IMPORTANT LEGAL NOTICE
 

 Turismo no ALto Tâmega e Barroso ascii version

Portugal

 
DP Managing organisation : Ferreira e Seixas Lda
Other national partners : Associação Regional dos Agricultores das Terras de Montenegro
Bosque Projectos de Engenharia Lda
Glaciar Aventura, Soc. de Animação turistica, Lazer e Trabalhos Verticais Lda
Jornal de Chaves, Lda
Promoloures, Desenvolvimento Empresarial, Crl
Tradifoods-comércio internacional de produtos alimentares,Lda
Traçostopo Serviços de Topografia Lda
EQUAL theme :Entrepreneurship - Business creation 
Type of DP :Geographical - Rural area - NORTE 
DP Legal status :Other 
DP identification :PT-2001-084 
Application phase :Approved for action 2 
Selection date :17-09-2002 
Last update :28-10-2005 
Monitoring: 2002  2003   

Rationale

Text available in

Located in the Nordeste Transmontano inlands, near the Spanish Boarder and integrating the Alto Tâmega hydrological basin, the target region of this project is practically the same as the tourist area known as Região de Turismo do Alto Tâmega e Barroso. This region is positioned between several mountains, namely Larouco, Cabreira, Padrela, Alvão and Brunheiro, all with altitude peaks above 1000 m. Between highlands, the rivers - namely Tâmega, have deposit great alluviums, creating quite sizeable tablelands at relatively low spot levels, with exception of the Montalegre uplands. In these tablelands - and further more in the adjacent hills, one observes a concentration of small populations (5 municipalities including 149 parishes), that have always dedicated themselves to a subsistence policulture combined with an exploitation of local grazing grounds and woods. The 5 parishes included in our intervention plan (Boticas, Chaves, Montalegre, Valpaços and Vila Pouca de Aguiar) present an acceptable scenery unity, although Chaves and Vila Pouca de Aguiar are mainly flat and the others present certain important geographic accidents This region has been populated from ancient times, since the Tâmega valley has always been a penetration route, establishing good connections to the Portuguese seacoast through Amarante, benefiting both commercial and military aims. This historic phenomena is well testified by the existence of archaeological sites, megalithic monuments and abundant traces of Roman occupation and urbanization - patented in ancient routes and bridges as well as in important thermal exploitations (such as Aquae Flaviae). In the early 20th century, the 2nd French Invasion - crossing the Country until the seacoast via Amarante, and the Monarchical Invasions in 1912 also testifies the historical value and development potential of this region The typical mountain scenery, the unique way of life which it implies and the relative isolation-namely to seacoast ruling cultures, allowed the continuation of ancient traditions and cultural processes, specially in Barroso highlands, where the recovery of communitarian traditions in Pitões das Junias and cultural traditions in Vilar de Perdizes are a good example. The area covered by the region is 2.680 Km2 - about 3 % of the total continental Portuguese surface, with a population of 97.357 inhabitants (2001 data), where 45 % live in the municipality of Chaves. Thus, the population density is small - about 36 inhabitants/Km2, although some specific areas present an high density. Total population of the region has been showing two opposite tendencies in the past 10 years, increasing over 54 % in urban areas - particularly in Chaves zone (over 60 % increase) and decreasing in the remaining ones (21 % decrease). In global terms, the region witnessed a 6.4 % population decrease, being Chaves the only municipality in which an increase was observed (6.7 %). Nevetheless, even in this municipality non urban parishes suffered a 21 % decrease. Thus, one observes a global decrease tendency in rural areas, which is only partially compensated by the urban growth. This growth, being mainly a result from better quality of general services, presents markedly exogenous characteristics, well represented by an increase from 3.5 % to 10.2 % in high school and University graduated inhabitants. Once again, Chaves represents the biggest progression index (16.2 %), presenting in 1999 a total of 938 teachers and 253 health workers. From 1992 to 1995 it was observed a 34 % increase in total municipally functioning expenses of the region. Recent data (2001), further illustrates the aforementioned exogenous character of the sudden progress in University graduates, since it shows that 61.5 % of the region's population had no more than the first 6 years of school and about one third of this amount presenting a complete illiteracy. Outside the urban centres, the main activity of the populations is still the Agriculture, which represents the most important economic activity - with an exception of Chaves and Vila Pouca de Aguiar (municipalities where it represents the 2nd place), after the tertiary economical sector. Family agro exploitations numbers are very high, in this region, amounting a total of 15.789 comprehending 46.608 subjects - from which 82.35 % do participate in production tasks. Workmanship volume in this area is also mostly represented by this activity, since a total volume of 20.022 annual labour units comes from those family activities (1999 data). So, generally speaking, we stand before a typical low income subsistence Agriculture, that cannot assure economic support to more than 18.6 % of the families. To most of these workers (51.3 %) the primary income source is not the agro exploitation itself and to 30.1 % of them that income is complemented with other sources. The main financial income of agro workers is welfare (55.7 %), followed by the tertiary sector activities (19.3 %) and only 13 % coming from the secondary sector - mostly from civil construction. These indicators mirror the population's age distribution - 36.9 % above 65 and 63.5 % above 55, but they also show the low level of agro productivity, since 51.3 % of families with a main income source other than this activity generate no more than 2.230 euros per year; and even the ones that depend mainly of agriculture present a value of 4.390 euros per year - a monthly mean below the National minimum wage. This situation roots both in the reduced physical dimensions of those exploitations - means of 7 Ha with 4 Ha of useful surface and in the inadequate agriculture - represented by the subsistence or complement policulture predominance (52.23 % of exploitations), and by the old age of most workers and theirs low qualifications (40 % without formal instruction from which 20 % total illiterate, 50 % with the first 6 years of school and only 0.34 % with any specific technical qualification). The professional training attendance itself is very low (4.2 %). Another obstacle to development of a profited agriculture roots in the weakness of the associative process, mainly in quality terms. We identified more than 50 associations and established contact with 15 of them. We observed several weaknesses in their structure: low index of subjects associative and economic participation, low capacity and target-distanced technical activity and an important grant dependence functioning. With this scenario, it is quite understandable that environmental approaches are observed in only 57 (0.36 %) exploitations and that no more than 332 (2.1 %) develop complementary activities Therefore, Alto Tâmega and Barroso region, as most of inland regions of Portugal, is currently facing hard challenges: A social and economical duality, with few urban centres presenting an accelerated tertiary process (due to imported models rather than to a natural self development) and rural regions suffering from continuing processes of depopulation and economical desertation. Subsistente Agriculture, based on policultures, practiced by an old population with low qualifications and unable to generate income levels that can provide financial support and prevent human desertification. Difficulties in physical access routes, both for products and people, due to a bad, although smalled area, traffic network. Inadequated qualification of economic tissue, reduced industrial activity (only 2.000 people, less than 5 % of actives, working in 188 industrial facilities in 1996 ), weak associative movement and low competition capacity - even in positive potential differentiation factors. Weak quality of the tourism offer, which is unable to support the landscape, sportive and cultural attraction factors of the region, well patented in a low occupation index of hotels. Total tourism lodging capacity - 1546 beds, recorded only 105.000 users in 1996 - corresponding to an occupation index less than 20 %, being most of that offer concentrated in one municipality - Chaves. However, overcoming of these obstacles can occur, by an integrated push off that takes advantage of the positive factors present, using them as a development lever: Landscape quality, including diverse attraction points (patrimonial, cultural, sportive, leisure, medicals, etc.). Handcraft tradition, still present in products such as pottery, smoked meats, fruit jams and bread, as well as an agro-products development potential. Quick increment of qualification level of young individuals, allowing the development of sustained economic practices. Improvements in regional competition capacity by a better quality of offer. Intensive use of Information and Communication Technologies, in a way that enables overcoming of deficiencies in physical access routes. High quality traditional agro products (fresh meats, smoked meats, chestnut), able to assure improvements in economic incomes based in a better commercialisation and a better process qualification.

dot Top


Objective

Text available in

The main idea that rules this project is a sustainable development, trough development and consolidation of the local enterprise spirit; that is, regional development trough a sustained improvement of population's incomes supported by an endogenous potential profitability and by a mobilization and qualification of local human resources' experience, culture and capacity. The main aims described in the initial project, materialize and give instrumental meaning to that idea: To develop an enterprise spirit (self-employment stimulus, rural associative motivation, informal capabilities valorisation and enterprisers/workers qualification/improvement), trough technical training and informatics application to better monitor and support enterprisers' decisions making. To affirm and improve the region's image (local products' publicitation, region's promotion, itinerary's establishment), trough a regional internet site and an interactive CD-Rom. To reinforce the role of institutions and support instruments (organizational re-establishment and technical qualification), trough development of two technical training tools: i) a software designed to the management of human resources and products; ii) a software designed to monitor and support general management both in individual and collective interventions.

dot Top


Innovation


Nature of the experimental activities to be implemented Rating
Guidance, counselling ***
Training **
Training on work place *
Employment aids (+ for self-employment) **
Integrated measures (pathway to integration) **
Training of teachers, trainers and staff *
Conception for training programs, certification **
Anticipation of technical changes **
Work organisation, improvement of access to work places **
Guidance and social services **
Awareness raising, information, publicity ***
Studies and analysis of discrimination features *

Type of innovation Rating
Process-oriented ***
Goal-oriented **
Context oriented **

Text available in

A valorização progressiva de aptidões académicas, mais do que técnicas, bem como a desvalorização social e profissional dos que as não possuem, tem conduzido a uma extinção progressiva de actividades características de determinadas regiões. Este processo, lesa essas comunidades a vários níveis, tendo custos sociais e económicos importantes. Logo, urge encontrar formas de manter e /ou recuperar práticas que, para além de constituírem um inegável património regional e nacional, permitam assegurar a viabilidade económica dessas práticas e, por consequência, melhorar as condições de vida das populações que as executam. Assim, os elementos inovadores e o valor acrescentado do presente projecto encontram-se sintetizados nos seguintes parágrafos, sendo adstritos a cada um dos parceiros da PD cuja intervenção assegure a consecução daqueles. Aprofundamento do conhecimento das competências informais de um publico alvo de baixa escolaridade e de características sócio-económicas muito específicas. (ARATM; Ferreira e Seixas Lda; Promoloures) Identificação e reconhecimento de produtos endógenos da região e das suas potencialidades de produção, promoção e comercialização (ARATM, Tradifoods). Reestruturação organizacional do movimento associativo de acordo com exigências actuais da globalização da economia, por forma a combater a desvalorização e descaracterização progressiva de práticas tradicionais (Ferreira e Seixas Lda; Promoloures; Traçostopo). Revalorização social e profissional de profissões em declínio, sendo assegurada desta forma um valor acrescentado à economia regional bem como o devido reconhecimento social do seus profissionais (Todos os parceiros). Qualificação e aperfeiçoamento de produtores artesanais, particularmente dos que desenvolvem actividades específicas da região e que constituem representantes vivos de práticas e saberes ancestrais com inegável valor cultural (ARATM; Ferreira e Seixas Lda). Desenvolvimento de uma ferramenta interactiva de promoção turística da região que leve a um público alvo alargado as características únicas da região e possibilite um reconhecimento e valorização progressiva destas (Jornal de Chaves; Ferreira e Seixas Lda; Promoloures). Implementar um modelo capaz de assegurar às populações rurais o acesso satisfatório aos serviços de base essenciais, possibilitando-lhes vias de disseminação das suas práticas e saberes bem como garantias acrescidas do potencial económico dos produtos resultantes da sua actividade (Jornal de Chaves, Ferreira e Seixas, Lda.). Preservação das condições ambientais naturais, respeitando os ecossistemas existentes e a biodiversidade, contribuindo desta forma para uma "economia ecológica" (Glaciar Aventura, Traçostopo). Perpetuação das tradicionais fileiras agro-alimentares com aquisição de dimensão competitiva, através da concentração da oferta e o desenvolvimento de técnicas de comercialização apropriadas (Tradifoods).

dot Top


Budget Action 2

1 000 000 – 1 500 000 €

dot Top


Beneficiaries


Assistance to persons 
Unemployed  10.0%  10.0% 
Employed  40.0%  40.0% 
Others (without status, social beneficiaries...)  0.0%  0.0% 
  100.0% 
 
Migrants, ethnic minorities, …  0.0%  0.0% 
Asylum seekers  0.0%  0.0% 
Population not migrant and not asylum seeker  50.0%  50.0% 
  100.0%
 
Physical Impairment  0.0%  0.0% 
Mental Impairment  0.0%  0.0% 
Mental Illness  0.0%  0.0% 
Population not suffering from a disability  50.0%  50.0% 
  100.0% 
 
Substance abusers 0.0%  0.0% 
Homeless  0.0%  0.0% 
(Ex-)prisoners  0.0%  0.0% 
Other discriminated (religion, sexual orientation)  0.0%  0.0% 
Without such specific discriminations  50.0%  50.0% 
  100.0% 
 
< 25 year  5.0%  5.0% 
25 - 50 year  37.5%  37.5% 
> 50 year  7.5%  7.5% 
   100.0% 

Assistance to structures and systems and accompanying measures Rating
Gender discrimination *
Support to entrepreneurship ***
Discrimination and inequality in employment *
Other discriminations *
Low qualification **
Unemployment **

dot Top


Empowerment

 

 With beneficiaries

Participation
Promoting individual empowerment
Developing collective responsibility and capacity for action
Participation in the project design
Participation in running and evaluating activities
Changing attitudes and behavior of key actors

 

 Between national partners

N.C.

dot Top


Transnationality

 

 Linguistic skills

  • português
  • português
  • English
  • español (castellano)

 Percentage of the budget for transnational activities

  • 0.1%

 Transnational Co-operation Partnerships

Transnational Co-operation Agreement DPs involved
1056 VASD - Value Added Sustainable Development ES ES272
IT IT-G-CAM-107
IT IT-G-UMB-009

dot Top


Background

 

 Involvment in previous EU programmes

  • Nobody involved in A&E

dot Top


National Partners


Partner To be contacted for
Ferreira e Seixas Lda Design of the project
DP managing organisation
Evaluation
Monitoring, data collection
Associação Regional dos Agricultores das Terras de Montenegro Co-ordination of experimental activities
Bosque Projectos de Engenharia Lda
Glaciar Aventura, Soc. de Animação turistica, Lazer e Trabalhos Verticais Lda
Jornal de Chaves, Lda
Promoloures, Desenvolvimento Empresarial, Crl Transnational partnership
Tradifoods-comércio internacional de produtos alimentares,Lda
Traçostopo Serviços de Topografia Lda

dot Top


Agreement Summary

Text available in

The partnership integrates 8 members from the private and social economy sectors, namely business service providers (management support, training, commerce) adventure sports,topography,rural development The project is aimed at promoting the rural sustainable development through integrated strategies involving the local actors thus leading to: Support the adaptation of businesses and new business prospect through more effective management methods and tools based on quality improvement and the enhancement of natural and human resources in particular in key rural sectors such as Tourism,Agro-food and Handcraft Improve the region's image through the identification and promotion of its natural resources and historical-cultural background Reinforce the role of local actors improving their intervention skills. Products: Interactive CD-Rom of Touristic Information WebSite of regional Information Members and Products Management Software Management Follow-up Software for Managers and Artisans Training Tools and Support Guides The project has a general coordinator. Each partner has a coordination role being responsible for one or more activities according to its vocation and skill, nominate members for the working teams and manage its own bubget Coordination meetings will allow partners to follow up the development of the activities and products ICT will be the main tool for sharing information and materials Decisions will be taken by majority Added Value of Transnational Activities: Improving diagnosis methodology regarding the identification of main obstacles and opportunities to sustainable development Developing common approaches towards the identification of local resources that may be targeted as strategic advantages Testing and validation of the methodologies and products developed in the framework of the national project,within different contexts The products of the transnational work will be a Good Practice Guide to Sustainable Development and the WebSite

Last update: 28-10-2005 dot Top


Ferreira e Seixas Lda

(F&S LDA)
Urbanização do Pessegueiro, lote 1, loja 1
-
P-5400-445-CHAVES Chaves

Tel:+351276301700
Fax:276301709
Email:-

 
Responsibility in the DP: Design of the project
DP managing organisation
Evaluation
Monitoring, data collection
Type of organisation:Enterprise
Legal status:Private
Size:Staff < 10
NUTS code:ALTO TRAS-OS-MONTES
Date of joining / leaving:07-03-2005 /

Text available in

Criada em 2000 a F & S, Lda., é uma empresa privada de prestação de serviços de apoio ao sector Agro Rural. Tem como missão contribuir para o desenvolv/ e progresso do sector e da Região, entendido como a melhoria da qualidade de vida das pessoas, acompanhada duma melhor salvaguarda do património endógeno da região. Na prossecução da sua missão, tem vindo a apostar fortemente na concepção, implementação e acompanhamento de projectos para os sues clientes na área agrícola e desenv/ rural, contribuindo desta forma para o aumento dos rendimentos dos seus clientes Em termos estratégicos e em prol do desenvolvimento da região tem vindo a estabelecer parcerias nacionais transnacionais para implementação de projectos no terreno. Assim é interlocutora de um projecto Equal (EE084), que se encontra em fase de conclusão, em pleno desenvolvimento um projecto POEFDS (143-rd-2003) concepção de Recursos didácticos para a mecanização agrícola e em fase de diagnóstico um projecto AGRO – Diagnóstico de necessidades e recursos didácticos para a Fileira da Cortiça, em parceria com a DGF entre outras. Entidade formadora nº 3467 INOFOR Acreditamos que a nossa verdadeira razão de ser é a satisfação integral dos nossos clientes nas áreas de: Desenv/ e implementação de projectos Formação Profissional Consultoria Apoio técnico E que, se trabalharmos com qualidade, na óptica dos nossos clientes e da sociedade em geral, os resultados a médio e longo prazo vêm por acréscimo Acreditamos que a região tem um lugar único de destaque a preencher nas sociedades de competição global em que nos inserimos Apostamos numa pequena equipa, de elevada qualidade técnica, altamente motivada, funcionando por projectos e objectivos



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Sérgio Manuel Alves Seixas Sérgio +351917856609 sergioseixas@mail.telepac.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 28-10-2005 dot Top


Associação Regional dos Agricultores das Terras de Montenegro

(ARATM)
Rua Dr. Francisco Sá Carneiro
-
P-5445-160-CARRAZEDO DE MONTENEGRO Valpaços
-

Tel:+351278781370
Fax:278781321
Email:-

 
Responsibility in the DP: Co-ordination of experimental activities
Type of organisation:Other
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:ALTO TRAS-OS-MONTES
Date of joining / leaving:31-03-2005 /

Text available in

A Associação Regional dos Agricultores das Terras de Montenegro, é uma Associação voltada para o desenvolvimento da região. A sua área de intervenção cinge-se à D.O.P. "Castanha da Padrela"(abrangendo os Concelhos de Valpaços, Chaves, Vila-Pouca-de-Aguiar e Murça). Como entidade sem fins lucrativos, tem como objectivos, incrementar, desenvolver e modernizar a agricultura na região, prestando apoio administrativo e técnico aos seus associados, visando promover a formação profissional nas mais diversas áreas do sector, informar, sensibilizar agricultores e população em geral para a necessidade crescente de modernização, não só tecnológica, bem como a mudança de atitude e mentalidades, que na região ainda constitui a principal barreira ao avanço e ao desenvolvimento.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Márcia Cláudia Martins Guedes Lopes Márcia +351278781370 altaba@mail.telepac.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 28-10-2005 dot Top


Bosque Projectos de Engenharia Lda

(-)
Rua de Santa Iria 28 cv Vila Real
-
P-5000-446-VILA REAL Vila Real

Tel:+351259321993
Fax:259327358
Email:gamaamarl@sapo.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Enterprise
Legal status:Private
Size:Staff < 10
NUTS code:DOURO
Date of joining / leaving:07-06-2002 /

Text available in

Elaboração e acompanhamento de projectos integrados em vários programas comunitários, na consultoria florestal essencialmente na vertente de produção e fito-sanidade, na consultoria agrária na perspectiva da multifuncionalidade das explorações, na form. pro. elaboração manuais técnicos, assim como no apoio à elaboração de programas de formação. Tem desenvolvido parcerias no sentido da prestação de um serviço mais profissional na consultoria financeira, de análise de investimentos agricolas. Tem também desenvolvido uma actividade cada vez mais importante no apoio do movimento associativo, proporcionando apoio nas áreas em que tal é solicitado. Sendo a sua área de intervenção prioritária a zona de T.M, integrada em parcerias no Alentejo, Ribatejo, Beira Interior e Norte Litoral. Tem sido desenvolvido um trabalho importante nos últimos doze anos, nomeadamente no acompanhamento de investimentos, definição de estratégias de gestão e formação profissional e em áreas cumonitárias (baldios)



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
João Carlos Lobão Telo Gama Amaral João +351964325660 gamaamaral@sapo.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 28-10-2005 dot Top


Glaciar Aventura, Soc. de Animação turistica, Lazer e Trabalhos Verticais Lda

(-)
Centro Comercial D. Diniz Loja 10
-
P-5000-600-VILA REAL Vila Real

Tel:+351259323326
Fax:259338063
Email:glaciar@mail.telepac.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Enterprise
Legal status:Private
Size:Staff < 10
NUTS code:DOURO
Date of joining / leaving:07-06-2002 /

Text available in

É uma sociedade por quotas, cujo o objectivo social é a animação turística, prestação de serviços em actividades de deaporto aventura. Trata-se de uma actividade que não obstante ser inovadora, se vai implementando paulatinamente por todo o pais, já que este apresenta as condições ideais para a sua pratica. É pois, uma actividade económica que pretende fomentar o aproveitamento do meio natural para a pratica de desporto e lazer que libertem todos os seus intervenientes do stress diário da vida urbana. A clientela promissora constituída por uma variada gama de clientes com idades compreendidas essencialmente entre os 18 e 40, dispostos a trocar a vida rotineira e fatigante por momentos de entretimento ao ar livre explorando todo o potencial da natureza. Facilmente podemos evidenciar as sinergias passíveis de se obter entre as actividades de turismo e desporto e evasão, promovendo-se desta forma a divulgação de espaços verdes, roteiros de índole cultural, dando-se a conhecer todo o TMAD



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Mário Manuel Sequeira Barroso Mário +351935060932 (Unknown) Entity contact person responsable for this project

Last update: 28-10-2005 dot Top


Jornal de Chaves, Lda

(-)
Praça de Camões, 12 A, Chaves, Vila Real
-
P-5400-150-CHAVES Chaves

Tel:+351276333333
Fax:276333034
Email:jbcesar@mail.telepac.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Enterprise
Legal status:Private
Size:Staff < 10
NUTS code:ALTO TRAS-OS-MONTES
Date of joining / leaving:07-06-2002 /

Text available in

O Semanário TRANSMONTANO foi a primeira publicação de Trás-Os-Montes e Alto Douro a admitir jornalistas profissionais no seu quadro de pessoal e a abrir delegações em cidades que não a da sua sede social (possui uma delegação na cidade de Vila Real e outra na cidade de Bragança). Em 1996, foi galardoado com o Prémio de Imprensa Regional, atribuido pelo Clube de Jornalistas de Lisboa, no âmbito dos Prémios Gazeta. Foi também o primeiro da sua região - e dos primeiros no país, considerando mesmo os jornais diários - a ter as suas edições completas na Internet (Junho de 1997).



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Joaquim Borges Pereira César Joaquim +351276333333 (Unknown) Entity contact person responsable for this project

Last update: 28-10-2005 dot Top


Promoloures, Desenvolvimento Empresarial, Crl

(PROMOLOURES CRL)
R. Almirante Gago Coutinho, nº 111 - Loja - Ponte da Bica
-
P-2675-886-RAMADA Odivelas
-

Tel:+351219348420
Fax:219348429
Email:promoloures@promoloures.pt

 
Responsibility in the DP: Transnational partnership
Type of organisation:Social economy enterprise
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:04-04-2005 /

Text available in

A PROMOLOURES é uma cooperativa de serviços que tem por objecto social a prestação de serviços de consultoria e formação profissional a empresas de pequena e média dimensão,nas àreas de gestão,reorganização,investimento, recursos humanos e marketing, dedicando-se fundamentalmente às seguintes actividades: Consultoria empresarial;Estudos de viabilidade e projectos de investimento para a criação de novas empresas; Diagnósticos estratégicos;Concepção e implementação de estratégias de desenvolvimento empresarial e de projectos de reestruturação;Análise, concepção e desenvolvimento de software de apoio à gestão; Diagnósticos de recursos Humanos, incluindo diagnósticos de necessidades de formação;Concepção, implementação, coordenação e avaliação de Planos de Formação;Monitoragem de acções de formação profissional nos dominios da sua competência especifica;Concepção e desenvolvimento de recursos técnico pedagógicos de apoio à formação presencial e a distância incluindo software de formação;



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Carla Alexandra Isidoro Pereira da Silva Carla +351219348420 promoloures@promoloures.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 28-10-2005 dot Top


Tradifoods-comércio internacional de produtos alimentares,Lda

(-)
Rua da Esperança s/n.º
-
P-2775-000-(Desconhecida) Cascais

Tel:+35121-4587670
Fax:21-4587669
Email:tradifoods@mail.telepac.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Enterprise
Legal status:Private
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:07-06-2002 /

Text available in

A empresa tem por objecto social a comercialização, transformação, embalamento, promoção e divulgação dos produtos alimentares no mercado nacional e internacional. A sociedade tem também por objecto a prestação de serviços em áreas de apoio técnico, tecnológico, comercialização. A sociedade tem por objecto a comercialização, promoção e divulgação de produtos regionais e tradicionais.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Manuel José Baptista Maia Manuel +351214587670 (Unknown) Entity contact person responsable for this project

Last update: 28-10-2005 dot Top


Traçostopo Serviços de Topografia Lda

(-)
Rua Sarmento Pimentel 358 1º Drt
-
P-4450-790-MATOSINHOS Matosinhos

Tel:+351229372860
Fax:
Email:

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Enterprise
Legal status:Private
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE PORTO
Date of joining / leaving:07-06-2002 /

Text available in

È uma sociedade comercial de responsabilidade imitada, cuso o obejecto social conciste na prestação de serviços de topografia prestando também consultoria no âmbito da formação profissional, implementação de projectos topográficos. Desenvolve e aplica métodos de levantamento de percursos naturais e topográficos.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Emilia Paula da Silva Teixeira Emilia +351917817408 (Unknown) Entity contact person responsable for this project

Last update: 28-10-2005 dot Top



 
 
 
 

 
 
 
 

 
 
 
 
Warning! This section is not meant to be read directly, but rather be navigated through from the main page above.
 
 
 
 

TURISMO NO ALTO TAMEGA E BARROSO

Rationale

Text available in

Localizada no Nordeste Transmontano, junto à fronteira com Espanha, integrando, em grande parte a bacia hidrográfica do Alto Tâmega, a região alvo do projecto é praticamente coincidente com a Região de Turismo do Alto Tâmega e Barroso. Trata-se de uma região encaixada entre serranias, de que se destacam as do Larouco, da Cabreira, da Padrela, do Alvão, do Brunheiro, culminando todas a mais de 1.000 m. Entre as zonas montanhosas, os rios (designadamente o Tâmega) depositaram aluviões, criando planícies de dimensão razoável a cotas relativamente baixas, a que constituem excepção as terras altas do planalto de Montalegre. Nestas planícies (e mais ainda nas encostas confinantes) concentra-se tradicionalmente uma população associada em pequenos lugares (149 freguesias nos 5 concelhos), dedicando-se, desde sempre, à policultura de subsistência, combinada com a exploração das pastagens e dos bosques comunitários. Os 5 concelhos em que o projecto intervirá (Boticas, Chaves, Montalegre, Valpaços e Vila Pouca de Aguiar), apresentam, assim uma certa unidade paisagística (mais planos Chaves e Vila Pouca, mais acidentados os restantes. A Região é povoada desde tempos ancestrais, na medida em que o Vale do Tâmega sempre constituiu uma via de penetração estabelecendo uma boa ligação com o litoral por Amarante, quer com objectivos comerciais, quer militares, como testemunham as estações arqueológicas, monumentos megalíticos e castros, os abundantes vestígios de ocupação e urbanização romanas, de que são exemplo as estradas e pontes, bem como a exploração termal e a própria criação de Aquae Flaviae e, em tempos mais recentes, a penetração da 2ª invasão francesa (na direcção de Amarante - Porto) e as incursões monárquicas de 1912. A paisagem de montanha e o seu modo de vida característico e o relativo isolamento (nomeadamente face às culturas dominantes do litoral) propiciaram a manutenção de tradições e processos culturais ancestrais, mais marcados nas terras altas do Barroso, de que as tradições comunitárias de Pitões das Junias e culturais reavivadas em Vilar de Perdizes são exemplo. A área total da região é de 2.680 Km2 (cerca de 3% da superfície do Continente), com uma população total de 97.357 habitantes (2001), dos quais cerca de 45 % no concelho de Chaves. A densidade populacional é, assim, reduzida (36 hab./Km2), embora com zonas de elevada densidade. A população da região apresenta nos últimos dez anos dois movimentos contrários, de crescimento nos núcleos urbanos (mais 54 %) e particularmente na cidade de Chaves (mais 60 % nos últimos 10 anos) e de declínio na restante região (- 21 %, no mesmo período). Globalmente a região viu a sua população reduzida de 6,4 %, sendo que mesmo no concelho de Chaves, o único cuja população cresceu (+ 6,7 %), as freguesias não urbanas reduziram a sua população de 21 %. Verifica-se, assim, um continuado decréscimo da população no espaço rural, só parcialmente compensado pelo crescimento urbano. Este crescimento apresenta características acentuadamente exógenas, ainda que resultante da melhoria dos serviços à disposição das populações, bem patente no número de habitantes habilitados com o ensino médio ou superior, que passou de 3,5 % para 10,2 %, nos últimos 10 anos, apresentando uma concentração na cidade de Chaves de 16,2 % da população (938 professores e 253 profissionais de saúde, no concelho, em 1999, por exemplo, um crescimento da despesa de funcionamento dos municípios da região de 34 %, entre 1992 e 1995). Ainda em 2001, 61,5 % da população da região tinha como habilitação máxima o 1º ciclo do ensino básico (destes cerca de 1/3 não tendo qualquer grau de ensino), o que acentua o carácter exógeno do súbito crescimento do número de indivíduos com formação superior. Fora dos centros urbanos, a actividade dominante das populações continua a ser a agricultura, que constitui a primeira actividade excepto em Chaves e Vila Pouca de Aguiar (concelhos em que é a segunda actividade, logo a seguir ao terciário). O número de explorações agrícolas familiares é muito elevado, na região, com um total de 15.789 explorações (46.608 pessoas constituíam a população agrícola familiar das quais 82,35 % exerciam alguma actividade agrícola na exploração). A actividade agrícola é na região a que ocupa maior volume de mão-de-obra, na medida em que esta população agrícola familiar fornecia em 1999 às suas exploração um total anual de 20.022 UTA (Unidade de Trabalho Anual). No geral estamos, no entanto, perante uma agricultura de subsistência, de reduzido rendimento, que não consegue assegurar o sustento senão de 18,6% dos agregados que a ela se dedicam. Para a maioria dos agricultores (51,3%) as fontes primárias de rendimento não se encontram na exploração agrícola e para outros 30,1% o rendimento da exploração tem de ser complementado por outras fontes. A maior origem de rendimentos da população agrícola são as pensões, recebidas por 55,7% dos agricultores, logo seguidas das actividades do sector terciário (19,3%), sendo de notar que o sector secundário apenas contribui com 13 % das fontes de rendimento (na maioria construção civil). Estes indicadores espelham desde logo, a idade avançada da maioria dos agricultores, 36,9 % com mais de 65 anos e 63,5 % com mais de 55 anos, mas constituem um importante indicador do reduzido nível de rendimento gerado pela actividade agrícola, já que os 51,3% dos agregados com rendimento principal exterior à exploração conseguem gerar uma margem bruta média de apenas 2.230 ?/ano e mesmo os que obtém a maioria do seu rendimento da exploração apresentam uma margem bruta média de 4.390 ? (marginalmente inferior ao Salário Mínimo Nacional). Esta situação decorre, por um lado, da reduzida dimensão da propriedade (média de 4 ha e 7 ha de SAU), mas, também, de uma agricultura desadaptada, com predomínio da policultura de subsistência ou complemento (52,23% das explorações), da idade avançada da maioria dos agricultores e de uma reduzida qualificação (40 % sem qualquer nível de instrução formal, dos quais 20% analfabetos, outros 50 % com o 1º ciclo do ensino básico, apenas 0,34% frequentaram qualquer grau de ensino agrícola). A própria formação profissional é reduzidíssima, tendo sido apenas frequentada por 4,2% dos produtores agrícolas. Outro dos obstáculos ao desenvolvimento de uma actividade agrícola que permita sustentar o rendimento dos agricultores reside na debilidade do associativismo, designadamente na sua debilidade qualitativa. Identificadas mais de 50 estruturas associativas (associações e cooperativas) foi estabelecido contacto com uma quinzena, tendo-se constatado a sua debilidade estrutural e associativa (pouca participação dos associados - quer associativa, quer económica, débil estrutura técnica, na maior parte dos casos desfasada dos associados, actividade limitada à esfera da subsidiação). Não admira, portanto, que as práticas agrícolas de integração ambiental só estejam presentes em 57 explorações (0,36 % do total) e que só 332 explorações (2,1% do total) desenvolvam actividades complementares na exploração (artesanato, turismo rural, transformação de produtos agrícolas e florestais). A Região do Alto Tâmega e Barroso está, assim, como de um modo geral todo o interior nacional, perante desafios difíceis: Dualidade socio-económica, com poucos centros urbanos em fase de terceirização acelerada, não como resultado de um processo de desenvolvimento natural, mas antes importado e zonas rurais continuando o processo de despovoamento e abandono económico. Agricultura de subsistência, baseada na policultura, praticada por uma população agrícola envelhecida, pouco qualificada, incapaz de gerar o nível de rendimento necessário ao sustento dos agregados e motivar a sua fixação. Dificuldade de acessibilidade, designadamente de proximidade e interior à região, quer para mercadorias, quer para pessoas, numa sub-região que se estende ao longo de 120 Km de estrada na maior dimensão e de 60 Km na menor dimensão (qualquer delas inadequadas ao tráfego actual). Deficiente qualificação do tecido económico, reduzida actividade industrial (numa população activa que se aproximará das 45.000 pessoas apenas 2.000 - menos de 5% estavam em 1996 ocupadas nos 188 estabelecimentos industriais existentes), associativismo débil, pouca competitividade, mesmo nos factores de potencial diferenciação positiva. Debilidade qualitativa da oferta turística, incapaz de sustentar os factores de atracção turísticos, quer sejam paisagísticos, desportivos ou culturais, bem patente na reduzida taxa de ocupação da capacidade hoteleira (as 1546 camas quase todas concentradas no concelho de Chaves - o termalismo é um factor dessa concentração - registaram, em 1996, 105.000 dormidas, a que corresponde uma taxa de ocupação inferior a 20 %). A superação destas dificuldades pode, no entanto, partir dos factores positivos, que estão presentes, utilizando-os como alavanca de desenvolvimento: Qualidade paisagística, incluindo pontos de atracção diversificados (patrimoniais, culturais, desportivos, de lazer, medicinais, etc.). Tradição artesanal, ainda actuante em produtos como a cerâmica, o fumeiro, as compotas, o pão, e potencial agrícola para desenvolver produções sustentáveis e tradicionais da região, susceptíveis de permitir mais valor acrescentado na exploração agrícola. Rápido incremento do nível de qualificação das camadas etárias mais jovens, nos últimos anos, propiciando um desenvolvimento da utilização de práticas económicas sustentáveis, a melhoria da competitividade regional pela via da qualidade da oferta, a utilização intensiva das TIC por forma a superar deficiências das acessibilidades Produtos agrícolas tradicionais de qualidade e notoriedade (carnes verdes, fumeiro, castanha), potenciando uma melhoria do rendimento agrícola, a partir de uma melhor comercialização e qualificação dos processos. Superar as deficiências, tirando partido das vantagens é a via do desenvolvimento sustentado da região.

dot Top


Objective

Text available in

A ideia central que preside à realização do projecto é a do desenvolvimento sustentável, através do desenvolvimento e consolidação do espírito de iniciativa local (em sentido lato), ou seja, do desenvolvimento da região através da melhoria sustentada do rendimento das suas populações, suportado num aproveitamento do potencial endógeno e na mobilização e qualificação da experiência, cultura e competências dos recursos humanos locais. O conjunto dos objectivos descritos na fase inicial do projecto concretiza esta perspectiva ou são em relação a ela, instrumentais; Desenvolvimento espírito de iniciativa (incentivos ao auto-emprego, sensibilização para o associativismo rural, valorização das competências informais, e qualificação/aperfeiçoamento dos empresários/artesãos) com as acções de formação/sensibilização e uma aplicação informática para monitorar e apoiar a tomada de decisão de empresários. Melhoria/Afirmação imagem da região (divulgação dos produtos da terra, promoção da região, levantamento dos roteiros) através do site regional e CD-ROM interactivo. Reforço do papel das instituições e instrumentos de apoio (Reestruturação das organizações, qualificação dos técnicos), com o desenvolvimento de ferramentas de formação e um software de gestão de sócios e produções e software de monitorização e apoio à gestão de empresários e artesãos.

dot Top



Logo EQUAL

Home page
DP Search
TCA Search
Help
Set Language Order
Statistics