IMPORTANT LEGAL NOTICE
 

 PGISP - Projecto Gerir para Inovar os Serviços Prisionais ascii version

Portugal

 
DP Managing organisation : Direcção-Geral dos Serviços Prisionais
Other national partners : BDO CONSULTING - CONSULTORIA E GESTÃO S . A.
DIRECÇÃO GERAL DA ADMINISTRAÇÃO E DO EMPREGO PÚBLICO
ESTABELECIMENTO PRISIONAL LEIRIA
Estabelecimento Prisional Regional de Beja
Estabelecimento Prisional Regional de Castelo Branco
Estabelecimento Prisional de Castelo Branco
Estabelecimento Prisional de Sintra
Global Change - Consultores Internacionais Associados Lda
SINDICATO NACIONAL DO CORPO DA GUARDA PRISIONAL
EQUAL theme :Adaptability - Adaptation to change and NIT 
Type of DP :Sectoral - Services 
DP Legal status :Association without legal form 
DP identification :PT-2004-285 
Application phase :Approved for action 2 
Selection date :10-10-2005 
Last update :09-04-2008 
Monitoring: 2005  2006   

Rationale

Text available in

- 1. A strong mission spirit, a strong potential for institutional cohesion and feeling proud to be on the Prison Service are strong points often referred to at workshops attended by the staff of the Portuguese Prison Service, including the board of directors, where people worked on concepts such as the vision and the future of the prison service.2. Many workers show a strong potential for initiative and creativity and feel motivated to join with new challenges.3. The prison facilities reform and the prison system reform are positive factors for levering the modernization process.4. There is an expressed political will to answer the problems uncovered by the latest reports published on the Portuguese Prison Service. The reforms are presently under way as well as the legal instruments that support them. All the prison top administrations have gone through a training program in leadership and quality management, starting May 2004. This led to new forms of management, innovation and leadership focused on the quality of service.5The implementation of an exhaustive organizational assessment in 2004 e 2005 will produce recommendations and plans of a more efficient administration for the 56 prison facilities in the country., - 1. In Portugal there currently are 13,557 prisoners, 950 women and 12,435 men, in 56 prison establishments covering all the national territory.2. Portuguese prisons have had big changes in the last decades. Nevertheless, the final report of the Commission for Study and Debate of the Portuguese Prison Service Reform recommends changes at the level of prison management, prisoner care and the social integration of offenders.3. Managing people in the prison context is a demanding and highly complex task. The organization of the prison system depends on many actors that compel a continuous balance of apparently conflicting needs.4. A constant pressure of overcrowded prisons. A change in the prison population: inmates are savvier, bolder, more organized and more violent than in the past (more organized crime, some groups show increased intellectual and financial means). All this leads to high levels of stress between staff and prisoners that foster an aggressive behaviour that can lead to a violation of prisoners’ rights.5. An inefficient management model, the living conditions in some prison establishments and an historical lack of interest in staff training.6. The lack of efficiency in sharing of good practice and communication within the organization.7. The excuse of specificity in individual prison establishments has tried to justify the lack of standards and discrepancy between procedures within the organization.8. The lack of human and financial resources has justified so far the absence of internal projects that promote continuous quality and performance improvement and innovation.

dot Top


Objective

Text available in

The challenges for the Portuguese Penitenciary Administration requires vision, strategic thinking, quality and innovation. The reform of the prison system, the modernization of the public administration and to respect the European guidelines, we need to implement quality and continuous improvement of the prison services.In order to better respond to the challenges, the Portuguese Prison Services started a Project “Gerir para Inovar os Serviços Prisionais”. The main objective is to implement quality and continuous improvement of the prison services.Generally this project will mean considerable cultural change for all levels in the prison services. Specifically it’s our aim to continuously improve the operational performance of the prison facilities. This means that we want to standardize processes and internal procedures; build a pedagogical infrastructure in order to support the training and development of staff. Furthermore we want to develop innovative organizational solutions, in order to improve our efficiency, and offer a better service to society. The project has been experimenting with 5 pilots in the following prisons: the central prison and the regional prison of Castelo Branco; the special prison of Leiria; the regional prison of Beja and the central prison of Sintra. Other partners are the Prison Guards Trade Union; an innovation consultant - Global Change – and an audit consultant – BDO/INDEG. In the 2nd phase the Public Administration General Direction will join the project as partners.The Project will also have an European dimension since partnerships will be build with study centres, penitenciary training institutions and European prisons, in order to share and benchmark experiences, solutions and best practices.The whole prison Portuguese community will be involved so everyone can contribute to the development of more solid and innovative prison services. Only a strong and continuous involvement of all the professionals can guarantee the success of this initiative.In order to facilitate that objective, a communication and dissemination strategy is, at the moment, being developed. It will involve, amongst others, a web page, a periodical newsletter, an on-line collaborative platform and the creation of a mascot – GI – that will animate and support the initiative. This mascot will continuously help us remembering our vision, mission and values and will stand for tolerance and institutional cohesion. GI will always be available to receive suggestions and answer questions (by email) and will also guide us through the way to excellence.

dot Top


Innovation


Nature of the experimental activities to be implemented Rating
Training on work place ****
Anticipation of technical changes ****

Type of innovation Rating
Process-oriented ****
Goal-oriented ****
Context oriented ****

dot Top


Budget Action 2

1 500 000 – 2 000 000 €

dot Top


Beneficiaries


Assistance to persons 
Unemployed  0.0%  0.0% 
Employed  20.9%  21.5% 
Others (without status, social beneficiaries...)  5.2%  52.4% 
  100.0% 
 
Migrants, ethnic minorities, …  0.0%  0.0% 
Asylum seekers  0.0%  0.0% 
Population not migrant and not asylum seeker  26.2%  73.8% 
  100.0%
 
Physical Impairment  0.0%  0.0% 
Mental Impairment  0.0%  0.0% 
Mental Illness  0.0%  0.0% 
Population not suffering from a disability  26.2%  73.8% 
  100.0% 
 
Substance abusers 0.0%  0.0% 
Homeless  0.0%  0.0% 
(Ex-)prisoners  5.2%  52.4% 
Other discriminated (religion, sexual orientation)  0.0%  0.0% 
Without such specific discriminations  20.9%  21.5% 
  100.0% 
 
< 25 year  0.0%  0.0% 
25 - 50 year  26.2%  73.8% 
> 50 year  0.0%  0.0% 
   100.0% 

Assistance to structures and systems and accompanying measures Rating
Low qualification ****

dot Top


Empowerment

 

 With beneficiaries

Participation
Promoting individual empowerment
Developing collective responsibility and capacity for action
Participation in the project design
Participation in running and evaluating activities
Changing attitudes and behavior of key actors

 

 Between national partners

N.C.

dot Top


Transnationality

 

 Linguistic skills

  • português

 Percentage of the budget for transnational activities

  • 0.1%

 Transnational Co-operation Partnerships

Transnational Co-operation Agreement DPs involved
4071 PRIMA – Policies and strategies for PRIson MAnagement DE XB4-76051-20-NI/215
ES ES20040644
FR MDP-2004-41555
IT IT-G2-ABR-084
LU 8

dot Top


Background

 

N.C.

dot Top


National Partners


Partner To be contacted for
Direcção-Geral dos Serviços Prisionais Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Evaluation
Monitoring, data collection
Transnational partnership
BDO CONSULTING - CONSULTORIA E GESTÃO S . A.
DIRECÇÃO GERAL DA ADMINISTRAÇÃO E DO EMPREGO PÚBLICO
ESTABELECIMENTO PRISIONAL LEIRIA
Estabelecimento Prisional Regional de Beja
Estabelecimento Prisional Regional de Castelo Branco
Estabelecimento Prisional de Castelo Branco
Estabelecimento Prisional de Sintra
Global Change - Consultores Internacionais Associados Lda
SINDICATO NACIONAL DO CORPO DA GUARDA PRISIONAL

dot Top


Agreement Summary

Text available in

Resumo do Acordo de PD Os parceiros acordam: 1. Objectivos comuns 1.1 Desenvolver em conjunto o projecto acima referenciado, cujo diagnóstico, objectivos, actividades, resultados e processo de avaliação, e plano de financiamento se descrevem no formulário de candidatura à acção 2. 2. Estruturas e processo de funcionamento da Parceria 2.1 Criar à partida as seguintes estruturas de gestão e funcionamento: A estrutura de funcionamento da parceria passa pela definição de várias equipas em que estão representadas as entidades parceiras, a saber: 1. Conselho de Parceiros – O Conselho de Parceiros é o órgão máximo da parceria onde estão representados todas as entidades parceiras. O Conselho de Parceiros:- é responsável pela definição e revisão dos objectivos do projecto;-valida as decisões da equipa de projecto sobre as alterações às acções em curso ou sobre a realização de novas acções;-acompanha e controla as acções da equipa de projecto;-decide sobre a necessidade de recursos técnicos e financeiros de apoio ao projecto e sobre a forma de obtenção dos recursos;-decide sobre a integração de outras entidades como parceiras com base na contribuição que podem trazer à parceria e à concretização dos objectivos do projecto.Reuniões:O Conselho de Parceiros reúne de forma ordinária uma vez por mês.2. Equipa de Projecto – É constituída por representantes das instituições parceiras envolvidas numa determinada acção (ou actividade). Toma decisões operacionais sobre alterações às acções em curso ou sobre a realização de novas acções a propor ao Conselho de Parceiros. Reuniões:A Equipa de projecto reúne com o Gestor de Projecto e sempre que seja necessário. 3. Gestor de Projecto - O gestor de projecto é o dinamizador da parceria. As suas principais atribuições são a definição e clarificação da abrangência do projecto, a aquisição de recursos para a prossecução dos objectivos e a dinamização dos decisores e grupos de trabalho para assegurar continuamente o seu empenho. O Gestor de projecto representa a entidade interlocutora perante os parceiros de projecto. 2.2 Implementar o seguinte processo de tomada decisão (destacar nomeadamente processos de dos parceiros, mecanismos que promovam a igualdade de género, etc.): As decisões do Conselho de Parceiros são tomadas de acordo com o voto de uma maioria de 2/3 dos parceiros representados. O voto dos parceiros é igualitário. A fim de reforçar a capacidade de intervenção das entidades parceiras e dos seus técnicos, serão realizados workshops temáticos relacionados com a problemática do projecto. Será implementada uma metodologia de avaliação de projectos focalizada no processo de gestão do projecto a fim de permitir o auto desenvolvimento das equipas. Este tipo de avaliação tem carácter de reflexão permanente e leva a uma incorporação constante dos resultados nas etapas seguintes garantindo a contínua melhoria da qualidade. A vertente do empowerment das equipas de projecto será feita através da utilização de instrumentos que lhes permitem traçar um quadro de navegação à vista para o projecto por um lado, e pelo acompanhamento que assume um carácter de facilitação. Esta inter-actuação entre as duas componentes tem a vantagem de aumentar a eficácia da utilização dos instrumentos, melhorar a integração das equipas de projecto nos aspectos da avaliação formativa e fomentar sinergias, em suma tirar partido das vantagens inerentes a cada uma das componentes multiplicando os seus efeitos.A fim de promover a igualdade de género, serão desenvolvidas acções de sensibilização dos técnicos do projecto para esta temática tendo por conteúdo a discussão de estereótipos de género e a forma como estes afectam o projecto PGISP. 2.3 Assegurar a transparência da informação interna relativa ao projecto e à parceria, que será disponibilizada a todos os parceiros da seguinte forma ( ex. recurso às TIC...): A comunicação entre os parceiros será feita através das reuniões de trabalho (presenciais ou virtuais). A informação relativa ao projecto e à parceria (actas, relatórios, documentos técnicos, fóruns de discussão, etc). será disponibilizada na plataforma colaborativa já disponibilizada aos parceiros na acção 1 do projecto PGISP (www.pgisp.org e http://pgisp.globalchange.pt). 2.4 Assegurar que a difusão pública dos resultados do projecto, finais ou provisórios, só será efectuada após anuência do(s) parceiro(s) envolvido(s) na sua concepção. 3. Recursos técnicos 3.1 Assegurar estabilidade nos recursos técnicos afectos ao projecto. 4. Ajustamento da parceria 4.1 Proceder ao ajustamento da parceria, à saída ou entrada de novos parceiros, ou eventual revisão deste Acordo, nomeadamente se a avaliação do projecto o indicar como necessário.

Last update: 09-04-2008 dot Top


Direcção-Geral dos Serviços Prisionais

(DGSP)
Travessa da Cruz do Torel, 1
-
P-1150-122-LISBOA Lisboa

Tel:+351218812200
Fax:218853653
Email:dirgeral@dgsp.mj.pt

 
Responsibility in the DP: Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Evaluation
Monitoring, data collection
Transnational partnership
Type of organisation:Public authority (national, regional, local)
Legal status:Public organisation
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:30-09-2004 /

Text available in

A Direcção Geral dos Serviços Prisionais (DGSP) é um órgão auxiliar da administração judiciária que se integra no Ministério da Justiça.São suas principais atribuições:a) Efectuar estudos, propor medidas e definir normas e técnicas de actuação no âmbito dos seus objectivos; b) Superintender na organização e funcionamento dos serviços de detenção, execução de penas e medidas de segurança; c) Promover as acções necessárias ao aproveitamento e desenvolvimento dos recursos humanos e materiais afectados aos serviços, tendo em vista a realização eficaz dos seus objectivos.A DGSP, para fomentar o ensino profissional e a aquisição e manutenção de hábitos de trabalho, organizará o funcionamento de oficinas e de explorações agro-pecuárias que, além da aprendizagem de artes e ofícios, possibilitem a participação dos reclusos em actividades de produção. Uma das unidades orgânicas da DGSP é o Centro de Formação Penitenciária, uma estrutura especialmente vocacionada de formação de todo o pessoal dos serviços prisionais. Embora o CFP vise a formação de todo o pessoal penitenciário a maior parte da sua actividade tem sido destinada à formação do pessoal de vigilância, por ser o mais numeroso no conjunto do pessoal (cerca de 4000 num total de cerca de 6000 funcionários).É também da competência do CFP colaborar na preparação dos modelos de recrutamento e selecção de pessoal, nomeadamente do pessoal de vigilância e do pessoal de carreira técnica de tratamento penitenciário.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Paula Margarida Santos Ferreira Vicente Paula +351214427716 pvicente@dgsp.mj.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-04-2008 dot Top


BDO CONSULTING - CONSULTORIA E GESTÃO S . A.

(BDO C)
Rua S. João de Brito, 605 E, Escrit. 3.2
-
P-4100-455-PORTO Porto

Tel:+351226166140
Fax:226166149
Email:bdo.porto@bdo.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Structure created to manage the DP
Legal status:Private
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE PORTO
Date of joining / leaving:30-06-2005 /

Text available in

A BDO Consulting é uma empresa do Grupo BDO, o qual, em Portugal como no resto do Mundo, é um dos cinco maiores a desenvolver a actividade de auditoria e consultoria, dispondo de cerca de 22 000 profissionais, a tempo inteiro e em regime de exclusividade, sempre aptos a darem resposta às solicitações das entidades que procuram os seus serviços.A nossa Organização, que nasceu internacionalmente na Europa em 1963, dispõe presentemente de cerca de 600 escritórios, em 98 países do mundo.Em Portugal, o Grupo BDO iniciou a sua actividade em 1981, com a criação da BDO Binder & Co.. O crescimento da área de consultoria motivou a criação da BDO Consulting em 2000, como uma empresa especializada numa actividade desenvolvida durante cerca de 20 anos pela BDO Binder & Co. (actualmente BDO & Associados). Tal como em todo o Mundo, os serviços que prestamos em Portugal, aos nossos Clientes nacionais e estrangeiros, públicos e privados, são pautados por um elevado profissionalismo, traduzido em rigorosos padrões de independência, confidencialidade e ética profissional. A BDO Consulting dispõe de consultores qualificados para apoiar soluções geradoras de valor acrescentado para empresas e demais entidades. Neste âmbito, os serviços prestados pela BDO Consulting dividem-se nas áreas de Consultoria Empresarial e de Consultoria Financeira, conforme apresentado de seguida. Consultoria Empresarial: Os serviços que prestamos nesta área compreendem o seguinte: Gestão de imobilizado - inventariação, etiquetagem e reconciliação contabilística;Iimplementação de Sistemas de Gestão da Qualidade;Diagnóstico organizacional; Planeamento e mudança organizacional; Consultoria em recursos humanos;Selecção de quadros e pessoal superior; Realização de acções de formação específicas; Concepção e implementação de sistemas de controlo interno; Concepção e implementação de sistemas contabilísticos e de gestão orçamental; Desenho e implementação de sistemas de informação de gestão; Planeamento empresarial / estratégico; Organização, criação e implementação de serviços de auditoria interna; Auditorias informáticas; Apoio à selecção e escolha de equipamentos informáticos; Consultoria informática. Consultoria Financeira: Avaliação de empresas e partes sociais; Consultoria financeira; Fusões, aquisições e cisões de empresas; Preparação de Planos de Negócio; Elaboração de estudos de viabilidade; Elaboração de estudos económico-financeiros; Elaboração de candidaturas a sistemas de incentivos;Reestruturações empresariais; Apoio na transacção de empresas; Realização de Due Diligences;Controlo de gestão; Realização de acções de formação específicas.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Luis Jorge Monteverde Luis +351937990430 luis.monteverde@bdo.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-04-2008 dot Top


DIRECÇÃO GERAL DA ADMINISTRAÇÃO E DO EMPREGO PÚBLICO

(DGAP)
AV. 24 DE JULHO, 80-80J
-
P-1249-084-LISBOA Lisboa

Tel:+351213915300
Fax:213900148
Email:

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Public authority (national, regional, local)
Legal status:Public organisation
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:01-07-2005 /

Text available in

A Direcção-Geral da Administração Pública (DGAP) é um serviço executivo integrado na administração directa do Estado cuja missão é desenvolver, promover e acompanhar de forma dinâmica e sistemática as medidas de emprego público, desenvolvimento profissional dos recursos humanos e modelos organizacionais no âmbito da Administração Pública, garantindo a coerência global do sistema, a racionalização das estruturas e a promoção da qualidade dos serviços.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Luís Filipe Martinho Ferreira Evangelista Luís +351213915367 luís.evangelista@dgap.gov.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-04-2008 dot Top


ESTABELECIMENTO PRISIONAL LEIRIA

(EPLEIRIA)
Av. da Comunidade Europeia, nº1
-
P-2410-099-LEIRIA Leiria

Tel:+351244829720
Fax:244815096
Email:EPLeiria@dgsp.mj.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Public authority (national, regional, local)
Legal status:Public organisation
Size:Staff < 10
NUTS code:PINHAL LITORAL
Date of joining / leaving:30-09-2004 /

Text available in

Estabelecimento Prisional Central Especial, destinado a jovens adultos delinquentes, abrangendo todo o território nacional, com idades compreendidas entre os 16 e os 21 anos (à entrada, podendo aqui permanecer até aos 25). São diversas as áreas de intervenção – Ensino, Formação Profissional e actividades ergo-terapêuticas de aquisição e desenvolvimento de competências, bem como programas de apoio na área da saúde, através do tratamento e acompanhamento no âmbito da Unidade de Saúde e o Programa de Apoio a Reclusos Toxicodependentes (PART), procurando-se desta forma dar resposta às solicitações mais actuais da população prisional.Dispõe de uma capacidade de alojamento de 347 camas, distribuídas por nove pavilhões habitacionais, incluindo as unidades de saúde e Unidade Livre de Drogas (ULD).O objectivo que presidiu à sua criação e que ainda hoje se mantém como a sua finalidade mais importante, é o de evitar que jovens delinquentes que, praticando crimes com gravidade suficiente para merecerem a aplicação duma medida privativa de liberdade, dela aproveitem ao máximo, minimizando-se os efeitos perversos resultantes do convívio nefasto com delinquentes de mais idade e experimentados.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
António de Oliviera António +351244824851 aoliveira@dgsp.mj.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-04-2008 dot Top


Estabelecimento Prisional Regional de Beja

(EPR BEJA)
Rua de Lisboa, nº 81 - Beja
-
P-7800-292-BEJA Beja

Tel:+351284311580
Fax:284389299
Email:eprbeja@dgsp.mj.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Public authority (national, regional, local)
Legal status:Public organisation
Size:Staff < 10
NUTS code:BAIXO ALENTEJO
Date of joining / leaving:30-09-2004 /

Text available in

Instalado no edifício da antiga Cadeia Comarcã, construída na década de 50, o Estabelecimento Prisional Regional de Beja foi criado em 1972 – Portaria n.º 374/72, de 7 de Julho do Ministério da Justiça e iniciou o seu funcionamento no dia 1 de Outubro de 1972.O Estabelecimento Prisional foi perspectivado para população feminina e masculina tendo deixado, em 1980, de receber mulheres reclusas, encontra-se localizado na capital do Distrito do Alto Alentejo, em Beja, também sede de concelho e destina-se, essencialmente, a reclusos condenados em penas de prisão até seis meses e a reclusos preventivos à ordem dos Tribunais das Comarcas de Almodôvar, Beja, Cuba, Ferreira do Alentejo, Mértola, Moura, Ourique, Serpa e Odemira, todas do Distrito Judicial de Évora.A tutela Judiciária pertence ao Tribunal de Execução das Penas de Évora.Em termos de segurança encontra-se classificado como de regime misto e a lotação fixada em 164, que inclui um espaço para 8 reclusas.De Novembro de 1997 a Dezembro de 2002 toda a estrutura física do E.P. foi alvo de obras de ampliação e restruturação de forma a que, hoje, pode contar com novos e adequados espaços nos quais estão, entre outras, contempladas zonas para actividades ocupacionais, de formação/ensino, lúdicas e desportivas.Com uma população afecta, em 28 de Setembro de 2004, de 142 indivíduos, dos quais 100 condenados e 42 na situação de prisão preventiva, e no sentido do cumprimento da missão que lhe está atribuída, o E.P. assegura, no dia-a-dia, todas as diligências processuais (Tribunais/P.S.P./P.J. e outros), de saúde (hospital prisional, hospitais civis, clínicas, centros de saúde e outros), promove actividades de âmbito socio-cultural, desportivo, ocupacional e formativo, sempre com o objectivo de que o recluso, uma vez devolvido à liberdade, se encontre, estruturalmente, mais capacitado para conduzir a sua vida de modo socialmente útil e sem cometer novos crimes.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Joaquina Rosa Pãozinho Malacueco Joaquina +351284 31 15 EPRBeja@dgsp.mj.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-04-2008 dot Top


Estabelecimento Prisional Regional de Castelo Branco

(EPR CASTELO BRANCO)
Travessa da Cadeia - Castelo Branco
-
P-6000-292-CASTELO BRANCO Castelo Branco

Tel:+351272323222
Fax:272323480
Email:eprcbranco@dgsp.mj.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Public authority (national, regional, local)
Legal status:Public organisation
Size:Staff < 10
NUTS code:BEIRA INTERIOR SUL
Date of joining / leaving:30-09-2004 /

Text available in

O Estabelecimento Prisional Regional de Castelo Branco tem como missão o tratamento penitenciário na vertente da execução das medidas privativas de liberdade com vista a uma adequada reinserção social dos reclusos que compõem o universo populacional do E.P.As áreas de intervenção situam-se, particularmente , na formação escolar, com os 1.º , 2.º e 3.º ciclos a funcionar com cerca de vinte e cinco alunos, formação profissional com cursos nas áreas de Mecânico de Máquinas de Costura, Ajudante de Pedreiro e Calceteiro com a parceria de entidades públicas e privadas.Incidimos também a nossa acção na modificação de comportamentos, através do “ensino” de regras de trabalho, higiene e convivência entre todos os envolvidos neste sistema.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Ângela Paula Ferrão Portugal Ângela +351272 32322 Aportugal@dgsp.mj.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-04-2008 dot Top


Estabelecimento Prisional de Castelo Branco

(EPC CASTELO BRANCO)
Terreiro de Sto António - Castelo Branco
-
P-6000-289-CASTELO BRANCO Castelo Branco

Tel:+351272323222
Fax:272323480
Email:epcbranco@dgsp.mj.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Public authority (national, regional, local)
Legal status:Public organisation
Size:Staff < 10
NUTS code:BEIRA INTERIOR SUL
Date of joining / leaving:30-09-2004 /

Text available in

O Estabelecimento Prisional de Castelo Branco tem como missão o tratamento penitenciário na vertente da execução das medidas privativas de liberdade com vista a uma adequada reinserção social das reclusas que compõem o universo populacional do E.P.As áreas de intervenção situam-se, particularmente , na formação escolar, com os 1.º , 2.º e 3.º ciclos a funcionar com cerca de quarenta alunas, formação profissional com cursos nas áreas de Ajudantes de cabeleireiros, Bordados de Castelo Branco e curso de Corte e Costura com a parceria de entidades públicas e privadas.Incidimos também a nossa acção na modificação de comportamentos, através do “ensino” de regras de trabalho, higiene e convivência entre todos os envolvidos neste sistema.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Ângela Paula Ferrão Portugal Ângela +351272 32322 Aportugal@dgsp.mj.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-04-2008 dot Top


Estabelecimento Prisional de Sintra

(EP SINTRA)
Quinta do Bom Despacho
-
P-2710-515-SINTRA Sintra

Tel:+351219119700
Fax:219234338
Email:epsintra@dgsp.mj.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Public authority (national, regional, local)
Legal status:Public organisation
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:30-09-2004 /

Text available in

O Estabelecimento Prisional de Sintra (EPS), inicialmente designado como “Colónia Penal Agrícola”, integra uma área de 120 hectares.Tem uma população prisional de cerca de 750 reclusos com uma média etária de 25 anos não detentora, na generalidade, da escolaridade obrigatória. Esta população encontra-se condenada em penas com uma duração média de 5 anos por crimes especialmente relacionados com droga, tráfico, furto, roubo...Cerca de 70% da população prisional tem ocupação nas áreas laboral, escolar, da formação profissional e em actividades desportivas, sócio-culturais e recreativas.Tem o EPS como missão garantir a execução das medidas privativas de liberdade determinadas pelos Tribunais, contribuindo para a defesa da sociedade e orientada para a reintegração social dos reclusos, proporcionando-lhes condições que permitam conduzir a vida futura de modo socialmente aceite e responsável, sem praticar crimes.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Maria de Fátima Andrade Corte Maria +351219119780 Fatima.corte@dgsp.mj.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-04-2008 dot Top


Global Change - Consultores Internacionais Associados Lda

(GLOBAL CHANGE)
Avenida Infante D. Henrique Edificio Lisboa - Oriente nº 333 H 2º escrit 24
-
P-1800-297-LISBOA Lisboa

Tel:+351218521257
Fax:218521259
Email:office@globalchange.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Enterprise
Legal status:Private
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:24-09-2004 /

Text available in

A GLOBAL CHANGE - Consultores Internacionais Associados, Lda. é uma empresa de consultoria que foi criada pela associação de um grupo de consultores que desenvolvem a sua actividade há mais de 18 anos em Portugal e no estrangeiro. A GLOBAL CHANGE oferece soluções totais e integradas de consultoria de melhoria de processos, fusões e aquisições e implementação das mudanças, formação para mudar comportamentos dos colaboradores e aumentar a eficiência dos processos. No âmbito da sua actividade de I&D, a GLOBAL CHANGE desenvolve ainda projectos de investigação e avaliação nas seguintes áreas: Melhoria da Performance; Inovação de Processos; Responsabilidade Social Empresarial; Tecnologias de Desenvolvimento Regional; Desenvolvimento de PME’s; Gestão do Conhecimento; Desenvolvimento SocialPara além de outros projectos de I&D, a GLOBAL CHANGE, esteve na génese do projecto “Desenvolvimento Integrado com Base em Parcerias Locais”, do qual foi entidade gestora entre 1997 e 2001 e que originou a Plataforma Integrada de Desenvolvimento da Amadora, na qual participa. Participa como parceiro responsável pela avaliação do projecto EQUAL ReADAPT - Rede para o Desenvolvimento Económico e Social do Concelho da Covilhã, e o “Think Tank” para o desenvolvimento da Beira Interior. Nesta região está a desenvolver um estudo prospectivo de sectores e actividades emergentes na Cova da Beira, financiado pelo POEFDS. Actualmente é a entidade responsável pela elaboração de um estudo sobre “Parcerias de Desenvolvimento Local e Regional” financiado pelo DEEP do Ministério da Segurança Social e do Trabalho.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
João Pedro Correia João +351218521257 Office@globalchange.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-04-2008 dot Top


SINDICATO NACIONAL DO CORPO DA GUARDA PRISIONAL

(SNCGP)
Rua Conde Redondo, nº 56 - 3º Esq.
-
P-1150-108-LISBOA Lisboa

Tel:+351213536234
Fax:213523284
Email:

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Trade Union
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:30-09-2004 /

Text available in

O SNCGP tem por missão e objectivos:- o desenvolvimento da actividade sindical na defesa dos seus trabalhadores;- a promoção de actividades desportivas e culturais;- o desenvolvimento de acções de formação, há vários anos, para benefício dos seus associados.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Jorge Manuel Rocha Alves Jorge +351213536234 correio@sncgp.com Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-04-2008 dot Top



 
 
 
 

 
 
 
 

 
 
 
 
Warning! This section is not meant to be read directly, but rather be navigated through from the main page above.
 
 
 
 

PGISP - PROJECTO GERIR PARA INOVAR OS SERVICOS PRISIONAIS

Rationale

Text available in

- 1. Existência de um forte espírito de missão, coesão institucional e sentimento de orgulho em pertencer aos serviços Prisionais. Tal tem sido fortemente testemunhado em workshops de reflexão sobre a missão e futuro dos serviços prisionais, nos quais estiveram presentes representantes de todos os grupos profissionais, incluindo a gestão de topo.2. Um forte potencial de iniciativa e criatividade de grande parte dos funcionários, aliado à disponibilidade para aderir e participarem novos desafios3. A reforma do parque penitenciário e a reforma do modelo de funcionamento e gestão serão também factores de alavanca para o processo de modernização.4. Existe uma grande vontade, manifestada pelos responsáveis políticos, em responder ás necessidades e aos desafios identificados nos diferentes relatórios sobre o sistema prisional português. Serão também aproximadas a reforma em curso do sistema prisional e os instrumentos essenciais à sua materialização: Lei do Tribunal de Execução de Penas e Regulamento Geral. A recente formação de todos os dirigentes das prisões(directores e adjuntos de direcção) nos domínios da qualidade e da liderança desde Maio de 2004 permitiu a abertura a novas formas de gerir, inovar e liderar, incentivando os beneficiários a apostar cada vez mais no desenvolvimento das suas próprias competências e das suas equipas e a focalizarem-se na qualidade do serviço que prestam.5. A realização de um assessement organizacional exaustivo durante os anos 2004 e 2005 permitirá a elaboração de recomendações e a criação de planos de melhoria em cada um dos 56 estabelecimentos prisionais a nível nacional., - 1. Existem actualmente em Portugal 13557 reclusos, dos quais 950 mulheres e 12435 homens distribuídos por 56 estabelecimentos prisionais em todo o território nacional.2. As prisões portuguesas testemunharam 1 grande evolução nas últimas décadas. Todavia, alguns relatórios como sejam o Relatório final da Comissão de Estudo e Debate da Reforma do Sistema Prisional, denunciam 1 necessidade de mudança ao nível da organização dos serviços, do tratamento penitenciário e do esforço de reinserção social dos reclusos.3. A gestão de pessoas no contexto prisional é uma tarefa altamente exigente e complexa. A organização do sistema prisional está dependente de uma multiplicidade de actores que obrigam a um constante equilíbrio de necessidades, objectivos e interesses muitas vezes contraditórios4. O sistema tradicional fechado, fortemente hierarquizado e o ambiente de constante pressão provocada pela sobrelotação nalguns estabelecimentos e a cada vez maior perigosidade dos reclusos conduziram à degradação das condições de detenção, condicionando todos os que lhe estão associados e originando, por vezes, mais dificuldades de relacionamento entre funcionários do sistema e reclusos. 5.O modelo de gestão das prisões e as fracas condições físicas de algumas e o desinvestimento histórico na formação das pessoas são factores de fragilização do sistema.6. A dispersão das prisões pelo território nacional e a ausência de um sistema de comunicação e partilha de práticas tem incentivado disparidades na forma de tratamento de situações idênticas. 7. A realidade específica de cada estabelecimento tem sido justificação para a inexistência de uniformização de procedimentos e processos entre os estabelecimentos prisionais. 8. A insuficiência de recursos humanos e financeiros justifica a ausência de projectos que promovam a melhoria contínua de processos e a inovação organizacional.

dot Top


Objective

Text available in

A Administração Pública no caminho da excelênciaOs novos desafios que se colocam à Administração Penitenciária em Portugal exigem visão estratégica, qualidade e inovação. A reforma do Sistema Prisional, a modernização da Administração Pública e a necessidade de convergência face aos padrões europeus, convidam-nos a um forte investimento na melhoria Organizacional e na simplificação dos processos.No sentido de responder melhor a estes desafios, a Direcção Geral dos Serviços Prisionais propõe-se implementar uma abordagem de qualidade e melhoria contínua nos Serviços Prisionais.“Gerir para Inovar os Serviços Prisionais” permite-nos desencadear um processo de mudança cultural a todos os níveis da hierarquia, essencial aos novos desafios colocados pela Administração Pública e criar a capacidade interna necessária ao desenvolvimento de uma abordagem de excelência na administração penitenciária . É nosso objectivo melhorar, de forma sistemática, o desempenho operacional dos estabelecimentos prisionais; uniformizar processos e procedimentos internos a nível nacional; conceber recursos pedagógicos de apoio à formação e qualificação de todos os colaboradores; bem como conceber e transferir modelos, metodologias e soluções organizacionais inovadoras, de modo a aumentarmos a nossa eficiência, respondermos eficazmente às necessidades e, deste modo, fortalecer, ainda mais, um serviço público essencial à Sociedade. O palco experimental são cinco Estabelecimentos Prisionais Piloto. Na concepção e produção de metodologias estão os serviços prisionais, parceiros nacionais de reconhecido mérito (Sindicato Nacional do Corpo da Guarda Prisional, Global Change, BDO e DGAP) e transnacionais (organizações penitenciárias da Alemanha, França, Luxemburgo, Itália e Espanha).A estratégia de comunicação, envolvimento e disseminação do Projecto engloba, entre outras, a construção de uma página Web do Projecto, a dição de uma Newsletter de tiragem periódica, a utilização de uma plataforma colaborativa, disponível on-line, e a criação de uma mascote – O GI – que anima e apoia toda a iniciativa. Em especial, esta mascote pretende ser a personificação da visão, da missão e dos valores da DGSP, actuando sempre com elevado espírito de missão, empatia e coesão institucional. O GI tem um endereço electrónico e está sempre disponível para responder a todas as questões e ajudar-nos no caminho da excelência.

dot Top



Logo EQUAL

Home page
DP Search
TCA Search
Help
Set Language Order
Statistics