IMPORTANT LEGAL NOTICE
 

 DESENVOLVIMENTO DA RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS EMPRESAS EM PORTUGAL ascii version

Portugal

 
DP Managing organisation : Associação Portuguesa para a Responsabilidade Social das Empresas
Other national partners : ACEP - Assoc para a Cooperação Entre os Povos
Associação Industrial Portuguesa - Confederação Empresarial (AIP - CE)
SOCIUS - CENTRO ASSOCIATIVO DE INVESTIGAÇÃO EM SOCIOLOGIA ECONÓMICA E DAS ORGANI
EQUAL theme :Adaptability - Adaptation to change and NIT 
Type of DP :Geographical - Urban area - NORTE, CENTRO (P), LISBOA E VALE DO TEJO, ALENTEJO 
DP Legal status :Association without legal form 
DP identification :PT-2004-242 
Application phase :Approved for action 2 
Selection date :18-11-2005 
Last update :10-03-2008 
Monitoring: 2005  2006   

Rationale

Text available in

- Oportunities - Revision of the Lisbon Strategy. - It is expected a new communication from the European Commission regarding CSR. - A group of European countries started to regulate CSR. - The existence of an European concept for CSR is questioned. - CSR is part of the agenda of many executives/managers. - The investigation/studies in this area have increased. - The media started to pay attention to this subject. - Increased relevance of projects, partnerships and investigation on Corporate Social. Responsibility. On an European level, this concern is more present. - Consumers, governments, civil society organizations and the social movements are more focused on companies regarding their social and the environmental performance - Potential of innovation and better forms of integration of companies and civil social organizations to the environment. Strengths - The associative movement connected to the sustainability/CSR has grown in a very fast way. - Publication of social reports increased more than twice since 2002. - Number of companies involved in Philanthropic/Social Marketing actions duplicated. - Numbers of companies related to CSR have increased. - Introduction of a clause in the UGT contract model. - Existence of activities of corporate community involvement, in many small and medium companies, that are not very integrated, but still well fit in the social responsibility context. - NGO’s are more open to the questions related to social responsibility and corporate citizenship, there an increasing number of partnerships between companies and NGO’s. - Existence of volunteering programs in many companies. , - Threats - Conjectural economical crisis. - Lack of communication and publication of CSR and best practices. - Lack of critical mass (Universities, investigation, NGO’s, consumers, social movements) to evaluate the strategies of social responsibility, proposals, etc. - Market dominated by small and medium companies, with business leaders without enough qualification and training. - Public opinion and consumers not well informed. - Lack of sense of NGO’s and companies to enrol on a partnership. - Lack of training in this area, and in the integration of this subject on the management courses. Weaknesses - Lack of information regarding the theme. - Concepts and indicators are not well clarified. - Managers don’t have enough knowledge in this area, this makes the task of integrating social responsibility in the companie’s strategy, more difficult. - Lack of information and training of NGO’s in this questions. - Lack of investigation in this field in what refers to universities and training centres. - Lack of integrated synergic strategies (organization, internal, political definition of involvement, etc). - CSR is not integrated in the company strategy, it is viewed as an outer activity. - Inexistence of referential models to the work done by companies and NGO’s. - Diverse language- difficulty of communication between companies and NGO’s. - Values and referential boards, have different objectives, sometimes opposite.

dot Top


Objective

Text available in

The project “Development of CSR in Portugal” emerges because of the increasing necessity of creating tools and references to this particular area, for being new, this subject have lack of sustainability. The activities developed have as objective a stronger involvement of companies in programs tackling social exclusion and focusing on the integration in the labour market of the most disadvantaged group. Through a greater mobilization of companies and their capacitation on CSR it is expected to enhance a stronger intervention in sustatinability, diversity, equal opportunities and community involvement issues. In that way, our project, comes from a need diagnosis that was done during action 1, this will support the following areas: - Training of Facilitators for CSR – this aims to train a critical mass of people that can act as ambassadors for CSR. - Creation of a model of local networks for CSR – as CSR has a differential impact at local and regional level, it is important to create a referential model of networks capable of aggregating the various local entities, generating in this way answers more adequate and effective. - ABC of qualified corporate volunteering – with this activity, we intend to essentially make a national search of key competences necessary and available to be used in volunteering projects, giving in that form potentiality and effectiveness to this initiatives, either to the companies either to the community. - Creation of a Code of Conduct to the companies involved in cooperation – as CSR is a global question, where transparency of values and sustainability assume an important character, it becomes necessary to create a Code of Conduct that improves and facilitates the activities among the companies involved in cooperation. With this project we aim to act in a transversal form, involving companies and Academia on the development of the activities, using a group of initiatives “Seeing is Believing” as form of incrementing the participation of the stakeholders, increasing in that way, the awareness for this theme.

dot Top


Innovation


Nature of the experimental activities to be implemented Rating
Training ****
Training of teachers, trainers and staff **
Conception for training programs, certification **
Awareness raising, information, publicity ***

Type of innovation Rating
Process-oriented *
Goal-oriented ***
Context oriented **

dot Top


Budget Action 2

250 000 – 500 000 €

dot Top


Beneficiaries


Assistance to persons 
Unemployed  0.0%  0.0% 
Employed  50.0%  50.0% 
Others (without status, social beneficiaries...)  0.0%  0.0% 
  100.0% 
 
Migrants, ethnic minorities, …  0.0%  0.0% 
Asylum seekers  0.0%  0.0% 
Population not migrant and not asylum seeker  50.0%  50.0% 
  100.0%
 
Physical Impairment  1.0%  1.0% 
Mental Impairment  0.0%  0.0% 
Mental Illness  0.0%  0.0% 
Population not suffering from a disability  49.0%  49.0% 
  100.0% 
 
Substance abusers 0.0%  0.0% 
Homeless  0.0%  0.0% 
(Ex-)prisoners  0.0%  0.0% 
Other discriminated (religion, sexual orientation)  0.0%  0.0% 
Without such specific discriminations  50.0%  50.0% 
  100.0% 
 
< 25 year  10.0%  10.0% 
25 - 50 year  30.0%  30.0% 
> 50 year  10.0%  10.0% 
   100.0% 

Assistance to structures and systems and accompanying measures Rating
Gender discrimination *
Support to entrepreneurship ***
Disabilities *
Low qualification *

dot Top


Empowerment

 

 With beneficiaries

Participation
Promoting individual empowerment
Developing collective responsibility and capacity for action
Participation in the project design
Participation in running and evaluating activities
Changing attitudes and behavior of key actors

 

 Between national partners

N.C.

dot Top


Transnationality

 

 Linguistic skills

  • português

 Percentage of the budget for transnational activities

  • 0.1%

 Transnational Co-operation Partnerships

Transnational Co-operation Agreement DPs involved
4663 Palomar: a model of CSR Observatory IT IT-G2-ABR-058
IT IT-G2-PUG-085

dot Top


Background

 

N.C.

dot Top


National Partners


Partner To be contacted for
Associação Portuguesa para a Responsabilidade Social das Empresas Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Evaluation
Monitoring, data collection
Transnational partnership
ACEP - Assoc para a Cooperação Entre os Povos
Associação Industrial Portuguesa - Confederação Empresarial (AIP - CE)
SOCIUS - CENTRO ASSOCIATIVO DE INVESTIGAÇÃO EM SOCIOLOGIA ECONÓMICA E DAS ORGANI

dot Top


Agreement Summary

Text available in

Resumo do Acordo de PD Os parceiros acordam: 1. Objectivos comuns 1.1 Desenvolver em conjunto o projecto acima referenciado, cujo diagnóstico, objectivos, actividades, resultados e processo de avaliação, e plano de financiamento se descrevem no formulário de candidatura à acção 2. 2. Estruturas e processo de funcionamento da Parceria 2.1 Criar à partida as seguintes estruturas de gestão e funcionamento: Do ponto de vista da gestão e funcionamento, irão ser definidas as seguintes medidas: - Estrutura de planeamento de actividades - Estrutura de acompanhamento e follow-up mensal - Criação de estrutura informal de integração de actividades 2.2 Implementar o seguinte processo de tomada decisão (destacar nomeadamente processos de dos parceiros, mecanismos que promovam a igualdade de género, etc.): O processo de tomada de decisão assentará em principios de decisão participada. A aplicação deste modelo de tomada de decisão permitirá : - Correcção e elevada qualidade da decisão - Utilização da totalidade dos recursos - Boa gestão do tempo - Total implementação da decisão - Reforço da capacidade de resolução de problemas De modo a garantir : - maior envolvimento dos membros da parceria(aumenta o empenhamento) - possíveis sinergias (conhecimentos, experiência e capacidades complementares) 2.3 Assegurar a transparência da informação interna relativa ao projecto e à parceria, que será disponibilizada a todos os parceiros da seguinte forma ( ex. recurso às TIC...): Toda a informação relativa ao projecto irá circular por todos os parceiros envolvidos, preferencialmente através de correio electrónico e das reuniões de acompanhamento. Este processo será também objecto de auto-avaliação. 2.4 Assegurar que a difusão pública dos resultados do projecto, finais ou provisórios, só será efectuada após anuência do(s) parceiro(s) envolvido(s) na sua concepção. 3. Recursos técnicos 3.1 Assegurar estabilidade nos recursos técnicos afectos ao projecto. 4. Ajustamento da parceria 4.1 Proceder ao ajustamento da parceria, à saída ou entrada de novos parceiros, ou eventual revisão deste Acordo, nomeadamente se a avaliação do projecto o indicar como necessário.

Last update: 10-03-2008 dot Top


Associação Portuguesa para a Responsabilidade Social das Empresas

(RSE PORTUGAL)
Rua do Conde de Redondo, 13 - 4º
-
P-1150-101-LISBOA Lisboa

Tel:+351213529101
Fax:213529118
Email:rseportugal@mail.telepac.pt

 
Responsibility in the DP: Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Evaluation
Monitoring, data collection
Transnational partnership
Type of organisation:Other
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:28-09-2004 /

Text available in

Esta associação sem fins lucrativos faz parte de um conjunto de instituições europeias ligadas à CSR Europe, instituição sediada em Bruxelas e apoiada pela DG para o Emprego e Assuntos Sociais e por um conjunto alargado de grandes empresas, que tentam promover e disseminar o conceito de Responsabilidade Social das Empresas, a nível nacional e europeu. Constituída essencialmente por empresas e para empresas, e tendo como sócios honorários algumas personalidades de vulto ligadas ao meio empresarial e académico, a RSE Portugal pretende assumir-se como a grande referência nacional nesta área, tentando para tal congregar um conjunto de empresas, representativas da diversidade do tecido empresarial nacional, pois ainda que as boas práticas de responsabilidade social desenvolvidas por grandes empresas tenham maior visibilidade, pois são resultado de políticas sociais conscientemente assumidas, existe todo um conjunto de empresas, de pequena e média dimensão, com práticas muito interessantes e inovadoras neste âmbito. Actualmente, as empresas associadas são: IBM, Delta Cafés, Novartis, Portucel, Millennium bcp, Microsoft, manpower, Select/vedior, BES, Jerónimo Martins, KPMG, Intertek, Fundação PT e Montepio Geral



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Gonçalo Torres Pernas Gonçalo +351213529101 goncalo.pernas@rseportugal.org Entity contact person responsable for this project

Last update: 10-03-2008 dot Top


ACEP - Assoc para a Cooperação Entre os Povos

(ACEP)
Travessa do Sequeiro, 4 - 1º
-
P-1200-441-LISBOA Lisboa
-

Tel:+351213259719
Fax:213259720
Email:acep@acep.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Other
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:04-02-2008 /

Text available in

A ACEP é uma associação privada sem fins lucrativos que iniciou as suas actividades em Setembro de 1990. De acordo com os seus Estatutos, são fins da ACEP promover e reforçar a cooperação com os Países em Desenvolvimento, contribuir para o estudo, investigação, sensibilização e divulgação das realidades daqueles países e para a melhoria da situação dos imigrantes africanos em Portugal. Após uma primeira fase de implantação organizativa e de criação de uma base de relações e de trabalho na sociedade portuguesa, a ACEP iniciou em 1997 um processo de lançamento das bases de uma actividade de cooperação com outros povos, em particular com os dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa, centrada no apoio ao reforço das organizações não governamentais daqueles países para a sua acção de desenvolvimento. A ACEP encontra-se registada junto do Instituto da Cooperação Portuguesa como Organização Não-Governamental de Desenvolvimento, possuindo, como tal, estatuto de pessoa colectiva de utilidade pública.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Fátima Proença Fátima +351217950175 fatima@acep.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 10-03-2008 dot Top


Associação Industrial Portuguesa - Confederação Empresarial (AIP - CE)

(AIP)
Praça das Industrias
-
P-1300-307-LISBOA Lisboa
-

Tel:+351213601000
Fax:213639046
Email:aip@aip.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Other
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:04-02-2008 /

Text available in

A Associação Industrial Portuguesa – Confederação Empresarial (AIP-CE) é uma Instituição privada de utilidade pública, fundada em 1837 com o objectivo de defender os interesses da comunidade empresarial portuguesa em geral e dos seus associados em particular. A AIP- -CE tem por missão apoiar o desenvolvimento e a competitividade das empresas numa economia aberta, interagindo com os vários parceiros de natureza pública e privada, nacionais e internacionais. Para a prossecução da sua missão a AIP-CE realiza um conjunto de actividades: 1. Propostas e pareceres assentes em análises e estudos da realidade e necessidades das empresas; 2. Formação Profissional, visando a qualificação de dirigentes e quadros de empresas; 3. Assistência técnica e Consultoria empresarial; 4. Informação às empresas; 5. Apoio à Internacionalização 6. Feiras, exposições, certames especializados ao nível nacional e internacional; 7. Congressos, conferências, seminários e manifestações similares No que respeita à Responsabilidade Social e reconhecendo a sua elevada importância para a comunidade empresarial e para a sociedade em geral a AIP-CE tem, desde sempre e através de várias iniciativas, desenvolvido um esforço de dinamização da mesma. Orgulha-se de ter sido pioneira em Portugal na assunção do “desenvolvimento sustentável”, com a criação da Comissão para o Ambiente da AIP (CAIPA) em 1972. Esta Comissão evoluiu para o “Conselho Estratégico para o Ambiente” e encontra-se actualmente na estrutura orgânica da AIP. No espaço internacional tem acompanhando a evolução operacional e conceptual destas matérias, através dos grupos de trabalho similares e Organizações Internacionais como o BIAC, a UNICE, entre outras. A um nível mais operacional tem estado envolvida em vários projectos de Responsabilidade Social: internamente incorporando práticas socialmente responsáveis como por exemplo através do projecto “Solidariedade” (no campo da prevenção da toxicodependência e do alcoolismo) e a um nível externo através da realização de acções de formação, Conferências, Fóruns, Estudos, Projectos e Pareceres.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Helena Cristina Caiado Helena +351213601000 hcaiado@aip.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 10-03-2008 dot Top


SOCIUS - CENTRO ASSOCIATIVO DE INVESTIGAÇÃO EM SOCIOLOGIA ECONÓMICA E DAS ORGANI

(SOCIUS)
RUA MIGUEL LUPI, Nº 20
-
P-1249-078-LISBOA Lisboa
-

Tel:+351213951787
Fax:213951783
Email:IMCF@ISEG.UTL.PT

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:University / Research organisation
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:04-02-2008 /

Text available in

O SOCIUS – Centro de Investigação em Sociologia Económica e das Organizações – é uma unidade de investigação integrada no Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG) da Universidade Técnica de Lisboa, criada em Maio de 1991 por docentes e investigadores do ISEG e por outros elementos. É uma unidade de investigação acreditada pela Fundação para a Ciência e Tecnologia, e classificada como “Excelente” desde 1999, no âmbito do Programa de Financiamento Plurianual de Unidades de Investigação e Desenvolvimento da Fundação para a Ciência e Tecnologia. A sua principal área científica de actuação, ainda Sociologia Económica e das Organizações, é entendida numa acepção ampla que privilegia os múltiplos pontos de contacto entre a Sociologia e a Economia contemporâneas, e outras Ciências Sociais interessadas no estudo da realidade económica e organizacional



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Maria João Nicolau Santos Maria +351213951787 mjsantos@iseg.utl.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 10-03-2008 dot Top



 
 
 
 

 
 
 
 

 
 
 
 
Warning! This section is not meant to be read directly, but rather be navigated through from the main page above.
 
 
 
 

DESENVOLVIMENTO DA RESPONSABILIDADE SOCIAL DAS EMPRESAS EM PORTUGAL

Rationale

Text available in

- Oportunidades - Revisão da Estratégia de Lisboa - É aguardada uma nova comunicação da Comissão Europeia relativa à RSE - Um conjunto de países Europeus começam a regulamentar a RSE - Questiona-se a existência de um modelo Europeu de RSE - A RSE passou a fazer parte da agenda de muitas empresários/gestores - A produção de investigação/estudos nesta área intensificou-se - Os media começaram a cobrir esta temática de uma forma integrada - Relevãncia crescente dos projectos, parcerias, investigação em Responsabilidade Social. Ao nível europeu, esta preocupação está cada vez mais presente. - Cada vez maior escrutinio por parte dos consumidores, Estado e das Organizações da Sociedade Civil e movimentos sociais relativamente ao desempenho social e ambiental das empresas. - Potencialidades de inovação e de melhor adaptação das empresas e organizações da sociedade civil ao meio envolvente Pontos fortes - Movimentos associativos ligados à sustentabilidade/RSE cresceu de uma forma muito acelerada - Publicação de relatórios sociais aumentou para mais do dobro desde 2002 - Emissão do Parecer de Iniciativa sobre RSE pelo CES - Número de empresas envolvidas em acções de Filantropia/Marketing Social aumentou para o dobro - Número de empresas de consultoria sobre RSE aumentou exponencialmente - Introdução de uma cláusula sobre RSE no contrato tipo da UGT - Existência de actividades, de envolvimento na comunidade, em várias PME’s, ainda desenquadradas e pouco integradas, mas enquadráveis em contextos de responsabilidade social. - Abertura cada vez maior das ong às questões da responsabilidade social e da cidadania empresarial, há um número cada vez maior de parcerias entre empresas e ong. - Existência de programas de voluntariado empresarial em várias empresas , - Ameaças - Crise económica conjuntural - Falta de comunicação e divulgação da RSE. e das boas práticas - Falta de massa critica (universidades, investigação, ong, consumidores, movimentos sociais) para avaliar as estratégias de RS, fazer propostas, etc. - Tecido empresarial dominado por PME’s com empresários com baixos níveis de formação/qualificação - Opinião publica e consumidores pouco informados - Falta de sensibilização das ONG e das empresas para o envolvimento em parcerias - Falta de formação na área, e da integração nos cursos de gestão etc. Pontos fracos - Falta de informação sobre o tema - Pouca clarificação de conceitos e indicadores / certificação - Falta de formação dos gestores nesta questão, o que dificulta a integração da responsabilidade na estratégia das empresas - Falta de informação e formação das OSC e ONG para estas questões. - Falta de investigação nesta área por parte das universidades e centros de estudo - Falta de estratégias sinérgicas e integradas (organização interna, definição de politica de envolvimento etc.), das empresas e ong, para o envolvimento em parcerias - Não integração da RSE na estratégia da empresa, sendo considerada uma actividade à parte. - Inexistência de modelos refrenciais para o trabalho em parceria entre empresas e ong - Linguagem diversa– dificuldades de comunicação entre empresas e ONG - Valores e quadros de referência, objectivos diferentes, por vezes opostos

dot Top


Objective

Text available in

O Projecto “Desenvolvimento da RSE em Portugal” surge devido à necessidade crescente de instrumentalizar e criar referenciais para uma área, que sendo recente carece de maior sustentação e fundamentação. As actividades desenvolvidas neste âmbito têm como objectivo uma maior adesão das empresas a programas de luta contra a exclusão social e tendentes à integração no mercado de trabalho dos grupos de pessoas mais desfavorecidas. Por via de uma maior mobilização das empresas e da sua capacitação no dominio da RSE potencia-se uma maior intervenção ao nível da sustentabilidade, diversidade, igualdade de oportunidades e envolvimento na comunidade. Nesse sentido, o nosso projecto, decorrente de um diagnóstico de necessidades efectuado durante a acção 1, irá apostar nas seguintes actividades: - Formação de facilitadores para a RSE – que visa a formação de uma “massa critica” de pessoas que possam actuar como embaixadores para a RSE - Criação de modelo de redes locais para a RSE – tendo a RSE um impacto diferenciado a nível local e regional, aparece como fundamental a necessidade de criar um modelo referencial de redes que possa agregar as várias entidades locais (autarquias, empresas, ong, etc.) e integrar nesse modelo as várias especificidades locais, gerando desta forma um conjunto de respostas mais adequadas e eficazes. - ABC do Voluntariado empresarial qualificado – com esta actividade, pretende-se essencialmente fazer um levantamento nacional das competências chave necessárias e disponíveis a serem utilizadas em projectos de voluntariado, potenciando assim a eficácia destas iniciativas, para as empresas e para a comunidade. - Criação de código de conduta para empresas envolvidas na cooperação – sendo a RSE uma questão global, onde os valores da transparência e da coerência assumem um carácter primordial, torna-se fundamental criar um código de conduta que norteie as relações e actividades das empresas envolvidas na cooperação. Assim, com este projecto pretende-se actuar de uma forma transversal, envolvendo também empresas e academia no desenvolvimento das várias actividades, utilizando nesse sentido um conjunto de iniciativas “Seeing is Believing” como forma de incrementar a participação das partes interessadas, aumentando, desta forma, a sensibilização para este tema.

dot Top



Logo EQUAL

Home page
DP Search
TCA Search
Help
Set Language Order
Statistics