IMPORTANT LEGAL NOTICE
 

 Artesanato XXI ascii version

Portugal

 
DP Managing organisation : MONTE - Desenvolvimento Alentejo Central - A.C.E.
Other national partners : ALIENDE - Associação para o Desenvolvimento Local
ASSOCIAÇÃO DE ARTESÃOS E ARTISTAS PLASTICOS DA REGIÃO DE MONTEMOR-O-NOVO - A CIR
Associação de Desenvolvimento Montes Claros
CEARTE - Centro de Formação Profissional do Artesanato
Municipio de Arraiolos
TEAR - Associação Regional de Artistas Plásticos e Artesãos
Universidade de Évora
EQUAL theme :Employability - (Re-)integration to the labour market 
Type of DP :Sectoral - Services 
DP Legal status :Association without legal form 
DP identification :PT-2001-129 
Application phase :Approved for action 2 
Selection date :26-09-2002 
Last update :10-01-2005 
Monitoring: 2002   

Rationale

Text available in

The experience of work of Monte, Aliende and ADMC, in the frame of the "Pilot Initiative for the Local Promotion of Job in the Alentejo Region" - (PIPPLEA - 1999/2002), provided the development of very concrete activities in different slopes of handicraft sector, with the global purpose to promote for unemployed people, a social and professional integration in it, as well as the creation of self employment. Those were local projects that covered Central Alentejo's Area with a common intervention axis that consisted on the creation and dynamization of three Centres of Arts and Crafts. Each one of these Centres developed specific functions in terms of the professional support to the artisan in his activity, and in the commercialisation of his products. That experience was a major reference to identify the problems that affect the sector, particularly the growing depreciation of the artisan's and the craft activity. For the analysis of this reality it also contributed the direct work accomplished with the artisans and its associations, and as well with the share of information with public entities, partners of the cited projects, that develop a direct support to Craft, namely PPART - Program for the Promotion of Handicraft and of the Craft Small Businesses Enterprises and CEARTE - Training Centre for Craft. Indeed, the main agents of the sector are determined to promote the Craft capacities, either in the domain of the market economy, or in the field of the conservation and vitalization of Craft activities. They consider that Arts and Craft and its productive units constitute economic activities but it should also be understood by its cultural, artistic and affective component. Having this in mind it is concluded that the main problems of the sector, in national terms, are: - The particularity of each craft activity due to the specificity of local and regional identities; - The motivation to create quality products combined with the introduction of new technologies or functions; - High associative weakness of the sector; - The fragility and shortage of commercialisation organizations, is one of the factors that most contribute for the non-development of the sector. This fragility should be fight through the recognition that each activity has specificity of itself, and by the establishment of partnerships with private and public entities; - Pressing needs in the domain of information, training and technical support. In general lines, for the development of the sector, it becomes extremely important to include a territorial perception of the problems, being necessary to act in several levels: - Investigation for quality, - Make workable nets and support services, - Professional qualification of the artisans, - Products certification, based in simple processes, - Higher associative levels, - Commercialisation Structures These conclusions confirm those presented by Monte for its Intervention Area (IA). Based in the existent diagnoses and works accomplished by the nuclear partnership, it can be stand out the following aspects: - High age level of most of the artisans, frequently accompanied by low education levels; - Difficulty in the transmission of handicraft knowledge to thirds, especially to new professionals; - Lack of attractiveness of handicraft activities, especially for young people; - Lack of recycling and training actions for the professionals; - Difficulties in adapting the products to the needs and variations of the markets (design, support services, etc); - Trivialization and industrialization of the products (particularly in pottery, ceramic and weaving), and competition with industrial products and with imitations of smaller quality; - Fragiles associatives structures; - Absence of commercialisation strategies, institutional and integrated marketing campaigns; - Difficulty in the development of entrepreneurial activities linked with internal or external management; - Low integration of craft products in other economic activities, especially in tourism. The lower incomes of the activity; the reduced statute of the profession; the aversion of the artisan to technological innovation and to the use of new materials, have as consequences the non modernization of the sector and the non connection between artisan's and younger generations. Such situations have been contributing to the disappearance of some craft products, as well as for a growing depreciation of the artisan's professional activity. All these factors allied to endogenous characteristics of Alentejo region, such as the exit of the young population for more prosper areas; the prevalence of a senior population and the isolation of the region, all condition the development of the sector, not making possible the necessary change. It becomes, however, possible to identify the predominant potentialities in the sector, that will constitute the base of the change to accomplish. One of the characteristics that distinguish the craft product of the industrial one is the production method, and the domain of the technique held by the artisan. This "creation" forms, as well as the products, link directly with the local community, and constitutes a reference to the past of a people, its tradition and culture. In this perspective it are equally important the factors related with an image of quality of Alentejo's regional craft products; the expansion and good receptivity of the internal market; the existence of professional artisans working in full time; the developed know-how; the techniques and professional experience acquired; the specificity and originality of the used techniques in many of the regional artefacts. >From the accomplished works, deepened by the nuclear partnership, it results the need for an intervention for the sector defined by a territorial axis; this means that Project "ArtesanatoXXI" intends to establish a specific form of partnership - Artisan - Training Centres - Schools and Centres for job creation. The consciousness of the existent problems, as well as the established contact and relationship with craft entities that already developed activities for the change of the sector, led to the establishment of a Development Partnership, that has as main purpose the promotion of artisan's activity. Having in mind the proposed intervention, which has as privileged public the youths, teachers and artisans, was considered pertinent to complement the available information with data collected among those publics. Most of the collected data took place at the schools of the IA that possess the subject of Art and Craft. The analysis was completed with representative information of a school where this subject doesn't exist. The result of the application of the inquiries near the youths, in a general manner, indicates a very positive image of the sector, being referred as a creative activity, of great wealth for the region. This idea is transmitted by the inquired youths of both genders and mainly for those that live in the urban areas. However, the youths don't see themselves developing such activity, which evidences the professional depreciation of it, as well as the non-recognition of the same in cultural terms. Nevertheless, they have manifested the will to develop, while in school, direct activities with the artisans, at their workshop. The youths point out the direct relationship with the artisan, as the best way to make contact with the activity, leaving out the visits to fairs and promotional events. The areas of larger interest for the youths are the quarry, the pottery, embroidery and sewing, showing the existence of a narrow relationship between the options made and the representative craft areas of their residence places. The youths point out the incentive to innovation and qualification of the sector and of their intervenient as the necessary instruments for the valorisation of the artisan's activity. It was also applied interview inquiries to 8 teachers from the 4 schools involved in the project. These indicate the need to complement their training in terms of activities related to craft occupations, having enhanced the areas of pottery, modelling, ceramic decoration and glazed. The teachers consider of extreme importance the development of sensitisation and training lessons for the artisan's profession, near the youths, since there is a depreciative culture of the sector, which influences the opinion held by the youths. The inquired teachers were unanimous to agree with the development of activities together with the artisan, in way to develop projects with the youths, contributing for the improvement of the image of the artisan's activity and of the sector. It were also interviewed 6 artisans and established informal contacts with other 25 people on active service, in order to appreciate the evolution that they expect for the sector. The majority identifies the (re)qualification of the actives on service as one of the most felted needs, also considering important the introduction of innovation and of the conjugation of different materials, in the development of handicraft. The development of work in partnership with the youths is considered an extra value for their activity, since it may represent a continuing of it and also a rejuvenation of the sector. The project intends to give an answer to the needs felt by several publics as the youths, artisans, teachers of the disciplines of arts and craft, the artisans' associations, in way to contribute for the development of the sector, promoting the improvement of the image of artisan's profession. Starting from this analysis, it becomes possible to set out the development of the sector, which passes through the alliance between tradition and innovation; creation of nets for the commercialisation of the products and, the valorisation of artisan's activity.

dot Top


Objective

Text available in

This project has as global objective to promote the valorisation of the artisan's activity, as well as the image of the sector, in order to increase employment in it. It seeks the construction and implementation of a marketing strategy for the artisan's profession, guided for youngsters finishing high school, namely by the introduction of technological innovation and stimulation for the experiment of new and raw materials and to the production of new artefacts. Two groups were privileged: artisans and youngsters. It will be developed sensitisation actions to accomplish works in common between them, offering the possibility for youngsters to integrate workshops, along two scholar years. Schools are privileged partners in the project, they are the appropriate place for the connection training-employment. Also to reinforce employability and innovation it will be developed recycling and improvement training actions, destined to artisans and teachers of the disciplines of arts, making possible the exchange of experiences. On the development partnership, it is intended to promote a new type of professional relationships that will lead to the valorisation of craft activities, being this the vector in which the marketing strategy is based. It will be conceived promotional materials to diffuse the image of "a new artisan" and "a new handicraft". With the resource to new technologies, it will be created informative guides on the new national framing for the sector, on aspects of normative and financial nature and formative instruments for the promotion of an enterprising spirit. The production of these instruments is based on the participation of entrepreneurs', artisans, schools, training centres and youngsters and is expected to survive besides the duration of the project, giving an answer to several requests from the youngsters in what concerns to training courses, increasing as well employment in the region with resource to the small craft workshops.

dot Top


Innovation


Nature of the experimental activities to be implemented Rating
Guidance, counselling **
Training **
Training on work place **
Job rotation and job sharing **
Employment aids (+ for self-employment) ***
Integrated measures (pathway to integration) *
Employment creation and support ***
Training of teachers, trainers and staff **
Anticipation of technical changes **
Awareness raising, information, publicity **

Type of innovation Rating
Process-oriented ***
Goal-oriented **
Context oriented **

Text available in

No projecto são evidenciadas as potencialidades do sector no desenvolvimento de uma comunidade, através do aumento do emprego. Possui características especificas/saberes tradicionais e, profissionais detentores de uma capacidade técnica, em termos de manuseamento das matérias-primas e concepção das peças. Possibilita articulação entre as técnicas artesanais e a inovação, com recurso a novas tecnologias e novos materiais, o que representa uma oportunidade para o desenvolvimento do sector, e um factor de atractividade para a adesão da população mais jovens. As principais estruturas são as oficinas do artesão, as escolas onde são ministradas as áreas das oficinas de artes e, os centros de formação profissional do sector. Os canais de ligação estabelecidos através da articulação realizada entre estas várias entidades, constituem os elementos inovadores a deixar pelo projecto. O modelo de PD concebido para o desenvolvimento do projecto, implica partilha de responsabilidades entre todos. As várias entidades são co-responsáveis pela concepção, implementação e gestão do projecto. Os parceiros conferem ao projecto competências próprias que possibilitam complementar actuação no terreno. As ADL passam experiência de trabalho em termos de uma parceria alargada, o que permite o alargamento da rede de relações e de recursos. As Associações de Artesãos trazem para o projecto a visão empresarial da profissão de artesão, o que permite introduzir uma perspectiva inovadora, em termos da valorização da actividade de artesão e o seu reconhecimento a nível local. O Centro de Formação para o Artesanato (CEARTE) complementa a visão apresentada da profissão de artesão, no sentido em que permite planear, de acordo com as necessidades evidenciadas pelos activos do sector, acções de (re)qualificação, com vista ao desenvolvimento das competências possuídas. As mesmas destinam-se a artesãos e a professores das áreas das oficinas de artes. Envolve dois públicos distintos para as mesmas acções, para colmatar necessidades de qualificação e, promover a partilha de conhecimentos e saberes entre aqueles. Desta partilha de conhecimentos estruturar-se-á uma forma de trabalho em conjunto, estabelecendo-se complementariedade entre as actividades escolares desenvolvidas pelos professores e o trabalho de oficina desenvolvido pelo professor, com a finalidade última de promover a inovação no sector. A ligação da Universidades de Évora ao projecto, estabelece a ligação do sistema de ensino à comunidade, perspectivando novas formas de articulação das actividades a desenvolver por aquela entidade. A autarquia local, ao participar na PD, estabelece uma relação estreita com o sector do artesanato, perspectivando o desenvolvimento económico e social da comunidade. O produto da articulação entre os vários parceiros, conduz à promoção da empregabilidade no sector do artesanato e o estabelecimento de canais de inovação entre escola-oficina de artesãos-centro de formação profissional.

dot Top


Budget Action 2

250 000 – 500 000 €

dot Top


Beneficiaries


Assistance to persons 
Unemployed  0.0%  0.0% 
Employed  11.0%  18.1% 
Others (without status, social beneficiaries...)  30.6%  40.3% 
  100.0% 
 
Migrants, ethnic minorities, …  0.0%  0.0% 
Asylum seekers  0.0%  0.0% 
Population not migrant and not asylum seeker  41.7%  58.3% 
  100.0%
 
Physical Impairment  0.0%  0.0% 
Mental Impairment  0.0%  0.0% 
Mental Illness  0.0%  0.0% 
Population not suffering from a disability  41.7%  58.3% 
  100.0% 
 
Substance abusers 0.0%  0.0% 
Homeless  0.0%  0.0% 
(Ex-)prisoners  0.0%  0.0% 
Other discriminated (religion, sexual orientation)  0.0%  0.0% 
Without such specific discriminations  41.7%  58.3% 
  100.0% 
 
< 25 year  30.5%  40.3% 
25 - 50 year  8.3%  16.7% 
> 50 year  2.8%  1.4% 
   100.0% 

Assistance to structures and systems and accompanying measures Rating
Gender discrimination **
Support to entrepreneurship **
Low qualification **
Unemployment ***

dot Top


Empowerment

 

 With beneficiaries

Participation
Promoting individual empowerment
Developing collective responsibility and capacity for action
Participation in the project design
Participation in running and evaluating activities
Changing attitudes and behavior of key actors

 

 Between national partners

N.C.

dot Top


Transnationality

 

 Linguistic skills

  • português
  • português
  • English
  • español (castellano)

 Percentage of the budget for transnational activities

  • 0.1%

 Transnational Co-operation Partnerships

Transnational Co-operation Agreement DPs involved
1093 M.E.E.T. BEnl 01/EQ/2.C/002
IE 17

dot Top


Background

 

 Involvment in previous EU programmes

  • Nobody involved in A&E

dot Top


National Partners


Partner To be contacted for
MONTE - Desenvolvimento Alentejo Central - A.C.E. Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Evaluation
ALIENDE - Associação para o Desenvolvimento Local Transnational partnership
ASSOCIAÇÃO DE ARTESÃOS E ARTISTAS PLASTICOS DA REGIÃO DE MONTEMOR-O-NOVO - A CIR
Associação de Desenvolvimento Montes Claros Monitoring, data collection
CEARTE - Centro de Formação Profissional do Artesanato
Municipio de Arraiolos
TEAR - Associação Regional de Artistas Plásticos e Artesãos
Universidade de Évora

dot Top


Agreement Summary

Text available in

Project "Artesanato XXI" was conceived to embrace as many partners as possible, all connected to handicraft and the scholar community. It was considered fundamental to include in the organizational and working project different partnership levels, in order to achieve the proposed objectives and guarantee a deeper involvement of all entities. The Enlarged Partnership (EA) corresponds to an organizational and participating level in the project, identified as the strategies' agreement level. It is open to a higher number of partners. It is responsible to support the drawing and construction of the whole project, through the validation of the intervention proposals, presented in bimonthly meetings. This enlargement has in mind the sustainability of the intervention, the promotion of employment and the modernization of craft. This partnership has worked along action 1. The Development Partnership (DP) embraces all entities with an obligation in terms of the project's administration, also sharing the attendance responsibility and evaluation of its execution. It corresponds to a strategic level of the project's organization, and has as basis the share of common information and the prosecution of specific obligations by partner. It embraces 11 technicians and 6 managers, from which 13 are female. The entities in the DP participate unanimously in the decision process, in monthly meetings. Among other subjects it are defined in the DP themes and contents to promote the project's discussion within the EA. The entrance of a new partner in the DP is conditioned to the acceptance of all the partners. For the dynamics of the DP, and the relation between it and the EA, it exists an organizer nucleus, composed by three of the DP's entities: Monte, Aliende and ADMC. Those have the responsibility to coordinate the implementation of the project's activities, and are also in charge of the meeting's preparation between partnerships and to share all the information between it.

Last update: 10-01-2005 dot Top


MONTE - Desenvolvimento Alentejo Central - A.C.E.

(-)
Rua Joaquim Basílio Lopes, Nº1
-
P-7040-066-ARRAIOLOS Arraiolos

Tel:+351266490090
Fax:
Email:-

 
Responsibility in the DP: Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Evaluation
Type of organisation:Other
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:ALENTEJO CENTRAL
Date of joining / leaving:12-06-2002 /

Text available in

O Monte é uma entidade privada que reveste a forma jurídica de A.C.E. com sede em Arraiolos. A sua criação resulta de uma aposta num projecto de desenvolvimento de 4 Associações de Desenvolvimento Local: ALIENDE;Ass. de Defesa dos Interesses de Monsaraz;Ass. de Desenvolvimento Montes Claros e TRILHO- Ass. para o Desenvolvimento Rural. Um dos principais objectivos da actividade do Monte consiste em conceber intervenções que promovam o desenvolvimento do Alentejo Central, na área sócio-económica, formação profissional, emprego e valorização da identidade local/regional. Na concretização destes objectivos é fundamental o papel desempenhado pelas 4 ADLs do Monte, as quais emprestam um conjunto diverso de competências que reforçam a concertação e a criação de parcerias.A filosofia de actuação e gestão do Monte baseia-se na complementaridade e descentralização da sua intervenção, aproveitando sinergias e uma identidade própria, que se pretende maior e diferente que o somatório das partes.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Marta Maria de Albuquerque Alter Palhinha Marta +351266490090 monte@monte-ace.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 10-01-2005 dot Top


ALIENDE - Associação para o Desenvolvimento Local

(-)
Avenida da Escola, 34
-
P-7200-053-MONTOITO Redondo

Tel:+351266530101
Fax:266530103
Email:-

 
Responsibility in the DP: Transnational partnership
Type of organisation:Other
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:ALENTEJO CENTRAL
Date of joining / leaving:12-06-2002 /

Text available in

1 - Vocação e projecto: Assumindo como seu projecto "a promoção do desenvolvimento sustentado e integrado, de âmbito local, visando combater a desertificação humana e a exclusão social em micro-regiões do Alentejo", a Aliende propõe-se estatutariamente, para a sua consecução: Promover apoiar e realizar fundamentalmente actividades orientadas para o desenvolvimento local Promover o desenvolvimento dos recursos humanos. Dinamizar a actividade empresarial incluindo o turismo e o artesanato. Valorizar as cultura local, o ambiente natural e o património construido. Promover a animação sociocultural Apoiar os grupos mais desfavorecidos 2 - Área de Intervenção Tendo estatutáriamente definida uma intervenção em micro-regiões do Alentejo, a Aliende vem intervindo preferncialmente, em razão do seu conhecimento e implantação no territorio e em rezão das suas capacidades operacionais, numa sub-regiãodo alentejo compreendida grosso modo no triangulo de évora, Rio Guadian, Zona dos Mármores.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Ana Maria Fusco Talhinhas Ana +351266999912 No mail submited Entity contact person responsable for this project

Last update: 10-01-2005 dot Top


ASSOCIAÇÃO DE ARTESÃOS E ARTISTAS PLASTICOS DA REGIÃO DE MONTEMOR-O-NOVO - A CIR

(-)
Rua Curvo Semedo n.º 1
-
P-7050-165-MONTEMOR-O-NOVO Montemor-o-Novo

Tel:+351266896807
Fax:266896807
Email:

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Other
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:ALENTEJO CENTRAL
Date of joining / leaving:12-06-2002 /

Text available in

A Ciranda é uma associação de artesãos e artistas plásticos, de Montermor-o-Novo, com objectivos de promoção e valorização do artesanato regional, nomeadamente, através de feiras, exposições e colóquios. Com vista à persecução dos seus fins, colabora com entidades oficiais e outras, em acções cujos objectivos sejam coincidentes. Promove o levantamento dos artesãos e do artesanato local apoiando-o na busca da melhoria do seu trabalho e lava a cabo iniciativas sociais e culturais, com objectivo de promover os seus associados e artesãos em geral e contribuir para o progresso do meio social em que se insere. Desenvolve acções de formação profissional de artesãos e jovens, através da criação de escolas de artes e ofícios e da execução do programa Escolas-Oficinas do Instituto de Emprego e Formação Profissional. Desenvolve trabalho com a escola secundária de Montemor-o-Novo. A sua zona de intervenção é o Alentejo, a maioria de sócios são de Montemor-o-Novo e concelhos limítrofes.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Maria Isabel Ourives Maria +351266892774 No mail submited Entity contact person responsable for this project

Last update: 10-01-2005 dot Top


Associação de Desenvolvimento Montes Claros

(-)
Mercado Municipal de Borba
-
P-7150-128-BORBA Borba

Tel:+351268841710
Fax:268841711
Email:admc@mail.telepac.pt

 
Responsibility in the DP: Monitoring, data collection
Type of organisation:Other
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:ALENTEJO CENTRAL
Date of joining / leaving:12-06-2002 /

Text available in

A ADMC apresenta uma vocação transversal ao desenvolvimento das populações da zona de intervenção e da melhoria da sua qualidade de vida, para além de colaborar num diverso conjunto de iniciativas, desenvolve um leque de instrumentos abrangentes que permitem concretizar o seu desejo de contribuir para a melhoria da região, não só nas iniciativas levadas a cabo, mas na forma de chegar ao público-alvo, através de uma organização em rede dos canseios das populações da região. Tem como objectivos "promover, participar e incentivar os contactos, estudos e acções que visem o desenvolvimento económico e sócio-culturaL dos concelhos do Alandroal, Borba, Estremoz e Vila Viçosa; incentivar o debate democrático das linhas do desenvolvimento económico e integrado dos concelhos de Alandroal, Borba, Estremoz e Vila Viçosa; e promover todas as acções que propiciem o desenvolvimento económico e sócio-cultural desta região, incluindo a promoção e aparticipação em feiras e exposições" in Estatutos.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Mário Joaquim Trindade de Deus Mário +351268841710 No mail submited Entity contact person responsable for this project

Last update: 10-01-2005 dot Top


CEARTE - Centro de Formação Profissional do Artesanato

(-)
Rua Rainha Santa Isabel - Zona Industrial da Pedrulha - Eiras
-
P-3020-190-COIMBRA Coimbra

Tel:+351239492399
Fax:
Email:-

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Education / training organisation
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:BAIXO MONDEGO
Date of joining / leaving:12-06-2002 /

Text available in

O CEARTE é um Centro de Formação Profissional de gestão participada, criado em 1986 por protocolo entre o IEFP e a Cáritas Diocesana de Coimbra. Na sua Missão está a resposta às necessidades de formação profissional no sector do artesanato, através da qualificação de novos artesãos, em áreas de forte empregabilidade ou que permitam inverter o processo de extinção de actividades que apresentam condições de viabilidade económica ou através da realização de acções de formação de artesãos no activo, viabilizando iniciativas de emprego e de desenvolvimento do sector. A formação profissional constitui uma importante ferramenta e desenvolve um papel essencial na valorização dos ofícios tradicionais o Centro desenvolve em média 80 acções de formação por ano, distribuídas por todo o território nacional, com cerca de 800 formandos. O resultado traduz-se em 80% de empregabilidade dos formandos, fazendo do artesanato uma actividade económica, cultural e social relevante.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Ana Cristina Mendes Ana +351239492399 No mail submited Entity contact person responsable for this project

Last update: 10-01-2005 dot Top


Municipio de Arraiolos

(-)
Praça Lima e Brito, 27
-
P-7040-027-ARRAIOLOS Arraiolos

Tel:+351266490240
Fax:266490257
Email:geral@cm-arraiolos.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Public authority (national, regional, local)
Legal status:Public organisation
Size:Staff < 10
NUTS code:ALENTEJO CENTRAL
Date of joining / leaving:12-06-2002 /

Text available in

O quadro de competências está estabelecido na Lei nº 169/99 de 18 de Setembro e Lei nº 5-A/2002 de 11 de Janeiro.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Helena Maria Falcão Pedreirinho Helena +351266490240 No mail submited Entity contact person responsable for this project

Last update: 10-01-2005 dot Top


TEAR - Associação Regional de Artistas Plásticos e Artesãos

(-)
Estrada de Monsaraz - Edificio TEAR
-
P-7200-175-MONSARAZ Reguengos de Monsaraz

Tel:+351266503710
Fax:266501104
Email:teararte@hotmail.com

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Other
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:ALENTEJO CENTRAL
Date of joining / leaving:12-06-2002 /

Text available in

A TEAR constituiu-se em 6/11/1984 e é pioneira no associativismo empresarial de artesãos do Alentejo. Sócios jovens artesãos empresários que adquirirem o seu primeiro grau de mestria após aprendizagem profissional com os mestres mais velhos da Associação. A TEAR elaborou os programas da formação profissional do Centro de Formação de artesão do IEFP de Reguengos de Monsaraz desde o inicio até 1996 tendo até essa data os seus mestres artesãos aí a leccionar. As instalações acolhem oficinas, embora a maioria dos associados as possuam noutros locais. Em 1997, em Paris e em Madrid, a TEAR obteve respectivamente o "International Trophi for Quality Commitment Award" concebidos por duas das maiores associações de International Trade Leaders. Áreas dos associados: Olaria, decoração de cerâmica, escultura, modelação, pintura alentejana, tapeçaria e tecelagem, queijos e enchidos regionais, gravuras, azulejaria, artes decorativas, comercialização de produtos cerâmicos e tapetes de Arraiolos.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Cristina Maria da Silva Galhardas Baptista Cristina +351266511811 No mail submited Entity contact person responsable for this project

Last update: 10-01-2005 dot Top


Universidade de Évora

(-)
Largo Sra da Natividade
-
P-7000-810-ÉVORA Évora
-

Tel:+351266250031
Fax:266742870
Email:nufor@uevora.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:University / Research organisation
Legal status:Public organisation
Size:Staff < 10
NUTS code:ALENTEJO CENTRAL
Date of joining / leaving:22-09-2004 /

Text available in

As aulas na Universidade de Évora recomeçaram a 10 de Novembro de 1975, tendo sido criados os cursos de Produção Vegetal, de Produção Animal, de Ciências Sociais e de Planeamento Biofísico. Com o seu crescimento, quer em número de estudantes, quer de docentes e de pessoal técnico, auxiliar e administrativo, com os ajustes curriculares que o tempo exige; com a obrigação de formar técnicos para outros ramos do conhecimento cientifico, da cultura e das artes, a Universidade de Évora conta presentemente com inúmeros cursos de licenciatura e de formação avançada. Os ensinos estão a cargo de Departamentos. O pessoal docente e de investigação, organizado em equipas, no seio dos Departamentos e Centros de Investigação, desenvolve intensa actividade de I/DE e de cooperação, tanto a nível nacional como internacional, sustentáculo de uma sólida formação conferida aos estudantes nas diferentes áreas cientificas. Alguns indicadores de projectos da Universidade de Évora: - O número de projectos de IDT candidatados em 2002 ascendeu a 110, envolvendo um volume financeiro global candidatado de 17.572,894 euros. - Foram aprovados ca. de 26 projectos envolvendo o financiamento global às equipas da UE de aproximadamente 1.002,498 euros - Foram elaborados, tramitados e assinados 57 protocolos e convénios genéricos de colaboração entre a Universidade e outras instituições, organismos e empresas - Foram elaborados, tramitados e celebrados 17 protocolos e contratos envolvendo um volume de receitas próprias de aproximadamente 457,004 euros; - Foi prestado apoio à elaboração de candidaturas de 4 pedidos de patente de invenção junto do instituto nacional de propriedade;



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Soumodip Sarkar Soumodip +351266740869 ssarkar@uevora.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 10-01-2005 dot Top



 
 
 
 

 
 
 
 

 
 
 
 
Warning! This section is not meant to be read directly, but rather be navigated through from the main page above.
 
 
 
 

ARTESANATO XXI

Rationale

Text available in

A experiência de trabalho do Monte, Aliende e ADMC, no âmbito da Iniciativa Piloto para a Promoção Local de Emprego na Região Alentejo-1999/2002, implementou actuações em diferentes vertentes do sector do artesanato, com o objectivo de promover a integração sócio-profissional de desempregados e estimular o auto-emprego. Trataram-se de projectos locais que cobrindo a Região Alentejo Central articularam-se num eixo comum de intervenção que consistiu na criação e dinamização de três Centros de Artes e Ofícios. Cada um destes desenvolveu funções especificas em termos do apoio profissional ao artesão na sua actividade e na comercialização dos seus produtos. Esta experiência permitiu identificar os problemas que afectam o sector, particularmente a desvalorização crescente da actividade de artesão, e das actividades artesanais. De notar o trabalho realizado directamente com artesãos e respectivas associações, e a partilha de informações com entidades públicas, parceiras dos referidos projectos que desenvolvem desde à vários anos, um apoio directo ao artesanato, nomeadamente o PPART e o CEARTE. Foi possível identificar as principais linhas para o desenvolvimento do artesanato, a nível nacional, de forma a potenciar a rentabilização desta actividade e promover o desenvolvimento de várias regiões. Os principais agentes do sector estão determinados a potenciar as capacidades artesanais, quer no domínio da economia de mercado, quer no campo da conservação e vitalização das actividades artesanais. As artes, ofícios e unidades produtivas artesanais constituem actividades económicas mas deverão também ser entendidas pelas suas fortes componentes cultural, artística e afectiva, como se afirmou na 2ª Assembleia de Artes e Ofícios (19/3/1999) que indica como principais problemas do sector: -As actividades artesanais, tendo em conta a interiorização das identidades locais e regionais, deverão ser tratadas à base das escalas territoriais de geometria variável; -Incentivo à qualidade e/ou diferença, articulando com a introdução de novas tecnologias ou funções; -Elevada debilidade associativa do sector; -Fragilidade e escassez de organizações de comercialização -Necessidades prementes no domínio da informação, formação e assistência técnica Torna-se importante incluir uma percepção territorial dos problemas, a vários níveis: -investigação para a qualidade, -funcionamento das redes de serviços de apoio, -qualificação profissional dos actuais artesãos, -certificação, com base em processos simplificados, -associativismo, -estruturas de comercialização de enquadramento do sector e/ou territórios Esta leitura corrobora a apresentada pelo Monte para o seu território.Com efeito, na Zona de Intervenção (ZI) do Projecto, que inclui os Concelhos de Alandroal, Arraiolos, Borba, Estremoz, Évora, Montemor-o-Novo, Redondo, Reguengos de Monsaraz, Vendas Novas e Vila Viçosa, e a partir de diagnósticos existentes e realizados pela parceria nuclear, destacam-se os seguintes aspectos: -nível etário elevado dos artesãos e baixos níveis de escolaridade ; -dificuldade na transmissão de artes e ofícios a terceiros, em particular a novos profissionais; -falta de atractividade das actividades artesanais para os mais jovens; -falta de acções de reciclagem para os profissionais; -dificuldades de ajustamento dos produtos às necessidades e variações dos mercados -banalização e industrialização dos produtos (em particular na olaria, cerâmica e tecelagem) e concorrência com produtos industriais e com "imitações" de menor qualidade; -estruturas associativas frágeis; -ausência de estratégias de comercialização, campanhas de marketing institucionais e integradas; -dificuldade no desenvolvimento de actividades empresarias ligadas à gestão, quer internamente, quer por recurso a serviços externos; -baixa integração dos produtos artesanais noutras actividades económicas, em particular no turismo; Estas debilidades tem como consequência a não modernização e o não estabelecimento da ligação artesão e gerações mais jovens. Tal leva ao desaparecimento de alguns dos produtos artesanais e, uma crescente desvalorização da actividade profissional de artesão. Salienta-se ainda, o papel assumido pelas associações de artesãos e demais entidades relacionadas ao sector, as quais evidenciam dificuldades em implementar uma actuação integrada, sustentada por uma partilha de saberes e competências a vários níveis. Todos estes factores aliados a características endógenas à região Alentejo, como sejam a saída da população jovem para zonas mais prosperas, o predomínio da população idosa e o isolamento da região, condicionam o desenvolvimento do sector, não possibilitando a mudança necessária. O desemprego na ZI é muito elevado: 6.820 indivíduos (24% do total do desemprego no Alentejo), dos quais 36% tem idades inferiores a 34 anos, e destes 71% são do sexo feminino. É possível identificar as potencialidades predominantes no sector, que constituirão a base da mudança a realizar. Uma das características que destingue o produto artesanal dos produtos industriais é o modo de produção e o domínio da técnica detido pelo artesão. Esta forma de criação, bem como os produtos elaborados, relacionam-se directamente com a comunidade local, constituindo uma referência à vivência passada de um povo, à sua tradição e à sua cultura. Nesta perspectiva são igualmente importantes os factores relacionados com a imagem de qualidade dos produtos artesanais da Região do Alentejo. Dos trabalhos realizados e aprofundados pela parceria nuclear, resulta a necessidade de uma intervenção para o sector definida por uma matriz territorial; o projecto propõem-se a operacionalizar uma forma específica de parceria: artesão-centros de formação-escolas-centros de criação de emprego-e que é aquela que melhor se adequa aos objectivos do Projecto e aos Agentes. A consciencialização dos problemas e o contacto com entidades do sector que já desenvolveram actividades com vista à criação de mudança no mesmo, conduziu ao estabelecimento de uma Parceria de Desenvolvimento, que tem por objectivo principal a promoção da actividade de artesão. O Diagnóstico foi complementado com a realização de inquéritos recolhidos junto dos jovens, professores e artesãos, a maioria dos quais realizado em escolas da ZI que possuem a área Oficinas de Artes. Recolheu-se ainda informação representativa de uma escola onde aquela área não existe. Inquéritos por questionário aplicados por público-alvo Entidades/Nº Jovens Escola de Évora (E.S. Gabriel Pereira)/74 Escola de Vila Viçosa(E.S.Públia Horténsia de Castro)/35 Escola de Reguengos de Monsaraz (E.S.Conde Monsaraz)/8 Escola de Redondo(E.S Redondo que não possui Area de Oficinas de Arte)/79 Total 196 O resultado da aplicação dos inquéritos junto dos jovens, indica uma imagem muito positiva do sector, sendo referido como uma actividade criativa, de grande riqueza para região. Esta ideia é transmitida pelos jovens inquiridos de ambos os sexos e principalmente pelos que vivem nas zonas urbanas. No entanto, os jovens não se perspectivam a desenvolver uma actividade profissional ligada aos ofícios tradicionais, o que evidência a desvalorização profissional da actividade, bem como o não reconhecimento da mesma em termos culturais. No entanto, os jovens manifestam a vontade de desenvolver actividades ligadas ao artesanato, principalmente, no desenvolvimento, de um trabalho directo com o artesão, na sua oficina; indicam o relacionamento directo com o artesão, como a melhor forma para tomar contacto com a actividade, sendo preteridas as visitas a feiras e eventos promocionais do artesanato. As áreas de maior interesse para os jovens são a cantaria, a olaria, bordados, costura, evidenciando a existência de uma relação estreita entre as opções efectuadas e as áreas de artesanato representativas dos locais de residência. Os jovens apontam o incentivo à inovação e qualificação no sector e dos seus intervenientes, como os instrumentos necessários para a valorização da actividade de artesão. Foram ainda aplicados inquéritos por entrevista a 8 professores, das quatro escolas envolvidas no projecto. Este evidenciam a necessidade de complementar a sua formação em termos do desenvolvimento de actividades relacionadas aos ofícios artesanais, tendo realçado as áreas da olaria, modelagem, decoração de cerâmica, vidrados. Os professores apoiam o desenvolvimento de acções de sensibilização para a profissão de artesão, junto dos jovens, uma vez que existe uma cultura depreciativa do sector, a qual influência a opinião detida pelos jovens. Os professores inquiridos foram unânimes em concordarem com o desenvolvimento de actividades em conjunto com o artesão, de forma a desenvolverem projectos conjuntos com os jovens, contribuindo para a melhoria da imagem da actividade de artesão e do sector. Também foram entrevistados 6 artesãos e realizados contactos informais com mais 25 activos do sector, no sentido de apreciar a evolução preconizada para o sector. Na sua maioria identificam a (re)qualificação dos activos do sector como uma das maiores necessidades sentidas, considerando também importante a introdução da inovação e da conjugação de diferentes materiais, no desenvolvimento do oficio artesanal. Encaram o desenvolvimento de trabalhos em parceria com os jovens uma mais valia para a sua actividade, podendo representar o continuar das mesmas e um rejuvenescimento do sector. O projecto a desenvolver pretende responder às necessidades sentidas pelos vários públicos como os jovens, artesãos, professores das disciplinas de artes e ofícios, as associações de artesãos, de forma a contribuir para o desenvolvimento do sector, promovendo a melhoria da imagem da profissão de artesão. A partir desta análise, torna-se possível equacionar o desenvolvimento do sector do artesanato, o qual passará pela aliança entre tradição e inovação, a criação de redes para a comercialização dos produtos e, a valorização da actividade de artesão.

dot Top


Objective

Text available in

O projecto tem por objectivo promover a valorização da actividade de artesão e a imagem do sector, para potenciar o aumento da empregabilidade. Visa a implementação de uma estratégia de marketing para a profissão de artesão, orientada para os jovens a terminar o percurso escolar. Evidencia as potencialidades das profissões artesanais no que respeita à integração socio-profissional e, promove/reforça a empregabilidade no sector, introduzindo a inovação tecnológica, estimulo à experimentação de novos materiais e produção de novos artefactos. Privilegia dois grupos: os artesãos e os jovens, desenvolvendo acções de sensibilização, como movimentos de aproximação, para a realização de trabalhos em comum. As escolas são parceiros privilegiados, particularmente as que possuem as áreas das oficinas de arte, constituindo-se como o palco adequado para o estabelecimento da ligação formação-emprego. Para reforçar a empregabilidade e a inovação, conceberam-se acções de formação de reciclagem/aperfeiçoamento, destinadas aos artesãos e aos professores das disciplinas de artes. Ao nível do trabalho de projecto, a realizar entre jovens, artesãos e professores, pretende-se facilitar a introdução da inovação tecnológica e de recursos, propiciando a integração dos jovens nas oficinas. O projecto propõe-se, favorecer um novo tipo de relações profissionais que concorram para a valorização das actividades artesanais, constituindo este o vector em que assenta a estratégia de marketing defendida, para a qual serão construídos instrumentos promocionais a difundir a imagem de "um novo artesão" e de "um novo artesanato". Pretende-se, estabelecer uma forma de trabalho em parceria entre as estruturas: oficina do artesão, estabelecimentos de ensino e centros de formação, que permaneça para além da duração do projecto, e que dê resposta às diversas solicitações de percursos formativos evidenciadas pelos jovens, aumentando a empregabilidade na região, com recurso às pequenas empresas artesanais

dot Top



Logo EQUAL

Home page
DP Search
TCA Search
Help
Set Language Order
Statistics