IMPORTANT LEGAL NOTICE
 

 Trilhos ascii version

Portugal

 
DP Managing organisation : SEIES - Sociedade de Estudos e Intervenção em Engenharia Social, CRL
Other national partners : Associação de Apoio aos Pequenos Agricultores do Poceirão
ICE - Instituto das Comunidades Educativas
Instituto da Segurança Social, IP - Centro Distrital de Solidariedade e Seguranç
Instituto do Emprego e Formação Profissional, I. P.
Município de Palmela
Município de Setúbal
Vedior Psicoemprego - Empresa de Trabalho Temporário, Lda.
EQUAL theme :Employability - (Re-)integration to the labour market 
Type of DP :Geographical - Other - LISBOA E VALE DO TEJO 
DP Legal status :Association without legal form 
DP identification :PT-2001-176 
Application phase :Approved for action 2 
Selection date :09-09-2002 
Last update :09-10-2007 
Monitoring: 2002  2003   

Rationale

Text available in

The Trilhos project comes from the reflection between a number of technical teams and institutions which, despite working towards the social and professional integration of fragile social groups, feel the situation of institutional dependence and passivity of these people tends to persist. Institutional responses come in an allotted and disarticulated fashion, lacking responses in good time, which reinforce the feeling of 'failure' of and discreditabilty in the politics and measures of support. On the other hand, technical teams find it extremely difficult to develop strategies and methodologies adequate to the complexity of the situations. On one side, self-devaluation and passivity; on the other, a negative image of the populations and communities and feelings of personal and professional failure. The furthering of the diagnosis made in Anunciada, Poceirão and Marateca confirm the above and what had been observed by the DP when it put forth its candidature. Anunciada This town, of 16400 inhabitants is located in a privileged area of Setubal embracing a part of the Arrabida mountain range and the riverside area of the Sado river with a strong tourist potential. The Anunciada de Cima, with 3 SAAL re-housing quarters, is mostly made up of a professional and educational low skilled, illiterate and precocious school leaving population, unskilled labour or unemployment, teenage mothers, single parent families, domestic violence, drug abuse, alcoholism and psychological problems at all ages, degraded housing without basic infrastructures. Coming from a fishing background, the lack of organised working habits and educational valuation predominates, together with a certain inability to manage resources (deeply in debt), lack of self-esteem and a certain conformity in view of problems, passing the blame to the public services. This does not stimulate the target population to have short or medium term life projects. However, we can find: - existence of equipment for the elderly and infant education, even if overloaded - many people occupy their time with handicraft hobbies and helping each other - neighbourhood solidarity to give support to the elderly - extensive associative network (17 associations) although restricted to football and athletic activities, but could have a significant role for the exercising of citizenship, and development of youth animation activities, especially since spaces for socialising and obtaining information (sexuality, aids, family planning, etc.) are practically non-existent. But also potentialities in Setubal: - generalisation and experimentation of 'new social politics' (RMG and social networks) - extensive associative and social (many IPSS's) business network - strong wholesale and retail commercial sector (food, clothing and handicraft) hairdressers and small repair-shops, car, building, catering and hotel units (especially prominent in the town of Anunciada) - enterprises from this sector lack qualified staff with multiple skills related to several duties (chambermaids, pantry, laundry, etc) Poceirão and Marateca Rural towns (peripheral) in the municipality of Palmela, with: - around 8 000 inhabitants; - great territorial extension and dispersion , there are still many rutted earth roads leading to the more isolated houses and localities. - isolation of localities and families - insufficient public transport network - primary schools only (3 tele-school centres for primary education) and some EPEPE's (state pre-school education). Access to schools for the completion of the 9th year is provided by the Town Hall - adult population, mostly women, with few employment possibilities, reserving themselves to agricultural activities; men occupy themselves in the building sector Thus, the target population is mostly rural, illiterate or with a primary educational background, unqualified and unskilled, where women stand out, representing 70% of those enrolled in the RMG/Social Action. They occupy themselves mainly in their own micro-agriculture and seasonally work days at medium/big plantations, have low self-esteem and serious family problems on a day to day basis (alcoholism, illnesses, domestic violence, juvenile delinquency, drug addiction, teenage pregnancies, precocious school leaving...), therefore, women with no future prospects, with recurrent cycles of and difficulty in committing to a personalised route of social or professional re(insertion). On the other hand, young people are incited to reproduce a dominant day to day which perpetuates feelings of self-devaluation, abandoning school and resorting to agriculture and building work, making it more difficult to have future prospects and have a life project. With girls the situations seems to be even more complex, since a great number of them stay at home (looking after brothers and sisters and the house), with no occupation or perspectives of change (no dreams!). There are no places for them to meet, share or socialise, which reinforces their isolation and apparent apathy towards life. However, there are small initiatives and experiments which encourage the possibility for change: - women's meetings to Talk (to Grow) and share their day to day... - a motivated class of recurrent education (1st cycle/primary) and a request for the 2nd cycle/pre-secondary (by many youths), as an only chance for doing things together (socialising, days out...) - Youths involved in the organisation and dynamisation of cultural, recreational and sport activities - theatre groups, folk dancing , ballroom dancing, balls, gym... - strategic initiatives related to agriculture (home production of cheese and sausages and others) - sites of rural animation (Rural Schools project...) But also, - a great number of groups and associations (cultural, recreational and sport) spread over the localities, which despite being leaders show weariness and demotivation and, on the other hand, a youth that does not feel that they belong to that "model" of association and therefore keep their distance - the agricultural and stock raising sector, although somewhat decayed and abandoned, is a big employer of people from these towns, especially from Poceirão - Some small and medium enterprises in the industries of food, car and transformation of wood and marble, in Marateca, which employ mostly unskilled workers from 2 towns (some prefer to employ workers from other areas as they consider the local population to be unable to make commitments) Central and local administrative agents and also from private institutions On furthering the diagnosis in the two areas, as well as from reflection meetings at some partner institutions, the diagnosis on which the candidature put forth was based, was confirmed, completing or complementing it: - great pressure "from numbers" to present results which made it difficult to search for more personalised solutions, or which led to the acceptance of criteria implicit in the discrimination from employers - the feeling that the huge effort put into elaborating reports "leads to nothing" - personal and institutional difficulty in understanding the different cultural reasonings and habits (rural, ethnic, excluded...) - very specialised vision (regarding duties) of technicians, rather narrow minded towards what goes on, on the side, and a corporate and institutional culture with a defensive standpoint. - negative vision of the quarters and their populations which leads to avoidance of fieldwork and taking an 'office based posture'. - inter-institutional vision which is also negative (from enterprises towards public services and from the public services towards enterprises and social inter-institutions) making communication, collaboration and partnerships with integrated work difficult - feelings of frustration in view of failed attempts to involve people and situations arising from attempts considered to have been deceitful and aggressive But also, - a positive balance of practices from the inter-institutional and inter-professional articulation which leads to a new awareness of the complexity of situations and the search for relationships and interdisciplinarity - improvement in the ways of working and understanding problems in the different public and private institutions - Willingness to reflect on difficulties and understand the different cultures - Desire to have an open space for reflection (non-institutional) and also for cultural and professional meetings. Project The project intends to break through the dual reasoning of 'fragmented assistencialism'. The professionals do not want it but end up getting involved, those being assisted can not find the strength to free themselves from this and, everyone suffers from these relationships they have to inevitably endure. Thus, taking this territory (2 - Anunciada de Cima and Poceirão/Marateca) as a starting point, an integrated intervention will be developed, a process, with the concrete involvement of all actors belonging to this environment (target groups, technicians and organisations, namely enterprises) with a view to: - provoke the dynamisation of the territory based on concrete actions which allow for the building of personal and collective self-esteem and give way to the rise of local social capital. - people and communities; - detect the need for professional skills that are not usually found in the labour market, to try out specific forms of personal valuation and to set up personalised training-insertion routes. - Create the conditions to generate the Agents' personal and technical self-confidence, via meetings to reflect upon practices and strategies and the trial of tailor made continuous training actions; - Set up a space for the articulation and dynamisation of meetings , relationships and experiments aimed at the public - normally excluded and also at professionals on a personal/volunteer basis, as well as institutional.

dot Top


Objective

Text available in

1. To develop, reinforce and deepen the interaction and coherence of the interventions of organisations/groups, that interact in the zone with the vulnerable public, seeking: - To dynamize the articulation between formal and informal processes of reception-re-orientation-training-re-insertion, as inter-institutional devices with more flexible and open strategies to local community participation. - To implement, deepen and articulate participative strategies and involvement of vulnerable people and the community, developed by the partners (formally and informally). - To deepen processes of employers' active involvement (entrepreneurial and social economy), seeking greater dynamism and adequacy of training-orientation and greater fluidity in the processes of professional insertion. 2. To promote the qualification of the zone in the eyes of its inhabitants and organisations, the active participation of people and vulnerable groups, and the visibility of emerging needs which can materialise in new job opportunities via the: - Citizenship dynamics of equal opportunities and of the recognition of informal skills which involve the population and organisations. - A qualitative leap in the articulation between the active intervenients in the micro-zone developing forms of partnership (organisations, technicians, population) which establish themselves as distance self-learning and trial spaces of solutions/strategies/participative and effective methodology actions. - Emergence of new partners (formal and informal) in the reflection of the area and its socio-economic development with a communitarian basis. 3. To reinforce the skills of technicians and active organisations in the processes of socio-professional insertion, with the animation of training/consulting devices which raise the power of practices of participative diagnosis, reflexive training and development of participative intervention strategies.

dot Top


Innovation


Nature of the experimental activities to be implemented Rating
Integrated measures (pathway to integration) ****
Employment creation and support **
Training of teachers, trainers and staff ***
Improvement of employment services, Recruitment structures **
Conception for training programs, certification **
Anticipation of technical changes **
Guidance and social services **
Awareness raising, information, publicity **
Studies and analysis of discrimination features **

Type of innovation Rating
Process-oriented ***
Goal-oriented **
Context oriented **

Text available in

O projecto assenta num certo número de pressupostos 1 - Dinamização /requalificação de 2 territórios permitindo um processo de empoderamento pessoal e comunitário em que os vários actores comecem a acreditar, com : - implementar, aprofundar e articular estratégias de envolvimento das pessoas e da comunidade, (de forma formal e informal); - dinamizar a articulação entre processos formais e informais de acolhimento-(re)orientação-formação-(re)inserção, constituindo-se como dispositivos inter-institucionais com estratégias mais flexíveis - - envolvimento activo de empregadores, visando um maior dinamismo e adequação da orientação-formação, e maior fluidez nos processos de inserção profissional; - reconhecimento local de competências com o envolvimento das CLA's, das empresas e articulação com o sistema oficial de validação. 2 - Investigação, análise conjunta, experimentação, avaliação - Estudo continuo sobre necessidades e novas competências profissionais que emergem nas empresas (novos perfis, polivalência de funções) e desenvolvimento de formas de motivação/orientação profissional - Montar e experimentar acções de formação profissional decorrentes dessas novas necessidades, em articulação com centros de formação e empresas . 3 - O território como espaço aprendente, para populações, organizações formais e informais, instituições públicas e privadas, agentes. - Provocar salto qualitativo na articulação entre os intervenientes activos, desenvolvendo formas de parceria como espaços de aprendizagem e experimentação de soluções, estratégias, metodologias de acção participativas e eficazes; - Fazer emergir novos parceiros (informais e formais) na reflexão do território - Provocar encontros entre as comunidades e os agentes para debater questões pertinentes, num pé de igualdade, de forma a criar confiança mútua; - Construir dispositivo de formação/acompanhamento/consultoria das equipas de intervenção social do RMG/AS, centrado na reflexão sobre práticas e estratégias que favoreçam a autonomia e empoderamento dos grupos-alvo; 4 - Montar sistema de formação continua de técnicos e formadores, ao nível das estratégias, metodologias e da sua inserção num sistema articulado. Seminários de formação continua de formadores às pedagogias participativas e em igualdade de oportunidades; 5-"Centro de Cidadania Activa " proporcionando intervenções flexíveis, formativas e abrangentes e que proporcionem aos grupos-alvo, técnicos de intervenção e formadores uma interacção forte e informal, assim como organismos de proximidade (colectividades, associações de bairro) em torno de mini-projectos de intervenção/animação/interacção com a comunidade e os grupos-alvo. Perspectivado igualmente como espaço para continuidade do envolvimento dos agentes, numa base de aprendizagem, experimental e pessoal, fora do compromisso institucional.

dot Top


Budget Action 2

1 500 000 – 2 000 000 €

dot Top


Beneficiaries


Assistance to persons 
Unemployed  9.9%  30.0% 
Employed  4.4%  8.8% 
Others (without status, social beneficiaries...)  11.9%  35.0% 
  100.0% 
 
Migrants, ethnic minorities, …  1.3%  3.1% 
Asylum seekers  0.0%  0.0% 
Population not migrant and not asylum seeker  25.0%  70.6% 
  100.0%
 
Physical Impairment  0.3%  0.6% 
Mental Impairment  0.0%  0.0% 
Mental Illness  0.6%  1.3% 
Population not suffering from a disability  25.3%  71.9% 
  100.0% 
 
Substance abusers 1.2%  1.9% 
Homeless  0.0%  0.0% 
(Ex-)prisoners  0.0%  0.0% 
Other discriminated (religion, sexual orientation)  0.0%  0.0% 
Without such specific discriminations  25.0%  71.9% 
  100.0% 
 
< 25 year  14.8%  8.8% 
25 - 50 year  50.0%  13.8% 
> 50 year  8.8%  3.8% 
   100.0% 

Assistance to structures and systems and accompanying measures Rating
Gender discrimination **
Support to entrepreneurship **
Discrimination and inequality in employment **
Disabilities *
Other discriminations *
Low qualification **
Racial discrimination *
Unemployment ***

dot Top


Empowerment

 

 With beneficiaries

Participation
Promoting individual empowerment
Developing collective responsibility and capacity for action
Participation in the project design
Participation in running and evaluating activities
Changing attitudes and behavior of key actors

 

 Between national partners

N.C.

dot Top


Transnationality

 

 Linguistic skills

  • português
  • português
  • français
  • English

 Percentage of the budget for transnational activities

  • 0.1%

 Transnational Co-operation Partnerships

Transnational Co-operation Agreement DPs involved
908 ARBORES ES ES249
IT IT-G-CAM-059
IT IT-G-EMI-033

dot Top


Background

 

 Involvment in previous EU programmes

  • One partner involved in A&E

dot Top


Networking

 Interest in networking

Text available in

As entidades envolvidas no processo de disseminação são os parceiros que integram a PD. No caso dos parceiros que se vão apropriar dos produtos, a sua capacidade para a incorporação resulta, essencialmente, da vontade e necessidade de colmatar problemas/dificuldades que impedem melhor desempenho e resultados, para os quais encontram nos produtos do Trilhos soluções e mais valias que vão de encontro às suas necessidades, perspectivas e interesses. - A Associação de Desenvolvimento Local de Lafões – ADRL envolverá 4 responsáveis e associados (individuais e colectivos – associações e empresas locais), a equipa técnica (10) bem como responsáveis de outras instituições públicas e privadas ao nível local- 3 técnico/as da C.M. e Rede Social de Viseu e 2 associações locais com os quais a ADRL tem relações de parceria/articulação. Os seus interesses recaem no aumento de competências técnicas e relacionais facilitadoras da animação de processos de natureza participativa e de empoderamento, e novas dinâmicas de desenvolvimento de base territorial na região de Lafões. Acções de consultoria e oficinas temáticas de suporte à incorporação são asseguradas pela SEIES (RTP 1 e 2). - O Instituto de Acção Social – IAS envolve na disseminação/ apropriação a estrutura operativa do RSI nos Açores, visando-se o reforço das competências das coordenadoras dos NLI (12 técnicas) na condução de estratégias de dinamização e articulação interinstitucional territorializada com envolvimentos actores locais, e a apropriação de instrumentos dinamizadores dos percursos integrados de orientação-formação-inserção por parte da equipa inter-institucional do NLI de Ponta Delgada 18 técnicas/os – IAS, Centro de Saúde Ponta Delgada, Autarquia, Agência para a Qualificação e Emprego, Direcção Regional da Habitação, Segurança Social – regime geral) e as/os técnicos/as de acompanhamento de famílias. Equipa intersectorial de responsáveis da região (Emprego e Formação, Saúde, Habitação, Educação, Segurança Social) no acompanhamento do processo de apropriação e avaliação dos impactos. Acções de consultoria e oficinas temáticas de suporte à incorporação são asseguradas pela SEIES e ISS - Centro Distrital de Setúbal (RTP 1 e 2). A Câmara Municipal de Vinhais – CMV - envolve no processo de disseminação/apropriação, com vista ao reforço de competências individuais e organizacionais para a promoção da reflexão partilhada e potenciação das práticas, os/as técnicas/os da CMV, da ESE de Bragança, do ICE e os professores do agrupamento de escolas, responsáveis e técnicos/as instituições locais envolvidas no Grupo de Trabalho para a Dinamização do Território. O Instituto Segurança Social envolverá as equipas técnicas de gestão/acompanhamento dos vários programas de Acção Social, cerca de 50 Responsáveis e Directores/as dos Centros Distritais para além do próprio ISS enquanto parceiro responsável pela capitalização dos resultados dos processos de apropriação (a serem desenvolvidos na acção 3) como contributo para reforçar os aspectos inovadores do PNAI ou para a inovação dos “sistemas”. É predominante o caracter periférico das regiões abrangidas pelo processo de disseminação.

 Events

Text available in

As entidades envolvidas no processo de disseminação são os parceiros que integram a PD. No caso dos parceiros que se vão apropriar dos produtos, a sua capacidade para a incorporação resulta, essencialmente, da vontade e necessidade de colmatar problemas/dificuldades que impedem melhor desempenho e resultados, para os quais encontram nos produtos do Trilhos soluções e mais valias que vão de encontro às suas necessidades, perspectivas e interesses. - A Associação de Desenvolvimento Local de Lafões – ADRL envolverá 4 responsáveis e associados (individuais e colectivos – associações e empresas locais), a equipa técnica (10) bem como responsáveis de outras instituições públicas e privadas ao nível local- 3 técnico/as da C.M. e Rede Social de Viseu e 2 associações locais com os quais a ADRL tem relações de parceria/articulação. Os seus interesses recaem no aumento de competências técnicas e relacionais facilitadoras da animação de processos de natureza participativa e de empoderamento, e novas dinâmicas de desenvolvimento de base territorial na região de Lafões. Acções de consultoria e oficinas temáticas de suporte à incorporação são asseguradas pela SEIES (RTP 1 e 2). - O Instituto de Acção Social – IAS envolve na disseminação/ apropriação a estrutura operativa do RSI nos Açores, visando-se o reforço das competências das coordenadoras dos NLI (12 técnicas) na condução de estratégias de dinamização e articulação interinstitucional territorializada com envolvimentos actores locais, e a apropriação de instrumentos dinamizadores dos percursos integrados de orientação-formação-inserção por parte da equipa inter-institucional do NLI de Ponta Delgada 18 técnicas/os – IAS, Centro de Saúde Ponta Delgada, Autarquia, Agência para a Qualificação e Emprego, Direcção Regional da Habitação, Segurança Social – regime geral) e as/os técnicos/as de acompanhamento de famílias. Equipa intersectorial de responsáveis da região (Emprego e Formação, Saúde, Habitação, Educação, Segurança Social) no acompanhamento do processo de apropriação e avaliação dos impactos. Acções de consultoria e oficinas temáticas de suporte à incorporação são asseguradas pela SEIES e ISS - Centro Distrital de Setúbal (RTP 1 e 2). A Câmara Municipal de Vinhais – CMV - envolve no processo de disseminação/apropriação, com vista ao reforço de competências individuais e organizacionais para a promoção da reflexão partilhada e potenciação das práticas, os/as técnicas/os da CMV, da ESE de Bragança, do ICE e os professores do agrupamento de escolas, responsáveis e técnicos/as instituições locais envolvidas no Grupo de Trabalho para a Dinamização do Território. O Instituto Segurança Social envolverá as equipas técnicas de gestão/acompanhamento dos vários programas de Acção Social, cerca de 50 Responsáveis e Directores/as dos Centros Distritais para além do próprio ISS enquanto parceiro responsável pela capitalização dos resultados dos processos de apropriação (a serem desenvolvidos na acção 3) como contributo para reforçar os aspectos inovadores do PNAI ou para a inovação dos “sistemas”. É predominante o caracter periférico das regiões abrangidas pelo processo de disseminação.

 Products

N.C.

Last update: 09-09-2002 dot Top


National Partners


Partner To be contacted for
SEIES - Sociedade de Estudos e Intervenção em Engenharia Social, CRL Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Monitoring, data collection
Associação de Apoio aos Pequenos Agricultores do Poceirão
ICE - Instituto das Comunidades Educativas Transnational partnership
Instituto da Segurança Social, IP - Centro Distrital de Solidariedade e Seguranç Evaluation
Instituto do Emprego e Formação Profissional, I. P.
Município de Palmela
Município de Setúbal
Vedior Psicoemprego - Empresa de Trabalho Temporário, Lda.

dot Top


Agreement Summary

Text available in

The Trilhos DP has adopted the following way of functioning: 1. Constitution of a piloting committee with the participation of all DP partners which will meet 5 times a year. 2. Constitution of a co-ordinating team which will integrate the group co-ordinators as well as the project co-ordinator and which will hold meetings on a monthly basis. 3. Each activity will be carried out by a work group whose role it is to implement the activities involving diverse partners and to nominate a co-ordinator for each work group; 4. A Project Co-ordinator who will be in charge of co-ordinating the project on a general basis and also elaborating periodic reports on the progress of the project and the general financial execution as well as for each partner. 5. The ongoing management of the project will be carried out by the project co-ordinator in articulation with the work group co-ordinators concerning matters related to the implementation of activities and with the project manager in what concerns administrative and financial matters. 6. Periodic meetings with the whole project team - technical work groups and piloting committee so as to draw up a balance of the project development. 7. Periodic meetings with those in charge of finance from the partner organisations in order to draw up a balance of the ways of functioning. An initial meeting is foreseen so as to define the general functioning framework and establish how the information circuits will operate. 8. Setting up of an internal project information system by means of a Forum on Internet. 9. The technical team and piloting committee is constituted by a majority of women. On average the percentage of women's participation in the project, including the decision making processes is around 80%. The co-ordination of the work groups will be carried out by technicians from the different partners according to the responsibilities taken on by the project.

Last update: 09-10-2007 dot Top


SEIES - Sociedade de Estudos e Intervenção em Engenharia Social, CRL

(SEIES, CRL)
Rua da Vitória 38 3º andar
-
P-1100-619-LISBOA Lisboa

Tel:+351213240890
Fax:213240899
Email:-

 
Responsibility in the DP: Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Monitoring, data collection
Type of organisation:Social economy enterprise
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:07-06-2002 /

Text available in

A SEIES é uma cooperativa especialista na criação de dinâmicas locais fomentando o exercício da cidadania das pessoas e organizações. Implementando estratégias de desenvolvimento e métodos de intervenção no território, a SEIES visa o envolvimento das pessoas e a mobilização dos recursos locais na resolução dos seus próprios problemas considerando e valorizando a diversidade e a especificidade de cada grupo, das pessoas que o compõem e do meio envolvente (institucional, profissional e social) A SEIES organiza as suas intervenções segundo os seguintes princípios: - Trabalhar numa perspectiva de investigação-acção e de transdisciplinaridade; - Criar condições para o surgimento de iniciativas e de dinâmicas de desenvolvimento local centradas nos recursos e potencialidades das pessoas e dos territórios, através de redes formais e informais; - Promove a realização de acções de formação utilizando estratégias participativas destinadas a melhorar a capacidade de intervenção dos(as) cidadãos(ãs); - Contribuir para a autonomia progressiva das populações em situação de pobreza e de exclusão social na resolução dos seus problemas, nomeadamente através da melhoria da sua auto-estima e valorização profissional. - Promover a Igualdade de Oportunidades entre mulheres e homens numa abordagem transversal a todas as áreas de intervenção; - Fomentar a difusão de boas práticas e trocas de experiências inovadoras no domínio da promoção social. As áreas de intervenção da SEIES situam-se ao nível da consultoria e da intervenção no quadro de: - Concepção de planos, programas e métodos de formação que promovam e valorizem a pessoa, a interculturalidade, a solidariedade e a cidadania activa; - Animação de redes de parceria territorial, em dinâmicas de auto-formação; - Concepção e realização de acções para públicos desfavorecidos, nomeadamente: mulheres DLD’s, beneficiários/as do RMG/RSI, minorias étnicas, população desfavorecida em geral; - Concepção e realização de acções de formação para formadores e técnicos que intervêm junto desses públicos com abordagem da igualdade de oportunidades e desenvolvimento estratégico de empoderamento; - Projectos de desenvolvimento local, organizacional e de intervenção social; - Percursos integrados de orientação-formação-inserção de públicos com maiores dificuldades de acesso ao mercado de trabalho; - Aconselhamento e apoio técnico na criação e consolidação de micro-empresas e estudo de formas alternativas de financiamento para a sua criação. A SEIES é uma entidade formadora que tem sido acreditada pelo INOFOR/IQF em todos os domínios do ciclo formativo desde 1998, estando actualmente em fase de renovação da acreditação.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Patrícia Manuela Lampreia Patrício Patrícia +351265547840 patricia.seies@mail.telepac.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-10-2007 dot Top


Associação de Apoio aos Pequenos Agricultores do Poceirão

(-)
Av. de Palmela,25
-
P-2965-306-POCEIRÃO Palmela

Tel:+351265995547
Fax:265995029
Email:J.AZENHA@ONINET.PT

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Social economy enterprise
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:PENINSULA DE SETUBAL
Date of joining / leaving:07-06-2002 /

Text available in

Associação que apoia os pequenos agricultores na vertente comercial (venda de produtos agrícolas sem fins lucrativos) e na vertente técnica (aconselhamento). Tem actualmente cerca de 1500 sócios, fundamentalmente da área do Poceirão mas pretende alargar o seu apoio aos agricultores da freguesia da Marateca e à zona rural de Palmela.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
José Braz Pinto José +351968096317 (Unknown) Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-10-2007 dot Top


ICE - Instituto das Comunidades Educativas

(ICE)
Rua Nossa Senhora da Arrábida, 3 - 5 R/C
-
P-2900-142-SETÚBAL Setúbal

Tel:+351265542430
Fax:265542439
Email:-

 
Responsibility in the DP: Transnational partnership
Type of organisation:Organisation providing support and guidance for disadvantaged groups
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:PENINSULA DE SETUBAL
Date of joining / leaving:20-06-2005 /

Text available in

O ICE – Instituto das Comunidades Educativas – é uma associação de âmbito nacional, de utilidade pública sem fins lucrativos, com o estatuto de ONGD e sede em Setúbal. Tem como finalidades a organização, gestão, animação e apoio a projectos de intervenção, investigação e desenvolvimento, no âmbito educativo, cultural, social e económico. Constituído a 15 de Julho de 1992, é o resultado da confluência de projectos de intervenção e do envolvimento e articulação de autarquias, instituições académicas, personalidades ligadas à cultura e educação e diferentes ONG’s Estrutura da sociedade civil, o ICE define como principal objectivo e razão de ser o combate contra a exclusão social, promove a cultura educativa e o desenvolvimento integrado local em Portugal – combate a que se associa a solidariedade de princípio com as problemáticas do desenvolvimento e educação dos países de língua oficial portuguesa, bem como o intercâmbio e a articulação com projectos e instituições de desenvolvimento local e educativo da Europa. Elege, como objecto privilegiado de intervenção, a comunidade local, na perspectiva da sua afirmação e desenvolvimento. Trabalha a dimensão educativa, enquanto vertente de um desenvolvimento que só pode ser integrado e sistémico. Entende como dimensão educativa os níveis de educação formal, não formal e informal, considerados na sua interdependência mas também na sua autonomia relativa. Assume como seu quarto princípio e traço de especificidade, o reconhecimento e a recuperação da diferença que a diversidade implica. Ao longo da sua existência tem desenvolvido projectos apoiados por programas de financiamento europeus (GRUNDVIG, SOCRATES, EQUAL, POEFDS) e nacionais (LUTA CONTRA A POBREZA, SER CRIANÇA, SIQE) a maior dos quais como entidade interlocutora/promotora. As investigações que conduz e conduziu traduziram-se já num significativo número de publicações com contributos no domínio da formação, da educação, do desenvolvimento local e da animação comunitária. Anima várias redes de parceria onde se acham implicadas autarquias, colectividades, associações, escolas, universidades e serviços públicos. Cerca de 60% do seu volume de trabalho é assegurado em regime de voluntariado.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Rui Manuel Pires Carvalho d'Espiney Rui +351265542430 ice@netvisao.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-10-2007 dot Top


Instituto da Segurança Social, IP - Centro Distrital de Solidariedade e Seguranç

(ISS,IP)
Rua Rosa Araújo, nº 43
-
P-1250-194-LISBOA Lisboa

Tel:+351213507291
Fax:213507290
Email:-

 
Responsibility in the DP: Evaluation
Type of organisation:Public authority (national, regional, local)
Legal status:Public organisation
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:20-06-2005 /

Text available in

O Instituto da Segurança Social, I.P. é uma pessoa colectiva de direito público dotada de autonomia administrativa, financeira e patrimonial, com natureza de Instituto Público que tem por objecto a gestão das prestações e das contribuições do sistema de Segurança Social, sem prejuízo das competências atribuídas a outras instituições de Segurança Social e aos serviços integrados na Administração directa do Estado. Procura garantir a Protecção e Integração Social dos Cidadãos, assegurando o cumprimento dos objectivos da segurança social – de forma equilibrada e operacionalmente eficaz – nos domínios da gestão das contribuições e prestações sociais e do exercício da acção social, visando garantir o direito de acesso a todos os cidadãos.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Ana Maria Mendes da Costa Gomes Ana +351265542735 ana.m.gomes@seg-social.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-10-2007 dot Top


Instituto do Emprego e Formação Profissional, I. P.

(-)
Av. José Malhoa, nº 11
-
P-1099-018-LISBOA Lisboa

Tel:+351217227000
Fax:218614618
Email:-

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Employment services
Legal status:Public organisation
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:07-06-2002 /

Text available in

O IEFP é um organismo público ao qual compete a execução das políticas de emprego e formação profissional, em várias áreas de intervenção, nomeadamente: - Informação, orientação, formação, reabilitação profissional e colocação. - Apoio a iniciativas que conduzam à criação de novos postos de trabalho. O Centro de Emprego como órgão local do IEFP intervém nos concelhos de Setúbal e Palmela ao nível da gestão do mercado de trabalho na implementação dos programas de emprego e formação, gerindo o ajustamento entre a oferta e a procura de emprego e procurando através de parcerias ser um agente de desenvolvimento local. Estes dois concelhos reflectem realidades distintas, por um lado proliferam as grandes indústrias e por outro grandes áreas rurais. Assim, pretende-se ter uma actuação dirigida aos problemas inerentes a estas duas realidades, por forma a quebrar o impacto das reestruturações das grandes unidades fabris e a desenvolver os espaços rurais de acordo com as suas potencialidades.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Paulo Jorge Simões Ribeiro Paulo +351265520500 paulo.ribeiro.drl@iefp.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-10-2007 dot Top


Município de Palmela

(-)
Largo do Município
-
P-2951-505-PALMELA Palmela

Tel:+351212331901
Fax:212330238
Email:-

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Public authority (national, regional, local)
Legal status:Public organisation
Size:Staff < 10
NUTS code:PENINSULA DE SETUBAL
Date of joining / leaving:07-06-2002 /

Text available in

A Câmara Municipal de Palmela (CMP) é formalmente uma entidade pública (autarquia local), tendo, por isso, como missão a resposta às atribuições e competências que lhe estão legalmente acometidas nos termos da Lei 169/99 de 18 de Setembro.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Fernanda Maria Pereira Rôlo Fernanda +351212338524 fernandarolo@mail.telepac.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-10-2007 dot Top


Município de Setúbal

(-)
Praça do Bocage
-
P-2900-342-SETÚBAL Setúbal

Tel:+351265541555
Fax:265238855
Email:

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Public authority (national, regional, local)
Legal status:Public organisation
Size:Staff < 10
NUTS code:PENINSULA DE SETUBAL
Date of joining / leaving:07-06-2002 /

Text available in

- Autarquia Local - Gere no âmbito das competências autárquicas a área da educação/ensino, nomeadamente, ao nível do pré-escolar e 1º ciclo. Promove parcerias locais e internacionais, sendo disto exemplo a rede de Cidades Educadoras na qual o município está integrado. - Promove redes locais de solidariedade social para enfrentar as desigualdades sociais, gerindo, no âmbito das competências autárquicas, a área de intervenção social. - Gere equipamentos culturais, nomeadamente, bibliotecas, museus, polidesportivos e outros equipamentos na área.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Felícia Lourenço Pires Felícia +351265547900 felicia.pires@mun-setubal.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-10-2007 dot Top


Vedior Psicoemprego - Empresa de Trabalho Temporário, Lda.

(-)
Rua Baluarte do Socorro, Nº. 1 - Loja B - Setúbal
-
P-2900-062-SETÚBAL Setúbal

Tel:+351265 541 280
Fax:265 239 093
Email:claudia.marques@vedior.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Enterprise
Legal status:Private
Size:Staff < 10
NUTS code:PENINSULA DE SETUBAL
Date of joining / leaving:07-06-2002 /

Text available in

A Vedior Psicoemprego actua na área do trabalho temporário. É um grupo multinacional que fornece serviços e soluções na área dos Recursos Humanos. O grupo tem escritórios em 27 países dos 5 Continentes e obteve vendas na ordem dos 6,6 biliões de Euros, durante o ano de 2000, o que torna a Vedior uma das maiores companhias do mundo na área dos recursos humanos. A Vedior encontra-se cotada na bolsa de Amesterdão e as acções do grupo estão incluidas no índice Midkap. A Vedior opera tanto nos sectores tradicionais como nos sectores especializados desta indústria, nomeadamente Telecomunicações, Banca, Seguros, Agro-Indústria, Horeca e Administração Pública. Com vasta cobertura geográfica e uma oferta diversificada de recursos, procurando desenvolver competências e atribuir valor acrescentado em várias áreas de negócio (através de Técnicos especializados em Recrutamento e Selecção) garantimos: Selecção, Rapidez e Acompanhamento.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Claúdia Sofia Alves Marques Claúdia +351265541280 claudia.marques@vedior.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-10-2007 dot Top



 
 
 
 

 
 
 
 

 
 
 
 
Warning! This section is not meant to be read directly, but rather be navigated through from the main page above.
 
 
 
 

TRILHOS

Rationale

Text available in

O Trilhos surge a partir da reflexão de um conjunto de equipas técnicas e instituições que, apesar de trabalharem com vista à integração profissional e social de grupos sociais fragilizados, sentem que a situação de dependência institucional e de passividade destes públicos tende a persistir. As respostas institucionais aparecem como parcelares e desarticuladas, com ausência de respostas em tempo útil, reforçando o sentimento de "fracasso" e descrédito das políticas e medidas de suporte. Por outro lado, as equipas técnicas sentem grandes dificuldades em desenvolver estratégias e metodologias adequadas à complexidade das situações. De um lado, auto-desvalorização e passividade; do outro, imagem negativa das populações e das comunidades e sentimentos de frustração pessoal e profissional. O aprofundamento do diagnóstico realizado nas freguesias da Anunciada, do Poceirão e da Marateca confirmou o que acaba de se referir e o que havia sido constatado pela PD na apresentação da candidatura. Anunciada Esta freguesia, com 16400 habitantes está numa zona privilegiada de Setúbal abrangendo uma parte da Serra da Arrábida e da zona ribeirinha do Sado, com um forte potencial turístico. A Anunciada de Cima, com 3 bairros de realojamento do SAAL, tem uma população caracterizada fundamentalmente por baixas qualificações escolares e profissionais, analfabetismo e abandono escolar precoce, trabalho indiferenciado ou desemprego, mães adolescentes, famílias monoparentais, violência doméstica, uso de drogas, alcoolismo e problemas psíquicos em todas as idades, casas degradadas, sem infra-estruturas básicas. Com uma cultura de origem piscatória, predomina a falta de hábitos de trabalho organizado e de valorização escolar, uma certa incapacidade de gerir recursos (forte endividamento), falta de auto-estima e um certo conformismo face aos seus problemas, atribuindo essa responsabilidade aos serviços públicos. Esta situação não estimula a população-alvo a ter projectos de vida a curto e médio prazo. Contudo, verifica-se: - existência de equipamentos na área da infância e 3ª idade ainda que sobrelotados - muitas pessoas ocupam o tempo com "hobby's" de artesanato e entreajuda - solidariedade da vizinhança em apoio a idosos - tecido associativo numeroso (17 associações) embora restringindo-se a actividades do futebol e atletismo, mas que poderiam ter importante papel como espaços de exercício de cidadania, e no desenvolvimento de actividades de animação de jovens, tanto mais que são praticamente inexistentes os espaços de convívio, de informação (sexualidade, sida, planeamento familiar...), de lazer, etc.; mas, também, potencialidades localizadas em Setúbal: - generalização e ensaio de "novas políticas sociais" (RMG e redes sociais) - tecido empresarial social (muitas IPSS's) e associativo numeroso; - forte sector do comércio grosso e retalho (alimentar e de vestuário, lartesanato), cabeleireiros e pequenas oficinas, reparação automóvel, construção, unidades hoteleiras e restaurantes (este muito significativo na freguesia da Anunciada), - empresas deste sector têm falta de pessoal qualificado com competências polivalentes relativas a várias funções (empregada de andares, de copa, lavandaria, etc.). Poceirão e Marateca Freguesias rurais (peri-urbanas) do concelho de Palmela, com: - cerca de 8.000 habitantes; - grande extensão e dispersão territorial, ainda com muitos caminhos de terra batida a permitir o acesso às localidades e habitações mais afastadas e isoladas; - situação de isolamento de localidades e famílias; - insuficiente rede pública de transportes; - escolas apenas de 1º ciclo, 3 postos de EBM (Ensino Básico Mediatizado) e algumas EPEPE (educação pré-escolar pública) sendo assegurada a progressão escolar até ao 9º ano em transporte camarário; - população adulta, especialmente as mulheres, com poucas possibilidades de emprego, reservando-se a actividades de natureza agrícola; os homens ocupam-se na construção civil. Assim, o grupo-alvo é na sua maioria constituído por população rural, analfabeta ou com o 1º ciclo, sem qualificação/habilitação escolar e profissional, sobressaindo as mulheres que representam 70% dos inscritos no RMG/Acção Social. Elas ocupam-se essencialmente na sua própria micro-agricultura e sazonalmente trabalham ao dia em médias/grandes plantações, têm baixa auto-estima e um quotidiano de problemas familiares graves (alcoolismo, doença, violência doméstica, delinquência juvenil, toxicodependência, gravidez na adolescência, abandono escolar precoce...), portanto, mulheres sem perspectivas de futuro, com ciclos de fracasso recorrentes e dificuldades de comprometimento com um percurso de (re)inserção profissional e social. Por outro lado, os jovens são incitados a reproduzir o quotidiano dominante perpetuando sentimentos de auto-desvalorização, abandono da escola e recorrendo à agricultura e const. civil, tornando-se cada vez mais difícil a sua conquista para uma lógica de futuro, de construção de um projecto de vida. Com as raparigas a situação parece ainda mais complexa, dado grande nº delas ficar em casa (cuidar dos irmãos e lida doméstica), sem ocupação e sem perspectivas de mudança (sem sonhos!). Não há espaços de encontro, de partilha e convívio entre elas, reforçando o isolamento e uma aparente apatia perante a vida. No entanto, há pequenas iniciativas e experiências alimentando possibilidades de mudança: - encontros de mulheres para Conversar (para Crescer) e partilhar o quotidiano - turma motivada de ensino recorrente (1º ciclo) e pedido de 2º ciclo (pelos mais jovens), para muitos a única oportunidade de fazerem coisas em conjunto (convívio, passeios...) - jovens na organização e dinamização de actividades culturais, recreativas e desportivas - grupo de teatro, ranchos folclóricos, danças de salão, bailes, ginástica... - iniciativas estratégicas face à actividade agrícola (produção artesanal de queijo e enchidos e outras) - focos de animação rural (proj. Escolas Rurais...). Mas também - elevado nº de colectividades e associações (culturais, desportivas e recreativas) espalhadas pelas localidades, apesar de dirigentes mostrando desgaste e desmotivação e, por outro lado, uma camada juvenil que não se reconhece naquele "modelo" associativo e se mantém afastada; - o sector agro-pecuário, apesar de alguma decadência e abandono, é grande empregador de pessoas destas freguesias, especialmente do Poceirão; - algumas pequenas e médias empresas do sector alimentar, automóvel e transformação de madeiras e mármores, na Marateca, empregando sobretudo trabalhadores indiferenciados, das 2 freguesias (algumas preferindo trabalhadores de outras zonas por considerarem a população local com pouca capacidade de assumir compromissos). Agentes da administração central e local e de instituições privadas O aprofundamento do diagnóstico nas 2 áreas, mas também em reuniões de reflexão nalgumas das instituições parceiras, permitiu confirmar o diagnóstico que serviu de base à apresentação da candidatura, completando-o ou complementando-o: - grande pressão "dos nºs", para apresentar resultados dificultando a procura de soluções mais personalizadas, ou levando a aceitar critérios implícitos de discriminação da parte de empregadores; - sentimento de que o trabalhoso esforço com relatórios, "não serve para nada"; - dificuldade pessoal e institucional em compreender lógicas e hábitos das diferentes culturas (ruralidade, etnia, exclusão...); - visão muito especializada (relativa à função) de técnicos, com pouca abertura ao que se passa ao lado, e uma cultura corporativa e institucional de cariz defensivo; - visão negativa sobre bairros e suas populações levando a evitar a ida ao terreno, e aqui ter uma "postura de gabinete"; - visão também negativa inter-institucional (de empresas sobre serviços públicos, destes sobre aquelas e inter-instituições de fins sociais) dificultando diálogos e colaborações e parcerias com trabalho integrado; - sentimento de frustração face a tentativas falhadas de envolver pessoas e a situações que consideram de tentativas enganosas e agressivas; mas também - um balanço positivo de práticas de articulação institucional e inter-profissionais gerando nova consciência da complexidade das situações e busca de relacionamentos e interdisciplinaridade; - constatação de melhorias nas maneiras de trabalhar e entender problemas, nas diversas instituições públicas e privadas; - desejo expresso de reflectir sobre dificuldades e perceber as diferentes culturas; - desejo de um espaço aberto de reflexão não institucional e de encontros de base cultural e profissional. Projecto O projecto pretende romper com a lógica dual do "assistencialismo fragmentado". Os profissionais não o desejam mas deixam-se envolver nisso, as pessoas assistidas não encontram forças para sair dessa situação e, uns e outros, vivem mal esses relacionamentos suportando-se inevitavelmente. Assim, partindo dum território (de 2 - Anunciada de Cima e Poceirão/Marateca) vai-se desenvolver uma intervenção integrada, um processo, com o envolvimento concreto de todos os actores do meio (grupos-alvo, técnicos e organizações, nomeadamente empresas) visando: - provocar a dinamização do território com base em acções concretas que permitam criar auto-estima pessoal e colectiva e fazer emergir o capital social local - pessoas e comunidades; - detectar necessidades de competências profissionais sem resposta e experimentar formas específicas de valorização pessoal e de montagem de percursos de formação-inserção; - criar condições geradoras de auto-confiança pessoal e técnica dos Agentes, através de encontros de reflexão sobre práticas e estratégias e experimentação de acções de formação contínua concebidas especificamente; - montar um espaço de articulação e dinamização de encontros, relacionamentos e experimentações, virada para públicos habitualmente excluídos mas virada também para profissionais numa base pessoal/voluntária, assim como institucional.

dot Top


Objective

Text available in

1. Desenvolver, reforçar, e aprofundar a interacção e coerência das intervenções de organizações/grupos, que interagem no território com o públicos fragilizados; visando: - dinamizar a articulação entre processos formais e informais de acolhimento-(re)orientação-formação-(re)inserção, constituindo-se como dispositivos inter-institucionais com estratégias mais flexíveis e abertos à participação das pessoas e da comunidade; - implementar, aprofundar e articular estratégias participativas e de envolvimento das pessoas fragilizadas e da comunidade, desenvolvidas pelos parceiros (de forma formal e informal) - aprofundar processos de envolvimento activo de empregadores (empresariais e economia social), visando um maior dinamismo e adequação da orientação-formação, e maior fluidez nos processos de inserção profissional; 2. Aprofundar processos de envolvimento activo de empregadores (empresariais e economia social), visando um maior dinamismo e adequação da orientação-formação, e maior fluidez nos processos de inserção profissional; - dinâmicas de cidadania, de igualdade de oportunidades e de reconhecimento de competências informais que envolvam a população e organizações; - um salto qualitativo na articulação entre os intervenientes activos no micro - território, desenvolvendo formas de parceria (organismos, técnicos, população) que se estabeleçam como espaços de auto-aprendizagem e experimentação de soluções/estratégias/metodologias de acção participativas e eficazes; - emergência de novos parceiros (informais e formais) na reflexão do território e do seu desenvolvimento sócio-económico com base comunitária; 3. Reforçar as competências de técnicos e organismos activos nos processos de inserção sócio-profissional, com a animação de dispositivos de consultoria-formação que potenciem práticas de diagnóstico participativo, formação reflexiva e desenvolvimento de estratégias de intervenção participativas.

dot Top



Logo EQUAL

Home page
DP Search
TCA Search
Help
Set Language Order
Statistics