IMPORTANT LEGAL NOTICE
 

 PEF - Inserir pelo Empowerment ascii version

Portugal

 
DP Managing organisation : INSTITUTO DE INFORMAÇÃO APOIO E FORMAÇÃO EMPRESARIAL
Other national partners : ATP - ASSOCIAÇÃO TÊXTIL E VESTUÁRIO DE PORTUGAL
Associação Nacional de Oficinas de Projecto-Desenvolvimento e Educação
Federação dos Sindicato dos Trabalhadores Têxteis, Lanificio, Vestuário, Calçado
Município da Maia
EQUAL theme :Employability - (Re-)integration to the labour market 
Type of DP :Geographical - Other - NORTE 
DP Legal status :Association without legal form 
DP identification :PT-2004-037 
Application phase :Approved for action 2 
Selection date :19-08-2005 
Last update :08-01-2008 
Monitoring: 2005  2006   

Rationale

Text available in

- •Average age of end beneficiaries (EB): 39 years old. More than 80% untill 45. •Over 65% are strongly motivated to raise schoolar levels and develop new konwledge/skills in ICT's and citizenship. •Group Engagement – the inclusion of some ex-workers from Finex Firm in the project's team has been crucial to ensure motivation from other EB to join the project. •Need to change - over 80% of EB with strong will to move to other vocational fields •Economic needs - EB (mostly women) are also motivated by the contribute they have to make to family's budget •Learning needs - most EB have children in school, pressuring them to develop new knowledge in order to support them in learning activities (homeworks, special projects, etc). Children also help their parents in what regards new technologies, particularly Internet where their levels of proficiency is much higher than their parents'. •56% of EB involved in needs assessment through out Action 1 have been members of textil unions in the past. The presence of the unions in the DP (Fesete) can, thus, be better optimized. •Over 80% of EB show enthusiasm to engage in vocational training activities. •ICT Access - vast majority of EB have easy access and already use regularly with relevant technology (cell phones, DVD, ATM, etc). These skills can be leveraged in Action 2 to better foster re-integration in the labour market. •Empowerment of ex-workers from Finex through their integration in project's team since Action 1 has resulted in a strong will to continue for Action (according to what was already planned). •Strategic partnership assumed by all DP partners. , - •Low average level of schoolar levels mixed with limited professional experience – a significant number of EB have worked all their life in a single form and job, which can generate difficulties to vocational re-orientation. •Work-life balance – Spouse lack of support, mainly in what relates to house & children care can be an obstacle to participation in the project. •Attitudes and beliefs regarding professional career – a lot of resistance from EB are based on (mostly erroneous) beliefs towards their remaining learning capabilities. Those attitudes also generate low levels of self-esteem. •Motivation toward sel-employment and micro-business creation seems to be low.

dot Top


Objective

Text available in

On the basis of Equal’s principle –Empwerment – the Project aims at tackling the unemployment issue of around 100 low qualified women mainly excluded form the labour market after the shut down of textile firms in the region. To that purpose, we will foster solutions capable of generating in its beneficiaries knowledge and skills needed to re-integration in the labour market, many times hindered by self-esteem problems, social integration, and lack of empowerment and responsibility taking. The innovation inherent to the Project is fulfilled in several dimensions, activities and products. The following should be underlined:  Strategic partnership: the DP congregates formal and informal partners who fully assume the value of collaborative work and networking, as it is defined in the terms of Equal Programme. The territorial approach of the project reinforces the pertinence of this dimension, being crucial the ability to mobilize key local actors for the project’s success. Particular focus should also be made on the involvement of local municipality as formal partner of the project and the Union body strongly committed to the project.  Re-integration pathways. The testing of new pathways, combining mandatory and “on demand” steps holds a strong potential for innovation. The design of these pathways into different solutions for re-integration will be object of in-depth analysis. In all pathways steps, the Project (guidance, training, integration) will test new methodologies and instruments. In the guidance dimension, there will be chance to integrate work form transnational partnership.  Empowerment. It is the main source of innovation of the Project, of which great results are expected. The DP wants the empowerment principle to be present from start to finish in all activities. The purest form of empowerment within the project consists of giving paid jobs to 2 beneficiaries as project workers. We seek to validate the assumption that states that if putted in a opposite situation from what is usual in re-integration (in which power is outside their control), as long as they are properly prepared and supported, unemployed people (mostly women) will be more succssfull finding a new rewarding job.

dot Top


Innovation


Nature of the experimental activities to be implemented Rating
Guidance, counselling **
Training **
Training on work place **
Work placement **
Employment aids (+ for self-employment) **
Integrated measures (pathway to integration) ****
Employment creation and support ***
Improvement of employment services, Recruitment structures **
Conception for training programs, certification **
Anticipation of technical changes **
Guidance and social services **
Awareness raising, information, publicity **
Studies and analysis of discrimination features **

Type of innovation Rating
Process-oriented ****
Goal-oriented **
Context oriented ****

dot Top


Budget Action 2

250 000 – 500 000 €

dot Top


Beneficiaries


Assistance to persons 
Unemployed  90.3%  9.7% 
Employed  0.0%  0.0% 
Others (without status, social beneficiaries...)  0.0%  0.0% 
  100.0% 
 
Migrants, ethnic minorities, …  0.0%  0.0% 
Asylum seekers  0.0%  0.0% 
Population not migrant and not asylum seeker  90.3%  9.7% 
  100.0%
 
Physical Impairment  0.0%  0.0% 
Mental Impairment  0.0%  0.0% 
Mental Illness  0.0%  0.0% 
Population not suffering from a disability  90.3%  9.7% 
  100.0% 
 
Substance abusers 0.0%  0.0% 
Homeless  0.0%  0.0% 
(Ex-)prisoners  0.0%  0.0% 
Other discriminated (religion, sexual orientation)  0.0%  0.0% 
Without such specific discriminations  90.3%  9.7% 
  100.0% 
 
< 25 year  0.0%  0.0% 
25 - 50 year  81.4%  6.5% 
> 50 year  8.9%  3.2% 
   100.0% 

Assistance to structures and systems and accompanying measures Rating
Unemployment ****

dot Top


Empowerment

 

 With beneficiaries

Participation
Promoting individual empowerment
Developing collective responsibility and capacity for action
Participation in the project design
Participation in running and evaluating activities
Changing attitudes and behavior of key actors

 

 Between national partners

N.C.

dot Top


Transnationality

 

 Linguistic skills

  • português

 Percentage of the budget for transnational activities

  • 0.1%

 Transnational Co-operation Partnerships

Transnational Co-operation Agreement DPs involved
3667 EURO CONSEIL FR NPC-2004-41243
NL 2004/EQE/0027

dot Top


Background

 

N.C.

dot Top


National Partners


Partner To be contacted for
INSTITUTO DE INFORMAÇÃO APOIO E FORMAÇÃO EMPRESARIAL Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Evaluation
Monitoring, data collection
Transnational partnership
ATP - ASSOCIAÇÃO TÊXTIL E VESTUÁRIO DE PORTUGAL
Associação Nacional de Oficinas de Projecto-Desenvolvimento e Educação
Federação dos Sindicato dos Trabalhadores Têxteis, Lanificio, Vestuário, Calçado
Município da Maia

dot Top


Agreement Summary

Text available in

Resumo do Acordo de PD Os parceiros acordam: 1. Objectivos comuns 1.1 Desenvolver em conjunto o projecto acima referenciado, cujo diagnóstico, objectivos, actividades, resultados e processo de avaliação, e plano de financiamento se descrevem no formulário de candidatura à acção 2. 2. Estruturas e processo de funcionamento da Parceria 2.1 Criar à partida as seguintes estruturas de gestão e funcionamento: As seguintes estruturas de gestão estão, à partida, criadas entre os parceiros:  Comité de Acompanhamento e Avaliação (CAA): é o equivalente ao Conselho de Administração de um grupo empresarial. Farão parte deste comité os responsáveis máximos de cada parceiro. O CAA reunirá semestralmente e tem a responsabilidade de controlar a execução geral do projecto, aconselhar e fazer recomendações (de carácter vinculativo) à Equipa de Projecto no que diz respeito à concretização das actividades do mesmo.  Gerência da Loja das Competências: serão nomeados gerentes (em número impar) da LC membros da Equipa de Projecto, um por cada parceiro, incluindo dois beneficiários finais. Cabe à Gerência a gestão global da LC e respectiva articulação com as outras actividades. A Gerência reporta ao CAA.  Equipa de Projecto: constituída por todos os profissionais envolvidos nas actividades do projecto. Existirão reuniões de parceria formais mensais nos 3 primeiros e 3 últimos meses da Acção 2 e bi-mensais entre os 4 e 21 meses. Reuniões extraordinárias (formais e/ou informais) poderão ser convocadas a qualquer momento. Existirão reuniões formais e/ou informais bi-lateriais, tri-lateriais, etc., em função das necessidades de operacionalização das actividades. Estruturas de funcionamento:- LC: o funcionamento global do projecto assenta na existência deste espaço. As funções de acolhimento, provedoria, orientação, aconselhamento, apoio psicológico, balanço de competências, formação, criação de pequenos negócios, autoemprego, e inserção integralmente disponibilizadas a partir da Loja das Competências. - Site Web: o projecto terá um espaço de funcionamento na Internet dedicado ao mesmo. - Plataforma de trabalho colaborativo: para apoiar o funcionamento do projecto entre parceiros será adquirida/mantida uma aplicaçãoinformática. - Linha Verde 800206894: já em funcionamento na Acção 1 (com grande sucesso), esta linha permite aos beneficiários relacionar-se com o projecto a custo zero. 2.2 Implementar o seguinte processo de tomada decisão (destacar nomeadamente processos de dos parceiros, mecanismos que promovam a igualdade de género, etc.): A tomada de decisão durante a Acção 2 obedecerá a um processo muito semelhante ao utilizado na Acção, embora com um grau de formalidade acrescido. O princípio subjacente ao processo de tomada de decisão é o do empowerment entre todos os parceiros formais do projecto. Este princípio implica que os beneficiários que integram a equipa de projecto (remunerados pelo IAFE) sejam sempre envolvidos no processo de tomada de decisão. O processo de tomada de decisão será devidamente formalizado num documento a produzir pela parceria de desenvolvimento designado por Guia de Trabalho em Parceria (GTP). O GTP será um instrumento de tipo “Manual de Instruções” aplicado à gestão do projecto, onde as responsabilidades e compromissos de cada parceiro serão claramente referidos e contratualizados. O GTP é o equivalente ao Contrato de Adesão a que os beneficiários finais do projecto estão obrigados para poderem participar no mesmo. Desde já, é possível avançar com as seguintes características do processo de tomada de decisão a integrar no GTP:  Processo de decisão em cada actividade: em cada actividade existe um parceiro com a responsabilidade de coordenação geral da mesma. Será, pois, função do coordenador geral de cada actividade avançar com as decisões que considere mais adequadas para a concretização da mesma com as respectivas justificações. Em caso de incapacidade de gerar consenso entre todos os parceiros, a decisão será tomada por maioria, com o voto do coordenador a assumir o peso de 2 votos (os restantes parceiros terão 1 voto cada). Dado que o n.º de parceiros é impar, poderá registar-se empate nas votações. Nessa eventualidade, vence a posição em que o coordenador geral da actividade tenha votado. Todos os casos de votação serão reportados ao Comité de Acompanhamento e Avaliação do projecto e lavrados nas respectivas actas das reuniões.  Processo de decisão nas estruturas de gestão geral e funcionamento do projecto: o secretariado do projecto (convocatória de reuniões formais da parceria, actas, registos, logística, etc...) é da responsabilidade do IAFE. Em todas as actividades de gestão global do projecto (reuniões, balanço de competências, auto-avaliação, avaliação externa, etc...), o processo de decisão é partilhado entre todos. Em caso de conflito, cada parceiro tem direito a 1 voto, sendo as respectivas decisões aprovadas por maioria simples.  Processo de decisão na Loja das Competências: cabe à gerência da Loja das Competências construir e aprovar o seu Modelo de Gestão que integrará o respectivo processo de decisão.  Processo de decisão no Comité de Acompanhamento e Avaliação do projecto: idêntico ao processo de tomada de decisão adoptado para as actividades. Caberá a cada parceiro assegurar a divulgação e comunicação das decisões tomadas entre as suas equipas afectas ao projecto. Cada parceiro assumirá o compromisso (GTP) de criar mecanismos de comunicação internos que garantam o acesso de todos os colaboradores às decisões e resultados das actividades do projecto. Estes mecanismos podem incluir, entre outros: espaços dedicados ao projecto em placards de informação existentes, quadros, etc; criação de notícias sobre o projecto nas Intranets de cada parceiro (caso existam) ou newsletters internas, etc. No que diz respeito aos beneficiários finais do projecto, será criado um mecanismo de tratamento de reclamações cujas características detalhadas constarão do GTP. 2.3 Assegurar a transparência da informação interna relativa ao projecto e à parceria, que será disponibilizada a todos os parceiros da seguinte forma ( ex. recurso às TIC...): A ferramenta que a parceria prevê mobilizar para a garantia de transparência da informação interna entre todos os parceiros é a plataforma de trabalho colaborativo. Este tipo de aplicações informáticas apresenta um conjunto de potencialidades e características que julgamos especialmente adequadas para a gestão de projectos Equal baseados no princípio do Empowerment. A saber:  Acesso à informação: com a atribuição de “username para login e password”, todos os utilizadores da plataforma terão livre acesso a toda a informação interna relevante para a gestão, acompanhamento e avaliação do projecto;  Transparência: a informação é a mesma para todos os parceiros e utilizadores;  Empowerment: com a funcionalidade “participation log”, aumentam os níveis de responsabilização de todos os parceiros e profissionais envolvidos na concretização do projecto. Deixam de ser possíveis as habituais desculpas do tipo “não recebi o e-mail”;  Produtividade: se bem gerida, a aplicação aumentará de forma significativa a qualidade e eficiência da comunicação interna. 2.4 Assegurar que a difusão pública dos resultados do projecto, finais ou provisórios, só será efectuada após anuência do(s) parceiro(s) envolvido(s) na sua concepção. 3. Recursos técnicos 3.1 Assegurar estabilidade nos recursos técnicos afectos ao projecto. 4. Ajustamento da parceria 4.1 Proceder ao ajustamento da parceria, à saída ou entrada de novos parceiros, ou eventual revisão deste Acordo, nomeadamente se a avaliação do projecto o indicar como necessário.

Last update: 08-01-2008 dot Top


INSTITUTO DE INFORMAÇÃO APOIO E FORMAÇÃO EMPRESARIAL

(IAFE)
Rua Afonso Henriques, 2540
-
P-4425-057-MAIA Maia

Tel:+351229773910
Fax:22 977 39 19
Email:iafe@iafe.pt

 
Responsibility in the DP: Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Evaluation
Monitoring, data collection
Transnational partnership
Type of organisation:Other
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE PORTO
Date of joining / leaving:27-04-2004 /

Text available in

O I.A.F.E. - Instituto de Informação, Apoio e Formação Empresarial, iniciou a sua actividade em 1994. Instituição sem fins lucrativos, fundada pela ANJE - Associação Nacional de Jovens Empresários, e pela AJAP - Associação dos Jovens Agricultores de Portugal, dedica-se desde então à Formação Empresarial, Apoio Técnico e Informação Económica e Empresarial. Vivendo actualmente uma nova fase, e reforçando-se com a entrada de novos associados, pretende o Instituto alargar o espectro de actividades efectivas, assumindo claramente a vontade de ganhar um espaço mais relevante ao nível nacional, no seu âmbito de actividade. Ao mesmo tempo, é nosso objectivo imprimir uma nova dinâmica àquelas que têm sido as nossas principais áreas de actividade, a Formação Empresarial, a Informação e o Apoio Técnico às empresas. No âmbito da formação, é propósito do IAFE desenvolver competências em áreas de actuação mais abrangentes, como é o caso do trabalho com grupos desfavorecidos (apesar da experiência já adquirida de formação para desempregados). É neste âmbito estratégico que se enquadra a presente candidatura ao PIC Equal.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Sónia Ferreira Sónia +351229773910 sonia.ferreira@iafe.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 08-01-2008 dot Top


ATP - ASSOCIAÇÃO TÊXTIL E VESTUÁRIO DE PORTUGAL

(ATP)
R. Fernando Mesquita, 2785 Edificio CITEVE
-
P-4760-034-VILA NOVA DE FAMALICÃO Vila Nova de Famalicão
-

Tel:+351252303030
Fax:252303039
Email:atp@atp.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Employers' organisation
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:AVE
Date of joining / leaving:08-11-2007 /

Text available in

A “ATP - Associação Têxtil e Vestuário de Portugal” é uma Associação Patronal, de âmbito nacional, que agrupa cerca de 730 empresas de toda a fileira têxtil e do vestuário, que, no seu conjunto, asseguram mais de 60.000 postos de trabalho e 3.000 milhões de euros de facturação, sendo dois terços desse valor destinado aos mercados de exportação. A “ATP” resultou da fusão da APIM (Associação Portuguesa das Indústrias de Malha e de Confecção) e da APT (Associação Portuguesa dos Têxteis e Vestuário), realizada em Julho de 2003, tornando-se a maior organização representativa do Sector Têxtil e do Vestuário português e uma das mais importantes em termos europeus, coincidindo com o destaque que a Indústria Têxtil e do Vestuário ainda tem em Portugal, já que assegura cerca de 18 % do VAB, perto de 20% do emprego na indústria transformadora e quase 5.000 milhões de Euros exportados, pouco menos de um quinto do total nacional. Unindo as empresas têxteis, de vestuário e moda, dando força às suas reivindicações e visibilidade aos seus legítimos interesses. Defendendo as empresas, os empresários e as suas expectativas, criando condições para um ambiente que valorize a competitividade e o desenvolvimento. Pressionando os órgãos de poder político e administrativo, libertando os estrangulamentos e constrangimentos à actividade e ao desenvolvimento das empresas. Prestando serviços úteis e personalizados, informando, aconselhando e orientando decisões. Garantindo o futuro, afirmando-se como uma Associação em permanente mudança e actualização, acompanhando e estimulando a dinâmica de uma actividade, simultaneamente tradicional e moderna.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Sofia Adelaide Sousa Moraes Botelho Sofia +351252 30 30 atp@atp.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 08-01-2008 dot Top


Associação Nacional de Oficinas de Projecto-Desenvolvimento e Educação

(ANOP)
RUA DR. ELISIO DE CASTRO, N.º 83
-
P-4520-213-SANTA MARIA DA FEIRA Santa Maria da Feira
-

Tel:+351256289350
Fax:256289351
Email:-

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Other
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:ENTRE DOURO E VOUGA
Date of joining / leaving:08-11-2007 /

Text available in

A Associação Nacional de Oficinas de Projectos foi constituída em Março de 1999 tendo como sócios fundadores a Associação Comercial e Industrial de Amarante, a Associação Comercial e Industrial de Arcos de Valdevez e Ponte da Barca, a FEDESPAB – Fundação para o Ensino e Desenvolvimento de Paços de Brandão, a PROBARROSO – Associação para o Desenvolvimento do Barroso, a TECMINHO, Associação Universidade-Empresa para o Desenvolvimento, o CISAVE, Escola Profissional para o Comércio, Indústria e Serviços do Vale do Ave, a Escola Profissional de Agricultura de Vagos, a CEAL, Confederação dos Empresários do Algarve e associados individuais, técnicos com comprovada experiência de trabalho no âmbito da educação e formação de adultos, nomeadamente na concepção, implementação e desenvolvimento do modelo formativo “Oficina de Projectos”, designação esta constituída como marca registada para o contexto nacional publicada no boletim do INPI em Dezembro de 2001. MISSÃO:Agir em favor do desenvolvimento das comunidades locais e das pessoas por forma a contribuir para uma cidadania mais activa, a solidariedade e a coesão social e para novas perspectivas para o desenvolvimento integrado e sustentável na sociedade contemporânea. ACTIVIDADE:Promove e apoia iniciativas de desenvolvimento local e regional, actividades de educação e formação profissional da população activa, empregada, desempregada ou em risco de desemprego e a iniciativa empresarial através do recurso a vários dispositivos tais como: Oficinas de Projectos e Casas da Iniciativa Local, Agência de Balanço de Competências e o Centro de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Fernanda Maria Parente de Oliveira Marques Fernanda +351256289350 anop.geral@netvisao.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 08-01-2008 dot Top


Federação dos Sindicato dos Trabalhadores Têxteis, Lanificio, Vestuário, Calçado

(FESETE)
Rua Clemente Menéres, 47-1.º
-
P-4050-201-PORTO Porto
-

Tel:+351226002377
Fax:226002192
Email:-

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Trade Union
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE PORTO
Date of joining / leaving:08-11-2007 /

Text available in

Como organização sindical sectorial que congrega os sindicatos filiados das industrias T.V.C., a Federação tem âmbito nacional e, como decorre dos seus estatutos (art.º 12.º), tem como objectivos: a) Coordenar dirigir e dinamizar a actividade sindical; b) Celebrar convenções colectivas de trabalho e participar na elaboração de outros instrumentos de regulamentação colectiva de trabalho; c) Dar parecer sobre assuntos da sua especialidade, quando solicitada para o efeito por outras organizações sindicais ou por organismos oficiais; d) Reclamar a aplicação e/ou renovação das leis de trabalho e das convenções colectivas de trabalho, na perspectiva da defesa dos interesses dos trabalhadores; e) Prestar assistência sindical, jurídica ou outra, aos sindicatos filiados, bem como elaborar estudos e pareceres económicos sobre os problemas e situações do sector; f) Participar, em colaboração com outras organizações sindicais, na gestão e administração de instituições de carácter social que visem satisfazer os interesses dos trabalhadores; g) Intervir e participar activamente na modernização e reestruturação dos sectores e das empresas no sentido da defesa dos interesses dos trabalhadores e das populações em geral; h) Participar na elaboração da legislação que diga respeito aos trabalhadores e ao sector, bem como no controlo da execução dos planos económico-sociais; i) Participar nos organismos estatais directa ou indirectamente relacionados com o sector e de interesse para os trabalhadores; j) Desenvolver os contactos e a cooperação com as organizações congéneres de outros países e consequentemente, a solidariedade entre os trabalhadores de todo o mundo, em particular do sector, com respeito pelo princípio de independência de cada organização sindical; k) Promover iniciativas próprias ou em colaboração com outras associações sindicais e outras entidades públicas e privadas, com vista à formação profissional sindical das pessoas interessadas, nomeadamente a orientação e formação de jovens para diversos empregos e de adultos, tornada necessária pela evolução técnica ou novas orientações do mercado de trabalho e reconversão profissional; l) Apoiar e fomentar acções de reestruturação sindical, com vista ao reforço da organização e racionalização dos meios dos sindicatos e da Federação com vista a melhor servir os trabalhadores e no respeito integral dos órgãos competentes dos sindicatos envolvidos; m) Cooperar ou associar-se com organizações sindicais, cooperativas, recreativas, desportivas, culturais, de defesa do consumidor, do ambiente e outras cuja actividade seja do interesse dos trabalhadores; n) Apoiar e fomentar o exercício efectivo dos direitos fundamentais dos trabalhadores, nomeadamente o direito ao trabalho e à segurança no emprego, o direito às condições de trabalho justas, o direito a uma remuneração justa e actualizada que assegure um nível de vida familiar decente, o direito a salário igual para um trabalho de valor igual,



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Francisca Vidal Francisca +351226002377 fesete@mail.telepac.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 08-01-2008 dot Top


Município da Maia

(CM MAIA)
Praça Doutor José Vieira de Carvalho
-
P-4474-006-MAIA Maia
-

Tel:+351229408711
Fax:229412039
Email:-

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Public authority (national, regional, local)
Legal status:Public organisation
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE PORTO
Date of joining / leaving:09-11-2007 /

Text available in

A Câmara Municipal é o órgão executivo do Município, sendo constituída por um Presidente e por 8 Vereadores. Para a prossecução dos seus objectivos está organizada, fundamentalmente, em Departamentos e estes em Divisões, apesar de possuir ainda alguns Gabinetes que se caracterizam por serem estruturas mais simples e normalmente associadas a funções de staff. A CMM dispõe ainda de uma série de outras instituições que desempenham um papel fulcral na prossecução das atribuições municipais nas mais diversas áreas de actividade. Os Serviços Municipalizados de Água e Saneamento da Maia são responsáveis pelo investimento municipal no abastecimento de água e na drenagem e tratamento de águas residuais e ainda na compostagem de lamas, um serviço que se traduziu num esforço inigualável por parte da autarquia com vista à cobertura da totalidade do concelho. A Academia de Artes da Maia – Produções Culturais, E.M., que tem como objecto a produção de eventos culturais, organização e gestão do Conservatório de Música da Maia e de outros organismos a criar pela Câmara Municipal, tendo como fim a formação da Comunidade Maiata. A Maiambiente– Empresa Municipal do Ambiente, E.M., já em funcionamento dedica-se à remoção dos resíduos sólidos urbanos e equiparados a urbanos, à recolha selectiva de materiais recicláveis e à manutenção da higiene e limpeza dos locais públicos. A Empresa Espaço Municipal – Renovação Urbana e Gestão do Património, E.M. tem como atribuições a promoção da habitação social, a melhoria das condições habitacionais do Município da Maia, a gestão social, patrimonial e financeira dos bairros e outros fogos da empresa ou cuja administração lhe seja conferida e a participação em acções de renovação e de requalificação urbanística.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
António Gonçalves Bragança Fernandes António +351229408600 gab.presidencia@cm-maia Entity contact person responsable for this project

Last update: 08-01-2008 dot Top



 
 
 
 

 
 
 
 

 
 
 
 
Warning! This section is not meant to be read directly, but rather be navigated through from the main page above.
 
 
 
 

PEF - INSERIR PELO EMPOWERMENT

Rationale

Text available in

- •Idade média dos destinatários finais (DF): 39 Anos. Mais de 80% até 45 Anos. •Mais de 65% apresentam motivações intrínsecas para aumentar a escolaridade e adquirir conhecimentos/competências em TIC e Cidadania. •Mobilização do grupo – a integração de alguns ex-trabalhadoras na gestão do Projecto, tem servido como factor de motivação dos restantes DF para o projecto. •Desejo de mudança - mais de 80% dos DF vontade de mudar de área profissional •Perspectivas de melhoria de vida – Necessidade do contributo da mulher para o orçamento familiar com vista à melhoria do dia-a-dia, em contraponto com a sua inexistência (motivação extrínseca: necessidades económicas). •Descendentes em idade escolar – a frequência escolar dos descendentes (em muitos casos superior à paternal) e a aprendizagem das novas tecnologias, servem de motivação e entre-ajuda no seio familiar. •56% dos DF com quem se aprofundou o diagnóstico já foram membros de sindicatos ligados ao sector têxtil. A presença da Fesete na parceria pode, assim, ser melhor aproveitada. •Mais de 80% dos DF manifestam abertura e entusiasmo para a frequência de acções de formação. •Acesso a tecnologias - a grande maioria dos DF apresentam hábitos de trabalho com tecnologia (telemóvel, DVD, multibanco, etc) que podem servir de base ao aprofundamento de competências no domínio das TIC. •Ex-trabalhadoras da Finex envolvidas na equipa de projecto com forte entusiasmo em continuar a contribuir durante a Acção 2. •Parceria estratégica assumida por todos os parceiros da PD. , - •Baixa escolaridade dos destinatários conjugada com percursos profissionais algo limitados – muitos DF trabalharam toda a vida na mesma empresa e na mesma função, o que pode gerar dificuldades de re-orientação profissional. •Conciliação trabalho/família – A falta de apoio do cônjuge, sobretudo no que diz respeito à eventual ausência da mulher na organização da rotina doméstica pode ser um factor inibidor à participação dos DF. •Atitudes e crenças perante a vida profissional – muitas dificuldades derivam das crenças (na maioria dos casos erradas) enraízadas nos DF em relação às suas capacidades de aprendizagem. Aquelas crenças resultam também em níveis de auto-estima baixos. •A motivação de partida para o auto-emprego e criação de pequenos negócios revelou-se, no aprofundamento do diagnóstico, baixa.

dot Top


Objective

Text available in

Com base no princípio–chave do Equal – o empowerment - o projecto visa combater o problema de desemprego de 100 trabalhadoras com baixas qualificações, verificado após o encerramento de uma empresa têxtil situada no concelho da Maia, bem como de outros desempregados do mesmo concelho que queiram integrar o projecto. Para tal, pretende-se que sejam encontradas soluções capazes de gerar nos seus destinatários finais competências e capacidades indispensáveis para uma reinserção profissional eficiente e que está, muitas vezes, dificultada por problemas de auto-estima, integração social, capacidade de autonomia e assunção de responsabilidades. A inovação inerente ao projecto está consubstanciada em diversas dimensões e actividades. Importa destacar as seguintes:  Parceria estratégica: a parceria de desenvolvimento integra um conjunto de parceiros formais e informais que assumem na plenitude o valor do trabalho em parceria e em rede, tal como definido nas orientações do Programa de Iniciativa Comunitária Equal. A vertente territorial do projecto reforça a pertinência desta dimensão, sendo crucial a capacidade de mobilização dos vários actores locais para o sucesso da intervenção. Merece particular relevo o envolvimento da autarquia enquanto parceiro formal do projecto e de uma estrutura sindical fortemente empenhada no mesmo;  Percursos de Orientação-Formação-Inserção. A testagem de percursos com etapas mandatórias e outras "à medida" dos projectos de vida e de carreira é uma fonte potencial de inovação muito importante. A estruturação destes percursos em diferentes soluções de ajuda e auto-ajuda para o emprego será objecto de trabalho aprofundado. Nas várias etapas dos percursos (orientação, formação e inserção) serão testadas novas metodologias e instrumentos técnicos. Na fase de orientação, existirá a possibilidade de adaptação de instrumentos e metodologias já testadas e validadas em França, nomeadamente no que diz respeito ao Balanço de Competências e à Validação de Competências.  Empowerment. É a principal fonte de inovação do projecto, da qual se esperam resultados muito positivos. É objectivo da parceria que o princípio do empowerment esteja presente do princípio ao fim do projecto em todas as suas actividades. A forma mais pura de empowerment consagrada no projecto consiste na integração plena de duas ex-trabalhadoras da Finex na equipa de projecto (trabalho remunerado). O grande objectivo consiste em validar a hipótese de partida do projecto: se colocados numa posição inversa da habitual (em que o poder está fora do seu controlo), desde que devidamente preparados e apoiados, os desempregados terão mais êxito na sua re-inserção profissional.

dot Top



Logo EQUAL

Home page
DP Search
TCA Search
Help
Set Language Order
Statistics