei - reestruturação e redimensionamento da empresa através da constituição de sociedades de âmbito regional - a RNIP, S.A. divide-se, constituindo várias empresas com o intuito de mais tarde serem privatizadas. Entre elas inclui-se a Rodoviária do Tejo, S.A., formada em 1 de Fevereiro de 1991, após cisão simples da RNIP, S.A., determinada pelo artº9 do Dec. Lei 12/90, de 6 de Janeiro. Com base no artº3º do Dec. Lei nº11/90 de 5 de Abril (Lei Quadro das Privatizações), a Rodoviária do Tejo, S.A. foi privatizada através de Oferta Pública de Venda, realizada em Sessão Especial de Bolsa do dia 16 de Novembro de 1993, sendo alienadas 1.828.715 acções, representativas da totalidade do capital social,e assim se constituiu a empresa nos seus termos actuais.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Orlando Manuel Gonçalves Costa Ferreira Orlando +351249810700 of@rodotejo.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 08-01-2008 dot Top


TRANSPORTES LUIZ SIMÕES LDA

(TRANSPORTES LUÍS SIMÕES, SA)
MONINHOS - LOURES
-
P-2670-000-(Desconhecida) Loures

Tel:+351219827500
Fax:219827449
Email:vasco.freitas@luis-simoes.com

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Enterprise
Legal status:Private
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:16-06-2005 /

Text available in

MISSÃO Desenvolver um serviço de transporte que crie valor acrescentado aos nossos clientes, que proporcione uma carreira profissional qualificante aos nossos colaboradores e a rentabilidade para os accionistas. Enquanto principal componente do custo logístico total, exige-se ao transporte disponibilidade, consistência, fiabilidade, flexibilidade, em suma, SERVIÇO no sentido mais abrangente possível. Perante tal cenário, dos serviços disponibilizados pelos LS, destaca-se: Planificação e controle de cargas completas em serviços permanentes; Gestão de frotas dedicadas a clientes específicos; Planeamento e gestão de rotas fechadas; Diagnóstico, plano operacional e plano de implementação de operações de transferência de frotas; Grupagem Ibérica Externalização de serviços de transporte Transporte em temperatura controlada (ATP) Transporte de mercadorias perigosas (ADR) Gestão de Fluxos (JIT) Planificação de transportes considerados especiais Distribuição. Os serviços poderão ser de carácter ocasional, regular (diário, semanal ou mensal) ou dedicado em exclusivo ao cliente, estando as viaturas equipadas com Informática Embarcada. IBÉRICO Pioneiros na introdução de novas soluções operativas e tecnológicas, disponibilizam no mercado ibérico veículos duplo-deck rebatível, semi-reboques, jumbos, city-trailers, ou mega-trailers de diversas dimensões, unidades multi-temperaturas, veículos equipados com meios e acessórios para cargas e descargas, rotas fechadas em fluxo contínuo e pontos nodais de intercâmbio de unidades de carga e tripulações. DISTRIBUIÇÃO Através da conjugação de sinergias consegue-se uma presença cada vez mais efectiva e actuante junto dos seus clientes bem como o desenvolvimento de serviços de maior valor acrescentado, donde se destaca o serviço diário de grupagem e distribuição Ibérica, com elevados padrões de serviço consubstanciados nos melhores prazos de entrega existentes no mercado. ESPECIAIS Os LS oferecem transporte de grandes dimensões, que requerem viaturas especialmente concebidas e autorizadas para o efeito para a Península Ibérica. GRUPAGEM Serviço caracterizado por movimentos de mercadorias paletizadas ou em volumes, em regime de carga fraccionada, constituída por vários clientes na origem ou destino. Este tipo de serviço está disponível em Barcelona, Madrid e Algarve. GESTÃO DE FLUXOS Numa permanente busca de soluções e identificação de oportunidades para acrescentar valor à cadeia de abastecimentos, estão a desenvolver modelos de Gestão de Fluxos, numa perspectiva de parceria estratégica a médio/longo prazo, com benefícios reais para os seus clientes.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Alfredo Marques Alfredo +351263858635 alfredo.marques@luis-simoes.com Entity contact person responsable for this project

Last update: 08-01-2008 dot Top



 
 
 
 

 
 
 
 

 
 
 
 
Warning! This section is not meant to be read directly, but rather be navigated through from the main page above.
 
 
 
 

VOLANTE XXI

Rationale

Text available in

- 1. Elevada taxa de resposta ao inquérito confirma o interesse com que a transposição da Directiva é encarada pelas empresas, assim como a forte capacidade de mobilização de Antram e Antrop; 2. Forte participação das empresas no focus-group e tomada de consciência das necessidades de adaptação dos sectores à mudança; 3. Disponibilidade demonstrada pelas empresas para participar no financiamento do sistema global de gestão da qualificação inicial e formação contínua dos Motoristas; 4. Forte envolvimento da Direcção Geral de Transportes Terrestres e Fluviais é garantia suplementar de envolvimento das empresas e de enquadramento politico-institucional do projecto; 5. Motoristas envolvidos nos focus-groups demonstram grande interesse em participar no projecto, nomeadamente nas Comunidades de Práticas; 6. Motoristas de mercadorias com forte motivação para assumir os custos da qualificação inicial e da formação contínua; 7. Motoristas (sobretudo de mercadorias) perspectivam participação no Volante XXI como um possível ensaio para a criação de estruturas de representação mais profissionalizadas; 8. Envolvimento da Rodoviária do Tejo e do grupo Luís Simões garantem envolvimento mais expedito dos Motoristas e gera efeito de demonstração potencial para restantes empresas; 9. Parceria transnacional pode acrescentar valor significativo no que diz respeito à incorporação de formação com recurso a simuladores de alta qualidade; 10. A maioria das empresas considera ser importante mobilizar mais mulheres para os sectores; 11. Mais de 60% das empresas manifesta disponibilidade para participar em iniciativas do Volante XXI para mobilizar mulheres para a profissão Motorista; 12. Uma percentagem significativa de empresas (de ambos os sectores) refere ter tomado conheicmento da Directiva 2003/59/CE através da Antram e Antrop., - 1. As realidades dos dois sectores envolvidos no projecto (transporte de mercadorias e transporte de passageiros) são muito distintas (ver detalhe no Relatório de Diagnóstico de Necessidades). 2. Os Motoristas dos dois sectores também apresentam características distintas e abordam a problemática da certificação de forma muito diferente. 3. Uma percentagem significativa das empresas de transporte de mercadorias manifesta discordância quanto à obrigatoriedade de certificação da profissão Motorista. 4. Uma percentagem não desprezível das empresas de transporte de mercadorias desconhece a Directiva (2003/59/CE). 5. A profissão Motorista permanece maioritariamente "masculina", apesar de várias empresas já terem mulheres ao seu serviço. 6. Sobretudo no sector de transporte de mercadorias, algumas empresas não manifestam interesse em participar nas iniciativas de valorização da profissão destinadas a mulheres. 7. Os Motoristas de passageiros mostram grandes reservas quanto ao seu envolvimento directo no financiamento da formação inicial e contínua. 8. De uma forma geral (mas apenas com base nos resulatdos iniciais fornecidos pelos focus-groups), os Motoristas de passageiros parcem mais resistentes à mudança.

dot Top


Objective

Text available in

O Volante XXI é um projecto originado a partir duma “visão” do que deveria ser a realidade da Logística e do Transporte Rodoviário em Portugal. A importância estratégica que a Logística e o Transporte Público desempenham na sociedade portuguesa justifica a criação de um Centro de Competências em Logística e Transportes para coordenar toda a “produção” de competências necessárias ao bom funcionamento das empresas. A visão inicial aproxima-se duma plataforma reconvertida em espaço de aprendizagem e treino para todos os profissionais do sector, desde empresários a motoristas. Para o treino de competências de condução, o Centro seria composto por pistas destinadas aos vários tipos de veículos. Para o treino da condução em situações extremas, seria equipado com simuladores de alta qualidade capazes de recriar os casos mais problemáticos que os Motoristas enfrentam. Mas o Centro não estaria apenas dedicado às competências de condução. Seria um espaço de valorização de todos os profissionais dos sectores envolvidos. Por exemplo, modernos laboratórios de línguas estariam ao dispor dos Motoristas para a aprendizagem acelerada (fundamental no transporte internacional); laboratórios de tecnologia ao serviço da aquisição e desenvolvimento de capacidades úteis para as diversas profissões, mas também para o exercício de uma cidadania mais activa e responsável; em regime residencial, empresários e gestores treinariam competências de liderança e trabalho em equipa com recurso a metodologias inovadoras de formação outdoor, etc. Quando a Antram e Antrop conheceram as implicações da transposição da Directiva 2003/59/CE, vislumbraram uma oportunidade de tornar aquela visão real. A dimensão do Sistema Global necessário para gerir a certificação profissional dos Motoristas fez-nos pensar que só uma estrutura como o Centro estaria em condições de assumir este papel em plenitude. Tendo em conta a importância que a Profissão Motorista tem nestas empresas (70% trabalhadores), a criação de um sistema de certificação profissional pareceu-nos a oportunidade ideal para, com a ajuda do Programa Equal, testar as soluções de formação inicial e contínua mais adequadas às especificidades dos sectores. Tratando-se de sectores fortemente “masculinos”, a pertinência em relação aos objectivos do Equal estava ainda mais reforçada. O projecto está, estruturado em 5 grandes actividades: a criação de Modelo de Gestão para o Sistema Global de Qualificação Inicial e Formação Contínua de Motoristas; o desenvolvimento dos modelos de formação mais adequados às necessidades das empresas e motoristas; a concepção de um modelo de financiamento do Sistema Global capaz de garantir a sua sustentabilidade; concretizar diversas iniciativas de sensibilização para a mudança suscitada pela Directiva, assim como valorizar a profissão Motorista e aumentar a sua atractividade junto dos jovens e (sobretudo) mulheres e; promover o empowerment dos motoristas através da dinamização de comunidades de práticas.

dot Top



Logo EQUAL

Home page
DP Search
TCA Search
Help
Set Language Order
Statistics