IMPORTANT LEGAL NOTICE
 

 nova agricultura - novo desenvolvimento rural ascii version

Portugal

 
DP Managing organisation : MONTE - Desenvolvimento Alentejo Central - A.C.E.
Other national partners : ALIENDE - Associação para o Desenvolvimento Local
Assoc de Agricultores do Distrito de Évora
RECICLOTECA CONSUMIVEIS DE INFORMATICA UNIPESSOAL LDA
Universidade de Évora
EQUAL theme :Employability - (Re-)integration to the labour market 
Type of DP :Sectoral - Agriculture 
DP Legal status :Association without legal form 
DP identification :PT-2004-051 
Application phase :Approved for action 2 
Selection date :05-08-2005 
Last update :05-11-2007 
Monitoring: 2005  2006   

Rationale

Text available in

- The dimension of the agrarian structures in the intervention area is competitive. The perception, by society, of agriculture as a manager of natural resources Grants from the common agricultural policy are being transferred from payment to the production to payment for environmental servicesDevelopment of markets connected with the protection of environment Development of markets with articulation between tourism and agriculture, such as oenotourism and agro-tourism.Significant role of agriculture in the region's job offerWeather conditions favourable for productions such as wine and olive oilProduction and growing of competitive regional sectors (wine, Mediterranean pig, ...)Expansion of the hunting activity Presence of a highly competitive product: corkMultiple functions for cork forestsGeographic proximity of urban centres and social classes with high purchasing power, specially from Lisboa and ÉvoraVolume of young handwork available, and with will to remain in the territoryPossibility to diversify with the construction of the hydro-agricultural project of Alqueva, - Agriculture as a social marginal profession (farmers as an apart social group)Farmers with low scholarshipActive workers with low entrepreneurshipLow attraction of youngsters for this sector Low wages associated to non qualified work in farmsHigh unemployment rate in rural areas, specially from youngstersMost unemployed youngsters have low scholar degrees and scarce technical trainingInexistence of specific training offer in the areas connected with the sector, such as environment or rural development.Competitive regional strategies based at the extension of production (reduction of costs)Farmer's deficient technical capacities Continuity of traditional productions with low profitsExcessive dependence of agricultural grants Few enlightenment of the common agricultural policy reformFew advantage taken off landscape and environmental servicesLow articulation between investigation and agrarian productionOther actors on the territory (municipalities, tourism enterprises, ...) have scarce or no knowledge at all of the sector.Low profit productions, like cereals

dot Top


Objective

Text available in

The project “New Agriculture – New Rural Development” has settled as main goal to conceive and implement a new profession in agriculture, bearing in mind the specific reality of Alentejo Central region – NUTIII, being sustained by the transformation processes occurring both in the agricultural sector and in the rural world. These alterations may, fundamentally, be resumed into two points: 1. the devaluation of undifferentiated productions; 2. profound reform of the supporting politics for the agricultural sector, under the World Trade Organisation guidance. The new employability models will be perspective regarding the impacts of these changes in the Alentejo Central agriculture. Based on the diagnosis made, product quality and the relation between agriculture and environment have been identified as two of the main vectors in the occurring transformation within the agricultural sector. This has been the perception of farmers, technicians and (enthusiastic) students involved in the diagnosis; the achieved conclusions were also sustained by the sector study performed by IQF (Instituto para a Qualidade na Formação). It is intended to build the model based on two postulates: 1. the valuation of the agricultural professions amongst unemployed youngsters, provided that they have finished the mandatory school; 2. articulation between the agricultural sector, the rural development and mainly the environment. In this perspective, four specific goals have been defined: 1st- The construction of a strategy to insert, in the project, the actors belonging to the territory: farmers, policy makers, researchers and the associative/cooperative sector. The conclusions achieved will be included in the project itself, residing there the empowerment strategy designed for it. 2nd. To build a promotional strategy for the emerging professions in the agricultural sector, focusing on its needs and the ones of the territory (Alentejo Central), aiming to create new jobs. In this context, it will be considered the competencies associated to the landscape ecology, biophysical ordainment and its transposition to agriculture. The first two goals are interconnected for the second one intends to synthesise the conclusions form the reflection about the agricultural employment, considering the global changes happening in the European context and its impact in the local reality. 3rd. Design and execute the formation course in the frame of the new jobs for the youngsters that have finished the mandatory education. 4th. Organize training workshops for the project partners, creating in them sufficient competences that will allow them to tutorize the proposed/prognosticated change in the sector. In particular, it should be pointed out the training in gender equality and innovation.

dot Top


Innovation


Nature of the experimental activities to be implemented Rating
Training ****
Anticipation of technical changes ****

Type of innovation Rating
Process-oriented ****
Goal-oriented ***
Context oriented ****

dot Top


Budget Action 2

250 000 – 500 000 €

dot Top


Beneficiaries


Assistance to persons 
Unemployed  9.6%  8.8% 
Employed  28.8%  52.8% 
Others (without status, social beneficiaries...)  0.0%  0.0% 
  100.0% 
 
Migrants, ethnic minorities, …  0.0%  0.0% 
Asylum seekers  0.0%  0.0% 
Population not migrant and not asylum seeker  38.4%  61.6% 
  100.0%
 
Physical Impairment  0.0%  0.0% 
Mental Impairment  0.0%  0.0% 
Mental Illness  0.0%  0.0% 
Population not suffering from a disability  38.4%  61.6% 
  100.0% 
 
Substance abusers 0.0%  0.0% 
Homeless  0.0%  0.0% 
(Ex-)prisoners  0.0%  0.0% 
Other discriminated (religion, sexual orientation)  0.0%  0.0% 
Without such specific discriminations  38.4%  61.6% 
  100.0% 
 
< 25 year  9.6%  8.8% 
25 - 50 year  28.8%  36.8% 
> 50 year  0.0%  16.0% 
   100.0% 

Assistance to structures and systems and accompanying measures Rating
Unemployment ****

dot Top


Empowerment

 

 With beneficiaries

Participation
Promoting individual empowerment
Developing collective responsibility and capacity for action
Participation in the project design
Participation in running and evaluating activities
Changing attitudes and behavior of key actors

 

 Between national partners

N.C.

dot Top


Transnationality

 

 Linguistic skills

  • português

 Percentage of the budget for transnational activities

  • 0.1%

 Transnational Co-operation Partnerships

Transnational Co-operation Agreement DPs involved
3558 TELNET TCA CZ 36
NL 2004/EQC/0018
UKgb 163

dot Top


Background

 

N.C.

dot Top


National Partners


Partner To be contacted for
MONTE - Desenvolvimento Alentejo Central - A.C.E. Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Evaluation
Monitoring, data collection
Transnational partnership
ALIENDE - Associação para o Desenvolvimento Local
Assoc de Agricultores do Distrito de Évora
RECICLOTECA CONSUMIVEIS DE INFORMATICA UNIPESSOAL LDA
Universidade de Évora

dot Top


Agreement Summary

Text available in

Resumo do Acordo de PD Os parceiros acordam: 1. Objectivos comuns 1.1 Desenvolver em conjunto o projecto acima referenciado, cujo diagnóstico, objectivos, actividades, resultados e processo de avaliação, e plano de financiamento se descrevem no formulário de candidatura à acção 2. 2. Estruturas e processo de funcionamento da Parceria 2.1 Criar à partida as seguintes estruturas de gestão e funcionamento: Sistema de gestão do projecto: Níveis de participação e articulação dos parceiros no projecto 1 - Parceria Alargada Composição: Parceiros da parceria de desenvolvimento e um conjunto de instituições directamente interessadas no projecto que o qualificam com diferentes tipos de contributos. Funções: Parametrizar instituicionalmente e desenvolver o interface com outros stakeholders. A PA define orientações estratégicas para o projecto e incorpora os interesses dos stakeholders. 2 - Parceria de Desenvolvimento Composição: Parceiros que subscreveram o acordo de parceria. Funções: Planeamento estratégico, a avaliação para o replaneamento, a avaliação da monitorização e a incorporação do projecto nas estratégias institucionais do sector no território 3 - Núcleo de Gestão Composição: Técnicos com mandato de execução operacional dos parceiros com responsabilidade de execução: Monte-ACE/Aliende. Funções: Coordenação global do projecto, articulação e coerência das actividades, acesso à informação em tempo útil a todos os stakholders, dinamização logística para a implementação do projecto e a facilitação de todos os processos comunicacionais, planeamento, monitorização, avaliação e decisão. 4 - Entidade Interlocutora Composição: Monte-ACE. Funções: Assegurar os protocolos de funcionamento contratualizados com o gabinete Equal 5 - Responsável pela execução de actividade Composição: Parceiro definido para a execução das actividades. Funções: Planeamento operacional das actividades sua monitorização, implementação e mobilização de recursos. 6 - Entidade de Recurso Composição: Parceiros definidos pelo projecto que mobilizam recursos para a realização das actividades. Funções: Mobilizar e disponibilizar recursos para a realização das actividades de acordo com as suas competências especificas e participar na implementação das actividades. 2.2 Implementar o seguinte processo de tomada decisão (destacar nomeadamente processos de dos parceiros, mecanismos que promovam a igualdade de género, etc.): Implantação do sistema de decisão 1 - Decisão ao nível da Parceria Alargada A parceria alargada toma decisões estratégicas sobre a integração do projecto no território e no sector. Está centrada num conjunto alargado de parceiros que representam os interesses dos stakholders. A parceria alargada decide sobre as necessidades prioritárias do sector e do território. A parceria alargada decide sobre o referencial técnico do projecto. A parceria alargada define a política de intervenção do projecto. 2 - Decisão ao nível da Parceria de Desenvolvimento A parceria de desenvolvimento decide sobre a estratégia do desenho e acompanhamento do projecto: decisão sobre prioridades de intervenção; definição dos produtos adequados ao referencial técnico; define e desenha as intervenções de acordo com as políticas do projecto; decide sobre a orientação estratégica e replaneamento do projecto. 3 - Decisão ao nível do Núcleo de Gestão O núcleo de gestão decide sobre o campo de gestão, coordenação e implementação do projecto: Decide sobre os processos relacionados com o planeamento e a avaliação; Define a operacionalização dos processos de facilitação da comunicação entre os vários níveis de decisão do projecto; Define os procedimento de articulação e coordenação entre as actividades dos parceiros. 4 - Decisão ao nível da Entidade Interlocutora Define o interface de comunicação e relação institucional entre os parceiros do projecto e o gabinete de gestão Equal. Adequa os procedimentos do projecto às normas de gestão do gabinete Equal. 5 - Decisão ao nível da entidade executora da actividade Decide sobre metodologia de execução e operacionalização das actividades: Decide sobre gestão de recursos afectos à actividade; Decide sobre o plano operacional da actividade; Decide sobre replaneamento operacional da actividade. 6 - Decisão ao nível da entidade recurso Decide sobre a afectação e mobilização de recursos próprios para a realização das actividades. Modelo Global do projecto/Princípios orientadores: 1 - A decisão estratégica sobre o projecto deve estar centra na comunidade institucional e territorial (stakeholdres), de modo a que o projecto responda às reais necessidades dos actores. 2 - O sistema de decisão estratégico do projecto é horizontal baseado no conceito de forma participativa de modo a eliminar barreiras institucionais inviabilizadoras dos interesses a que o projecto deve responder. 3 - A relação entre os diferentes níveis de decisão do projecto deve focalizar o projecto com resposta às necessidades identificadas no mesmo - o nível de decisão interno do projecto deve responder a parâmetros de intervenção definidos no diagnóstico de necessidade do território. 4 - A articulação entre o nível estratégico e operacional do projecto procura optimizar o nível de decisão de cada parceiro do projecto no âmbito da intervenção. 5 - Cada parceiro deve participar no máximo de níveis de decisão tendo definido o seu âmbito de decisão em cada um deles. 6 - O núcleo de gestão do projecto deve operacionalizar o modelo de gestão participativa de modo a que cada decisão incorporar o máximo de decisão de cada parceiro. 2.3 Assegurar a transparência da informação interna relativa ao projecto e à parceria, que será disponibilizada a todos os parceiros da seguinte forma ( ex. recurso às TIC...): O projecto vai garantir a transparência da decisão e acesso à informação: 1 - toda a informação relevante sobre o projecto está acessível e é direccionada sem barreiras de acesso aos parceiros e stakeholdrs. 2 - a informação de suporte em todos os níveis de decisão está igualmente acessível. 3 - o sistema de monitorização está implementado de modo a garantir registo eficiente e adequado da informação pertinente do projecto. 4 - o sistema de informação garante que são produzidos os relatórios de execução da actividade, de gestão do projecto, de avaliação e de monitorização de modo a sistematizar de modo acessível aos parceiros toda a informação relevante sobre o projecto. 5 - os suportes de acesso à informação são desenhados de modo a garantir a eliminação de barreiras e eliminação de conteúdos 6 - a informação relevante produzida como resultado das actividades do projecto está sistematizada e organizada de modo acessível Mecanismo privilegiados de acesso e difusão da informação: 1 - actividade 10: Criação de um site como centro de recursos on-line do projecto e espaço priveligiado de comunicação entre os elementos envolvidos no projecto. 3 - actividade 2: Painel de integração .... mecanismo de controlo e acompanhamento da transparência e da acessibilidade à informação do projecto. 4 - Modelo de gestão participativa do projecto presente nos diferentes níveis de decisão e incorporador de uma participação activa dos mesmos. 5 - Avaliação independente enquanto mecanismo de produção de uma reflexão critica e sistematizada com suportes metodológicos adequados. 2.4 Assegurar que a difusão pública dos resultados do projecto, finais ou provisórios, só será efectuada após anuência do(s) parceiro(s) envolvido(s) na sua concepção. 3. Recursos técnicos 3.1 Assegurar estabilidade nos recursos técnicos afectos ao projecto. 4. Ajustamento da parceria 4.1 Proceder ao ajustamento da parceria, à saída ou entrada de novos parceiros, ou eventual revisão deste Acordo, nomeadamente se a avaliação do projecto o indicar como necessário.

Last update: 05-11-2007 dot Top


MONTE - Desenvolvimento Alentejo Central - A.C.E.

(MONTE-ACE)
Rua Joaquim Basílio Lopes, Nº1
-
P-7040-066-ARRAIOLOS Arraiolos

Tel:+351266490090
Fax:
Email:-

 
Responsibility in the DP: Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Evaluation
Monitoring, data collection
Transnational partnership
Type of organisation:Other
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:ALENTEJO CENTRAL
Date of joining / leaving:07-04-2004 /

Text available in

O Monte é uma entidade privada que reveste a forma jurídica de A.C.E., com sede em Arraiolos. A sua criação resulta de uma aposta num projecto de desenvolvimento de 4 Associações de Desenvolvimento Local: Aliende - Associação de Desenvolvimento Local;ADIM - Associação de Defesa dos Interessase de Monsaraz; ADMC - Associação de Desenvolvimento Montes Claros e TRILHO - Associação para o Desenvolvimento Rural. O Monte tem por objectivo conceber e implementar intervenções que promovam o Desenvolvimento da Região Alentejo Central, na àrea sócio-económica, formação profissional (acreditado como entidade formadora pelo INOFOR em todos os dominíos à excepção da avaliação), emprego e valorização da identidade local/regional. Na concretização destes objectivos é fundamental o papel desempenhado pelas 4 ADL's associadas do Monte as quais emprestam um conjunto diverso de competências que reforçam a concertação e a criação de parcerias. A filosofia de actuação e gestão do Monte baseia-se na complementaridade e descentralização da sua intervenção, aproveitando sinergias e uma identidade própria, que se pretende maior e diferente que o sumatório das partes. Mais recentemente o Monte tornou-se uma Organização não Governamental para o Desenvolvimento (ONGD) conferindo-lhe estatuto de entidade de utilidade pública, permitindo, deste modo, alargar o âmbito da sua intervenção.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Inácia Lopes Rebocho Inácia +351266490090 inacia.lrebocho@monte-ace.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 05-11-2007 dot Top


ALIENDE - Associação para o Desenvolvimento Local

(ALIENDE)
Avenida da Escola, n.º 34
-
P-7200-053-MONTOITO Redondo
-

Tel:+351266530140
Fax:266530142
Email:-

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Other
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:ALENTEJO CENTRAL
Date of joining / leaving:08-10-2007 /

Text available in

1 - Vocação e projecto: Assumindo como seu projecto "a promoção do desenvolvimento sustentado e integrado, de âmbito local, visando combater a desertificação humana e a exclusão social em mico-regiões do Alentejo", a Aliende propõe-se estatutáriamente, para a sua consecução: Promover apoiar e realizar fundamentalmente actividades orientadas para o desenvolvimento local, promover o desenvolvimento dos recursos humanos, dinamizar a actividade agricula numa prespectiva de desenvolvimento agro-rural de caracter sustentável e inovador, valorizar a cultura local, o ambiente natural e o património construído, promover a animação sociocultural, apoiar os grupos desfavoredidos e contribuir para reduzir as diferenças de genéro, promovendo a igualdade de oportunidades. 2 - Área de Intervenção: Tendo estatutáiamente definida uma intervenção em micro-regiões do Alentejo, a Aliende vem intervindo preferêncialmente, em razão do seu conhecimento e implantação no território e em razão das suas capacidade operacionais numa sub-região do alentejo compreendida grosso modo no triângulo de Évora, Rio Guadiana e Zona dos Mármores



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Jorge Coelho Jorge +351266530140 jorgecoelho@aliende.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 05-11-2007 dot Top


Assoc de Agricultores do Distrito de Évora

(AADE)
Rua Diana de Liz - Horta do Bispo
-
P-7002-502-ÉVORA Évora
-

Tel:+351266769380
Fax:266769381
Email:aade@mail.telepac.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Other
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:ALENTEJO CENTRAL
Date of joining / leaving:09-10-2007 /

Text available in

A Associação de Agricultores do Distrito de Évora foi fundada em 8 de Janeiro de 1975, com a designação de Associação Livre de Agricultores do Concelho de Évora e Viana do Alentejo, com o fim de representar os agricultores seus associados junto dos organismos governamentais, organizações similares e sindicatos, essencialmente apoiando os seus associados no processo de defesa das suas propriedades e dos interesses da propriedade privada. Em 12 de Abril de 1975, passa a ter a designação que ainda hoje possui, Associação de Agricultores do Distrito de Évora (AADE), com o objectivo de alargar a sua área de acção a todo o Distrito. Por crescentes solicitações desde 30 de Dezembro de 1984, participa, juntamente com o Sindicato dos Empregados, Técnicos e Assalariados Agrícolas - SETAA, na discussão do contrato de trabalho para a agricultura. Tem actualmente cerca de 850 sócios, tendo como principais preocupações a sua defesa junto ao poder público, a divulgação, informação e o apoio técnico. A informação, tem sido a acção prioritária, efectuada essencialmente através de um boletim informativo enviado gratuitamente, promovendo sessões, colóquios e conferências o que proporciona uma actualização de conhecimentos permanentes aos associados. Com a refiliação na CAP, a AADE passou a ser entidade receptora das candidaturas às diversas ajudas regulamentadas. AADE no sentido de defender os interesses dos associados e apoiá-los na comercialização dos seus produtos, a partir de Março de 1995, assumiu a inteira responsabilidade de organizar e realizar os leilões semanalmente. AADE foi um dos principais promotores do MARÉ – Mercado Abastecedor da Região de Évora, inaugurado em Maio de 1998. A AADE promoveu, junto dos seus associados, a formação de um Agrupamento de Produtores de bovinos cruzados, como forma de comercialização mais organizada.. Tem colaborado em vários projectos inovadores nomeadamente com o Departamento de Fitotécnia da Universidade de Évora, mais concretamente na promoção da instalação de campos de mobilização mínima e sementeira directa em explorações de agricultores associados. A Associação de Agricultores do Distrito de Évora nos seus estatutos tem por objectos: - Representação dos seus associados perante organismos oficiais, estruturas associativas similares ou não, estruturas sindicais e outras formas de representação associativa. - Acções de Formação Profissional, no âmbito das actividades agro-pecuárias dos agricultores associados. - Promover as práticas de Protecção e Produção Integrada das Culturas dos agricultores seus associados. - Prestação de assistência técnica em modo de produção biológico nas suas diferentes componentes técnico-comerciais aos agricultores seus associados



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Ana Canas Ana +351266769380 aade@mail.telepac.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 05-11-2007 dot Top


RECICLOTECA CONSUMIVEIS DE INFORMATICA UNIPESSOAL LDA

(-)
RUA DO APOSTOLO N 7
-
P-7000-528-ÉVORA Évora

Tel:+351266758626
Fax:266704829
Email:mail@recicloteca.net

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Enterprise
Legal status:Private
Size:Staff < 10
NUTS code:ALENTEJO CENTRAL
Date of joining / leaving:13-10-2006 /

Text available in

Dia 23 de Novembro de 2006, a RECICLOTECA cumpre 8 ANOS de actividade na cidade de Évora. São vários os serviços prestados pela empresa, podendo-se, no entanto, subdividi-los em 3 Grandes Grupos: 1 Comercialização de consumíveis de informática; 2 Design e multimédia (Design gráfico, Aplicações Multimédia, Internet, Vídeos promocionais e institucionais, Criação e gestão de site, Representações). A Recicloteca detém uma grande criatividade gráfica na área da concepção e produção de acções, criação de mensagens, escolha dos media, suportes e inserções. São vários os serviços prestados ao nível da IMAGEM CORPORATIVA. (Logotipos; linha gráfica; catálogos; folhetos; cartazes; jornais; revistas; outdoors; rótulos; concepção e paginação de edições gráficas; Aplicações Multimédia; Criação de CD-Roms, Interativos e cartões de visita interactivos; Quiosques multimédia; Internet; Produção de websites e alojamento; Concepção de página – Web design, Registo de domínio, Alojamento (aluguer de espaços), Manutenção da página. Prestação de serviços na área da Reprografia A parte criativa encontra-se actualmente personificada em Hugo Marques, actual gerente da empresa. 3. Prestação de serviços na área da Reprografia.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Hugo Marques Hugo +351266758626 mail@recicloteca.net Entity contact person responsable for this project

Last update: 05-11-2007 dot Top


Universidade de Évora

(UE)
Largo Sra da Natividade
-
P-7000-810-ÉVORA Évora

Tel:+351266760975
Fax:266760976
Email:nufor@uevora.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:University / Research organisation
Legal status:Public organisation
Size:Staff < 10
NUTS code:ALENTEJO CENTRAL
Date of joining / leaving:21-03-2005 /

Text available in

A Universidade de Évora foi fundada em 1559 pelo cardeal D. Henrique, futuro rei de Portugal. Foi instituída por bula do Papa Paulo IV e entregue à Companhia de Jesus, que a dirigiu durante dois séculos. Os ensinos estão a cargo de Departamentos. O pessoal docente e de investigação, organizado em equipas, no seio dos Departamentos e Centros de Investigação, desenvolve intensa actividade de I/DE e de cooperação, tanto a nível nacional como internacional, sustentáculo de uma sólida formação conferida aos estudantes nas diferentes áreas cientificas. Dos Centros de Investigação existentes na Universidade de Èvora, participam directamente no projecto 3 Centros de Investigação: O Centro de Estudos e Formação Avançada em Gestão da Universidade de Évora (CEFAG-UE) criado em Outubro de 2001, motivado pela necessidade sentida pelo Departamento de Gestão de Empresas da Universidade de Évora de impulsionar a investigação científica e de estabelecer e fomentar laços de ligação estreita entre a vida académica e a sociedade em que se insere, com especial ênfase para a Região do Alentejo. Neste particular, o CEFAG-UE pretende constituir-se como um verdadeiro pólo dinamizador do desenvolvimento regional. Desde a sua constituição, o número de membros do Centro não tem parado de aumentar. Actualmente, o CEFAG conta com 37 membros especialistas em diversas áreas do conhecimento, com experiência académica e prática, permitindo o desenvolvimento de actividades diversas, que se agrupam fundamentalmente em: Consultoria Empresarial, Formação Avançada, Working Papers, Seminários e Conferências. Outro dos Centros da U.E com participação no projecto é o ICAM - Instituto de Ciências Agrárias Mediterrânicas. Trata-se de um dos maiores centros de investigação, a nível Nacional, na área das Ciências Agrárias, em que a sua estratégia passa pelo exercicio e promoção da investigação ciêntifica, o desenvolvimento experimental e a inovação tecnológica. Ainda com participação activa no projecto encontra-se o CISA-AS, Centro de Investigação e Desenvolvimento (I&D) criado em Julho de 2002, constituindo-se como uma unidade de investigação e desenvolvimento nas áreas científicas da Sociologia e da Antropologia e que funciona na Universidade de Évora, contando actualmente com 63 sócios. Este Centro encontra-se especialmente vocacionado para realizar actividades de I&D nos domínios das diversas problemáticas sócio-antropológicas que se colocam a territórios com problemas de desenvolvimento em geral e aos territórios dos diversos locais da Região do Alentejo em particular.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Soumodip Sarkar Soumodip +351266740869 ssarkar@uevora.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 05-11-2007 dot Top



 
 
 
 

 
 
 
 

 
 
 
 
Warning! This section is not meant to be read directly, but rather be navigated through from the main page above.
 
 
 
 

NOVA AGRICULTURA - NOVO DESENVOLVIMENTO RURAL

Rationale

Text available in

- A dimensão das estruturas agrárias do territórioAlterações da Política Agrícola Comum em favor dos serviços ambientaisMultifuncionalidade do sistema agro-silvo-pastorilTerritório com elevada qualidade ambientalDesenvolvimento de mercados complementares ao sector agrícola (enoturismo e o agroturismo)Valorização de sub-sectores agrícolas protectores do ambiente (agricultura biológica)Papel significativo da agricultura na criação de riqueza no territórioCompetitividade de produções regionais (vinho, azeite)Crescimento de sub-sectores agrícolas com alto valor acrescentado do produtos (porco preto)Expansão do regime de exploração cinegéticaLiderança mundial na produção de cortiçaProximidade geográfica de centros urbanos com elevado poder de compraProximidade aos principais eixos rodoviários de distribuição da regiãoPresença de jovens naturais do e no territórioComplexo hridroagrícola do Alqueva Imergência de uma visão da agricultura enquanto actividade gestora de recursos naturais , - Marginalização social da profissão agrícola Baixa escolarização dos actuantes no sectorFraco esclarecimento sobre a reforma Política Agrícola ComumCompetências técnicas deficitárias por parte do agricultorActivos pouco empreendedoresBaixos salários associados ao trabalho agrícola indiferenciado e sazonalDesemprego elevado nas zonas rurais, em particular entre os jovensBaixa escolaridade e ausência de formação qualificada/técnica entre os jovens Fraca atracção dos jovens para o sector Inexistência de oferta formativa específica no sector, ao nível do ambiente e desenvolvimento ruralEstratégias regionais de competitividade baseadas na extensificação da produção (abaixamento de custos)Produções pouco diferenciadas e pouco desenvolvidas Fraco desenvolvimento dos serviços complementares ao nível do ambienteFraca articulação entre as instituições de investigação e o sector agrícola

dot Top


Objective

Text available in

O projecto Nova Agricultura – Novo Desenvolvimento Rural postulou como objectivo geral conceber e implementar uma nova profissão no sector agrícola, tendo em conta a realidade específica da NUTIII – Alentejo Central, e sustentado pelos processos de transformação que o mundo rural e o sector agrícola atravessam. Estas mudanças – globais – podem, de grosso modo, ser resumidas em dois pontos: desvalorização das produções indiferenciadas e reforma profunda das políticas de suporte do sector sob a batuta da Organização Mundial do Comércio. Dentro deste quadro, os parceiros pretendem prospectivar novos modelos de empregabilidade decorrentes dos impactes de tais mudanças na agricultura Alentejo Central. O diagnóstico identificou a qualidade dos produtos e a relação da agricultura com o ambiente dois vectores condutores da transformação em curso. Esta é uma percepção tanto dos agricultores consultados, como de especialistas (recolhida através estudo sectorial do IQF), como – e até entusiasticamente – dos jovens estudantes de agricultura envolvidos no diagnóstico. Pretende-se, então, construir o modelo com base em dois postulados: a valorização das profissões agrícolas, tomando como público-alvo os jovens desempregados, mas já com a escolaridade obrigatória concluída; e a articulação do sector agrícola com o desenvolvimento rural, em particular com o ambiente. Nesta perspectiva, definiram-se quatro objectivos específicos. O primeiro é a construção de uma estratégia de integração dos os actores do território no projecto – desde agricultores a policy makers, passando por investigadores, pelos sectores associativo e cooperativo. Os produtos das actividades a realizar dentro deste objectivos vão ser integrados no próprio projecto, residindo aqui a estratégia de empowerment desenhada para o projecto. O segundo objectivo específico é a construção de uma estratégia de promoção de novos perfis profissionais no sector agrícola, focalizando as necessidades do sector que advém do seu papel na gestão dos recursos naturais e ambiente, criando e valorizando emprego. Neste contexto, ter-se-á em conta as competências associadas às ciências ecologia da paisagem e ordenamento biofísico, e a sua transposição para a agricultura. Este objectivo articula-se de modo estreito com o anterior, e pretende sintetizar conclusões duma reflexão sobre o emprego agrícola, tendo em conta as mudanças globais e no contexto europeu em curso e o seu impacte concreto na realidade local. O terceiro objectivo é construir e executar um curso para o público-alvo definido num dos perfis de emprego identificado no ponto anterior, e tendo em conta o público-alvo escolhido. O quarto objectivo é organizar workshop’s de formação outdoor para os parceiros do projecto criando nas instituições parceiras competências para tutoriar a mudança prognosticada/proposta para o sector. Em particular, chama-se atenção para as formações em igualdade de género e inovação.

dot Top



Logo EQUAL

Home page
DP Search
TCA Search
Help
Set Language Order
Statistics