IMPORTANT LEGAL NOTICE
 

 TODOS POR UM ascii version

Portugal

 
DP Managing organisation : Município de Cascais
Other national partners : Associação de Reabilitação e Integração da Ajuda e Oeiras
CERCICA - Cooperativa para a Educação e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados de
SOFTIRES - Informática e Serviços Lda.
EQUAL theme :Employability - (Re-)integration to the labour market 
Type of DP :Geographical - Urban area - LISBOA E VALE DO TEJO 
DP Legal status :Association without legal form 
DP identification :PT-2001-191 
Application phase :Approved for action 2 
Selection date :26-11-2002 
Last update :10-01-2005 
Monitoring: 2002  2003  2004   

Rationale

Text available in

Cascais, with about 170.000 inhabitants (Census 2001), translates into one of the municipalities that has had one of the most advantageous positions of the country at the school capital level. According to the provisional results of Census 2001, close to 60% of the population has the minimum required education, of which, about 20% has a university degree. Regarding the productive and business areas and social composition, Cascais presents an employment structure that is clearly tertiary. More than the paradigmatic tourism it is perceived a tendency for the so-called "tertiary superior" (specialized intermediations and service providing). As regards to banking transactions (Directory 2000, INE 2001), the municipality is found amongst the first positions of the 18 municipalities of the Greater Lisbon Area. In what referrers to purchasing power per capita in 1995, Cascais finds itself in 3rd position amongst the region of the GLA (with a value of 133.42). We can confidently say that Cascais is a privileged municipality in many relevant aspects for the social and economic development, amongst the European civilizational patterns. This, however, doesn't mean it has no reflexes on unemployment and the social-professional integration problems, nor does it impede frequent and persistent manifestations of intricate and vicious contradictions and paradoxes. Crossing indicators it is possible to detect a depressed spot, of which, the hard nucleus is about 30.000 constituents (which represents about 17% of the constituents). It is possible to configure the contours of that vulnerable and depressed spot within the municipality: 5.000 registered unemployed, 1.500 families under the welfare system, 8.000 survival pensioners, about 10.000 beneficiaries of the social assistance programs (mot including the "assisted" by atypical responses, still insufficiently objectified). To make face to this "depressed spot" there are 92 registered organizations that assume responsibilities in the fight against social exclusion and in the extension of social solidarities. In the scenario of this diagnosis there were identified, aside from the Employment Centre, 7 other structures, (apart from those organizations that develop professional training), which intervention lies on the support to the social-professional integration and fight against unemployment. In this sense, even though we find a strong and constant investment on the fight against unemployment, the present municipal context presents signs of great structural complexity and of some intervention inefficiency. Firstly, the issue of rotational and precarious employment was raised, specially connected to the vulnerable ones that are the frequent stigmatised victims of persistent inequalities. From the point of view of the services and working teams' performance it is obvious (and consecutively indicated) that there is still an insufficient and unsatisfactory articulation amongst the services and working teams (even though there are great efforts in this sense) and enormous deficits on the sharing of resources that should be common. It is also clear that the casework follow-ups are manifestly insufficient, indicated by a shortage of human and technical resources. Within the grouping of interventions we verify: much more reception and welcoming than an inclusive follow-up of the integration paths; some incapacity of autonomist processes' implantation on the part of clients; the inexistence of one reasonably rationalized mechanism or modus operandi that would better the dislodgment between real demand and correct/promising employment supply. The Professional Training is not objectified. Aside from the lack of a sufficiently accessible and comprising information circuit, neither the professional resources existent in the municipality, nor the education system's intervention in this area are known. There is a generalized idea that what is being developed in terms of professional training is not responding to the real needs of the labour market. Overlapping issues has been pointed out. The labour market, above all the one that's accessible to the undifferentiated or low qualified workers, is still clearly identified by selectivity and defensive "closure" dynamics. There is, however, a lack of specialized workers in some professions that are socially underestimated. The problematic of Mental Health is greatly meddled with the fight against unemployment and the facilitation of social-professional integration interventions. A great number of clients that need more integrated responses and take-up significant parcels of the social workers' availability and the available resources are detected. It is in this general scenario of potentials surrounded by adversities, that we must take into consideration a number of needs that already appear to define, namely: - An efficient articulation between the various agents that work with these issues, creating synergies and profiting from the existing efforts; - A methodology that allows an integrated, continuous, close and personalized follow-up - with screening and priority phases, qualifying support and follow-up during a sufficiently secure period of integration (with referrals of cases that are qualified of other professional placement); - The need to insist in the importance of Social and Human Training (that should not be detached from the concrete opportunities, whether in the vocational straying, as in the acquisition of basic skills, and in placement hypothesis); - Investment in Training in Work Context, to contribute to a know-how that's more adequate to the businesses' needs and contexts; - Creation of mechanisms that allow greater client autonomism; - Privilege local offices and working teams on the screening of cases and in the definition of intensities and complementarities of intervention; - Schools to have a more active role within the labour market and families, integrating and orienting youth to pre-professional experiences; curricular readjustments and the introduction to business culture; articulate with projects that work towards employment and integration; encourage interactions and communications between businesses and schools; - Development of mechanisms of support and therapeutic action at the Mental Health level, linked to the difficulties of integration and employment or any other sources of income; - Intensify intervention related to the establishment of Integration Plans (namely welfare recipients, but not exclusively), establishing follow-up and control procedures; - Create a permanent Forum / Panel between services e intervening actors, with the regular and periodic participation of other partners and interlocutors (organizations, businessmen/businesswomen, placement agents, unemployed, precarious-rotational, trainers, specialists, etc); - Establishment of a common Database, integrated in a computing system, that allows various types of accessibility and use via the Internet, which forces the creation of a central nucleus that's responsible for its maintenance and updating; - Creation of a system that facilitates the communication between organizations /organization workers that act on the integration paths, resorting to the new technologies, being necessary to equip some services and train some organization workers; - Creation of a Local Observatory on Employment and Integration or of a tool of continuous diagnosis, linked to the database and the forum. Faced with this number of problems and needs at the social-professional integration problematic level in the Municipality of Cascais, it becomes obvious the urgency of the intervening continuation in this field, but having as fundamental premise the development of methodologies that privilege systematic, incisive and concrete interventions, as a way of optimising resources and synergies.

dot Top


Objective

Text available in

A - To form a local partnership in order to stimulate joint strategies and effective complementary cooperation between institutions within the municipality (social and economic), so that they can contribute to (re)introduce those who experience serious integration difficulties, in the labour market. B - To implement new methodologies and tools in joint intervention and to promote the training of agencies involved, so as to qualify Municipal intervention in this area. Also to render more effective the efforts made by the various agents, to raise possibilities of employment, and to promote the integration of target groups. C - To raise work capacity, active participation and a sense of co-responsibility amongst the people involved. D - To define and support integrated ways of placing the target groups in jobs, so that their talents meet the existing needs and requirements of the labour market (bearing in mind their potentials and aspirations, and considering the characteristics and restrictions of the business sector in the municipality). E - To promote an attractive image of professions which are currently underrated and have difficulties in recruitment; also those where a specific gender predominance is a fact; as well as professions which emerge from non satisfied social needs or new professions which are a consequence of the municipality's development. F - To encourage the participation of employers in the definition and implementation of activities, by multiplying the participation of their enterprises in the fields of guidance, training and integration of target groups. G - To incorporate information and communication techniques in the created processes, rendering both agents and target people capable of using them.

dot Top


Innovation


Nature of the experimental activities to be implemented Rating
Guidance, counselling **
Training **
Training on work place **
Work placement **
Integrated measures (pathway to integration) ***
Employment creation and support **
Training of teachers, trainers and staff **
Improvement of employment services, Recruitment structures **
Conception for training programs, certification *
Anticipation of technical changes *
Work organisation, improvement of access to work places *
Guidance and social services ***
Awareness raising, information, publicity **
Studies and analysis of discrimination features **

Type of innovation Rating
Process-oriented ***
Goal-oriented **
Context oriented *

Text available in

A maior inovação é o promover o encontro e o trabalho conjunto entre as estruturas que actuam ao nível da inserção sócio-profissional dos grupos-alvo, através da facilitação da comunicação e do conhecimento mútuo, do desenvolvimento conjunto e experimentação de metodologias que operacionalizem o trabalho em rede e possibilitem percursos de inserção integrados, acompanhando o beneficiário ao longo do percurso. Mais concretamente, consideramos inovador: - Os percursos de inserção deixarem de ser tão fragmentados e a intervenção responder melhor às caracteristicas e aspirações dos grupo-alvo e do mercado de trabalho, interligando as várias áreas da vida do indivíduo - O trabalho em rede e a continuidade na transição dos processos, resultando num percurso mais coerente e com menos tempos de espera, em que a pessoa-alvo se sente mais acompanhada e participa com maior confiança e empenho - A valorização de percursos individualizados, definidos numa perspectiva integrada e para cuja execução é contratualizada a participação e co-responsabilidade de todos os intervenientes, incluindo o próprio beneficiário - A aprendizagem e utilização das TIC, permitindo a técnicos e beneficiários novas oportunidades de acesso ao conhecimento, à informação e à troca e complementaridade de perspectivas. A partilha e disseminação da informação por esta forma, poderá enriquecer o trabalho prestado por cada técnico e promover a integração e sistematização das diversas intervenções - A motivação para a procura de emprego é utilizada para promover uma aproximação e aprendizagem das TICs, especialmente da Internet, junto de pessoas que de outra forma provavelmente nunca teriam contacto com esta tecnologia - A valorização da aquisição de competências sociais e humanas e o desenvolvimento psico-social, como forma de aumentar a empregabilidade e a eficácia do processo de inserção - A formação em posto de trabalho como resposta mais adequada às expectativas e características de algumas pessoas e simultaneamente como estratégia de aproximação ao meio empresarial - O intercâmbio de técnicos, permitindo um conhecimento da realidade dos outros serviços a partir da observação do real. Este conhecimento e partilha do "know-how" facilitarão a construção de produtos mais adequados à realidade de todos , aumentarão as competências de cada técnico e a compreensão mútua. - A intervenção no terreno em paralelo com a investigação, interligando a teoria e a prática, contribuirá para o avanço do conhecimento e para um quadro de referência comum. É introduzido no "sentido prático" dos técnicos rotinas investigativas para melhorar as capacidades de decifração em tempo útil, as visibilidades diagnósticas e as possibilidades de reflexividade em encadeamento com o planeamento e com o controlo de resultados.

dot Top


Budget Action 2

250 000 – 500 000 €

dot Top


Beneficiaries


Assistance to persons 
Unemployed  28.5%  42.9% 
Employed  5.7%  22.9% 
Others (without status, social beneficiaries...)  0.0%  0.0% 
  100.0% 
 
Migrants, ethnic minorities, …  7.2%  14.3% 
Asylum seekers  0.0%  0.0% 
Population not migrant and not asylum seeker  27.1%  51.4% 
  100.0%
 
Physical Impairment  2.9%  5.7% 
Mental Impairment  4.3%  7.1% 
Mental Illness  2.9%  5.7% 
Population not suffering from a disability  24.3%  47.1% 
  100.0% 
 
Substance abusers 0.0%  0.0% 
Homeless  0.0%  0.0% 
(Ex-)prisoners  0.0%  0.0% 
Other discriminated (religion, sexual orientation)  0.0%  0.0% 
Without such specific discriminations  34.3%  65.7% 
  100.0% 
 
< 25 year  7.1%  15.7% 
25 - 50 year  24.3%  45.7% 
> 50 year  2.9%  4.3% 
   100.0% 

Assistance to structures and systems and accompanying measures Rating
Gender discrimination **
Discrimination and inequality in employment **
Disabilities **
Other discriminations *
Low qualification **
Racial discrimination *
Unemployment ***

dot Top


Empowerment

 

 With beneficiaries

Participation
Promoting individual empowerment
Developing collective responsibility and capacity for action
Participation in the project design
Participation in running and evaluating activities
Changing attitudes and behavior of key actors

 

 Between national partners

N.C.

dot Top


Transnationality

 

 Linguistic skills

  • português
  • français
  • English
  • español (castellano)

 Percentage of the budget for transnational activities

  • 0.4%

 Transnational Co-operation Partnerships

Transnational Co-operation Agreement DPs involved
122 LIBER ES ES248
FR PCD-2001-10335
IT IT-G-LIG-006

dot Top


Background

 

 Involvment in previous EU programmes

  • Two and more partners involved in A&E

dot Top


National Partners


Partner To be contacted for
Município de Cascais Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Evaluation
Monitoring, data collection
Transnational partnership
Associação de Reabilitação e Integração da Ajuda e Oeiras
CERCICA - Cooperativa para a Educação e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados de
SOFTIRES - Informática e Serviços Lda.

dot Top


Agreement Summary

Text available in

Common responsibilities - Creation and implementation of new methodologies of social-professional integration - Construction, feeding, updating of Info and Communication System (ICS) - Collaborate in beneficiaries' path of integration - Participate in Interchange/Training of workers - local and transnational - Participate in transnacional work - Participate in follow-up, evaluation, divulgation of project Specific responsibilities CMC - Coord/manage project - Coord ICS - Follow-up 50 beneficiaries, develop a product from its evaluation and analysis - Coord participation of workers in Computer Training - Promote "Social Marketing" - Promote final seminar - Interlocutor with transnational partners IEFP/CEC - Promote Professional Marketing IEFP/CRPA-R - Coord local workers' Training/Interchange CERCICA - Coord creation of methodologies - Publish products & divulgation material CVP-NCE - Coord 2 modules of Social & Human Skills Development for 30 beneficiaries ÁRIA - Coord Work Context Training for 20 beneficiaries ISSSCoop/CEIA - Pilot "Employment & Training Observatory" - Promote research to support practice SOFTIRES - Program, host and provide assistance to ICS - Equip partners with computing material - Develop organizations workers' Computer Training Levels of Participation: -Partners' Assembly . All partners . Meets every 3 months . Evaluates development of project . Decides on eventual changes (planning of project's activities, budget execution, integration of new partners) . Each organization - 1 vote -Piloting Group . CMC, CEC, CRPA/R and CERCICA . Meets monthly . Monitoring, systematisation of info and results and articulate activities -Semester meetings of DP with other collaborating org's . Gather info and feed-back on the development and results of the project -CMC will be DP's secretary and interlocutor -Process will be followed-up by an external evaluator -ICS will be the communication and mutual info instrument between partners

Last update: 10-01-2005 dot Top


Município de Cascais

(-)
Praça 5 de Outubro
-
P-2754-501-CASCAIS Cascais

Tel:+351214825000
Fax:214820373
Email:rosario.daugbjerg@cm-cascais.pt

 
Responsibility in the DP: Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Evaluation
Monitoring, data collection
Transnational partnership
Type of organisation:Public authority (national, regional, local)
Legal status:Public organisation
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:17-06-2002 /

Text available in

Autarquia local de âmbito concelhio, orientada no sentido do desenvolvimento social e económico do concelho, visando a melhoria das condições de vida da população, através de acções integradas em dois tipos de funções: - sociais: educação, saúde, a habitação, acção social, saneamento, protecção do meio ambiente, cultura, desporto e lazer - económicas: indústria, energia, transportes, comércio e turismo. Na área da inserção sócio-prof., tem em funcionamento 6 estruturas de apoio a pessoas desempregadas ou à procura de orientação/formação profissional: 4 em territórios específicos, 1 para jovens e 1 que abrange todo o concelho para as pessoas com maiores dificuldades de inserção. Estas estruturas caracterizam-se pela proximidade (aos beneficiários e à sua realidade), pela acessibilidade a recursos e serviços necessários na procura de emprego, pela diversidade das respostas de cada caso e pela mediação entre os beneficiários e o mercado de emprego e/ou respostas sociais.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
M. Rosário L. S. Almeida Santos Daugbjerg M. +351214821701 rosario.daugbjerg@cm-cascais.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 10-01-2005 dot Top


Associação de Reabilitação e Integração da Ajuda e Oeiras

(-)
Rua da Indústria, 64, 1º
-
P-1300-306-LISBOA Lisboa

Tel:+351213641099
Fax:213660165
Email:-

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Organisation providing support and guidance for disadvantaged groups
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:17-06-2002 /

Text available in

A ARIA - Associação de Reabilitação e Integração AJUDA , nasceu com a missão específica de organizar respostas que possibilitem às pessoas com problemas de saúde mental adquirir os recursos necessários à sua reabilitação e integração social e profissional de modo a poderem exercer os seus direitos como cidadãos plenos. Neste âmbito, o objectivo principal tem sido a promoção de acções que dotem esta população alvo das competências necessárias à aquisição da sua autonomia pessoal, relacional, social e económica. Com esse objectivo têm sido desenvolvidos Projectos de Sensibilização da Comunidade, de Formação Profissional e Emprego, Unidades de Vida (residências Protegidas), Fóruns Sócio-ocupacionais.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Inês Simões Inês +351214669215 aria-forum_cascais@vizzavi.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 10-01-2005 dot Top


CERCICA - Cooperativa para a Educação e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados de

(-)
Rua Principal, nº 320 - Livramento
-
P-2765-383-ESTORIL Cascais

Tel:+351214661556
Fax:
Email:cercica@mail.telepac.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Education / training organisation
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:17-06-2002 /

Text available in

Missão: Reabilitação e Inserção sócio-profissional de pessoas com deficiência mental e multideficiência Áreas de Intervenção: UIP (Unidade de Intervenção Precoce): Apoia famílias com crianças em idades dos 0 aos 6 anos; Educação Especial: Apoia crianças com necessidades educativas especiais entre os 6 e os 16 anos; Formação Profissional: Promove cursos de Formação Profissional para jovens e adultos com idade igual ou superior a 15 anos na perspectiva da sua inserção no mercado de trabalho; Apoio Ocupacional: Promove actividades ocupacionais na perspectiva da melhoria da qualidade de vida e da transição para a vida activa destinadas a jovens e adultos com idade igual ou superior a 16 anos; Residências fixas para utentes da Cercica sem estrutura familiar de suporte e Residências Temporárias; Empresas de Inserção em Apoio Domiciliário e Jardinagem



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
M. Cristina Figueiredo da Silva M. +351214658592 cercica@mail.telepac.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 10-01-2005 dot Top


SOFTIRES - Informática e Serviços Lda.

(-)
Avª S. Miguel - Edifício Arcadas S. Miguel, Lote 80, Lojas 9 e 10 - Sassoeiros
-
P-2775-750-CARCAVELOS Cascais

Tel:+35121 453 58 39
Fax:21 453 91 92
Email:geral@softires.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Enterprise
Legal status:Private
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:17-06-2002 /

Text available in

A Softires desenvolve a construção, montagem, reparação e comercialização de hardware, bem como a criação e comercialização de software e ainda a prestação de todos os serviços na área informática, incluindo formação profissional. Dentro da multiplicidade de serviços destaca-se: assistência técnica, comunicações (projecto, instalação, configuração de redes, internet e intranet), consultoria (levantamento de necessidades, aconselhamento, análise e programação), comércio, sofware e formação (nomeadamente nas TIC).



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Fernando Martins Lourenço Fernando +351214535839 geral@softires.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 10-01-2005 dot Top



 
 
 
 

 
 
 
 

 
 
 
 
Warning! This section is not meant to be read directly, but rather be navigated through from the main page above.
 
 
 
 

TODOS POR UM

Rationale

Text available in

Em anexo é apresentado um diagnóstico mais aprofundado, apresentando-se aqui o seu resumo. Cascais, com cerca de 170.000 habitantes (Censo 2001), traduz-se num dos concelhos que tem tido uma das situações mais vantajosas do país ao nível do capital escolar, uma vez que, segundo os resultados provisórios dos Censos de 2001, perto de 60% da população tem a escolaridade obrigatória, dos quais, cerca de 20% tem o ensino superior. Relativamente ao tecido produtivo e empresarial e composição social, Cascais apresenta uma estrutura do emprego em que é nítida a terciarização e em que, para além do paradigmático Turismo, se nota uma propensão para o chamado "terciário superior" (intermediações e prestações de serviço mais especializadas). No plano dos movimentos bancários (Anuário 2000, INE 2001), o concelho apresentava-se nas primeiras posições no conjunto dos 18 concelhos da AML. No que se refere ao poder de compra per capita em 1995, constata-se que Cascais ocupava a 3ª posição no seio da região da AML (com um valor de 133.42). Sem dúvida que Cascais é um concelho privilegiado em muitos aspectos relevantes para o desenvolvimento social e económico dentro dos padrões civilizacionais europeus, o que não deixa de ter reflexos nos problemas da inserção sócio profissional e do desemprego, nem impede as manifestações frequentes e persistentes de intrincadas e viciadas contradições e paradoxos. Cruzando indicadores é possível detectar uma mancha deprimida, cujo núcleo duro andará na ordem dos 30.000 munícipes (o que representa cerca de 17% dos munícipes). É possível configurar os contornos dessa mancha deprimida e mais vulnerável dentro do concelho: 5.000 desempregados inscritos, 1.500 famílias beneficiárias RMG, 8.000 pensionistas de sobrevivência, cerca de 10.000 utilizadores dos programas de solidariedade social (sem incluir os "assistidos" por respostas atípicas, ainda insuficientemente objectivadas). Para fazer frente a esta "mancha deprimida" estão recenseadas 92 entidades que assumem responsabilidades no combate à exclusão social e na extensão das solidariedades sociais. No quadro deste diagnóstico foram identificadas, para além do Centro de Emprego, 7 estruturas (para além das entidades que desenvolvem formação profissional) cujo âmbito de intervenção é o apoio à Inserção Sócio Profissional e combate ao Desemprego. Neste domínio, embora se constate um forte investimento no combate ao desemprego, o contexto concelhio actual apresenta marcas de grande complexidade estrutural e de alguma ineficácia interventiva Em primeiro lugar, foi emergindo a questão do emprego precário e rotativo, especialmente conectado com as pessoas mais vulneráveis e que são frequentemente vítimas estigmatizadas das desigualdades persistentes. Do ponto de vista do desempenho dos serviços e equipas / projectos é óbvio (e sucessivamente indicado) que ainda existe uma insuficiente e insatisfatória articulação entre serviços e equipas (apesar de haver esforços nesse sentido) e enormes déficits na partilha de recursos que deveriam ser comuns; também fica claro que é manifestamente insuficiente o acompanhamento dos processos (os "follow up's"), havendo indicações sobre falta de recursos humanos e técnicos. No conjunto das intervenções verifica-se: muito mais recepção e acolhimento do que um acompanhamento integrado dos percursos de inserção; alguma incapacidade na implantação de processos de autonomização por parte dos utilizadores; a inexistência de um dispositivo ou um "modus operandi" razoavelmente racionalizado que melhorasse os desfasamentos entre procuras reais e ofertas correctas/promissoras A Formação Profissional não se encontra objectivada, para além da falta de um circuito de informação suficientemente abrangente e acessível, não se sabe o que existe no concelho ao nível de cursos profissionais, nem qual a intervenção do sistema de ensino neste domínio. Existe uma ideia generalizada de que o que se desenvolve em termos de formação não corresponde às efectivas necessidades do mercado de trabalho. Também tem sido apontado a existência de sobreposições. O mercado de emprego, sobretudo aquele que está acessível aos trabalhadores indiferenciados ou pouco qualificados, é ainda nitidamente marcado por dinâmicas de selectividade e de "fechamento" defensivo, havendo no entanto falta de mão de obra em algumas profissões que se encontram socialmente desvalorizadas. A problemática da Saúde Mental está demasiadamente imiscuída nas intervenções de combate ao desemprego e de facilitação da inserção sócio profissional, detectando-se muitos casos de utilizadores que carecem de respostas mais integradas e que ocupam parcelas significativas da disponibilidade dos técnicos e dos recursos disponíveis. É neste quadro geral de potencialidades rodeadas de adversidades que se torna premente ter em consideração um conjunto de necessidades que já se começam a delinear, nomeadamente: - Uma articulação eficaz entre os diversos agentes que actuam nesta problemática, criando sinergias e rentabilizando os esforços existentes - Uma metodologia que permita o acompanhamento integrado, contínuo, próximo e personalizado - com fases de triagem e priorização, apoio qualificante e acompanhamento durante um período de inserção suficientemente seguro (com encaminhamentos dos casos de outro foro prioritário à colocação profissional); - A necessidade de insistir na importância da Formação Social e Humana (que não deverá estar desligada das oportunidades concretas, quer no despiste vocacional, quer na aquisição de competências básicas, quer nas hipóteses de colocação); - O investimento em formações em posto de trabalho, no sentido de contribuir para um saber-fazer mais adaptado às necessidades e aos contextos empresariais; - A criação de mecanismos que permitam uma maior autonomização dos utilizadores - Privilegiar os gabinetes e equipas locais na triagem dos utilizadores e na definição da intensidades e complementaridades de intervenção; - A Escola ter um papel mais activo junto do mercado de emprego e das famílias, orientando e integrando os jovens para experiências pré-profissionalizantes; reajustamentos curriculares e introdução à cultura empresarial; articular com projectos que trabalhem na área do emprego e da inserção; incentivar as comunicações e interacções entre as empresas e as escolas; - O desenvolvimento de dispositivos de apoio e de acção terapêutica ao nível da Saúde Mental cruzada com as dificuldades de inserção e de emprego ou actividade geradora de rendimentos; - Intensificar a intervenção relacionada com o estabelecimento de Planos de Inserção (nomeadamente nos beneficiários do RMG, mas não exclusivamente), estabelecendo processos de controle e acompanhamento; - Criar um Fórum / Painel permanente entre serviços e técnicos interventores, com a participação regular e periódica de outros parceiros e interlocutores (entidades, empresários, colocadores, desempregados, precários-rotativos, formadores, especialistas, etc.); - Estabelecimento de uma Base de Dados comum num sistema informatizado que permita diversos tipos de acessibilidade e utilização por via da internet, o que obriga à constituição de um núcleo central responsável pela actualização e dinamização; - A criação de um sistema que facilite a comunicação entre entidades/técnicos que actuam nos percursos de inserção, recorrendo às novas tecnologias, sendo para isso necessário equipar alguns serviços e formar alguns técnicos - A criação de um Observatório Local sobre o Emprego e a Inserção ou de um dispositivo de diagnóstico contínuo, interligado com a Base de Dados (e com o Fórum). Perante este conjunto de problemas e de necessidades ao nível da problemática da inserção sócio-profissional no Concelho de Cascais, torna-se óbvia a urgência da continuidade interventiva neste campo, mas tendo como premissa fundamental o desenvolvimento de metodologias que privilegiem intervenções sistemáticas, incisivas e concertadas, por forma a se optimizarem recursos e sinergias.

dot Top


Objective

Text available in

A - Constituir uma parceria local que impulsione uma estratégia conjunta, a cooperação efectiva e a complementaridade entre as entidades e organizações concelhias (sociais e económicas) que contribuem para a (re)inserção no mercado de trabalho dos que têm maiores dificuldades de integração; B - Implementar novas metodologias e instrumentos na intervenção conjunta e promover a formação dos agentes envolvidos, por forma a qualificar a intervenção concelhia nesta área e tornar mais eficazes os esforços desenvolvidos pelas diversas entidades no sentido de potenciar a empregabilidade e promover a inserção dos grupos-alvo; C - Aumentar a capacidade de mobilização, a participação activa e o sentido de co-responsabilidade das pessoas abrangidas; D - Defenir e apoiar percursos de inserção integrados que adequem as competências dos beneficiários (tendo em conta as suas potencialidades e aspirações) e as exigências e necessidades do mercado de trabalho (considerando as características e condicionalismos do tecido empresarial do concelho); E - Promover uma imagem atractiva das profissões desvalorizadas e em que existem dificuldades de recrutamento e daquelas onde predomina um dos géneros, assim como das profissões que emergem das necessidades sociais não satisfeitas e das novas profissões que surgem no contexto de desenvolvimento do concelho; F - Fomentar a participação dos empresários na definição e implementação das acções, multiplicando e dissiminando práticas de participação de empresas nos percursos de orientação, formação e inserção dos grupos-alvo; G - Incorporar as TIC nos processos e dispositivos criados, capacitando para a sua utilização os agentes e beneficiários envolvidos.

dot Top



Logo EQUAL

Home page
DP Search
TCA Search
Help
Set Language Order
Statistics