IMPORTANT LEGAL NOTICE
 

 FORTIC ascii version

Portugal

 
DP Managing organisation : FORINO - Associação para a Escola de Novas Tecnologias
Other national partners : ANETIE - Associação Nacional Empresas Tecnologias de Informação e Electrónica
CERTICARTA - Formação Informática, Lda.
LPDM Centro de Recursos Sociais
Portugal Telecom Inovação, SA
R.T.F. - Rede Tecnológica de Formação, Lda.
EQUAL theme :Adaptability - Adaptation to change and NIT 
Type of DP :Sectoral - Specific discrimination and inequality problems 
DP Legal status :Association without legal form 
DP identification :PT-2001-087 
Application phase :Project ended 
Selection date :11-09-2002 
Last update :09-10-2007 
Monitoring: 2002  2003   

Rationale

Text available in

Difficulties felt by disabled people formation and integration entities were approached in meetings promoted by the Rede Regional para o Emprego da Grande Lisboa. It was also confirmed the necessity to develop teachers skills who will train them and consequently to enrich their students' skills in such a way that they can find a market place according to their skills. It's important to point out same necessity when we refer to disabled people who suffered a transport or working accident when adults, and so the integration of these people has different features. Nowadays there's no reason for disabled person, in spite of its special needs, being left aside of new technologies since computer science revolution and telecommunications can be important tools to help people's work. Quality of life is improved throughout communication, access to computers and it also makes the person be integrated at work. Concerning employment for disabled people is an actual subject. In fact, not only several governmental campaigns were organised but diversified measures of support were also created by IEFP and/or FSE. Despite changes of mentality we can recognize today that unfortunately disabled people haven't the same opportunities concerning active life in society and for those who are employed integration level is not satisfactory. OED, entity that helps disabled people to be integrated in labour, organised two studies (in close collaboration with LPDMCRS, IEFP and CML) aiming its increasing knowledge on the problem of the disabled person's professional integration. One of the studies was about the features of the disabled people who are professionally integrated and the labour reality and another one with the aim of analysing the profile of the person who employs disabled people in his company. Both studies were published in Sep/00, and we could verify that even for people who fight for the equality of opportunities there is an inequality of gender: 60% of the disabled people who exercise a professional activity are of the male sex. Throughout the work entitled " Professional Profile of Disabled Person " it was concluded that part of the success of growth of the indexes of disabled people's employment is due to a larger investment of them in case of training programmes and some tendency to abdicate social protection in order to have a more active participation - 85% had already attended professional training programmes and the most attended formation is the one related to the office (33% are employed in this area) and there are some who have specific formations in Photography, Tourism, Public Relation and Computers. There are two curious details, in spite of not being directly related to the diagnosis itself: 89% of the interviewees state that they work as it is needed to survive, 74% of the people work in order to feel useful. There's a tendency to be independent of the social protection (pensions, state retirement pension, etc) and we can clearly see the will to be considered as equal/normal as any other person. Through the work we elaborated we can define the profile of the employee. It is a young person, male sex, between 20-29 years old of age, single, suffered an accident and so is disabled, and has completed the secondary school studies. It is also a motivated professional, and an organized, dynamic, observer, malleable and curious person. This person has some professional training courses attended and now he is working for the first time or he has been working for 1-5 years. He has a contract (with or without a date of its conclusion). This person has a normal working timetable, earns a small salary, his rhythm of work is satisfactory, what the other people demand from his work is not too much. On the other hand company where he works for does not have some measures in order to facilitate the integration of the disabled people, apparently because it is not necessary. His colleagues treat him very well in the same way as they treat any other colleagues, but he says that they are all very helpful, affectionate and some of them are curious. The second study about the profile of the employer defines this one as a male sex person between 30-39 years old, married and concluded the secondary school studies. This person attended training courses related to his job and he has some experience obtained previously on function of coordination. Considers himself an understanding person at work, tolerant and accepts challenges. Main reasons for employing disabled people are the will of working motivation, good human relationship, professional skills and incentive payments. Employers thinks that it is the productivity in the work place, which is not adapted for the disabled, and the problems of integration can be the obstacles to the integration of the disabled people. However the studies elaborated did not totally achieve their main goals. Through four different types of questionnaires we can conclude that the disabled people don't have any access to specific formation concerning computers science (TIC) and companies of this sector are ready to accept and later integrate disabled people with technical knowledge of this area. The questionnaires, which evolved institutions supporting disabled people were made in LPDM (PD), Crinabel e Cercica and the other questionnaire was made for companies which work for Pólo Tecnológico de Lisboa. The questionnaire directed to the 155 disabled youngsters to find out the kind of contact these people had with training courses, computers and with the labour market. Through this questionnaire 79% of the interviewees had already worked with computers (95% without any helps), 17% use the computer daily and 22% can use the word processor by themselves, in spite of 27% only turn on the computer in order to play. >From the group of disabled who were inquired, 75% of them have some difficulty in the learning process and among the 94% of those who attend a training course, only 20% were taught to use word processor and paint program. However 97% of them are not working and 70% consider that it will be easier to find a job if they know how to work with a computer. There are still those who point out the difficulties they feel when they look for a job, when people require experience for example and there are some companies, which do not accept disabled people. We can conclude through this questionnaire that there is a lack of opportunities for these people and it is very important for them to get some training which might be suitable to the needs of the labour market. There were 46 questionnaires elaborated in order to verify the knowledge the teachers who teach in some institutions of rehabilitation could have on computer science. The result was not the best. We divided the knowledge of the several tools (window, excel, access, word, etc.) into 4 levels: basic, satisfactory, good and without any knowledge. 66% the teachers do not have any knowledge of computer science (in this case windows, word, excel, etc.), 18% only have basic knowledge, 11% feel that their knowledge is considered satisfactory and only 5% state that their knowledge is good. No wonder that 89% of the teachers do not have any knowledge of specific programmes or 67% do not know how to work with Access and Excel - these tools are used for specific tasks. 70% do not use electronic mail at work and only 9% of the teacher say that they can use it satisfactorily. 63% of these people never used Internet for researching or just to clarify a doubt (7% say that their knowledge of Internet is satisfactory) and 46% will never use the word processor because they do not know how to work with it. 22% of the teachers have some knowledge of Windows, which is considered satisfactory, 20% of Word, 13% of Excel. However 85% of the interviewees would like to increase the computer science knowledge and they would also like to teach it to their students. The inquiry conducted to the institutions which accept disabled people proved that at this moment from 165 of the disabled who are having formation, 32 are working in several areas such as: laundry, gardening, carpentry, sewing, graphic arts, civil services, etc. On an average 45 of these people have practical training in a company, and 23 of them are later employed. On the other hand, the employers point out that the reasons for this number are related to the rhythm of work of the disabled people, to the unsuitableness of the contents of their degrees compared to the demands of the labour market and the way how the companies are badly informed about this. However all the institutions consider useful, relevant and possible the study of computer science in the curriculum of the disabled people's degrees. Concerning the 19 companies, whose questionnaire was elaborated in order to identify the difficulties felt or not by disabled people when working and the level of acceptability by the employers, it was concluded that 89% of the companies are ready to integrated a disabled person in their working staff, 33% because of their competence, 18% by their motivation and devotion, 11% by their citizenship at work - 23% consider that the success of the integration is related to the place of work and 21% by their productivity. 18% of the employers point out that the places of work, which are not suitable for disabled people and the lack of professional training might be obstacles for the professional integration of a disabled person. 16% consider this professional integration vital for the success of the integration itself and 74% of the interviewees think that disabled people will certainly succeed if they have computer science knowledge specially in microcomputer, TIC, interpersonal communication / personal development and a good atmosphere at work (25%). This study will have a final report where you can find the questionnaires which we elaborated as well as the statistics.

dot Top


Objective

Text available in

The Project will include the following: · Promoting vocational guidance, training and job market inclusion in the area of Education and Information Technologies not only to disabled people but also to those who run the risk of being excluded for lack of basic skills. On the other hand it will also provide guidance and training to their facilitators and training teachers; · Developing new solutions, on-line patterns and devices able to support self-training and training at a distance; · Training and certifying the trainees' competences in the area of Information Technologies as a means of reaching further training, knowledge and work; · Training and certifying target groups in behaviour matters, languages and call centres in order to attain the job market; · Mobilizing and involving companies in this project as to supply their specific needs and warrant trainees employment; Aiming to achieve the objectives mentioned above, it is intended: · to give training and inclusion proceedings in the job market a proper value, increasing the quality of work and target group's adjustment to the existing market so as to overcome their real difficulties in this area; · to improve conditions of specialization not only of training teachers but also of Companies facilitators who welcome disabled people in different areas such as Information Technologies, Languages or Contact Centres; · to create and promote trainees certification in order to integrate them into Contact Centres and consequently into active life; · to create and promote the certification of training teachers/ facilitators so that organizing procedures may be improved; · to promote different training post methodologies in active life throughout a training in the working context - included in the training project.

dot Top


Innovation


Nature of the experimental activities to be implemented Rating
Guidance, counselling **
Training ***
Training on work place **
Work placement **
Employment creation and support **
Training of teachers, trainers and staff **
Conception for training programs, certification ***
Guidance and social services *
Awareness raising, information, publicity **
Studies and analysis of discrimination features **

Type of innovation Rating
Process-oriented ***
Goal-oriented **
Context oriented **

Text available in

Como elementos inovadores e valor acrescentado do projecto destacamos: · Desenvolvimento da formação, adaptada às necessidades do GA, utilizando metodologia e-Learning; · Metodologias, conteúdos e actividades do projecto resultantes da articulação entre sectores muito diferentes, que habitualmente não trabalham em conjunto; · Aplicação de um Padrão de Competências Internacional na área das TIC a um GA com características específicas; · Criação, promoção e implementação, em parceria com empresas TIE, de um modelo de certificação de competências para o mercado emergente dos centros de contacto; · Desenvolvimento da formação para pessoas com deficiência, em estreita ligação com o sector empresarial, resultando num considerável aumento da empregabilidade, inclusivamente em regime de Teletrabalho; · Desenvolvimento de formação para Formadores e Facilitadores de Instituições que acolhem pessoas com deficiência, com vista à aquisição de competências em TIC e no mercado emergente dos centros de contacto, com vista à replicação do Projecto; · O envolvimento durante todo o projecto não só das PD como também de associações que acolhem pessoas com deficiência e empresas potenciais receptoras de estagiários, com quem foram já celebrados Protocolos de Colaboração. · As empresas que participarem neste projecto contribuirão para a inovação do sistema de trabalho, proporcionando novas oportunidades de acesso ao mercado de trabalho do GA. Especificamente, a contribuição de cada PD é: · A FORINO contribui com a sua experiência e conhecimento no domínio da formação em TIC e integração de jovens na vida activa; · A LPDM dispõe de uma experiência acumulada no domínio das necessidades especiais de uma população com deficiência, nomeadamente nas áreas de formação profissional e emprego, bem como dos profissionais intervenientes neste sector; · A CERTICARTA contibui com a promoção da certificação de competências em TIC para o GA, com objectivos não descricionários; · A ANETIE, contribui colocando o seu conhecimento do sector das TIE ao serviço do projecto, actuando ao seu longo como interface entre as empresas, os parceiros e o GA; contribui assim para a aproximação entre as empresas e o GA, promovendo estágios em contexto de trabalho e a posterior integração no mercado de trabalho; · A PTIN contribui com a sua experiência/conhecimentos na área do e-Learning, alargando a sua utilização ao GA. Realizará 2 acções de formação na área e participará na elaboração/adaptação de conteúdos elaborados para formação presencial convertendo-os para formato normalizado para ambientes e-Learning; · A RTF contribui para o projecto com a disponibilização de 7 cursos na área das TIC e com a conversão de 5 cursos para as áreas comportamental, línguas e centros de contacto para o modelo de formação a distância. Os resultados do projecto permitirão identificar quais as melhores práticas na utilização deste modelo formativo, nomeadamente metodologias, interfaces, carga horária a definir.

dot Top


Budget Action 2

250 000 – 500 000 €

dot Top


Beneficiaries


Assistance to persons 
Unemployed  25.0%  25.0% 
Employed  25.0%  25.0% 
Others (without status, social beneficiaries...)  0.0%  0.0% 
  100.0% 
 
Migrants, ethnic minorities, …  0.0%  0.0% 
Asylum seekers  0.0%  0.0% 
Population not migrant and not asylum seeker  50.0%  50.0% 
  100.0%
 
Physical Impairment  18.6%  18.8% 
Mental Impairment  0.0%  0.0% 
Mental Illness  6.3%  6.3% 
Population not suffering from a disability  25.0%  25.0% 
  100.0% 
 
Substance abusers 0.0%  0.0% 
Homeless  0.0%  0.0% 
(Ex-)prisoners  0.0%  0.0% 
Other discriminated (religion, sexual orientation)  0.0%  0.0% 
Without such specific discriminations  50.0%  50.0% 
  100.0% 
 
< 25 year  25.0%  25.0% 
25 - 50 year  25.0%  25.0% 
> 50 year  0.0%  0.0% 
   100.0% 

Assistance to structures and systems and accompanying measures Rating
Gender discrimination **
Discrimination and inequality in employment ***
Disabilities **
Low qualification **
Unemployment **

dot Top


Empowerment

 

 With beneficiaries

Participation
Developing collective responsibility and capacity for action
Participation in the project design
Participation in running and evaluating activities
Changing attitudes and behavior of key actors

 

 Between national partners

N.C.

dot Top


Transnationality

 

 Linguistic skills

  • português
  • português
  • English
  • français

 Percentage of the budget for transnational activities

  • 0.1%

 Transnational Co-operation Partnerships

Transnational Co-operation Agreement DPs involved
994 EthicForSkills IT IT-G-LOM-012

dot Top


Background

 

 Involvment in previous EU programmes

  • One partner involved in A&E

dot Top


National Partners


Partner To be contacted for
FORINO - Associação para a Escola de Novas Tecnologias Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Monitoring, data collection
ANETIE - Associação Nacional Empresas Tecnologias de Informação e Electrónica Evaluation
CERTICARTA - Formação Informática, Lda. Transnational partnership
LPDM Centro de Recursos Sociais
Portugal Telecom Inovação, SA
R.T.F. - Rede Tecnológica de Formação, Lda.

dot Top


Agreement Summary

Text available in

Partners agree to develop in set FORTIC and to adopt the following taking of decision functioning process: A) Partners are involved in all the gliding activities for its implementation, being already defined the responsible for execution of each activity and participation of the remains, in accordance with each experience and profile; B) In technical or coordination/evaluation meetings, host is responsible for logistic questions; C) The internal share/dissemination of information will use in e-mail, fax or telephone, being established the foreseen number of coordination and/or technical meetings; D) The decision process privileges group analysis and taking of decision for consensus; when not, the decision proposal must be voted, competing the Project's Coordinator the final decision in case of ties up; E) The partners commit to dispose information, corroborative documents and other to the good execution of the project's financial management; F) Cases of new partners joining the DP must be evaluated, if there's added value and assured that it does not collide with the existing abilities; in the process of decision for integration of a new partner, the process foreseen in D) must be followed; G) Protocols of Cooperation will be celebrated with TIE companies with intentions to receive trainees in working context training; H) Technique and administrative team responsible for the project is constituted by 30 persons-17 women/13 men, being defined each one's contribution; teachers team is constituted by 12 persons-4 women/8 men, CAP certificate, professional and pedagogical experience. All work within different partners, with permanent bond or in regimen of rendering of services; I) The constitution of an Executive Committee with 6 persons-3 women and 3 men-that, in representation of all the partners, have for mission to co-ordinate the activities implementation, to guarantee the allotment of information and to assure conceived/made products quality.

Last update: 09-10-2007 dot Top


FORINO - Associação para a Escola de Novas Tecnologias

(FORINO)
Avenida Sidónio Pais, 18 - 1º Dto.
-
P-1050-215-LISBOA Lisboa

Tel:+351217161997
Fax:217162163
Email:info@forino.pt

 
Responsibility in the DP: Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Monitoring, data collection
Type of organisation:Education / training organisation
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:05-11-2004 /

Text available in

A missão principal da FORINO é a formação inicial e especialização de técnicos empresariais em áreas tecnológicas de relevância para o desenvolvimento das Empresas e o progresso das Pessoas, através da consolidação de uma Escola Tecnológica - a ENT. A Escola de Novas Tecnologias - ENT - é uma estrutura educativa para a formação e especialização pós-secundária, nas áreas de Electrónica/Electrotecnia, Telecomunicações e Redes, Administração e Gestão e Organização Industrial. O seu objectivo primordial consiste em formar jovens e valorizar quadros intermédios empresariais, com o perfil adaptado às exigências do desenvolvimento empresarial nos domínios das novas tecnologias. A FORINO, por intermédio do seu Núcleo de Formação Contínua, dispõe de competências nos domínios de: - Organização, desenvolvimento e monitoria de acções de formação aplicadas às necessidades específicas dos clientes, nomeadamente no domínio das Tecnologias de Informação e Electrónica. - Consultoria às empresas, em áreas de formação e recursos humanos. As acções de formação, nos diferentes domínios, são realizadas em profunda interacção com as entidades, nossas clientes, pretendendo-se responder cada vez melhor às suas necessidades. Assim, todas as acções de formação podem e devem ser ajustadas a cada empresa ou, sem prejuízo dos resultados pretendidos, a soluções conjuntas destinadas a entidades com necessidades semelhantes. A FORINO é desde Junho de 2000 Centro de Competência ECDL e também parceiro do ISTEC num projecto de e-Learning nas áreas de Engenharia Informática e Engenharia Multimédia.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Luis Manuel Serafim Santana Luis +351217161997 luis.santana@forino.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-10-2007 dot Top


ANETIE - Associação Nacional Empresas Tecnologias de Informação e Electrónica

(ANETIE)
Pólo Tecnológico de Lisboa, lote 1
-
P-1600-546-LISBOA Lisboa

Tel:+351217101160
Fax:217101161
Email:-

 
Responsibility in the DP: Evaluation
Type of organisation:Other
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:09-11-2004 /

Text available in

A ANETIE - Associação Nacional das Empresas das Tecxnologias de Informação e Electrónica tem como missão defender e promover o seu crescimento sustentado.Constituem áreas de intervenção da ANETIE as seguintes: - Colaborar na definição das políticas nacionais para o sector das TIE; - Mobilizar apoios para a internacionalização da oferta portuguesa nas TIE; - Promover a cooperação entre empresas de base tecnológica - Apoiar acções que visem a criação de empresas no sector e reforcem a competência nacional - Promover acções no campo da formação empresarial tendo em conta a especificidade do sector.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Stélio Jorge Santos Pinto Correia Lopes Stélio +351218454740 slopes@anetie.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-10-2007 dot Top


CERTICARTA - Formação Informática, Lda.

(-)
Avenida Fontes Pereira de Melo, 35 - 2º A
-
P-1050-118-LISBOA Lisboa

Tel:+351213173280
Fax:213173289
Email:info@ecdl.pt

 
Responsibility in the DP: Transnational partnership
Type of organisation:Enterprise
Legal status:Private
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:07-06-2002 /

Text available in

A ECDL Portugal tem como Missão "Contribuir para combater a iliteracia informática e a info-exclusão, através de conceitos e tecnologias que permitam disseminar conhecimentos e certificar competências" e como Área de Intervenção a Certificação de Competências nas TIC, intervindo aos seguintes níveis: - definição e implementação de Padrões de Competências; - adaptação e elaboração de conteúdos Programáticos; - desenvolvimento de Sistemas de Avaliação e Validação de Competências; - definição e implementação de processos de autorização de Centros de Competência; - definição de Normas e Procedimentos para a uma eficaz implementação dos Sistemas de Avaliação e Validação de Competências.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
José Cardos de Matos José +351213173280 jcmatos@ecdl.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-10-2007 dot Top


LPDM Centro de Recursos Sociais

(LPDM CRS)
Rua do Sítio ao Casalinho da Ajuda
-
P-1349-011-LISBOA Lisboa

Tel:+351213616910
Fax:
Email:-

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Organisation providing support and guidance for disadvantaged groups
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:17-11-2004 /

Text available in

A LPDMCRS tem um percurso marcado por um grande pioneirismo e inovação, de constante actualização das práticas institucionais e de alargamento dos campos de actuação, de modo a abranger e responder a novas necessidades. Constituida actualmente como Centro de Recursos Sociais, tem por missão promover a inclusão social de pessoas em desvantagens e das suas famílias. Estruturada em cinco eixos - Acessibilidades e Vida Independente, Desenvolvimento Pessoal e Social, Investigação/Formação, Informação/Divulgação e Administrativo/Financeiro - a que correspondem cinco grandes linhas de intervenção do projecto Institucional, a actividade da LDDM CRS desdobra-se pelos domínios da Reabilitação, Inserção Social, Qualificação e Aperfeiçoamento Profissional, etc, abarcando na sua acção cerca de 10.000 utentes por ano. Acreditada pelo INOFOR, é sua preocupação a disseminação do seu know-how, abrindo a actividade formativa aos diversos agentes da comunidade com responsabilidades na área.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Maria Luísa Pedroso Rodrigues Maria +351213616925 lprodrigues@iol.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-10-2007 dot Top


Portugal Telecom Inovação, SA

(PTIN)
Rua Engº José Ferreira Pinto Basto
-
P-3810-106-AVEIRO Aveiro

Tel:+351234403326
Fax:
Email:-

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Enterprise
Legal status:Private
Size:Staff < 10
NUTS code:BAIXO VOUGA
Date of joining / leaving:15-11-2004 /

Text available in

A PTIN tem por missão promover a inovação dos serviços, tecnologias e operações através do desenvolvimento de competências do mercado das Telecomunicações/TI. Contribuir para o desenvolvimento da Sociedade da Informação e para a criação de novas áreas de negócio são também seu objectivo. A sua actividade centra-se na Investigação Aplicada, Desenvolvimento de Serviços e Sistemas, prestação de Serviços de Engenharia e Formação Tecnológica. Os seus resultados influenciaram a modernização do Sistema Nacional de Telecomunicações criando tecnologia, impulsionando a Indústria nacional de Telecomunicações, possibilitando avanços na automatização e digitalização da rede telefónica nacional. O domínio das áreas das Redes Inteligentes e Multimédia potenciou a introdução comercial de novos serviços. Os seus técnicos foram pioneiros na construção da Sociedade da Informação em Portugal ao promover e dinamizar demonstradores de Tecnologia e Serviços com a participação de clientes e utilizadores.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Arnaldo Manuel Pinto dos Santos Arnaldo +35123440332 arnaldo@ptinovacao.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-10-2007 dot Top


R.T.F. - Rede Tecnológica de Formação, Lda.

(RTF)
Av. Fontes Pereira de Melo, nº 35 - 2ºA
-
P-1050-118-LISBOA Lisboa

Tel:+351213173287
Fax:213173289
Email:geral@rtf.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Enterprise
Legal status:Private
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:15-11-2004 /

Text available in

A RTF tem como missão desenvolver soluções integradas de e-Learning que permitam satisfazer as necessidades de organizações e indivíduos, de forma a proporcionar-lhes um ambiente de aprendizagem interactivo e motivante. As suas áreas de intervenção são as seguintes: - desenvolvimento de cursos de formação a distância à medida das necessidades dos clientes - adaptação de materiais de formação para o formato de e-Learning, utilizando um "instructional design" adequado ao meio de transmissão e aos públicos-alvo e tecnologias multimédia da última geração.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Guilherme Pedro Ivens Collares Pereira Guilherme +351213173287 g.collarespereira@rtf.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-10-2007 dot Top



 
 
 
 

 
 
 
 

 
 
 
 
Warning! This section is not meant to be read directly, but rather be navigated through from the main page above.
 
 
 
 

FORTIC

Rationale

Text available in

Em reuniões promovidas pela Rede Regional para o Emprego da Grande Lisboa foram abordadas dificuldades sentidas pelas entidades de formação e integração de pessoas com deficiência, tendo sido constatada a necessidade de desenvolvimento de competências dos formadores/facilitadores destas com vista ao enriquecimento de competências facilitadoras do ingresso no mercado de trabalho dos seus formandos. É de assinalar a mesma necessidade quando nos referirmos a um público com deficiência resultante de acidentes de viação ou de trabalho na idade adulta, em que os problemas de reconversão/inserção tem características diferenciadas. Nos dias de hoje não há razão para um deficiente, apesar das suas necessidades especiais, estar à margem das novas tecnologias já que a revolução informática e as telecomunicações podem ser uma ferramenta quer de apoio, quer de trabalho que lhes permite aumentar a sua qualidade de vida através da comunicação, do acesso à informação e, sobretudo, da sua integração laboral - inclusivamente através do teletrabalho. A preocupação com o emprego de pessoas com deficiência é um assunto actual, alvo de campanhas governamentais e de criação de diversas medidas de apoio pelo IEFP e/ou FSE e apesar de se começar a assistir a uma mudança de mentalidade no que diz respeito ao direito de participação activa desta população na sociedade em que vive, a verdade é que ainda está longe de ter conseguido uma real igualdade de oportunidades e o seu grau de integração ainda não é satisfatório. A OED (Operação para a Promoção de Emprego de Pessoas com Deficiência da Cidade de Lisboa), entidade de intervenção na inserção no mercado de trabalho de pessoas com deficiência realizou, em colaboração com a LPDMCRS, o IEFP e a CML, dois estudos de carácter exploratório com o objectivo de aumentar o seu conhecimento sobre a problemática da integração profissional da pessoa com deficiência: um incidindo sobre características da população deficiente integrada profissionalmente e a sua realidade laboral e outro analisando o perfil do empregador que integra na sua empresa trabalhadores com deficiência. Ambos publicados em Setembro/00, verificamos que até numa população que se debate com a igualdade de oportunidades se denota uma desigualdade de género: 60% dos deficientes a exercer uma actividade profissional são do sexo masculino. Através do trabalho intitulado "Perfil Profissional da Pessoa com Deficiência" conclui-se que parte do sucesso de crescimento dos índices de empregabilidade de pessoas com deficiência se deve a um maior investimento dos próprios em formação e em alguma tendência para abdicarem da protecção social em prol de uma participação mais activa - 85% dos inquiridos possuía frequência de formação profissional, sendo os cursos mais frequentados os da área de Escritório (33% também se encontra empregado nesta área) seguidos de cursos de especialização em Fotografia, Turismo, Relações Públicas e Informática. Salientamos também dois pormenores deste trabalho que nos parecem muito significativos, apesar de não estarem directamente relacionados com o diagnóstico em causa: 89% afirma que trabalha por necessidade de subsistência, 74% por se sentirem úteis - denota a tendência referida para a indepêndencia face aos regimes de protecção social (pensões, reforma, etc), vê-se uma vontade de igualdade para com a restante população. A análise do estudo efectuado permitiu chegar ao perfil do trabalhador-tipo: é um jovem do sexo masculino com idade entre os 20-29 anos, solteiro, deficiente motor e possui o 12º Ano; é um profissional motivado, organizado, dinâmico, observador, flexível e curioso; tem frequência de formação profissional e encontra-se numa situação de 1º emprego ou possui uma experiência profissional de 1 a 5 anos; é contratado a termo certo ou sem termo, cumpre um horário normal de trabalho, recebe uma remuneração abaixo do desejado, tem um ritmo de trabalho razoável, a exigência das suas tarefas não é elevada; a empresa não toma medidas de facilitação da integração, aparentemente por não ter sido necessário, os colegas tratam-no como igual mas evidenciam também comportamentos de ajuda, afectividade ou alguma curiosidade. O segundo estudo referido, "Perfil do Empregador", traçou o perfil do empregador-tipo: do sexo masculino, tem entre 30 a 39 anos, é casado e tem uma escolaridade a nível do ensino secundário, frequentou cursos de formação na área da sua actividade profissional e tem experiência anterior em funções de coordenação; profissionalmente considera-se compreensivo, sensível a desafios e tolerante; aponta como razões pelas quais contrata uma pessoa com deficiência o seu empenho e motivação, capacidades de relacionamento, competências profissionais e incentivos financeiros; pensa que o que pode constituir obstáculo à inserção profissional de pessoas com deficiência é a produtividade, postos de trabalho não adaptados e problemas de inserção. No entanto, os estudos referidos não cumpriam na totalidade o objectivo do projecto e por isso, para efeitos do presente diagnóstico, foram elaborados 4 tipos de questionário que tornaram possível detectar o quanto a população alvo é carenciada de formação ao nível das TIC e como as empresas do sector das TIE estão dispostas a integrar no mercado de trabalho jovens deficientes com conhecimentos técnicos na área. No que diz respeito à recolha de dados, os questionários que envolviam instituições de deficiência foram aplicados na LPDM (PD), Crinabel e Cercica; o questionário dirigido às empresas foi aplicado em empresas indicadas pelo ANETIE ou pertencentes ao Pólo Tecnológico de Lisboa. O questionário aplicado a 155 jovens deficientes com o objectivo de detectar o tipo de contacto que têm com a formação, com a informática e com o mercado de trabalho demonstra que dos 79% dos inquiridos que já utilizaram um computador (95% sem necessidade de adaptação/ajudas técnicas para o utilizar), 17% utiliza o computador diariamente e 22% executa um texto sózinho, apesar de 27% só utilizar o computador para jogar. Do conjunto de jovens deficientes inquiridos, 75% apresenta deficiência mental (dificuldades de aprendizagem) e dos 94% que estão a frequentar uma acção de formação, 20% foi ensinado pelo formador a fazer desenhos e textos em computador. No entanto, 97% não estão empregados e 70% considera que é mais fácil arranjar um emprego se souber utilizar um computador. Ainda há os que referem, para além das dificuldades inerentes à própria procura de emprego (como por ex. exigência de experiência) a pouca abertura das empresas aos deficientes. Espelhámos neste pequeno inquérito a falta de igualdade de oportunidades de emprego para estes jovens e a importância de uma formação mais adequada às actuais necessidades do mercado de trabalho. O questionário elaborado para auscultação dos conhecimentos de informática dos formadores/facilitadores (46 no total) dos centros de formação/instituições de reabilitação não chegou a melhores resultados. Tendo dividido os conhecimentos das várias ferramentas do Office (Windows, Word, Excel, etc.) em básicos, médios, elevados e sem conhecimentos, 66% não tem conhecimentos nas várias ferramentas, 18% possui conhecimentos básicos, 11% médios e apenas 5% refere ter conhecimentos elevados. Não surpreende o facto de 89% não ter quaisquer conhecimentos dentro de programas específicos ou 67% não dominar o Access e o Excel - ferramentas utilizadas em trabalhos muito específicos - mas 70% não utiliza a ferramenta de comunicação mais utilizada no dia-a-dia laboral (correio electrónico, que 9% domina mediamente), 63% nunca utilizou a internet para uma pesquisa que o ajudaria numa dúvida (7% regista um conhecimentos médio), 46% nunca poderá elaborar um texto - tudo porque não possui conhecimentos para tal. Não falando de conhecimentos elevados, 22% tem conhecimentos médios de Windows, 20% de Word, 13% de Excel. No entanto, 85% dos inquiridos gostaria de adquirir novos conhecimentos de informática de modo a transmiti-los aos seus formandos. O inquérito efectuado às instituições que acolhem jovens com deficiência permitiu avaliar que neste momento um total de 165 formandos, orientados por um total de 32 formadores estão em formação em áreas mais diversas como lavandaria, jardinagem, carpintaria, costura, cozinha, tapeçaria, artes gráficas, técnicas administrativas, etc. Em média, 45 formandos/ano fazem estágio em empresa, sendo apenas contratados uma média de 23 - apontam como razões para este facto o ritmo de trabalho dos formandos, a desadequação dos conteúdos dos cursos ao mercado de trabalho e os fracos conhecimentos das empresas sobre esta problamática.. Todas consideram pertinente e viável a integração de módulos de informática nos cursos. Quanto às empresas (19 no total), cujo questionário foi elaborado com o objectivo de identificar a existência (ou não) de dificuldades de inserção no mercado de trabalho de pessoas com deficiência e o seu grau de aceitabilidade pelas entidades empregadoras, 89% está disposto a integrar um deficiente, preferencialmente motor, nos seus quadros, 33% pela sua competência profissional, 18% pelo seu empenho e motivação, 11% por cidadania empresarial - 23% considera que o sucesso dessa inserção passa pela sua adaptação do posto de trabalho, 21% pela produtividade. Uma média de 18% dos empregadores considera que "postos de trabalho não adaptados", "barreiras arquitectónicas" e "ausência/lacunas de formação profissional" podem constituir obstáculos à inserção profissional de um deficiente - 16% consideram-na como ponto decisivo do sucesso de inserção e 74% dos inquiridos atribui-lhe muita importância, principalmente se fôr nas áreas de informática/microinformática, TIC, comunicação interpessoal/desenvolvimento pessoal e burótica/administrativa (que apresentam valores médios de 25%). Este trabalho faz parte de um relatório final onde se encontrarão os questionários recolhidos e o seu tratamento estatístico.

dot Top


Objective

Text available in

O Projecto propõe-se a: · Promover a orientação, formação e inserção no mercado de trabalho na área das TIE de pessoas com deficiência, incapacidade ou em risco de exclusão por ausência de competências básicas; por outro lado, promover a orientação e formação dos formadores e facilitadores destas Pessoas; · Desenvolver novas soluções, modelos e dispositivos online de apoio à auto-formação e formação a distância; · Formar e certificar as competências nas TIC do Grupo-Alvo (GA) e facilitar a sua utilização como ferramenta de acesso à formação, ao conhecimento e ao trabalho; · Formar e certificar os GA nas áreas comportamental, línguas e centros de contacto como forma de acesso ao mercado de trabalho. · Mobilizar e envolver o tecido empresarial neste projecto, de forma a dar resposta a necessidades muito específicas das empresas e garantir a empregabilidade do GA. Com vista à prossecução dos objectivos enunciados, pretende-se: · valorizar práticas de formação e processos de inserção no mercado de trabalho, melhorando a qualidade do trabalho e a adequação do grupo-alvo ao mercado existente, de modo a ultrapassar as dificuldades a que este se encontra sujeito no actual mercado de trabalho; · melhorar as condições de especialização dos formadores e facilitadores das Organizações que acolhem pessoas com deficiências, não só em termos de reforço das suas competências na área das TIC como também nas áreas comportamental, línguas e centros de contacto; · criar e promover a certificação dos formandos, visando a sua integração em centros de contacto e dotá-los de capacidades facilitadoras de inserção na vida activa; · criar e promover a certificação dos formadores/facilitadores, visando a melhoria das práticas na organização e futura replicação do projecto de uma forma autónoma; · promover metodologias de estágios de integração na vida activa, através da formação em contexto de trabalho - parte integrante do projecto formativo.

dot Top



Logo EQUAL

Home page
DP Search
TCA Search
Help
Set Language Order
Statistics