IMPORTANT LEGAL NOTICE
 

 "P'lo sonho é que vamos" ascii version

Portugal

 
DP Managing organisation : C.E.S.I.S.-CENTRO DE ESTUDOS PARA A INTERVENÇÃO SOCIAL
Other national partners : Associação para o Desenvolvimento das Mulheres Ciganas Portuguesas - AMUCIP
CENTRO HOSPITALAR DO BAIXO ALENTEJO, S.A.
Direcção Geral dos Assuntos Consulares e Comunidades Portuguesas
EQUAL theme :Equal opportunities - Reconciling family and professional life 
Type of DP :Sectoral - Specific discrimination and inequality problems 
DP Legal status :Association without legal form 
DP identification :PT-2004-342 
Application phase :Approved for action 2 
Selection date :04-10-2005 
Last update :10-03-2008 
Monitoring: 2005  2006   

Rationale

Text available in

- Involvement of a Roma women association in the DP at same level as other pub & priv entit Knowledge & skills in the domain of Roma communities & their culture Demonstrating, through the participation of Roma women in the project’s team, that they can have new profess alternatives, which may be an incentive to all Roma women Response to the need of reconciling work & family & widening training & employment opportunities according to the needs explicitly referred to by Roma women & girls Addressing the need for new communication mechan between institutions & the Roma commun, which was clearly expressed by central administration & health services Acknowledgement by social workers of the need for specific training adjusted to the dialogue & the interv work with the Roma commun High interest expressed by private & public entities at central & local levels for participating in the Monitoring Network, partly justified by their impossibility to be members of the DP Existing skills in Proj Manag, conception & development of training activities in the domain of: work/family reconciliation, gender mainstreaming, citizenship, human rights, health & social work, namely with children, young people & women Privileged institutional relationships, at a national & international level for the support of Portug abroad & their families namely regarding labour issues Building up an enlarged partnership (DP & Monit Netw) covering the different areas of the Proj Ensuring the creation of one workplace (fulltime job) for one Roma person, at the Hosp of Baixo Alentejo Development, by the CNFF (IEFP), of one initial training course for trainers,at no costs for the project,specifically adapted to Roma women Availability & mobilisation capacity by AMUCIP to develop specific training activities & for reinforcing their social & commun work abilities Possibility to develop an integrated approach & the relationship between Roma & non-Roma, promoting reconciling social work strategies , - Deterioration of the difficult social climate (explicit & hidden violence), deriving particularly from the presence of century long stereotypes, among Roma communities, mainly nomad communities, & non-Roma communities, particularly in Beja & Serpa; Difficulties in the dialog & communication between public & private institutions & their human resources & the Roma communities; Absence of specific training adjusted to the institutions’ human resources & to Roma for the promotion of the intercultural relationship & for the social work to be developed with Roma communities; Accrued insecurity among Roma communities, arising from the revision, by the Social Insertion Income (RSI), of the rules for the concession of the GMI; Very limited life & work options among Roma women & girls, namely given their low educational attainment, high school absenteeism & early school drop-out; Worsening of employability difficulties among Roma persons, namely by the reduction of opportunities in the seasonal rural activities (rural sector in general & competition from Third Countries nationals who travel without their families), in street trading & in local open-air markets (competition from Asian salespeople & from large-surface supermarkets) & rigidity regarding employment alternatives both from potential employers & from the Roma population; Lack of participation among Roma communities in re-housing projects in the territorial areas covered by the Project, with the corresponding negative consequences for its development; Juridical rules regarding housing (both nomadic & settled communities) not adjusted to Roma communities; Insufficiency of flexible social responses adapted to the realities of Roma persons & families; Dominant cultural patterns among the Roma communities specifically characterised by gendered social roles; Specific difficulties from the Roma communities in acceding rights

dot Top


Objective

Text available in

The Project “P’lo sonho é que vamos” aims at the development of an integrated approach towards the specific problems faced by Roma persons & communities & their intercultural relationship with non-Roma communities. Thus, the Project starts from the issue of children’s support, regarding to which Roma communities are particularly sensitive, to the rehearsal of adequate solutions for reconciling work and family, on the one hand and to the promotion of health, namely children’s health. On the other hand, it aims at promoting the recognition and reinforcement of empowerment and of the social and civic intervention of Roma women and communities, for which the DP involves an association of Roma women, the only existing in the country – in a perspective of “working with” and not “working for” – apart from public and private institutions. The Project’s goals are: 1.To build and rehearse transferable responses for reconciling professional, personal and family life and the schooling trajectory of Roma persons at Cucena 2.Empowerment and social intervention reinforcement of AMUCIP, namely training/profess solutions adapted to Roma, abroad 3.Train 72 workers development intercult skills, organis 1 probation period at Alent Hosp of 1 Roma pers to work as a facilitator between services and Roma commun 4.Sensitise/inform Roma and non-Roma people at Seixal, Beja e Serpa for the intercultural dialogue & deepening of citizenship 5.To develop transferable information outputs adapted Roma commun to promote human develop of Roma people and disseminate reciprocal positive images of Roma and non Roma commun To attain these objectives the following activities will be developed: 1.Create and animate 1 space to support reconciliation for Roma people and other at Cucena 2.Conceiving and developing 1 Initial Training for Trainers particularly addressed at Roma women 3.Conceiving and developing specific training activities for social and community intervention by the Association for the Promotion of Portuguese Roma Children and Women (AMUCIP) 4.Design and develop a guide for good practices in different thematic areas, namely training, employment and conciliation measures 5.Conceiving and developing specific training activities for workers from the central/local administration and from other public and private entities 6.Promote knowledge exchange think tanks 7.Designing information materials adapted to the Roma communities on rights and duties, namely regarding labour issues abroad 8.Collect and organise available on line information to feed a transnational webpage on Roma culture 9.Probation periods on the working place with tutorship 10.Final seminar

dot Top


Innovation


Nature of the experimental activities to be implemented Rating
Guidance, counselling **
Training ***
Training on work place **
Work placement **
Employment aids (+ for self-employment) *
Employment creation and support **
Training of teachers, trainers and staff ***
Improvement of employment services, Recruitment structures **
Conception for training programs, certification **
Anticipation of technical changes *
Work organisation, improvement of access to work places **
Guidance and social services **
Awareness raising, information, publicity **
Studies and analysis of discrimination features **

Type of innovation Rating
Process-oriented ****
Goal-oriented **
Context oriented ***

dot Top


Budget Action 2

500 000 – 1 000 000 €

dot Top


Beneficiaries


Assistance to persons 
Unemployed  4.0%  0.0% 
Employed  34.8%  11.6% 
Others (without status, social beneficiaries...)  41.9%  7.7% 
  100.0% 
 
Migrants, ethnic minorities, …  45.9%  7.7% 
Asylum seekers  0.0%  0.0% 
Population not migrant and not asylum seeker  34.8%  11.6% 
  100.0%
 
Physical Impairment  0.0%  0.0% 
Mental Impairment  0.0%  0.0% 
Mental Illness  0.0%  0.0% 
Population not suffering from a disability  80.6%  19.4% 
  100.0% 
 
Substance abusers 0.0%  0.0% 
Homeless  0.0%  0.0% 
(Ex-)prisoners  0.0%  0.0% 
Other discriminated (religion, sexual orientation)  80.6%  19.4% 
Without such specific discriminations  0.0%  0.0% 
  100.0% 
 
< 25 year  16.1%  6.5% 
25 - 50 year  52.9%  12.9% 
> 50 year  11.6%  0.0% 
   100.0% 

Assistance to structures and systems and accompanying measures Rating
Gender discrimination ***
Support to entrepreneurship *
Low qualification **
Racial discrimination **
Unemployment **

dot Top


Empowerment

 

 With beneficiaries

Participation
Promoting individual empowerment
Developing collective responsibility and capacity for action
Participation in the project design
Participation in running and evaluating activities
Changing attitudes and behavior of key actors

 

 Between national partners

N.C.

dot Top


Transnationality

 

 Linguistic skills

  • português

 Percentage of the budget for transnational activities

  • 0.1%

 Transnational Co-operation Partnerships

Transnational Co-operation Agreement DPs involved
4530 SONHO ROMI STELLE ES ES20040465
IT IT-G2-BOL-005

dot Top


Background

 

N.C.

dot Top


National Partners


Partner To be contacted for
C.E.S.I.S.-CENTRO DE ESTUDOS PARA A INTERVENÇÃO SOCIAL Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Evaluation
Monitoring, data collection
Transnational partnership
Associação para o Desenvolvimento das Mulheres Ciganas Portuguesas - AMUCIP
CENTRO HOSPITALAR DO BAIXO ALENTEJO, S.A.
Direcção Geral dos Assuntos Consulares e Comunidades Portuguesas

dot Top


Agreement Summary

Text available in

Resumo do Acordo de PD Os parceiros acordam: 1. Objectivos comuns 1.1 Desenvolver em conjunto o projecto acima referenciado, cujo diagnóstico, objectivos, actividades, resultados e processo de avaliação, e plano de financiamento se descrevem no formulário de candidatura à acção 2. 2. Estruturas e processo de funcionamento da Parceria 2.1 Criar à partida as seguintes estruturas de gestão e funcionamento: A coordenação geral do projecto será assegurada pelo CESIS Será criada à partida uma estrutura de gestão financeira com representantes de todas as entidades parceiras da PD Em função do desenvolvimento das actividades poderão ser accionadas modalidade expeditas de funcionamento temático entre 2 ou mais entidades parceiras. Todas as entidades parceiras participarão nas actividades transnacionais, cabendo à entidade interlocutora a gestão da transnacionalidade. Qualquer entidade parceira na PD desenvolverá internamente as reuniões que considere necessárias ao desenvolvimento das respectivas funções no projecto 2.2 Implementar o seguinte processo de tomada decisão (destacar nomeadamente processos de dos parceiros, mecanismos que promovam a igualdade de género, etc.): Estão previstas reuniões ordinárias de PD com periodicidade mensal, às quais acrescerão outras 6 com carácter extraordinário. Atendendo a que a PD é actualmente composta por 4 entidades, as reuniões serão sempre plenárias, sendo as decisões na impossibilidade de unanimidade, tomadas por maioria simples, sem votos de qualidade. Participarão nas reuniões os membros das equipas afectas ao projecto, face ao que cada entidade parceira considere adequado em função da respectiva ordem de trabalhos. Estão ainda previstas reuniões de carácter quadrimestral alargadas a todas as entidades que constituem a Rede de Acompanhamento e que são as seguintes: -Centro de Saúde do Seixal – Sub-Região de Saúde de Setúbal -Direcção-Geral de Saúde -Alto-Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, IP -Centro Nacional de Qualificação de Formadores – IEFP -Câmara Municipal do Seixal -Câmara Municipal de Beja -Câmara Municipal de Serpa -Montepio Geral – Associação Mutualista 2.3 Assegurar a transparência da informação interna relativa ao projecto e à parceria, que será disponibilizada a todos os parceiros da seguinte forma ( ex. recurso às TIC...): Toda a informação recolhida e ou produzida no âmbito do projecto será imediata e sistematicamente circulada entre todas as entidades parceiras, preferencialmente em suporte electrónico. Atendendo em particular à participação da AMUCIP na PD, haverá especial cuidado na acessibilidade aos seus elementos de informação em francês e inglês. 2.4 Assegurar que a difusão pública dos resultados do projecto, finais ou provisórios, só será efectuada após anuência do(s) parceiro(s) envolvido(s) na sua concepção. 3. Recursos técnicos 3.1 Assegurar estabilidade nos recursos técnicos afectos ao projecto. 4. Ajustamento da parceria 4.1 Proceder ao ajustamento da parceria, à saída ou entrada de novos parceiros, ou eventual revisão deste Acordo, nomeadamente se a avaliação do projecto o indicar como necessário.

Last update: 10-03-2008 dot Top


C.E.S.I.S.-CENTRO DE ESTUDOS PARA A INTERVENÇÃO SOCIAL

(CESIS)
Rua Rodrigues Sampaio, 31 - S/L Dta
-
P-1150-278-LISBOA Lisboa

Tel:+351213845560
Fax:213867225
Email:-

 
Responsibility in the DP: Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Evaluation
Monitoring, data collection
Transnational partnership
Type of organisation:University / Research organisation
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:26-11-2004 /

Text available in

O CESIS – Centro de Estudos para a Intervenção Social é uma associação sem fins lucrativos, fundada em 1992 que condensa a experiência de trabalho de uma equipa constituída desde 1986. O CESIS tem como principais objectivos: ·Contribuir, através da investigação, para o conhecimento da realidade social, nomeadamente no que se refere a situações de empobrecimento e de exclusão social; ·Concorrer para a formulação e implementação de políticas de desenvolvimento humano e de promoção social; ·Incentivar a participação das/os cidadãs/cidadãos nos seus processos de desenvolvimento e promoção social; ·Promover a realização de acções de formação destinadas a melhorar a capacidade de intervenção social aos vários níveis; ·Fomentar a difusão de estudos e / ou experiências inovadoras no domínio da promoção social. Entre as áreas de trabalho, ao nível da investigação e intervenção, que têm obtido continuidade de programas e projectos, dando lugar à produção de relatórios de pesquisa, comunicações a seminários, artigos e livros, bem como de materiais pedagógicos, merecem destaque as seguintes: ·Pobreza em espaços urbanos degradados; ·Economia social e empresas sociais; ·Envelhecimento e pessoas idosas; ·Crianças e jovens de meios desfavorecidos; ·Migrantes e minorias étnicas; ·Pessoas sem-abrigo; ·Igualdade entre mulheres e homens; ·Políticas sociais.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Ana Maria da Silva Cardoso Ana +351213845560 ana.cardoso@cesis.org Entity contact person responsable for this project

Last update: 10-03-2008 dot Top


Associação para o Desenvolvimento das Mulheres Ciganas Portuguesas - AMUCIP

(AMUCIP)
Rua General Humberto Delgado, 43 - 1º Esq.
-
P-7000-000-(Desconhecida) Évora
-

Tel:+351916283158
Fax:
Email:amucip@hotmail.com

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Other
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:ALENTEJO CENTRAL
Date of joining / leaving:07-12-2007 /

Text available in

A AMUCIP é uma associação de âmbito nacional de mulheres ciganas para o desenvolvimento das crianças e mulheres ciganas que têm como objectivos estatutários: 1. Promover a defesa e o desenvolvimento das mulheres e crianças ciganas em Portugal, com respeito pela identidade cultural. 2. Defender as mulheres e crianças ciganas portuguesas de políticas e de acções injustas 3. Promover informação. i) junto das mulheres e crianças nas comunidades ciganas relativamente aos direitos, deveres, oportunidades educacionais e de emprego e perspectivas de evolução na sociedade em que se inserem; ii) junto das entidades e instituições portuguesas europeias sobre o papel da mulher na cultura e na sociedade ciganas. 4. Promover actividades culturais, recreativas, desportivas e outras que estejam em harmonia com as restantes finalidades estatutárias.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Olga Natália Maia Mariano Olga +351212228134 amucip.cig@hotmail.com Entity contact person responsable for this project

Last update: 10-03-2008 dot Top


CENTRO HOSPITALAR DO BAIXO ALENTEJO, S.A.

(-)
R. Dr. António Fernando Covas Lima
-
P-7800-309-BEJA Beja
-

Tel:+351284310233
Fax:284322747
Email:rsimao@hbeja.min-saude.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Other
Legal status:Private
Size:Staff < 10
NUTS code:BAIXO ALENTEJO
Date of joining / leaving:20-07-2007 /

Text available in

O Centro Hospitalar do Baixo Alentejo tem como missão prestar cuidados de saúde especializados, com qualidade e em tempo útil, a custos socialmente comportáveis num quadro de eficiência e de eficácia, em estreita articulação com outros serviços de saúde e sociais da comunidade, promovendo o desenvolvimento profissional e a satisfação dos seus colaboradores.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Maria do Rosário Costa Simão Maria +351284310233 rosario.simao@chba.min-saude.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 10-03-2008 dot Top


Direcção Geral dos Assuntos Consulares e Comunidades Portuguesas

(DGACCP)
Avª Visconde Valmor 19
-
P-1049-061-LISBOA Lisboa

Tel:+351217929700
Fax:217929724
Email:-

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Public authority (national, regional, local)
Legal status:Public organisation
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:29-11-2004 /

Text available in

A DGACCP é o serviço central do Ministério dos Negócios Estrangeiros que tem por atribuições: - orientar e supervisionar a actividade dos postos consulares; - assegurar a unidade da acção do Estado no domínio das relações internacionais de carácter consular; - participar na definição da política de apoio às comunidades portuguesas no estrangeiro; - propor, promover e executar programas de apoio aos cidadãos portugueses residentes no estrangeiro em coordenação com entidades públicas e privadas, nacionais e estrangeiras e organizações internacionais, que prossigam, na generalidade, objectivos análogos; - promover e colaborar com outras entidades, nacionais e estrangeiras, em acções de formação profissional de cidadãos portugueses residentes no estrangeiro e em território nacional; - assegurar a representação do Ministério nas comissões interministeriais e outros organismos nacionais quando as respectivas atribuições abrangerem questões de natureza consular ou relativas à situação dos portugueses residentes no estrangeiro e situações daí decorrentes.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Maria do Céu Farrajota Castanho Lombo da Cunha Rêgo Maria +351217929700 maria.rego@dgaccp.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 10-03-2008 dot Top



 
 
 
 

 
 
 
 

 
 
 
 
Warning! This section is not meant to be read directly, but rather be navigated through from the main page above.
 
 
 
 

"P'LO SONHO E QUE VAMOS"

Rationale

Text available in

- Participação na PD de uma associação de mulheres cig em igualdade c/ entidades públic e priv; Conhecimento e competências no domínio das com cig e da sua cultura; Demonstração, pela participação na equipa técnica do projecto, de mulheres cig, de que estas podem ter novas opções prof, o que constitui incentivo pª todas; Resposta a necess de conciliação trabalho/ família e de alargamento de oportunidades de form e emprego expressamente manifestadas por mulheres e jovens cig; Resposta a necess de novas formas de interlocução entre instituições e com cig expressamente manifestadas por serviços admi central e local e serviços de saúde; Reconhecimento por trabalhadoras sociais da necess de formação específica e ajustada ao diálogo e à intervenção junto de com cig; Elevado interesse manifestado por entidades priv e públic a nível central e local pª participação na Rede de Acompanhamento, até por impossibilidade de integrarem PD; Competências em Gestão de Projectos, concepção e desenvolv de activid formativ no domínio conciliação trab/fam, da transversalização dimensão do género pª igualdade, da cidadania, dos direitos humanos, da saúde e da intervenção social, designadamente c/ crianças, jovens e mulheres; Relações institucionais privilegiadas a nível nacional e internacional pª apoio portugueses no estrangeiro e suas famílias designadamente sobre trabalho; Constituição de parceria alargada (PD e Rede de Acompanhamento) cobrindo as diversas áreas do Projecto; Garantia de criação de 1 posto de trabalho pª pess cig, a tempo completo no Centro Hospitalar Baixo Alentejo; Concretização, pelo CNFF do IEFP e s/ custos pª o projecto, de 1 curso inicial de formação de formadoras/es adaptado especificamente pª mulheres cig; Disponibilidade e capacidade de mobilização pela AMUCIP pª acções específicas de form e pª o reforço da sua capacidade de intervenção social e comunitária; Possibilidade de abordagem integrada relacionam cig e ñ cig promotora de interv soc pacificadoras. , - Agravamento do clima social adverso (violência expressa e latente), decorrente particularmente de estereótipos seculares, entre comunidades ciganas sobretudo nómadas e não ciganas, particularmente em Beja e Serpa; Dificuldades de diálogo e de interlocução entre as instituições públicas e privadas e seus recursos humanos e as comunidades ciganas; Ausência de formação específica e ajustada dos recursos humanos das instituições e das pessoas ciganas para o relacionamento intercultural e pª a intervenção social junto de comunidades ciganas; Insegurança suplementar de comunidades ciganas, decorrente da revisão, pelo Rendimento Social de Inserção, das regras de atribuição do Rendimento Mínimo Garantido; Opções de vida e de trabalho muito limitadas particularmente pª mulheres e raparigas cig, designad por baixo nível de escolaridade, elevado absentismo e abandono escolar precoce; Agudização das dificuldades de empregabilidade por parte de pessoas ciganas, designadamente por compressão de oportunidades na actividade agrícola sazonal (sector agrícola em geral e concorrência de nacionais de Países Terceiros que se deslocam sem as famílias), na venda ambulante e nos mercados de levante (concorrência asiática e das grandes superfícies comerciais) e rigidez quanto a alternativas de emprego tanto por parte de potenciais entidades empregadoras como de pessoas ciganas; Ausência de participação em processos de realojamento por parte de comunidades ciganas em zonas de intervenção do projecto, com as consequências negativas que daí podem advir para o desenvolvimento do mesmo; Normas jurídicas desajustadas em matéria de alojamento (nómada e sedentário) das com cig; Insuficiência de respostas sociais flexíveis adaptadas ás realidades de pessoas e famílias cig; Predominância de padrões culturais entre as com cig especificamente marcados por papéis sociais de género; Dificuldades específicas de acesso ao direito por parte de com cig

dot Top


Objective

Text available in

O projecto ‘P’lo sonho é que vamos’ pretende uma abordagem integrada dos problemas específicos relativos às pessoas e comunidades ciganas e do seu relacionamento intercultural com as comunidades não ciganas. Assim, parte do apoio a crianças, às quais as comunidades ciganas são particularmente sensíveis, quer para ensaiar soluções adequadas de conciliação da vida familiar e profissional, quer para promover a dimensão da saúde, designadamente infantil. Por outro lado, pretende o reconhecimento e o reforço do empowerment e da capacidade de intervenção social e cívica das mulheres e comunidades ciganas, pelo que a PD integra uma associação de mulheres ciganas, a única existente no País, - numa perspectiva de ‘trabalhar com’ e não de ‘trabalhar para’ – para além de instituições públicas e privadas. Os objectivos do projecto são os seguintes: 1- Construir e ensaiar respostas transferíveis para a conciliação da vida profissional, pessoal e familiar e o percurso escolar de pessoas ciganas no Bairro da Cucena 2– Reforçar o empowerment e a capacidade de intervenção social AMUCIP designadamente identificando soluções formativas e profissionais adaptadas a pessoas ciganas, no estrangeiro 3-Formar 72 trabalhadores/as para o desenvolvimento de competências interculturais e organizar 1 estágio de pessoa cigana no Centro Hospitalar do Baixo Alentejo para contratação como interlocutor/a entre os serviços e a comunidade cigana 4-Sensibilizar/informar pessoas da comunidade cigana e não cigana no Seixal, em Beja e em Serpa para o diálogo intercultural e o aprofundamento do exercício da cidadania 5-Criar produtos informativos transferíveis e adaptados às comunidades ciganas para a promoção do desenvolvimento humano de pessoas ciganas e de imagens positivas recíprocas das comunidades ciganas e não ciganas. Para a prossecução destes objectivos serão desenvolvidas as seguintes actividades: .Criação e animação de 1 espaço para apoio à conciliação pessoas ciganas e outras no Bairro da Cucena .Concepção e realização de um Curso Inicial de Formação de Formadoras/es dirigido em particular a mulheres ciganas .Concepção e realização de acções específicas de formação para a intervenção social e comunitária da Associação para a Promoção das Mulheres e Crianças Ciganas Portuguesas (AMUCIP) .Concepção e elaboração de um guia de boas práticas em diversas áreas temáticas, designadamente formação, emprego e medidas para a conciliação .Concepção e realização de acções de formação para trabalhadores/as da administração central e local, e de outras entidades públicas e privadas .Tertúlias de cruzamento de saberes .Concepção de materiais informativos adaptados às comunidade ciganas sobre direitos e deveres, designadamente em matéria de trabalho no estrangeiro .Recolha e organização da informação disponível on line para alimentação de um portal de carácter transnacional sobre cultura cigana .Estágios com formação em posto de trabalho com tutoria .Seminário final

dot Top



Logo EQUAL

Home page
DP Search
TCA Search
Help
Set Language Order
Statistics