IMPORTANT LEGAL NOTICE
 

 Ali-Learning-Soluções e-Learning para o Sector Alimentar ascii version

Portugal

 
DP Managing organisation : SOCIEDADE PORTUGUESA DE INOVAÇÃO-CONSULTADORIA EMPRESARIAL E FOMENTO DA INOVAÇÃO
Other national partners : ANCIPA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE COMERCIANTES E INDUSTRIAIS DE PRODUTOS ALIMENTARES
Associação da Restauração e Similares de Portugal (ARESP)
Centro de Formação Profissional para o Sector Alimentar - CFPSA
Federação dos Sindicatos da Alimentação, Bebidas, Hotelaria e Turismo de Portuga
I Q F - INSTITUTO PARA A QUALIDADE NA FORMAÇÃO I P
EQUAL theme :Adaptability - Adaptation to change and NIT 
Type of DP :Sectoral - Industrial 
DP Legal status :Association without legal form 
DP identification :PT-2001-162 
Application phase :Approved for action 2 
Selection date :16-09-2002 
Last update :28-10-2005 
Monitoring: 2002   

Rationale

Text available in

The food processing industry is one of the main wealth and employment generators of the Portuguese industrial sector, involving in 1997 about 121 000 people (2.5% of the employable population) and generating a general turnover of 10 500 million euros (about 16.5% of the total Portuguese industrial production). Similar to most of the European countries, the food processing production is focused mainly on the national market. Considering the available data from 1997, less than 13% of the production was exported. Therefore, the 10 million consumers that represent the Portuguese inhabitants define the food processing market in Portugal. According to a study done by SPI for INOFOR, in 2001, focusing on the professional profiles and the training needs of the food sector ("Estudo de diagnóstico e prospectiva e caracterização de perfis profissionais para levantamento das necessidades de formação no sector agro-alimentar") the food processing industry has a lack of qualified workers, mainly at an intermediate level. Companies from this sector are facing difficulties in hiring or maintaining technicians with specific knowledge in certain areas. One strong possible solution is the implementation of e-Learning tools to train and sustain resources to support the sector in an efficient ongoing manner. By applying this new and innovative technology towards human resource development within individual companies a new knowledge base will be created which will provide a competitive advantage to the sector. According to the above stated study, the specific training needs for the agro-food sub-sector, in the short-term, are focused in the following areas: - Production with regard to promoting technical know-how including the different phases of the production cycle (primary processing, preparation, final processing and packaging), which represents a larger geographic dispersion. - Innovation, research and development in terms of integration of new specific competencies for the products and materials, new productive technologies, processes, as well as marketing and market knowledge. - Commercial/marketing, for the promotion of competencies related with technical and behavioural aspects of raw materials, products and customer management. - Maintenance with the aim of developing competencies adjusted to the needs of companies and to the different technology-based equipments. At this step, the specific training needs for this sector will be identified. - Marketing and Sales in what concerns language skills, marketing, negotiation, and client management. - Hygiene and safety in the sense of reinforcing qualifications and knowledge. - Quality with respect to increasing the available courses at a national level. - Upper Management in the areas of partnership and strategy management and develop competencies in foreign languages mainly English. In 1997 more than half of the workers within the food sector had a low level of education. The proportion of workers that finished high school was very small despite the fact that this proportion increased 1.6% from 1985 to 1997. In general terms, this industry has as its workforce workers with a low level of educational even though within the Portuguese general population the educational level has grown considerably in recent years. In the same sense, it is important to mention that the proportion of youths working in this industry has decreased 5.2%, thus representing 16.54% in 1997. Between 1985 and 1997, the 25 to 39 year old age group was the predominant group. The aging of the work force in the food sector is due to two tendencies: the decrease of the number of workers with less than 25 years of age and the increase of the group between 40 and 54 years of age. In what concerns to the female workforce, there is a progressive increase. In 1997, women represented about 46% of the total workforce of the sector. It is important to note that the sectors with higher proportions of women are those that require direct handling of products (fisheries processing fruits, vegetables). On the other hand, a male workforce dominates the sectors that require the use of new technologies or that require dealing with machinery. Within the first phase of the Ali-Learning project additional characteristics and needs of the food sector were identified that compliment the findings of the above stated study and further justify the project's objectives. These characteristics and needs are: § A low dissemination of technological resources, mainly in what concerns IT § A low level of skill with respect to technology § The inadequate training that workers receive at school when compared with the needs of the companies § The significant differences in skill according to a geographical basis § A predominance of Small and Micro Enterprises in the sector § The need to educate employers to the benefits of IT solutions § The need to train trainers and those responsible § The importance of the modules to address matters that are horizontal enough to cover the potential needs of the maximum number of companies in the sector. § The importance of e-learning solutions as an extremely relevant tool for life-long learning.

dot Top


Objective

Text available in

The final objective of the Ali-Learning project is to develop and test on-line devices focused on supporting self-training and e-Learning, in order to meet training needs identified in the food sector. The implementation of e-Learning solutions, adjusted to the short-term training needs of the food sector in Portugal, will allow continuous self-training and the sharing of knowledge and learning. The Ali-Learning project will contribute to the recognition and validation of the competencies acquired within an e-Learning environment, as well as to demonstrate the feasibility and technological and financial sustainability of training projects based on an e-Learning environment. In order to achieve these objectives, the following activities will be carried out: · Detailed analyses of the training needs and job profiles/sectors; · Selection of areas that are more suitable to the implementation of e-Learning solutions; · Definition of a training plan; · Identification of technological needs and resources to support the e-Learning solution; · Implementation of an effective e-Learning solution; · Development of products and resources, in order to support the training; · Experimental training; · Definition of training evaluation processes and their implementation; · Analysis of results and development of a feasibility and sustainability study that includes a financial analysis of the training project developed. This project will contribute in this way to the permanent reinforcement of the technical and scientific qualifications of the labor force, within the food sector, based on the implementation of pedagogical devices and e-Learning solutions.

dot Top


Innovation


Nature of the experimental activities to be implemented Rating
Guidance, counselling *
Training **
Training on work place ***
Job rotation and job sharing *
Integrated measures (pathway to integration) *
Training of teachers, trainers and staff **
Conception for training programs, certification ***
Anticipation of technical changes *
Work organisation, improvement of access to work places *
Awareness raising, information, publicity *

Type of innovation Rating
Process-oriented ***
Goal-oriented **
Context oriented *

Text available in

Tendo em conta a necessidade do colmatar falhas existentes na formação dos trabalhadores no sector alimentar em Portugal, é de primordial importância o desenvolvimento de soluções de aprendizagem, que permitam às empresas a optimização da performance dos seus colaboradores, tornando-as mais competitivas. O e-Learning abrange um conjunto amplo de métodos de aprendizagem que são realçados ou postos à disposição através da tecnologia. O carácter inovador do projecto Ali-Learning materializa-se na utilização de novas tecnologias para a criação de ambientes de e-Learning. O acesso "just-in-time" a informação actualizada, a ausência de obstáculos técnicos, tais como o acesso, o grau de conhecimento do público-alvo e as infra-estruturas, a economia substancial nos custos, a maior retenção de conteúdos através de formação personalizada e a uniformidade de assuntos, constituem importantes vantagens para a utilização deste sistema, apresentando uma forte conotação inovadora. Pretende-se com este projecto, para além de construir um referencial de informação estratégica socio-económica e profissional que possibilite o diagnóstico das necessidades de formação mais prioritárias, a definição de conteúdos de formação coerentes com essas necessidades e com as Novas Tecnologias de Informação e Comunicação e dispositivos de e-learning, testando os resultados obtidos. A SPI, neste projecto, funcionará como um nó activo de redes nacionais e internacionais ligadas à Inovação, tornando-se um promotor privilegiado de relações entre empresas, instituições do sistema científico e tecnológico, organizações nacionais públicas e privadas e instituições internacionais. A SPI terá a responsabilidade do desenvolvimento de módulos de e-learning inovadores adequados às necessidades de formação e do desenvolvimento de estratégias inovadoras de e-learning que melhor se adequem às necessidades e estruturas das empresas. Ao colocar a pesquisa e a inovação ao serviço do desenvolvimento de competências individuais e colectivas, o Inofor pretende, como parceiro neste projecto, contribuir para a modernização da economia, a competitividade das empresas, da equidade social e da racionalização, estruturação e qualidade do sistema de formação. As suas contribuições neste projecto abrangem a partilha de modelos, metodologias e soluções organizacionais inovadoras. Sendo um dos grandes objectivos do CFPSA a modernização e inovação no sector alimentar, a sua contribuição neste projecto irá no sentido de ajudar a desenvolver e testar novas formas de formação, que sejam consideradas com valor acrescentado para o sector. Sendo o e-learning um conceito inovador, no âmbito deste projecto, quer os sindicatos quer as associações empresariais, ao actuarem como elo de ligação com as empresas e grupos-alvo terão de utilizar formas de acção inovadoras de forma a conseguirem contribuir para que se alcancem os resultados pretendidos.

dot Top


Budget Action 2

250 000 – 500 000 €

dot Top


Beneficiaries


Assistance to persons 
Unemployed  0.0%  0.0% 
Employed  41.7%  58.3% 
Others (without status, social beneficiaries...)  0.0%  0.0% 
  100.0% 
 
Migrants, ethnic minorities, …  3.8%  3.8% 
Asylum seekers  0.0%  0.0% 
Population not migrant and not asylum seeker  37.9%  54.5% 
  100.0%
 
Physical Impairment  0.0%  0.0% 
Mental Impairment  0.0%  0.0% 
Mental Illness  0.0%  0.0% 
Population not suffering from a disability  41.7%  58.3% 
  100.0% 
 
Substance abusers 0.0%  0.0% 
Homeless  0.0%  0.0% 
(Ex-)prisoners  0.0%  0.0% 
Other discriminated (religion, sexual orientation)  0.0%  0.0% 
Without such specific discriminations  41.7%  58.3% 
  100.0% 
 
< 25 year  6.0%  9.1% 
25 - 50 year  29.5%  40.2% 
> 50 year  6.1%  9.1% 
   100.0% 

Assistance to structures and systems and accompanying measures Rating
Gender discrimination *
Discrimination and inequality in employment *
Low qualification ***
Unemployment *

dot Top


Empowerment

 

 With beneficiaries

Participation
Promoting individual empowerment
Developing collective responsibility and capacity for action
Participation in the project design
Participation in running and evaluating activities
Changing attitudes and behavior of key actors

 

 Between national partners

N.C.

dot Top


Transnationality

 

 Linguistic skills

  • português
  • português
  • English
  • español (castellano)

 Percentage of the budget for transnational activities

  • 0.1%

 Transnational Co-operation Partnerships

Transnational Co-operation Agreement DPs involved
2018 eFOOD BEfr 38
FR RAL-2001-10789
FR RAL-2001-10964
NL 2001/EQF/0005
SE 35

dot Top


Background

 

 Involvment in previous EU programmes

  • Two and more partners involved in A&E

dot Top


National Partners


Partner To be contacted for
SOCIEDADE PORTUGUESA DE INOVAÇÃO-CONSULTADORIA EMPRESARIAL E FOMENTO DA INOVAÇÃO Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Evaluation
Transnational partnership
ANCIPA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE COMERCIANTES E INDUSTRIAIS DE PRODUTOS ALIMENTARES
Associação da Restauração e Similares de Portugal (ARESP)
Centro de Formação Profissional para o Sector Alimentar - CFPSA Monitoring, data collection
Federação dos Sindicatos da Alimentação, Bebidas, Hotelaria e Turismo de Portuga
I Q F - INSTITUTO PARA A QUALIDADE NA FORMAÇÃO I P

dot Top


Agreement Summary

Text available in

SPI will have as its main responsibility the development of the e-learning modules. Therefore, SPI will be in charge of developing the module specifications, the modules in their entirety, the project web-site, complementary materials, the implementation strategy and defining criteria for evaluation. In the final phases of the project SPI will also be responsible for analyzing the results, elaborating a training program for the food sector and conducting a viability study for e-learning solutions in the sector. CFPSA will be the partner responsible for the development of an effective training program and for the implementation of the training modules developed. Together with ARESP, ANCIPA and FESAHT, CFPSA will provide the link between the technical solution developed by SPI and the target groups. CFPSA will also participate in several other activities of which it is not the responsible partner. The responsibilities of INOFOR in this project are mainly in the dissemination activities, where INOFOR will use its infrastructure and know-how to disseminate the project results. INOFOR will also participate in other activities as an additional resource for guidance. ARESP will be responsible for the selection of 6 groups of 12 trainees: 3 groups representing labor-intensive positions and another 3 groups representing intermediate and technical positions. ARESP will work as a permanent link between the trainees and the other project partners in what concerns these groups. ARESP will also participate in other activities of which it is not the responsible partner. ANCIPA and FESAHT will be responsible for the selection of 3 groups of 12 trainees representing labou intensive positions (FESAHT) and intermediate and technical positions (ANCIPA). Both will work as a permanent link between the trainees and the other project partners in what concerns these groups. Both will also participate in other activities of which it is not the responsible partner.

Last update: 28-10-2005 dot Top


SOCIEDADE PORTUGUESA DE INOVAÇÃO-CONSULTADORIA EMPRESARIAL E FOMENTO DA INOVAÇÃO

(SPI)
RUA JÚLIO DINIS, 242 - 2º - SALA 208
-
P-4050-318-PORTO Porto

Tel:+351226076400
Fax:226099164
Email:augustomedina@spi.pt

 
Responsibility in the DP: Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Evaluation
Transnational partnership
Type of organisation:Structure created to manage the DP
Legal status:Private
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE PORTO
Date of joining / leaving:13-07-2004 /

Text available in

Tendo sido constituída para ser um promotor privilegiado de ligações entre empresas, instituições de Ciência e Tecnologia, organizações nacionais públicas e privadas e organizações internacionais, a SPI procurou posicionar-se como um conceito inovador de interface, situada na órbita empresarial. A SPI tem como Missão oferecer serviços de consultadoria de alta qualidade, nas áreas da gestão de projectos e da formação, que fomentem a Inovação e promovam a Internacionalização, recorrendo, sempre que conveniente, à criação de parcerias estratégicas. Desde a sua criação a SPI realizou diferentes projectos, os quais podem ser agrupados em diferentes áreas de intervenção: - Fomento da inovação; -Transferência de tecnologia; -Promoção da internacionalização; -Criação de alianças e parcerias estratégicas; -Realização de estudos sectoriais; -Qualificação de recursos humanos; -Avaliação de programas ou projectos.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Augusto Eduardo Guimaraes de Medina Augusto +351226099164 augustomedina@spi.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 28-10-2005 dot Top


ANCIPA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE COMERCIANTES E INDUSTRIAIS DE PRODUTOS ALIMENTARES

(ANCIPA)
LARGO DE SÃO SEBASTIÃO DA PEDREIRA, 31 - 1º
-
P-1050-205-LISBOA Lisboa
-

Tel:+351213528803
Fax:213154665
Email:

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Employers' organisation
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:14-07-2004 /

Text available in

A ANCIPA associa, a nível nacional, mais de meio milhar de industriais e comerciantes do sector alimentar, com especial destaque para os seguintes: · Aditivos e Melhorantes para Pastelaria e Panificação; · Alimentos Pré-cozinhados; · Aperitivos, Batata Frita e Similares; · Azeitonas em conserva; · Confeitaria e Frutas Conservadas; · Hortofrutículas Transformados; · Pastelaria; · Pescado Congelado; · Horticulas Congelados; · Fabrico de Gelo e Entrepostos Frigoríficos. Tem por fim, o estudo e defesa dos interesses relativos os seus Associados competindo-lhe, para tanto, promover e praticar tudo quanto possa contribuir para o seu progresso técnico, económico e social. Tem por fim, o estudo e defesa dos interesses relativos os seus Associados competindo-lhe, para tanto, promover e praticar tudo quanto possa contribuir para o seu progresso técnico, económico e social. a) Visando, directamente os seus Associados – através de acções dirigidas às respectivas Empresas, nomeadamente: · Acções de formação e sessões de esclarecimento, sendo uma entidade acreditada pelo INOFOR, · Apoio directo/pessoal à actividade das empresas ( no plano jurídico, em que se destaca a negociação de convenções colectivas de trabalho –“CCT”, no técnico, no económico, etc.). · Realização de vários estudos de âmbito estratégico, destinados a identificar oportunidades e estrangulamentos de incidência sectorial e sub-sectorial, com vista garantir e desenvolver a competitividade das empresas, b) Desenvolvendo e institucionalizando o seu relacionamento externo, a nível público e privado, recorrendo à negociação de protocolos de colaboração, participando em diversos Grupos de Trabalho, Comissões Técnicas no âmbito da Normalização, etc. - Pertence ao CNQ – Conselho Nacional da Qualidade e a diversas Comissões Consultivas e está inscrita emduas Federações uma nacional e outra internacional. c) Promovendo a sua imagem e a dos seus Associados, através de várias formas de comunicação: · Edita uma publicação – “ANCIPA INFORMAÇÃO” · Participa em Feiras, · Publica diversos artigos.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Domitilia Lopes de Almeida Domitilia +351213528803 ancipa@netcabo.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 28-10-2005 dot Top


Associação da Restauração e Similares de Portugal (ARESP)

(-)
Avenida Duque de Ávila, 75
-
P-1049-011-LISBOA Lisboa

Tel:+35121 352 70 60
Fax:21 354 94 28
Email:aresp@aresp.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Employers' organisation
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:29-08-2002 /

Text available in

Ao longo de mais de um século de existência, a Associação fortaleceu-se e tornou-se na maior Associação Empresarial do País, que actualmente integra e representa seis subsectores de actividade, a saber: a) Restaurantes; snack - bares; self - services; cervejarias; marisqueiras e estabelecimentos similares; b) Casa de pasto e outros estabelecimentos equiparados de comidas e de vinhos, seja qual for a designação que lhes corresponda; c) Cafés, pastelarias, padarias, confeitarias, casas de chá, cafetarias, leitarias, geladarias, esplanadas e estabelecimentos similares; d) Casas típicas, dancings, salas de dança, cabarets, boîtes, bares, bares-boîtes, discotecas e estabelecimentos similares; e) Concessionários de restauração e alimentação colectiva, cantinas, refeitórios, fábricas de refeições e abastecedoras de aeronaves; f) Fast-food e estabelecimentos similares.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
José Manuel Esteves José +351213527060 (Unknown) Entity contact person responsable for this project

Last update: 28-10-2005 dot Top


Centro de Formação Profissional para o Sector Alimentar - CFPSA

(CFPSA)
Avª 25 de Abril 32 - B
-
P-1679-015-PONTINHA Odivelas
-

Tel:+351214789500
Fax:214796120
Email:-

 
Responsibility in the DP: Monitoring, data collection
Type of organisation:Education / training organisation
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:13-07-2004 /

Text available in

O CFPSA é uma instituição de ensino vocacionada e acreditada, desde 6 de Março de 1998 pelo Ministério do Trabalho e da Solidariedade Proc nº 1393, para desenvolver acções de aperfeiçoamento e especialização, destinadas a jovens à procura do primeiro emprego, e acções de aperfeiçoamento e especialização, destinada a profissionais do sector. O apoio técnico e pedagógico a empresas que o solicitem e que possuam meios humanos e materiais que lhes permitam criar estruturas próprias para a formação do seu pessoal é outra das atribuições do centro. Promovendo cursosnas áreas de carnes, controlo de qualidade Agro-alimentar, Gestão Alimentar, Frio, Geladaria, Panificação, Pastelaria, Restauraçao e Turismo, a acção da CFPSA não se restinge contudo à formação de profissionais. Os seus grandes objectivos são também a modernização do sector alimentar e a exigência, junto das autoridades, de melhores condições de higiene e funcionalidade nos locais de trabalho e de atendimento público.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Vanda Maria Marques Cristão Vanda +351214789500 cfpsaadj@hotmail.com Entity contact person responsable for this project

Last update: 28-10-2005 dot Top


Federação dos Sindicatos da Alimentação, Bebidas, Hotelaria e Turismo de Portuga

(FESAHT)
Páteo do Salema 4, 3º
-
P-1150-062-LISBOA Lisboa
-

Tel:+351218874895
Fax:218870510
Email:fesaht@ip.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Trade Union
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:14-07-2004 /

Text available in

A FESAHT - Federação dos Sindicatos da Alimentação, Bebidas, Hotelaria e Turismo de Portugal é a associação sindical constituída pelos sindicatos representativos dos trabalhadores que exercem a sua actividade nos sectores das abastecedoras de aeronaves, agências de viagens, alimentação, agricultura, alojamento, bebidas, cantinas, refeitórios e fábricas de refeições, jogo, restauração, tabacos, saúde e actividades sociais. A FESAHT exerce a sua actividade em todo o território nacional e tem a sua sede em Lisboa. A FESAHT faz parte da estrutura da Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses - Intersindical Nacional, como associação sindical intermédia de direcção e coordenação da actividade sindical nos sectores acima referidos. (Artigos 1º, 2º,3º e 12º dos Estatutos) A FESAHT tem por objectivos, em especial: - Organizar os trabalhadores para a defesa dos seus direitos colectivos e individuais; - Promover, organizar e apoiar acções conducentes à satisfação das reivindicações dos trabalhadores, de acordo com a sua vontade democrática; - Alicerçar a solidariedade e unidade entre todos os trabalhadores, desenvolvendo a sua consciência democrática, de classe, sindical e política; - Desenvolver um sindicalismo de intervenção e transformação com a participação dos trabalhadores na luta pela sua emancipação e pela construção de uma sociedade mais justa e fraterna sem exploração do homem pelo homem; - Desenvolver contactos e/ou cooperação com as organizações sindicais dos outros países e internacionais e, consequentemente, a solidariedade entre todos os trabalhadores do mundo, na base do respeito pelo princípio da independência de cada organização. (Artigo 13º dos Estatutos)



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Manuel Furtado Manuel +351218874895 fesaht@fesaht.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 28-10-2005 dot Top


I Q F - INSTITUTO PARA A QUALIDADE NA FORMAÇÃO I P

(-)
Av. Almirante Reis, N.º 72
-
P-1150-020-LISBOA Lisboa

Tel:+35121 810 7000
Fax:
Email:-

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Employment services
Legal status:Public organisation
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:29-08-2002 /

Text available in

O INOFOR visa introduzir inovação no sistema de formação profissional e contribuir para uma maior qualidade e profissionalização da oferta formativa e dos modelos de valorização de recursos humanos. Intervém, assim, na racionalização, estruturação e qualidade do sistema de formação profissional; desenvolve uma política de investigação que associa a pesquisa e a inovação à acção; e procura multiplicar e difundir modelos, metodologias e soluções organizativas e formativas. Colocando a pesquisa e a inovação ao serviço do desenvolvimento de competências individuais e colectivas, o Inofor pretende contribuir para a modernização da economia, a competitividade das empresas, a equidade social e a racionalização, estruturação e qualidade do sistema de formação. Estes factores de qualidade são estimulados e promovidos pelo no quadro de uma política de parcerias e de trabalho em rede, envolvendo actores nas áreas da educação, da formação e do emprego em contextos de relação interactiva.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Carina Maria Rosa Américo Baptista Carina +351218107000 (Unknown) Entity contact person responsable for this project

Last update: 28-10-2005 dot Top



 
 
 
 

 
 
 
 

 
 
 
 
Warning! This section is not meant to be read directly, but rather be navigated through from the main page above.
 
 
 
 

ALI-LEARNING-SOLUCOES E-LEARNING PARA O SECTOR ALIMENTAR

Rationale

Text available in

A indústria Agro-Alimentar é um dos principais geradores de riqueza e de emprego da indústria transformadora nacional, ocupando em 1997 aproximadamente 121 mil pessoas (2,5% do total da população activa) e gerando um volume de negócios da ordem dos 2099 milhões de contos, cerca de 16,4% do total da indústria transformadora nacional. Estes dados colocam a indústria Agro-Alimentar à frente das indústrias transformadoras Portuguesas. A produção agro-industrial Portuguesa encontra-se, à semelhança do que passa nos países da União Europeia, vocacionada essencialmente para o mercado nacional. Tomando como base os dados de 1997, de um volume de negócios total de 2099 milhões de contos, as saídas foram de apenas 271 milhões de contos, ou seja, menos de 12,9%. O mercado da indústria Agro-Alimentar Portuguesa é assim constituído essencialmente pelos cerca de 10 milhões de consumidores que habitam o território nacional, pelo que a dimensão do mercado conjugado com os hábitos, preferências, tendências, expectativas e poder de compra dos consumidores Portugueses, condicionam as oportunidades da grande maioria das empresas agro-alimentares nacionais. De acordo com o "Estudo de diagnóstico e prospectiva e caracterização de perfis profissionais para levantamento das necessidades de formação no sector agro-alimentar", 2001, as necessidades de formação profissional especificamente orientadas para o sector num curto prazo são as seguintes: Desenvolvimento de formação contínua orientada para as especificidades do sector, no sentido da complementaridade da formação técnica de base, nas áreas: · Comercial e marketing para o desenvolvimento de competências em línguas, em especial o inglês, técnicas de marketing, técnicas de negociação, gestão de clientes, características técnicas e comportamentais de produtos alimentares, bebidas e tabaco, qualidade e normalização; · Gestão de topo, para reforço de competências de gestão estratégica, gestão de parcerias e desenvolvimento de competências em línguas (especialmente o Inglês); · Inovação, investigação e desenvolvimento para reforço das acções das competências destes profissionais ao nível das características técnicas dos produtos alimentares, bebidas e tabaco, das matérias primas e produtos intermédios e das tecnologias e instrumentos e ferramentas produtivas; · Higiene e segurança, para reforço das qualificações nesta área; · Qualidade, para alargamento da formação já existente ao nível de todo o território nacional. Desenvolvimento da formação profissional, de base alargada, para as áreas: · Produção com o intuito de promover saberes-fazer técnicos englobando um conjunto de fases do ciclo produtivo (transformação primária, preparação, transformação final e embalamento/enchimento) com maior dispersão geográfica. · Inovação, investigação e desenvolvimento, procurando integrar um conjunto de novas competências específicas aos materiais e produtos do sector, às novas tecnologias produtivas, aos processos produtivos das indústrias agro-alimentares, bem como noções gerais de marketing e mercado. · Comercial/marketing, para promoção das competências relacionadas com as características técnicas e comportamentais das matérias-primas e produtos e gestão de clientes. · Manutenção com o objectivo de desenvolver competências adequadas às necessidades das empresas do sector e aos equipamentos de diferentes bases tecnológicas. Relativamente à estrutura do emprego, de acordo com o mesmo estudo, em 1997, mais de metade dos trabalhadores do sector agro-alimentar possuía habilitações escolares iguais ou inferiores ao 1º ciclo. Contrariamente, a presença de trabalhadores com níveis escolares superiores ao ensino secundário é muito reduzida, apesar de se ter registado um aumento de cerca de 1,6 pontos percentuais, entre 1985 e 1997. Atente-se, que esta indústria se caracteriza por um nível habilitacional baixo, apesar da evolução positiva das qualificações académicas, e que acompanha o aumento dos níveis escolares da população portuguesa, como resultado do aumento dos níveis de escolaridade obrigatória, acréscimo da oferta escolar e na elevação do tempo de frequência no ensino. Será de destacar no entanto que em alguns sub-sectores, como o da Produção de óleos e gorduras animais e vegetais, existiu um aumento do peso de quadros médios e superiores e de profissionais altamente qualificados. De igual forma, é importante salientar que a taxa de emprego jovem registou um decréscimo de 5,2 pontos percentuais, situando-se nos 16,54% em 1997. No que diz respeito à evolução por grupos etários, constata-se que, no período em análise (1985 a 1997), mantém-se a predominância de trabalhadores com idades compreendidas entre os 25 e os 39 anos. No entanto, verifica-se um progressivo envelhecimento da estrutura do emprego na indústria Agro-alimentar expresso em duas tendências paralelas: por um lado, a progressiva diminuição de trabalhadores com menos de 25 anos e, por outro lado, o aumento do grupo dos 40-54 anos. Com efeito, a indústria Agro-alimentar tem, paulatinamente, diminuído a sua atractividade ao emprego jovem. Relativamente à taxa de feminização, constata-se um progressivo crescimento do peso da mão-de-obra feminina, na ordem dos 5 pontos percentuais, embora não seja dominante na composição dos trabalhadores do sector, representando cerca de 45,57% do total. Com efeito, e no que se refere à distribuição de trabalhadores por sexos, é possível distinguir os sub-sectores Agro-alimentares. Por um lado, os que ao longo do processo produtivo exigem um manuseamento directo dos produtos, tais como a Indústria transformadora da pesca e da aquacultura, a Indústria de conservação de frutos e produtos hortícolas, são marcados pelo predomínio de mão-de-obra feminina. Por outro, os que se caracterizam pelo elevado recurso a Novas Tecnologias, em que os trabalhadores têm como função operar uma máquina, não contactando directamente com o produto, são dominados pela mão-de-obra masculina. No que concerne à taxa de baixa antiguidade, que é um indicador do tempo médio de permanência dos recursos humanos numa posição laboral, evidencia-se uma ligeira oscilação, assumindo, em 1997, valores na ordem dos 44,49%, mais 2,4 pontos percentuais relativamente a 1985, o que indicia que o sector tem diminuído a sua capacidade de reter os seus recursos humanos, traduzindo uma maior precaridade e mobilidade do emprego no sector. No decorrer do workshop e das reuniões com sindicatos e associações empresariais realizadas no âmbito da primeira fase deste projecto, para além das características deste sector, acima mencionadas foram ainda focados outros pontos de importância significativa para o desenvolvimento deste projecto sendo os mais relevantes: 1. A baixa disseminação de recursos tecnológicos nas empresas do sector 2. A reduzida competência da generalidade dos trabalhadores dos sector na utilização de recursos informáticos 3. As diferenças nas realidades do universo formativo do sector alimentar de acordo com a localização geográfica (sobretudo litoral/interior) a nível nacional 4. A predominância das micro, pequenas e médias empresas no sector 5. A importância da definição das empresas-alvo, sendo que no sector da restauração as cadeias de fast-food e de restauração colectiva seriam aquelas onde o projecto poderia ter uma mais fácil implementação, embora o desafio, nesse caso, fosse menos interessante e os resultados menos expressivos 6. A necessidade de sensibilizar as entidades patronais para a formação e envolvê-las no processo desde o início 7. A necessidade de sensibilizar as entidades patronais para o uso das TIC 8. A necessidade de aferir a disponibilidade de tempo por parte dos formandos 9. A necessidade de formar formadores (pelo menos numa 1ª fase) 10. A falta de adequação dos ensinamentos obtidos a nível escolar às verdadeiras necessidades das empresas (notada sobretudo entre os contratados mais jovens) 11. A relevância do e-Learning como facilitador da formação contínua ao longo da vida 12. A relevância de os módulos a desenvolver abrangerem temáticas suficientemente horizontais para serem do interesse dos vários actores do sector (ex: higiene e segurança no trabalho) Atendendo a todo este conjunto de factores, é realçada a necessidade de desenvolvimento de soluções de aprendizagem, que permitam melhorar as competências dos colaboradores das empresas, tornando as empresas do sector alimentar mais competitivas. Como foi referido anteriormente, o projecto Ali-Learning pretende assim assumir-se como instrumento de apoio à auto-formação e à realização de formação à distância no sentido de colmatar necessidades de formação no sector agro-alimentar, tendo em consideração as características específicas do sector.

dot Top


Objective

Text available in

O objectivo final do projecto Ali-Learning consiste em desenvolver e testar dispositivos on-line de apoio à auto-formação e à realização de formação via e-Learning para responder a necessidades de formação identificadas no sector alimentar. Tendo em conta a necessidade do colmatar falhas existentes na formação dos trabalhadores no sector alimentar em Portugal, é de primordial importância o desenvolvimento de soluções de aprendizagem, que permitam às empresas a optimização da performance dos seus colaboradores, tornando-as mais competitivas. A criação de soluções de e-Learning, com conteúdos ajustados às necessidades de formação de curto prazo deste sector, irá permitir a constituição de uma rede que irá permitir a auto-formação contínua e a partilha do conhecimento. Pretende-se com este projecto, que se veja reforçada a competitividade do sector alimentar em Portugal por via do reforço da capacidade e das competências técnicas dos recursos humanos; Este reforço de competências deverá ser feito através da partilha do conhecimento específico e à aprendizagem de novas técnicas por via de soluções de e-Learning e novos dispositivos pedagógicos orientados para o sector alimentar; Simultaneamente, pretende-se que no final do projecto esteja desenvolvido um conjunto de instrumentos e materiais que possam contribuir para a verificação da sustentabilidade organizativa, técnica e financeira da implementação com sucesso de soluções de e-learning nas empresas;

dot Top



Logo EQUAL

Home page
DP Search
TCA Search
Help
Set Language Order
Statistics