IMPORTANT LEGAL NOTICE
 

 I.O.D.O. - Iguais Oportunidades,Diversas Opções ascii version

Portugal

 
DP Managing organisation : Fenacerci - Federação Nacional de Cooperativas de Solidariedade Social
Other national partners : ANJE - Associação Nacional de Jovens Empresários - Núcleo do Alentejo
Associação Nacional dos Deficientes Sinistrados no Trabalho
CONFAGRI - Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas e do Crédito Agrícol
Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses
FENACOOP Federação Nacional das Cooperativas de Consumo, FCRL
Instituto António Sérgio do Sector Cooperativo
Mandala, Produção e Comunicação S.A.
EQUAL theme :Employability - (Re-)integration to the labour market 
Type of DP :Sectoral - Specific discrimination and inequality problems 
DP Legal status :Association without legal form 
DP identification :PT-2001-081 
Application phase :Project ended 
Selection date :18-09-2002 
Last update :09-10-2007 
Monitoring: 2002  2003   

Rationale

Text available in

The diagnosis that determines the relevance and opportunity of this project it's based on the following presumptions, properly confirmed by the entity speaker's practical experience and from the actual situation in Portugal: - Need to increase and to diversify the opportunities for people's insertion belonging to disadvantage groups. - Existence of a clear deficit of information/ formation aimed to the potential employers, concerning the social impact of the role they could developed in the insertion of persons belonging to disadvantage groups. - Existence of low levels of participation and employment measures inside the cooperatives and autarchies. - Need to mobilize new agents with the main goal to facilitate the insertion processes (cooperative leaders, unionists, town councils, managers) - Existence of examples of good practices that are not being used properly as important resources in order to increase the employment. - Existence of a clear involvement deficit from person's with insertion difficulties in the definition of politics, strategies and methodologies. In order to fulfil this diagnosis, were applied inquiries that involved a significant sample of all the main addresses of the project: disable people, organizations, unionists, co-operators, town councils, rehabilitation technicians and simple citizens. The results explained were are the confirmation of the pre-diagnosis that sustained the primary candidacy - 123 disable person's were inquired, 65 of them are female, in trainees' situation or hired in the normal labour market. The referred adaptation difficulties are connected with the difference felt between the formation and the work. At the level of the expectations, most of them would like to assure the maintenance of its work position. In other hand, 76% admit that its life changed a lot since they were accepted inside the company. At the level of the people who suffer work accidents, 60 people were inquired, being 60& male. Most had between 5 to 10 years of work to the date of the casualty; 27% are hired, but most of them are hired until determined period. 53% recognize that were not supported in an eventual process of professional conversion. The ones that were leaning, 49% affirm that the process was not adjusted to its needs. In 12% of the inquired cases, in the rehabilitation process, the obstacle referred is connected with the lack of information and support. 45% affirm to have formation and individual support needs. Relatively the trainers and rehabilitation technicians, of the 57 inquired 70% are female and 70% have less than 40 years. The rehabilitation technicians referred that the fundamental partners in order to optimise the employment opportunities are the companies, the social agents, the autarkist and the community in general. Of the 13 inquired town councils, 54% are female and all of them affirm to already have some kind of experiences with disadvantaged person's integration. 83% of those inquired affirmed to be conscious of the existent difficulties, but are must determined in betting in the people's competences. One of the most harmful factors to this kind of insertion has to be with the lack or the bad information existent in among the society. As a measured, to improve the intention of the autarchies, they aimed the existence of more legislation and the popularisation of good practices. In the universe of the cooperatives 35 leaders belonging to 6 different branches were inquired. 26% were female, 46% already had some experience in processes of insertion of disadvantage groups and 54% considered not to be very informed in this subject. As contributes for a larger involvement of cooperatives in person's insertion was pointed the following measures: more legislation (26%), public opinion awareness raising (26%) and a larger popularisation of good practices (20%). 60% of those inquired admit not to have enough knowledge to facilitate this person's insertion inside the cooperatives. 20 managers were inquired, 30% of them are female. 85% had ages understood between the 30 and the 40 years and they belonged to 9 different activities. The sample included managers from the north to south of the country. 62% never had any insertion experience. 70% of those inquired considered not to be very informed on these subjects and as aspects that could improve the managers' involvement in the insertion process, they refer mainly the popularisation of good practices. 76% affirm not to have enough information to facilitate the disadvantage person's. 19 union leaders of 9 sectors of different activities were inquired. 16% are female and 32% have more than 25 years of union experience.78% have experiences with disadvantage person's insertion. 26 of those inquired considered not to be very informed and 53% didn't answer to this question. 89% of those referred that the workers' opinion is in general favourable to the insertion of disadvantage groups. About the role of the unions, most of them (32%) points as value way the promotion of awareness rising actions organized by the unions. In the general community's universe, 110 people were inquired, 61% are female. 69% have ages understood between the 30 and 40 years, and the remaining ones have more than 41 years. They are distributed by 20 sectors of different activities. Most of them (67%) declared to know some cases of people's professional integration. As main promoters aimed the Government (25%), the Enterprises (17%) and the Town Councils (16%). 87% of those inquired considered not to be very informed on this matter, while 90% showed to be available and interested in obtaining more information. As privileged means of diffusion of information referred the TV news (35%), the advertising spots, goods in newspapers and magazines (25%) and pamphlets

dot Top


Objective

Text available in

General Purpose - The aim of the project is promote the employability of people with difficulties of social inclusion, by using Social Marketing. Specific Purposes - Promote a research about the employability of people with difficulties of social inclusion in enterprises, cooperatives and town councils; - Public opinion sensitization towards this prominent social reason, the employability of people with difficulties of social inclusion in enterprises, cooperatives and town councils; - Increase the public wish to participate and belong to social causes; - Social economics agents (entrepreneurs, cooperatives and town councils) sensitization about the advantages of increasing the employability of people with difficulties of social inclusion; - Wide dissemination to the social economics agents (entrepreneurs, cooperatives and town councils) of Social marketing which is a very little exploited tool of management; - Analyze trainers and employability facilitators support needs to promote peoples with social inclusion difficulties employability; - Develop training materials for trainers and employability facilitators to improve the results they get on the process of peoples with social inclusion difficulties integration

dot Top


Innovation


Nature of the experimental activities to be implemented Rating
Guidance, counselling *
Training **
Training on work place **
Integrated measures (pathway to integration) ***
Training of teachers, trainers and staff **
Work organisation, improvement of access to work places **
Awareness raising, information, publicity ***
Studies and analysis of discrimination features *

Type of innovation Rating
Process-oriented ***
Goal-oriented **

Text available in

O primeiro e porventura mais importante dos aspectos inovadores parte da ideia de que é fundamental encontrar mecanismos eficazes para mobilizar um conjunto de agentes sociais e económicos para a tarefa de criar novas e diversificadas oportunidades de inserção. O Marketing Social surge na linha desta preocupação como uma ferramenta ao serviço da construção de novas oportunidades de inserção. Outra das ideias inovadoras subjacentes ao projecto tem a ver com o plano diversificado em que é proposto o debate sobre as estratégias de marketing a utilizar. Com um mesmo objectivo, juntam-se pessoas e organizações com diferentes sensibilidades e interesses, visando que desta diversidade resultem ideias, metodologias e recursos convergentes, que possam ser desmultiplicados e que sejam efectivamente factores de promoção da empregabilidade. No projecto, junto sindicalistas com empresários, autarcas com técnicos de reabilitação e cooperadores, pessoas com deficiência com técnicos de marketing e investigadores. Igualmente inovadora é a junção ao projecto de especialistas no domínio da comunicação e da imagem, os quais dão um sentido mais profissional a todo o trabalho de projecto. De facto, trabalhar o domínio do Marketing, social ou não, implica incorporar o conceito de cliente em toda a ideia de projecto e desenvolver todos os esforços para que os produtos resultantes do projecto possam satisfazer os diversos "clientes" para os quais foi concebido. E os clientes do projecto são as pessoas com dificuldade de inserção, incluindo as mulheres, para as quais se pretende uma participação mais activa e consciente na procura de soluções de inserção e mais oportunidades que lhe permitam algumas opções, mas são também os sindicalistas, autarcas e cooperadores que pretendemos que sejam cada vez mais agentes facilitadores da empregabilidade e os próprios empresários que gostaríamos de ver mais disponéveis e empenhados nesta missão.

dot Top


Budget Action 2

500 000 – 1 000 000 €

dot Top


Beneficiaries


Assistance to persons 
Unemployed  9.0%  16.0% 
Employed  50.0%  25.0% 
Others (without status, social beneficiaries...)  0.0%  0.0% 
  100.0% 
 
Migrants, ethnic minorities, …  4.0%  4.0% 
Asylum seekers  0.0%  0.0% 
Population not migrant and not asylum seeker  55.0%  37.0% 
  100.0%
 
Physical Impairment  14.0%  8.0% 
Mental Impairment  6.0%  5.0% 
Mental Illness  0.0%  0.0% 
Population not suffering from a disability  39.0%  28.0% 
  100.0% 
 
Substance abusers 0.0%  0.0% 
Homeless  0.0%  0.0% 
(Ex-)prisoners  0.0%  0.0% 
Other discriminated (religion, sexual orientation)  0.0%  0.0% 
Without such specific discriminations  59.0%  41.0% 
  100.0% 
 
< 25 year  18.0%  12.0% 
25 - 50 year  35.0%  25.0% 
> 50 year  6.0%  4.0% 
   100.0% 

Assistance to structures and systems and accompanying measures Rating
Gender discrimination **
Support to entrepreneurship **
Discrimination and inequality in employment **
Disabilities **
Other discriminations **
Low qualification **
Racial discrimination **
Unemployment ***

dot Top


Empowerment

 

 With beneficiaries

Participation
Promoting individual empowerment
Developing collective responsibility and capacity for action
Participation in running and evaluating activities
Changing attitudes and behavior of key actors

 

 Between national partners

N.C.

dot Top


Transnationality

 

 Linguistic skills

  • português
  • português
  • español (castellano)
  • français

 Percentage of the budget for transnational activities

  • 0.2%

 Transnational Co-operation Partnerships

Transnational Co-operation Agreement DPs involved
1007 IRIS BEfr 34
FR FRC-2001-10479
IT IT-G-VEN-055
1145 EQUALatino ES ES167
FR ALS-2001-10171
IT IT-G-SIC-061

dot Top


Background

 

 Involvment in previous EU programmes

  • Two and more partners involved in A&E

dot Top


National Partners


Partner To be contacted for
Fenacerci - Federação Nacional de Cooperativas de Solidariedade Social Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Evaluation
Transnational partnership
ANJE - Associação Nacional de Jovens Empresários - Núcleo do Alentejo
Associação Nacional dos Deficientes Sinistrados no Trabalho
CONFAGRI - Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas e do Crédito Agrícol
Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses
FENACOOP Federação Nacional das Cooperativas de Consumo, FCRL
Instituto António Sérgio do Sector Cooperativo Monitoring, data collection
Mandala, Produção e Comunicação S.A.

dot Top


Agreement Summary

Text available in

The Development Partnership will promote periodically meetings for co-ordination, follow-up and evaluation of the Action 2 activities. Each partner is responsible for technical and financial execution of it's own activities. FENACERCI supervises and assures that the purposes established for each activity are reached, so that, the goals of the project will be accomplished. During the meetings, each decision will be taken with the approval of the majority of partners. E-mail and periodic meetings wore established as the preferred means of communication in this Development Partnership. New partners could join our DP, this inclusion should be considered favourable by every partner and should improve the prosecution of project goals.

Last update: 09-10-2007 dot Top


Fenacerci - Federação Nacional de Cooperativas de Solidariedade Social

(FENACERCI)
Rua Augusto Macedo 2A
-
P-1600-794-LISBOA Lisboa

Tel:+351217112580
Fax:217112581
Email:fenacerci@fenacerci.pt

 
Responsibility in the DP: Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Evaluation
Transnational partnership
Type of organisation:Social economy enterprise
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:03-02-2005 /

Text available in

A FENACERCI representa 50 Cooperativas de Solidariedade Social implantadas de Norte a Sul do País e cuja missão é. . promover o reconhecimento dos direitos dos cidadãos com deficiência mental, defender os seus interesses e os das suas famílias; . contribuir para que o entendimento que lhes é facultado, tenha sempre como pressupostos de base, critérios de qualidade, dignidade e adequabilidade, . actuar junto dos interlocutores institucionais para assegurar a implementação de medidas político-legislativas e de apoio financeiros, no sentido de serem criadas melhores condições de intervenção, . sensibilizar a opinião pública, intervindo junto dos meios de comunicação social, facilitando uma mudança de atitude que permita uma melhor inclusão das pessoas com deficiência mental. Relativamente às áreas de intervenção, importa salientar que a FENACERCI desenvolve um trabalho de apoio técnico que visa potenciar a qualidade de atendimento prestado pelas Cooperativas de Solidariedade Social.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Rogério Cação Rogério +351217112580 fenacerci@fenacerci.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-10-2007 dot Top


ANJE - Associação Nacional de Jovens Empresários - Núcleo do Alentejo

(-)
Casa do Farol, Rua Paulo da Gama
-
P-4169-006-PORTO Porto

Tel:+351220108000
Fax:220108010
Email:-

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Other
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE PORTO
Date of joining / leaving:23-12-2005 /

Text available in

A ANJE é uma associação privada sem fins lucrativos e de Utilidade Pública. Através da reunião dos jovens empresários portugueses, visa a satisfação dos interesses comuns e o melhor desenvolvimento das suas actividades profissionais, nomeadamente nas vertentes de formação, informação, apoio técnico e, no geral, na representação dos interesses e na identificação e estabelecimento dos meios e instrumentos que permitam o acesso à função e desenvolvimento da actividade empresarial. Das actividades desenvolvidas destacam-se as de apoio à criação de empresas criadas por jovens através dos ninhos de empresas e Centros Empresariais, o apoio ao investimento através de Sistemas de Incentivos; o apoio ao Empreendedorismo através da Academia dos Empreendedores, o apoio à promoção e internacionalização de marcas portuguesas através do Portugal Fashion e dos Sabores de Portugal; a Formação Profissional que se dirige para jovens empresários, quadros de empresas e ainda para candidatos à inserção na vida activa. Esta formação de carácter empresarial e com base no empreendedorismo, assenta na experiência do corpo formativo e na criteriosa selecção dos formandos



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Mário Luís Vidal Pires Genésio. Mário +351220108000 anje@anje.pt;mvg@anje.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-10-2007 dot Top


Associação Nacional dos Deficientes Sinistrados no Trabalho

(ANDST)
Rua Dr. Aires de Gouveia Osório, 142 - Bairro Ramalde
-
P-4100-024-PORTO Porto

Tel:+351226176796
Fax:226178608
Email:andst6@hotmail.com

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Other
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE PORTO
Date of joining / leaving:24-06-2002 /

Text available in

A Associação Nacional dos Deficientes Sinistrados no Trabalho, é uma instituição particular sem fins lucrativos, fundada por um grupo de sinistrados e doentes profissionais. Funciona como acção permanente de sensibilização junto das seguradoras e do poder político, na persecução dos direitos constitucionalmente consagrados, e de leis mais justas para as vitimas do trabalho. Criou um gabinete técnico de apoio aos sinistrados e suas famílias, para acompanhamento e aconselhamento dos seus processos nas companhias de seguros e tribunais do trabalho, tendo como objectivo garantir a efectiva concretização dos seus direitos.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Maria Antonieta Emídio Fortunato Bodziony Maria +351218596479 andst_pt@clix.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-10-2007 dot Top


CONFAGRI - Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas e do Crédito Agrícol

(CONFAGRI)
Rua Maria Andrade nº13
-
P-1199-013-LISBOA Lisboa

Tel:+351218118000
Fax:218118008
Email:confagri@confagri.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Other
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:24-06-2002 /

Text available in

A CONFAGRI é a estrutura de cúpula de representação do sector coop. agrícola em Portugal, visando "contribuir por si ou em associação c/ outras entidades nacionais ou internacionais, p/ o crescimento e desenvolvi/o equilibrado e eficaz do sector coop. em Portugal e em especial da agricultura portuguesa." Propõe-se a, segundo o artigo 6º dos estatutos: criar e organizar serviços de interesse p/ os membros; criar e organizar em colaboração c/ outras entidades, sp que o interesse dos seus associados assim o exija, serviços p/ os agricultores e agricultura em geral; organizar, por si ou em colaboração c/ outras entidades, acções de divulgação e informação, nomeada/ colóquios, seminários, debates ou conferências; desenvolver iniciativas de formação prof.e elaborar projectos q visem a criação de postos de trabalho em zonas rurais prioritárias quer participando em projectos integrados ou da iniciativa dos seus membros, q contribuam de forma decisiva p/ o aumento do bem-estar das pop. rurais



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Aldina Batista Fernandes Aldina +351218118000 confagri@confagri.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-10-2007 dot Top


Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses

(CGTP - IN)
Rua Vitor Cordon, nº1
-
P-1249-102-LISBOA Lisboa

Tel:+351213236500
Fax:213236595
Email:-

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Trade Union
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:24-06-2002 /

Text available in

A CGTP-IN é a maior organização social portuguesa, associando em torno das estruturas sindicais filiadas mais de 800 000 trabalhadores de praticamente todos os sectores profissionais. A sua missão consiste na defesa e promoção dos direitos, interesses e aspirações dos trabalhadores que laboram em Portugal. As suas áreas de intervenção estendem-se a praticamente todas as áreas económicas e sociais, como são o emprego, a segurança social, acção reivindicativa, a actividade internacional e solidariedade com os povos, as questões da igualdade e do combate ao racismo, o ambiente, a defesa dos interesses dos consumidores, a juventude, os problemas específicos dos deficientes, a formação sindical e profissional, entre outras área de intervenção.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Eugénio Rosa Eugénio +351213236500 ibjc.sede@mail.telepac.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-10-2007 dot Top


FENACOOP Federação Nacional das Cooperativas de Consumo, FCRL

(-)
Rua da Guiné nº 8 R/C Dtº
-
P-1170-173-LISBOA Lisboa

Tel:+35121 814 69 90
Fax:21 814 69 69
Email:fenacoop@mail.telepac.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Social economy enterprise
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:23-12-2005 /

Text available in

São objectivos da FENACOOP: a) nível nacional e internacional, as cooperativas e uniões suas filiadas, e o Ramo do Consumo do Sector Cooperativo; b)Representar, defender e promover os direitos dos consumidores e o meio ambiente; c)Coordenar a acção das cooperativas e uniões suas filiadas, nos planos nacional e internacional; d)Organizar, desenvolver e prestar serviços diversos às cooperativas e uniões suas filiadas; e)Organizar, sempre que necessário, o congresso nacional das cooperativas de consumidores para a definição das políticas e estratégias a desenvolver; f)Promover e incentivar a intercooperação entre as Cooperativas de Consumo e destas com os demais ramos do Sector Cooperativo Nacional e Internacional; g)Promover a alternativa cooperativa como opção de organização social e económica baseada na dignidade humana; h)Desenvolver qualquer outra actividade permitida por lei e consentânea com os princípios cooperativos;



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Raquel Marina Silva dos Santos Raquel +351265799000 fenacoop@mail.telepac.pt; Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-10-2007 dot Top


Instituto António Sérgio do Sector Cooperativo

(-)
Rua D. Carlos Mascarenhas, nº46
-
P-1070-083-LISBOA Lisboa

Tel:+351213878046
Fax:
Email:-

 
Responsibility in the DP: Monitoring, data collection
Type of organisation:Other
Legal status:Public organisation
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:23-12-2005 /

Text available in

O INSCOOP é um instituto dotado de personalidade jurídica e de autonomia administrativa e financeira e de património próprio, tendo como missão fomentar e apoiar o sector cooperativo, nas seguintes áreas de intervenção : - Incentivar a criação de cooperativas -Divulgar o cooperativismo - Editar revistas e outras publicações sobre o sector cooperativo Emitir pareceres jurídicos e técnicos -Manter actualizada uma biblioteca sobre o cooperativismo -Promover e participar em acções de formação cooperativa - Realizar estudos sobre o cooperativismo - Credenciar as cooperativas e suas organizações de grau superior para os efeitos previstos na legislação



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Manuel Canaveira de Campos Manuel +351213878046 inscoop@inscoop.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-10-2007 dot Top


Mandala, Produção e Comunicação S.A.

(MANDALA)
Av. 5 de Outubro, 168
-
P-1050-062-LISBOA Lisboa

Tel:+35121 7990840
Fax:217990849
Email:mandala@mandala.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Enterprise
Legal status:Private
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:24-06-2002 /

Text available in

A Mandala é uma empresa cujas áreas de intervenção são: Produção Audio-visual, Comunicação e Publicidade



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Sónia Ambar Bettencourt de Oliveira Sónia +351217990840 sambar@mandala.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 09-10-2007 dot Top



 
 
 
 

 
 
 
 

 
 
 
 
Warning! This section is not meant to be read directly, but rather be navigated through from the main page above.
 
 
 
 

I.O.D.O. - IGUAIS OPORTUNIDADES,DIVERSAS OPCOES

Rationale

Text available in

O diagnóstico situacional que determina a relevância e oportunidade do projecto assenta nos seguintes pressupostos, devidamente confirmados pela experiência prática da entidade interlocutora e que decorrem da situação actual em Portugal: - Necessidade de aumentar e diversificar as oportunidades de inserção de pessoas pertencentes a grupos desfavorecidos - Existência de um défice claro de informação/formação aos agentes empregadores de um modo geral, sobre a relevância e impacto social do seu papel na inserção de pessoas pertencentes a grupos desfavorecidos. - Existência de baixos níveis de participação e empregabilidade ao nível de sectores tão importantes como o cooperativo e o autárquico. - Necessidade de mobilizar novos agentes facilitadores dos processos de inserção ( dirigentes cooperativos, sindicalistas, autarcas, empresários, ...) - Existência de exemplos de boas práticas que não estão a ser devidamente utilizados como recursos de sensibilização para aumento da empregabilidade - Existência de um claro défice ao nível do envolvimento das pessoas com dificuldades de inserção na definição de políticas, estratégias e metodologias No sentido de aferir este diagnóstico, foram aplicados inquéritos que envolviam uma amostra significativa de todos os destinatários do projecto: pessoas com deficiência, organizações, sindicalistas, cooperadores, autarcas, técnicos de reabilitação, simples cidadãos, e os resultados são de molde a confirmar o pré diagnóstico que sustentou a candidatura: - Foram inquiridas 123 pessoas com deficiência, 65 das quais do sexo feminino, em situação de estágios ou contratos no mercado normal de trabalho. As dificuldades de adaptação mais referidas prendem-se com a diferença sentida entre a formação e a execução do trabalho si. Ao nível das expectativas, a maioria gostaria de assegurar a manutenção do seu posto de trabalho. Por sua vez, 76% dos inquiridos admitem que a sua vida mudou muito desde que passaram para a empresa. Ao nível dos sinistrados do trabalho foram inquiridas 60 pessoas, sendo 60% destas do sexo masculino. A maioria tinha entre 5 a 10 anos de trabalho à data do sinistro; apenas 27% estão contratados e a grande maioria encontra-se a prazo. 53% reconhece que não foram apoiados num eventual processo de reconversão profissional. Dos que foram apoiados, 49% afirmam que o processo não foi ajustado às suas reais necessidades. Em 12% dos casos inquiridos o factor apontado como obstáculo, no processo de reabilitação, encontra-se ligado à falta de informação e apoio. 45% afirmam ter necessidade de formação e apoio individual. Relativamente a formadores e técnicos de reabilitação, dos 57 inquiridos, 70% são do sexo feminino e 70% têm menos de 40 anos. No que diz respeito aos parceiros fundamentais para optimizar as oportunidades de emprego os técnicos de reabilitação apontam as empresas, os agentes sociais, os autarcas e a comunidade em geral. Dos 13 autarcas inquiridos, 54% são do sexo feminino e todos afirmam ter experiência ao nível da integração de pessoas com dificuldades de inserção. 83% afirmam estar conscientes das dificuldades no que diz respeito a este tipo de integração, mas consideram-se decididos em apostar mais nas competências pessoais. Um dos factores mais prejudiciais à inserção está relacionado com a falta ou má informação por parte da sociedade. Como medidas tendentes a melhorar a intenção das autarquias neste domínio apontam a existência de mais legislação e divulgação de boas práticas. No universo do cooperativismo foram inquiridos 35 dirigentes de cooperativas pertencentes a 6 ramos distintos. 26% eram do sexo feminino, 46% já tiveram alguma experiência em processos de inserção de grupos desfavorecidos e 54% consideram-se pouco informados neste domínio. Como contributos para um maior envolvimento das cooperativas na inserção de pessoas com dificuldades foram apontadas as seguintes medidas: mais legislação (26%), sensibilização da opinião pública (26%) e maior divulgação de boas práticas (20%). 60% dos inquiridos admite não ter conhecimentos base de forma a facilitar a inserção de pessoas com dificuldades nas suas cooperativas. Foram inquiridos 20 empresários, 30% dos quais do sexo feminino. 85% tinham idades compreendidas entre os 30 e os 40 anos e pertenciam a 9 ramos de actividades distintos. A amostra incluiu empresários de norte a sul do país. 62% nunca tiveram nenhuma experiência de inserção. 70% dos inquiridos considera-se pouco ou nada informados sobre estas questões e como aspectos que poderiam melhorar o envolvimento dos empresários no processo de inserção referem principalmente a divulgação de boas práticas. 76% afirmam não ter informação suficiente para facilitar a integração de pessoas com dificuldades de inserção. Foram inquiridos 19 dirigentes sindicais de 9 sectores de actividades distintas. 16% são do sexo feminino e 32% têm mais de 25 anos de experiência sindical.78% têm experiência de inserção de pessoas com dificuldades. 26 dos inquiridos consideram-se pouco ou nada informados e 53% não responderam a esta questão. 89% dos inquiridos referem que a opinião dos trabalhadores é em geral favorável à inserção de grupos desfavorecidos. Sobre o papel dos sindicatos, a maioria dos inquiridos (32%) aponta para a promoção de acções de sensibilização dinamizadas ao nível dos sindicatos. No universo da comunidade geral, foram inquiridas 110 pessoas, das quais 61% são do sexo feminino. 69% têm idades compreendidas entre os 30 e 40 anos, tendo as restantes mais de 41 anos. Os inquiridos repartem-se por 20 sectores de actividades distintos. A maioria (67%) declarou conhecer situações de integração sócio- profissional de pessoas com dificuldades. Como principais promotores de inserção apontam o Estado (25%), as Empresas (17%) e as Autarquias (16%). 87% dos inquiridos consideraram-se pouco informados sobre esta matéria, enquanto que 90% destes se manifestam disponíveis e interessados em obter mais informação. Como meios privilegiados de difusão de informação apontam as notícias de tv (35%), os spots publicitários, artigos em jornais e revistas (25%) e folhetos.

dot Top


Objective

Text available in

Objectivo Geral - Recorrer ao Marketing Social para promover o aumento da taxa de empregabilidade das pessoas com dificuldade de inserção Objectivos Específicos - Promover o diagnóstico situacional sobre os factores de empregabilidade de pessoas pertencentes aos grupos desfavorecidos em empresas do terceiro sector (cooperativas), autarquias e empresas; - Sensibilizar a opinião pública para uma causa social relevante, ou seja, a empregabilidade da população pertencente a grupos desfavorecidos e com problemas de inserção profissional; - Sensibilizar com uma ferramenta de marketing pouco explorada, os agentes sócio-económicos do terceiro sector, autarquias e empresas para as vantagens decorrentes do reforço da empregabilidade de pessoas pertencentes a grupos desfavorecidos; - Criar materiais de disseminação e sinalização de boas práticas para o público em geral (experiências já concretizadas com sucesso) por parte da população alvo, junto do terceiro sector, autarquias, empresas, mediadores e grupos-alvo; - Sinalizar as necessidades de apoio que os mediadores/facilitadores (dirigentes cooperativos, autarcas, empresários, sindicalistas, técnicos das instituições, etc.) têm no desenvolvimento do trabalho de inclusão e integração de pessoas pertencentes a grupos desfavorecidos no mercado de trabalho; - Criar materiais de formação para mediadores/facilitadores do processo de inserção sócio-profissional de pessoas com dificuldades de inserção sócio--profissional.

dot Top



Logo EQUAL

Home page
DP Search
TCA Search
Help
Set Language Order
Statistics