IMPORTANT LEGAL NOTICE
 

 A PAR E PASSO - Orientação-Formação-Inserção Profissional ascii version

Portugal

 
DP Managing organisation : Associação IN LOCO
Other national partners : ASSOCIAÇÃO DE INDUSTRIAIS E EXPORTADORES DE CORTIÇA
Associação de Saúde Mental do Algarve (ASMAL)
EXISTIR-ASSOCIAÇÃO PARA A INTERVENÇÃO REABILITAÇÃO POPULAÇÕES DEFICIENTES DESFAV
Municipio de S. Brás de Alportel
EQUAL theme :Employability - (Re-)integration to the labour market 
Type of DP :Geographical - Other - ALGARVE 
DP Legal status :Association without legal form 
DP identification :PT-2001-327 
Application phase :Project ended 
Selection date :10-09-2002 
Last update :28-10-2005 
Monitoring: 2002  2003  2004   

Rationale

Text available in

Although vocational training actions have been increasing and several mechanism have been created aiming social and at work integration of vulnerable publics, the success rates are quite depressive. Generally, the trainees tend to consider vocational training as a way to earn a "temporary wage" that only interest them as long as other permanent benefits are not put at risk. Unfortunately, identifying the problems does not necessarily mean that more care is put into the conception, preparation, running and evaluation of the training courses. Nor has it been fostering a policy of pedagogical research and experimentation. On the contrary, the tendency has been to stick to the "status quo". Concerning the mechanisms that aim integration, even taking into account the efforts that have been done to guarantee an integrated approach, and the interinstitutional articulation that makes it possible, we can still point out the following features: . difficulty in a real work in partnership; . difficulties on the part of professionals and institutions to value the public they work with, going beyond a controlling attitude; . lack of time, means and will to promote the needed social experimentation of new approaches and methodologies. The inability to develop adjusted and creative solutions has been leading into a situation that could be characterized as follows: . growing number of young people who are unable to integrated themselves in the job market in a stable and useful way. The situation gets even worse for young males who very often have not completed compulsory school and are less educated than girls. As most of them are not registered in the Job Centres, they do not appear in statistics and keep on jumping from one temporary job to another in the informal sector. . Increasing number of log-term and "seasonal" unemployed and tendency for them to remain in this situation through an ingenious management of a large variety of means of subsistence (welfare benefits, occupational activities, training schemes, etc.). However, those survival strategies do not facilitate a positive social integration and increase depressed self-images, which can lead to stigma and exclusion. The growth of anti-exclusion networks reveals more and more the reality of this situation. . Significant number of mentally ill and physically disabled people who lack the appropriate institutional support, and when they get it they still face enormous difficulties in being integrated in the job market and sometimes even socially integrated. Beyond the problems that result of their disability, demanding long term processes of learning and development, society devaluates them in several ways: from paternalism to complete rejection. The publics we intend to work with present some common features: . Low self-esteem, reinforced by a devaluation or even social stigma; . Lack of self-confidence that leads them to adopt a self-dependent attitude or to proceed as outsiders; . Limitation of their horizons, low expectation in terms of personal and social achievement; . Lack of information on the means and the schemes they can use to launch their own integration project. Many of them also share memories of negative experiences during school time, not to speak of those whose disability did not allow them to enter school. The mobility problems faced by some physically handicapped and the restrictions to move freely inside society imposed on mentally ill people strongly reduce the integration opportunities for them. The work to be done with these publics will have to revert the negative aspects previously referred, making them look at themselves as beings with potentialities, capacities and with the desire of being accepted and recognised. With the creation of a space of communication and project - based on the acceptance of their differences and the active promotion of their participation - it will b possible to involve the beneficiaries in a training process to improve their self-esteem, to help them in becoming autonomous, to allow them to evaluate their skills (personal, social and professional), to create their own life projects and to launch their integration projects. This application intends to create an approach, a methodology and tools to allow an integrated action of vocational guidance and training and social and at work integration of vulnerable publics. The integrated nature of the action has to be seen in three different aspects: . interinstitutional articulation; . capacity of covering all the possible segments of an integration course; . Capacity of dealing with each person as a whole in order to enable each one to respond to his/her problems and to explore his/her potentialities. This application will also endeavour to respond to partners needs. The accomplishment of scheduled activities will endow them with effective work methods, qualify their staff in key areas for the work they carry on, strengthen interinstitutional links and deepen the knowledge of their respective action territories.

dot Top


Objective

Text available in

General Aims To design, test and evaluate an integrated methodology for vocational guidance & training and for social integration through work for disavantged publics. To articulate different institutions, within a defined territory, having in view a common analyses and an integrated action towards integration through work and fight against exclusion. Specific objectives To apply this methodology to young people at risk in search of a 1st job (6), unemployed and long-term unemployed (6), physically disabled (6) and mentally ill people (6). To promote the development of personal and social skills of the beneficiaries, and to prepare and provide support to their work integration. This will be carried out within a participative approach, which will increase autonomy and build entrepreneur capacities among the participants. To strongly articulate all partners' teams in order to guarantee the implementation of the project with effectiveness and creativity. To organize a training process for the permanent teams and for other elements associated to the project, thus providing conditions for a qualified participation and a permanent analysis of the context and methodologies. To develop transnational cooperation activities regarding exchange of experiences and the development of common materials related to vocational guidance & training and at work integration of disadvanteged people. To motivate other organizations (public services, entreprises and associations) into participating in the implementation the project. To sensitize a large range of partners towards the institutionalization and re-enforcement of an integrated process of at work integration and fight against exclusion. To disseminate - in the Algarve, in the rest of the country and over Europe - the main lessons of the project regarding the referred methodologyes and its organizational features.

dot Top


Innovation


Nature of the experimental activities to be implemented Rating
Guidance, counselling **
Training **
Training on work place **
Work placement **
Employment aids (+ for self-employment) **
Integrated measures (pathway to integration) ***
Employment creation and support ***
Training of teachers, trainers and staff **
Conception for training programs, certification **
Work organisation, improvement of access to work places *
Guidance and social services **
Awareness raising, information, publicity **
Studies and analysis of discrimination features **

Type of innovation Rating
Process-oriented ***
Goal-oriented **
Context oriented **

Text available in

Dimensão institucional Parceria diversificada: · IPSS que trabalham com deficientes e doentes mentais; · C. M. de São Brás, autarquia empenhada na promoção do desenvolvimento do concelho; · Associação dos Corticeiros, que congrega as empresas da indústria mais importante do concelho; · ADL que trabalha em São Brás há mais de 10 anos e aí se encontra sediada. O Observatório Social do Algarve e a estrutura técnica da CLA do RMG de São Brás também estarão associados, embora a situação de indefinição política não tenha permitido a formalização da adesão. A execução irá alargar o trabalho a outras entidades: serviços públicos, empresas, associações sem fim lucrativo, instituições representadas na CLA do RMG. Pretende-se ultrapassar o nível de parceria formal e constituir uma plataforma de cooperação interinstitucional estável. Dimensão de conteúdo Desenvolvimento de metodologia que contemple todos os segmento de um percurso que vai do balanço de competências à inserção profissional Declinação da metodologia em função de 4 grupos com dificuldades de inserção social e profissional Envolvimento dos destinatários em todo o processo, da concepção à avaliação das acções Promoção da participação activa e consciente dos actores visados, apostando na sua valorização, mobilização e capacitação Dimensão de funcionamento Sistema de coordenação unificado, que garanta a orientação global e sectorial do projecto Metodologia participativa, que assegure o envolvimento das entidades parceiras e associadas na concepção e execução do projecto Dispositivo integrado de avaliação do processo e das acções, a construir no decorrer da execução Formação das equipas técnicas dos parceiros (e de associados), promovendo a capacitação e articulação funcional dos participantes e a aproximação interinstitucional Valor acrescentado do projecto Conhecimento aprofundado dos públicos alvo Metodologia e instrumentos de orientação, formação e inserção testados e avaliados Produtos finais que permitirão analisar as condições de correcto funcionamento da metodologia e dos instrumentos criados, e possibilitar a sua disseminação criteriosa Consolidação de uma pareceria de cooperação interinstitucional para a promoção da inserção profissional e luta contra a exclusão, a prosseguir findo o projecto As três associações trazem consigo as suas experiências e abordagens específicas - promoção da saúde mental, valorização e inserção dos deficientes, desenvolvimento territorializado - mas a acção de cada uma será potenciada pela articulação estreita com as outras. A Câmara facilitará o acesso e a mobilização das entidades que operam no concelho, fornecendo um quadro de acção alargado, credível e mais sustentável a prazo. Contribui também com a sua experiência de promoção da igualdade de oportunidades entre homens e mulheres. A Associação de Corticeiros trará o conhecimento das necessidades e expectativas do mundo empresarial e abrirá campo para uma cooperação lúcida e eficaz com as empresas.

dot Top


Budget Action 2

500 000 – 1 000 000 €

dot Top


Beneficiaries


Assistance to persons 
Unemployed  30.8%  30.8% 
Employed  5.1%  33.3% 
Others (without status, social beneficiaries...)  0.0%  0.0% 
  100.0% 
 
Migrants, ethnic minorities, …  0.0%  0.0% 
Asylum seekers  0.0%  0.0% 
Population not migrant and not asylum seeker  35.9%  64.1% 
  100.0%
 
Physical Impairment  7.7%  7.7% 
Mental Impairment  0.0%  0.0% 
Mental Illness  7.7%  7.7% 
Population not suffering from a disability  20.5%  48.7% 
  100.0% 
 
Substance abusers 0.0%  0.0% 
Homeless  0.0%  0.0% 
(Ex-)prisoners  0.0%  0.0% 
Other discriminated (religion, sexual orientation)  0.0%  0.0% 
Without such specific discriminations  35.9%  64.1% 
  100.0% 
 
< 25 year  10.3%  10.3% 
25 - 50 year  20.5%  48.7% 
> 50 year  5.1%  5.1% 
   100.0% 

Assistance to structures and systems and accompanying measures Rating
Gender discrimination **
Support to entrepreneurship ***
Discrimination and inequality in employment **
Disabilities **
Other discriminations **
Low qualification **
Racial discrimination *
Unemployment **

dot Top


Empowerment

 

 With beneficiaries

Participation
Promoting individual empowerment
Developing collective responsibility and capacity for action
Participation in the project design
Participation in running and evaluating activities
Changing attitudes and behavior of key actors

 

 Between national partners

N.C.

dot Top


Transnationality

 

 Linguistic skills

  • português
  • français
  • English
  • español (castellano)

 Percentage of the budget for transnational activities

  • 0.1%

 Transnational Co-operation Partnerships

Transnational Co-operation Agreement DPs involved
1326 IGUALBAIX BEfr 46
ES ES402
FR AUV-2001-10334

dot Top


Background

 

 Involvment in previous EU programmes

  • Two and more partners involved in A&E

dot Top


National Partners


Partner To be contacted for
Associação IN LOCO Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Evaluation
ASSOCIAÇÃO DE INDUSTRIAIS E EXPORTADORES DE CORTIÇA
Associação de Saúde Mental do Algarve (ASMAL) Transnational partnership
EXISTIR-ASSOCIAÇÃO PARA A INTERVENÇÃO REABILITAÇÃO POPULAÇÕES DEFICIENTES DESFAV Monitoring, data collection
Municipio de S. Brás de Alportel

dot Top


Agreement Summary

Text available in

The Management of the Partnership and the Global Planning, Co-ordination and Evaluation is an essential activity of this Project as it will: (1) reinforce the recently-created Partnership and make it fully operational; (2) seek to associate other organizations; (3) provide a platform for planning, co-ordination of the implementation and evaluation. It will rely on four types of teams: -technical team of each partner (monthly meetings); -technical team of each main activity (according to the needs); -global co-ordination team of the activities (weekly meetings); -Partnership co-ordination team (bi-monthly meetings). Main points to refer: -the global team will be composed by 20 elements (2 still to be recruited); -those selected so far are 3 men and 15 women; -the costs regarding 3 of these 20 elements are excluded from the budget (2 - ASMAL (A); 1- EXISTIR (E) and 1 has no payment at all; -the co-ordination of the main activities will be distributed as follows: 1) Training of the team: IN LOCO (IL); 2) Design of a Methodology: IL, A and E; 3) Training for Personal and Social Development: IL, A and E; 4) Training for Job-Hunting and Support to Work Insertion: A and E; 5) Training for Entrepreneurship and Support to Enterprise Project: IL; 6) Forum for Study and Action: IL, A, E, Borough Council (BC) and Cork Producers Association (CPA); 7) Production of Newsletter and final documents: IL; 8) Co-ordination of the partnership: IL, A, E, BC and CPA; 9) Transnational Co-operation: A. -the periodicity of the meetings have already be mentioned but as important is the fact that other professionals - from the partners, from associated organizations and eventually from other institutions - will also be invited to these meetings. Given this measure, decision-making will be grounded on a sound knowledge of all substantive features regarding the items under scrutiny and their institutional impact, in terms of the specific culture of each one and also of their mutual co-operation.

Last update: 28-10-2005 dot Top


Associação IN LOCO

(-)
Av. da Liberdade, Sítio da Campina
-
P-8150-022-SÃO BRÁS DE ALPORTEL São Brás de Alportel

Tel:+351289840860
Fax:289840879
Email:-

 
Responsibility in the DP: Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Evaluation
Type of organisation:Other
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:ALGARVE
Date of joining / leaving:12-06-2002 /

Text available in

Criada em 1998, a In Loco é uma associação dedicada à promoção do desenvolvimento local em meio rural, certificada como entidade formadora e com o estatuto de entidade de utilidade pública. Intervindo na Serra do Caldeirão, procura contribuir para a melhoria das condições de vida das populações serranas, através do apoio a processos participados de detecção de problemas, de concepção de respostas adequadas, de capacitação de pessoas e grupos para as pôr em prática, de avaliação e de consolidação das soluções encontradas. Para realizar a sua missão, a In Loco estabeleceu protocolos: com autarquias, associações, escolas e universidades, serviços públicos - de modo a garantir o envolvimento local, o funcionamento de equipas interdisciplinares, a disponibilização de meios, a complementaridade de funções - e integrou-se em redes: ANIMAR, Rede de Telecentros Rurais, Rede LEADER, Rede dos Carrefours Rurais, Rede Europeia de Desenvolvimento Sustentável.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Maria Priscila Soares Maria +351289840860 inloco@mail.telepac.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 28-10-2005 dot Top


ASSOCIAÇÃO DE INDUSTRIAIS E EXPORTADORES DE CORTIÇA

(AIEC)
Rua Duque d'Ávila, 169, 2º esqº
-
P-1050-081-LISBOA Lisboa

Tel:+351213158506
Fax:213570878
Email:-

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Other
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:12-06-2002 /

Text available in

A AIEC é uma associação empresarial de âmbito nacional, embora desenvolva a sua actividade principalmente na Indústria e Comércio de Produtos de Cortiça na zona Centro e Sul. É a associação mais antiga no sector corticeiro. A AIEC tem como objecto a prossecução e defesa dos interesses, sejam de que natureza for, de todos os seus associados, desenvolvendo todas as actividades que se mostrem necessárias ou convenientes ao mencionado fim no âmbito do sector corticeiro. De entre as actividades da AIEC, destacamos as seguintes: Defesa dos interesses dos associados e da cortiça junto das entidades públicas e ou privadas com implicações no sector corticeiro; · apoio na elaboração de projectos; · realização de acções de formação; · apoio jurídico aos associados; · apoio administrativo; · informações sobre o sector; · realização de estudos sobre o sector; · promoção nacional e internacional da cortiça e seus produtos.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Carlos Manuel Correia Uva Jacinto Carlos +351289843931 aiec.drbaa@mail.telepac.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 28-10-2005 dot Top


Associação de Saúde Mental do Algarve (ASMAL)

(ASMAL)
Rua General Umberto Delgado, 5
-
P-8000-355-FARO Faro

Tel:+351289807306
Fax:289807306
Email:-

 
Responsibility in the DP: Transnational partnership
Type of organisation:Other
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:ALGARVE
Date of joining / leaving:12-06-2002 /

Text available in

A ASMAL é uma IPSS, sem fins lucrativos, pessoa colectiva de utilidade pública, criada em 1991, sediada em Faro e de âmbito distrital. Acreditada pelo INOFOR nos domínios da concepção; organização e promoção, desenvolvimento/execução e outras formas de intervenção. É Centro de Recursos Especializados para atendimento de doentes mentais para os Centros de Emprego do Algarve. Integra o Conselho Regional de Saúde Mental do Algarve, a CLA no âmbito do RMG e a RRE Algibre-Ria Formosa. Está representada na CLAS de Faro. População-Alvo: doentes mentais (prioritária), deficientes mentais, populações em risco ou desfavorecidas e população em geral. Objectivo principal: a promoção da integração social e/ou profissional do indivíduo doente mental, do deficiente mental e de populações desfavorecidas ou em risco. Principais valências: Gabinete de Avaliação e Encaminhamento; Centro de Reabilitação Sócio-Profissional; dois Fóruns Sócio-Ocupacionais e Unidade de Vida Apoiada.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Maria Leonarda Silva Maria +351289807306 asmal@mail.telepac.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 28-10-2005 dot Top


EXISTIR-ASSOCIAÇÃO PARA A INTERVENÇÃO REABILITAÇÃO POPULAÇÕES DEFICIENTES DESFAV

(-)
Rua de Faro, nº 37
-
P-8100-553-LOULÉ Loulé

Tel:+351289411066
Fax:
Email:associaçao.existir@clix.pt

 
Responsibility in the DP: Monitoring, data collection
Type of organisation:Other
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:ALGARVE
Date of joining / leaving:12-06-2002 /

Text available in

A associação tem sede em Loulé e foi constituída em 1994 por pessoas singulares ou colectivas interessadas na realização de acções de apoio à população referida Objectivos: Identificar e caracterizar e defender os direitos destas populações Sensibilizar a comunidade para esta problemática e promover a relação de acções conjuntas com as estruturas comunitárias Promover e desenvolver estratégias diversificadas de transição para a vida activa dos cidadãos referidos desenvolvendo programas de avaliação, desenvolvimento de competências e orientação profissional destes indivíduos, contribuindo para uma integração socio- profissional Contribuir para o desenvolvimento e para a integração activa da família face à problemática destes grupos Formar técnicos e monitores para acompanhar e trabalhar com estas populações Estabelecer relações com instituições congéneres nacionais e estrangeiras



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Maria José Menau Laginha dos Ramos Maria +351289411066 associacao.existir@clix.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 28-10-2005 dot Top


Municipio de S. Brás de Alportel

(-)
Rua Gago Coutinho, 1
-
P-8150-151-SÃO BRÁS DE ALPORTEL São Brás de Alportel

Tel:+351289840000
Fax:289842455
Email:gap@com-sbras.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Public authority (national, regional, local)
Legal status:Public organisation
Size:Staff < 10
NUTS code:ALGARVE
Date of joining / leaving:12-06-2002 /

Text available in

Administração Pública Local com intervenção nos domínios de: . Planeamento; . Ordenamento do Território e Urbanismo; . Obras Municipais; . Equipamentos; . Rede Viária e Infraestruturas Públicas; . Administração e Finanças; . Educação; . Acção social; . Habitação; . Ambiente e Saneamento; . Turismo; . Energia; . Património; . Cultura e Ciência; . Tempos Livres e Desporto; . Saúde; . Trânsito e Sinalização; . Trasnportes Públicos e Municipais; . Promoção e Desenvolvimento.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Dora Barradas Eusébio Dora +351289840021 gap@cm-sbras.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 28-10-2005 dot Top



 
 
 
 

 
 
 
 

 
 
 
 
Warning! This section is not meant to be read directly, but rather be navigated through from the main page above.
 
 
 
 

A PAR E PASSO - ORIENTACAO-FORMACAO-INSERCAO PROFISSIONAL

Rationale

Text available in

Apesar da multiplicação de acções de formação profissional e da instalação de vários dispositivos que visam a inserção social e profissional de pessoas de grupos vulneráveis, as taxas de sucesso são, quase sempre, desanimadoras. Regra geral, os destinatários continuam a olhar a formação como um meio de obter um "salário" temporário, que só interessa se não fizer perder benefícios "mais permanentes". Infelizmente, a constatação das dificuldades nem sempre tem conduzido a um redobrado cuidado na concepção, preparação, execução e avaliação das acções de formação, nem tem fomentado uma política voluntarista de investigação e experimentação pedagógicas. Pelo contrário, tem-se agravado a tendência para aplicar a fórmula "mais do mesmo". Quanto aos dispositivos que visam o apoio à inserção, sendo de reconhecer os esforços que estão a ser feitos no sentido de garantir uma abordagem integrada e a articulação interinstitucional que a viabilize, as viscosidades do sistema continuam patentes: · dificuldade de um real trabalho em parceria, capaz de congregar competências técnicas, meio s materiais e recursos financeiros e de fazer convergir vontades e instituições; · obstáculos à adopção, por parte dos técnicos e das entidades, de uma atitude valorizadora dos públicos em dificuldade, que ultrapasse uma postura assistencialista e controladora; · falta de tempo, de meios e até de disposição para proceder à necessária experimentação social de novas abordagens e metodologias. A incapacidade para desenvolver soluções ajustadas e criativas tem conduzido a uma situação difícil, que caracterizamos de seguida. Número crescente de jovens que não consegue inserir-se no mercado de trabalho de forma estável, pessoalmente realizadora e socialmente útil. Situação agudizada no caso dos jovens do sexo masculino, tantas vezes sem a escolaridade obrigatória e quase sempre menos escolarizado que as raparigas. A maior parte deles não está inscrita nos Centros de Emprego, não é abrangida pelas estatísticas e vai acumulando trabalhos temporários no sector informal. Número significativo de DLD's e de desempregados sazonais, e tendência para a "estabilização" nessa situação, através da gestão engenhosa de diversos recursos (biscates, subsídios, esquemas ocupacionais, empregos de curta duração renovados ciclicamente, formações, etc.). No entanto, esses percursos de sobrevivência não possibilitam uma inserção social positiva, alimentando auto-imagens desvalorizadoras e conduzindo à estigmatização e exclusão. Os contornos deste universo começam a revelar-se à medida que progridem alguns dispositivos de inserção, como as estruturas do RMG. Número significativo de deficientes e doentes mentais sem apoio institucional adequado; e no caso dos que acedem aos serviços de uma entidade especializada, dificuldade reiterada de inserção profissional, ou até de simples integração social. Para além dos problemas resultantes da própria deficiência ou situação de doença, que exigem percursos de aprendizagem e desenvolvimento longos, estas pessoas têm ainda de fazer face a uma sociedade que os desvaloriza sistematicamente sob as mais diversas formas, do paternalismo desresponsabilizador à rejeição pura e simples. As pessoas com quem pretendemos trabalhar apresentam alguns traços comuns: · baixa auto-estima, reforçada por uma desvalorização ou mesmo estigmatização social; · pouca ou nenhuma autoconfiança, a favorecer a remetência para uma posição de subalternidade e dependência ou a conduzir a percursos de inserção mais ou menos marginais; · limitação do horizonte dos possíveis, com baixas expectativas de realização pessoal e social; · falta de informação sobre os instrumentos e os dispositivos a que poderão recorrer para concretizar um projecto de inserção profissional. Muitas delas partilham, também, a memória de um percurso escolar marcado pelas experiências negativas e o insucesso; para não falar dos deficientes e doentes mentais a quem o acesso à escola foi simplesmente negado. Os problemas de mobilidade física de alguns deficientes e os condicionamentos à mobilidade no espaço social destes e de muitos doentes mentais, diminuem, ainda mais, a possibilidade e as oportunidades de inserção. O trabalho a desenvolver com estas pessoas terá de as ajudar a reverter as características negativas já referidas, recorrendo a uma abordagem e a uma metodologia que as reconheça como seres com potencialidades, com capacidades e com o desejo de serem aceites e de se valorizarem. A partir da criação de um espaço de comunicação e projecto - assente no acolhimento das diferenças e no fomento da participação activa de todos - será possível implicar os destinatários num processo formativo centrado na promoção da sua auto-estima, na criação das bases de uma actuação autónoma, na avaliação das suas competências (pessoais, sociais e profissionais), na definição de projectos de vida e na concretização de projectos de inserção profissional. O projecto visa, justamente, forjar uma abordagem, uma metodologia e instrumentos que permitam uma actuação integrada com vista à orientação, formação e inserção de pessoas pertencentes a grupos vulneráveis, tendo o carácter integrado da intervenção de se reflectir em termos de : · articulação interinstituciopnal; · cobertura de todos os possíveis de um percurso de integração; · capacidade de lidar com as pessoas na sua globalidade, procurando dar resposta aos diversos problemas que as afectam e apoiando-as na exploração de todas as suas potencialidades. A candidatura procura responder, também, às necessidades das entidades parceiras. A realização das actividades previstas vai dotá-los de instrumentos de trabalho eficazes, capacitar os seus técnicos em áreas-chave para a acção que desenvolvem, possibilitar a aproximação institucional e a articulação funcional das suas estruturas, aprofundar o conhecimento dos seus respectivos territórios de acção.

dot Top


Objective

Text available in

Objectivos gerais Conceber, testar e avaliar uma metodologia integrada de orientação-formação-inserção profissional de públicos em dificuldade. Articular entidades diversas, ao nível de um território definido, num dispositivo de reflexão e de acção integrada com vista à inserção profissional e luta contra a exclusão. Objectivos específicos Aplicar a metodologia a jovens em dificuldade, candidatos ao primeiro emprego (6), desempregados e desempregados de longa duração (6), deficientes (6) e doentes mentais (6). Promover o desenvolvimento pessoal e social dos destinatários e preparar e apoiar a sua inserção profissional, no quadro de uma dinâmica participativa que favoreça a conquista de autonomia e a capacidade de empreender. Articular profundamente as equipas técnicas das entidades parceiras, de modo a garantir a condução eficaz, eficiente e criativa do projecto. Organizar um processo de formação dos técnicos permanentes e de outros elementos associados ao projecto, criando condições para uma participação qualificada e para uma postura de reflexão permanente. Desenvolver actividades de cooperação transnacional com vista à troca de experiências e à realização de produtos comuns em torno das temáticas de orientação-formação-inserção de públicos em dificuldade. Agregar outras entidades (serviços públicos, empresas e associações) à execução do projecto. Mobilizar um conjunto alargado de parceiros para a institucionalização e reforço de um dispositivo integrado de inserção profissional e luta contra a exclusão. Difundir junto de outras entidades - do Algarve, do país e da Europa - as aquisições do projecto em termos de metodologia de orientação-formação-inserção profissional e em termos organizacionais.

dot Top



Logo EQUAL

Home page
DP Search
TCA Search
Help
Set Language Order
Statistics