IMPORTANT LEGAL NOTICE
 

 ENE-Empreender na Escola ascii version

Portugal

 
DP Managing organisation : CPINAL-Centro Promotor de Inovação e Negócios do Algarve
Other national partners : ARAPET-ASSOCIAÇÃO REGIONAL DO ALGARVE DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA
Direcção Regional de Educação do Algarve
Escola Secundária do Dr. Francisco Fernandes Lopes
GLOBALRUMO, Consultoria e Aplicações Informáticas, Lda.
EQUAL theme :Employability - (Re-)integration to the labour market 
Type of DP :Geographical - Urban area - ALGARVE 
DP Legal status :Association without legal form 
DP identification :PT-2001-055 
Application phase :Approved for action 2 
Selection date :10-09-2002 
Last update :02-05-2007 
Monitoring: 2002  2003   

Rationale

Text available in

Demographic Properties The demographic behaviour of the region is marked on one side by the progressive ageing of the population and on the other by the decline of age groups below 14 years. This decline is associated with an increase in the amount of women working, prompting the need for investment in new training for new job opportunities. Socioeconomic behaviour Between 1993 and 1995 the employment market was in decline, the most heavily affected sectors being those of productive activity, as is the case of industry. Only from 1996 did employment levels as a whole begin to rise again, despite the fact that employment continued to decline in many of our traditional economic activities. For these sectors to be able to integrate into a new development model, in which competitiveness is not based on low labour costs, changes and modernisation processes are required, as well as an increase in the educational levels of the workforce. On the other hand employment grew in the construction and public works sector, banks, insurance and personal services. 3 tendencies were witnessed in terms of employment: · A reduction in the employment capacity has taken place within some of the traditional sectors: fishing, traditional agriculture and the conserved food sector; · Rearrangement of the professional structure, taking into account the technological evolution and the appearance of new professional profiles occurring after the transformation of the respective sectors (e.g.: fishing, fishing fleet support industries, horticulture and fruit growing, services, etc.); · Expansion of new sectors corresponding to a more technologically demanding industrial development phase which include telecommunications, electronics, commerce, floriculture and the hotel industry, amongst others. The job market In term of levels of education the increase in juvenile unemployment rates is particularly distinct on two levels: · Those youngsters with very few qualifications (up to four years of schooling); · Those youngsters with secondary or higher level qualifications. In 1992 the most significant group percentage wise of unemployed people looking for their first job were those who had only received an education of up to 6years of schooling, in 1996 it was secondary level school leavers who held this position. The Algarve, in the national context emerged with the second highest unemployment rate nationally. At a sector level, in general there are more small businesses than any other type, but this is particularly distinct in the service sector and especially in commerce, restaurants and hotels and in services rendered collectively. However it can be seen that SMEs display a high amount of unqualified staff (27.5%) and of workers with few academic qualifications (66% with up to 6 years of schooling), which points to an evident lack of worker training. Part-time work appears to be one strategy of quickly entering the job market, while in other cases constituting the only way of being able to have an income and continuing studying at the same time. Unemployed youngsters with a maximum of 9 years of schooling are above all intent on looking for a new job, while those who have reached secondary level or above for the most part find themselves looking for their first job. In a national report carried out by the Ministry of Education (Department of Secondary Education), they underline a need to find mechanisms to facilitate the insertion of youngsters into the job market, as it has been noted that there is a tendency towards growth in the amount of unemployed looking for their first job, unlike the case of those looking for a new job. Secondary Education Regular secondary education contains 2 training choices: courses that are predominantly directed towards the pursuit of studies, or general courses, and courses that are predominantly directed towards a vocation, or technological courses, all of which last 3 years. In the academic year 99/00, 23% of pupils sitting the 10th grade dropped out before the year was through. This the highest drop out rate since 74. Only 63% of Portuguese youngsters between 15 and 17 years of age are actually at the level of education that they should be at that age. A look at school years reveals that there are worse years: only half of youngsters with the age to attend the 10th grade actually do. In the 11th grade the situation is worse: only 30% of 16-year-olds are enrolled. Which leads one to believe that the 10th grade remains a kind of barrier, which most can't manage to overcome. The Dr. Francisco Fernandes Lopes Secondary School For the benefit of this analysis a study of the situation of pupils who have successfully completed technological courses within the last two years was carried out. The compiled data enables us to verify of the low degree of actual professional occupation (33%). This data is important as it will be the obvious direction for any pupils opting for a professional route. The importance of work experience positions also increases, as 9.5% of youngsters continue working for the company in which they undergo their apprenticeship. This means that current entry into the work force and future professional routes will only improve if broad ranging investments are made that promote personal and business initiaitves. Pupil survey We proceeded to gather information by a means of a survey. It is interesting to note that around 50% of pupils are not really enjoying the course that they are taking. Perhaps the instructive content and the teaching strategies need to be rethought so that the apparent degree of stimulus improves. Given that these are the courses that allow faster entry into working life and the corresponding lack of job offers in the municipality, it's interesting to note the pessimism that the pupils assume with respect to their immediate future. Their unfamiliarity with the resources that exist, whether in the municipality or in the region, does little to help stimulate entrepreneurial attitudes. Institutions urgently need to be offered the chance to communicate their activities in the school, and the same is true for all resources, both public and private, that exist in the region. In fact entrepreneurial culture will have to be better expressed in the future if it is to become a natural alternative to the traditional options of the job market. Causes for a lack of motivation with the school and/or with the technological course: -Little practical training -Many general subjects and few that are related specifically to the course. -A dislike of study The pupils point to these as the main reasons for losing interest in their course or even for leaving the school altogether. It is interesting that often the choice of course is a result of avoiding subjects and course contents which are perceived as being difficult (Mathematics, Languages etc.). Suggestions to make attending the school or technological course more motivating: -More specific subjects -More hours of technical training and more work in class From what has just been stated it is obvious that pupils prefer course content that is specific and with a more practical element to it. As such the project will answer these gauged needs since it intends to stimulate the entrepreneurial spirit through a specific programme that has already been successfully tested and through a set of instructive initiatives which are directed at the development of personal capacities and abilities like observation, initiative, risk management, decision taking and problem solving. Teacher survey We were anxious to know from the teachers, another target group, what degree of knowledge they have concerning support resources and infrastructures for setting up businesses. We were also keen to suggest some reflection as to the causes for low levels of motivation in the pupils of the technological courses as well as asking for some suggestions to turn around this tendency. The answers clearly indicate the need for teacher training in these themes since only a few of the teachers from the administration technological course are familiar with this material. Main causes for failure at school in technological courses: The school is the most interesting occupation. Lack of prerequisite qualifications to attend courses. Lack of motivation. High level of absenteeism. Unfamiliarity with the chosen course -"subject content". Different interests in the pupils. The teachers listed the preceding set of causes to state that in practice, something should be introduced to improve the motivational climate surrounding pupils of technological courses. It was also suggested to them to come up with alternatives to give new life to the system and in some way to alleviate the weak points previously mentioned. Suggestions for making attending technological courses more motivating: · More specific subjects. · Creating projects on a school level. · Change theory and practical content. · Realisation of work experience during school holidays. Conclusion: The instructive content has to be urgently be enriched with innovative material, with a more emphasized practical element so that that pupils leave the school more employable. It is important in any technological course to stimulate the pupils towards the possibility of becoming businessmen or businesswomen. In this way the impact of this project will enable the enrichment of secondary education through the sharing of experiences, methodologies and good practices relative to entrepreneurialism. It will also lead to the location of alternative training forms, ones that are more alluring and more efficient, that result in increasing pupil motivation and decreasing absenteeism and failure at school.

dot Top


Objective

Text available in

Main Objective: to promote and stimulate the entrepreneurial among students frequenting technological courses (Secondary Schools) through a specific program to be implemented in the classes, which aim to develop abilities like observation, initiative, risk management, decision-making process and the resolution of problems. Other Objectives: - To enable the students to detect and invent personal alternatives in the labour market, through a program to be implemented in the classes and also a service of vocational orientation. - To inform students and teachers about the resources, public and private, existing in the region to help the creation of SMEs. - To give the teachers the resources and knowledge in order they can work with the students effectively. - To obtain a team of trained and active people, committed in the improvement of the materials and methodologies and in the exchange of experiences who will act as facilitators of the process. - To enrich the Secondary Teaching through the share of experiences, methodologies and best practices at a transnational level. - To find alternative schemes of training and Education, more attractive and efficient which may result in the increase of motivation and in the reduction of absenteeism and scholar insuccess. - To contribute for the creation of new entrepreneurial initiatives and for the increase of the human resources' employability at local and regional level. - To contribute for a closer collaboration between public and private actors in the Educational and Entrepreneurship Sectors.

dot Top


Innovation


Nature of the experimental activities to be implemented Rating
Guidance, counselling **
Training **
Work placement *
Employment aids (+ for self-employment) **
Integrated measures (pathway to integration) ***
Training of teachers, trainers and staff ***
Conception for training programs, certification **
Guidance and social services *
Awareness raising, information, publicity **

Type of innovation Rating
Process-oriented ***
Goal-oriented **
Context oriented **

Text available in

Os elementos inovadores baseiam-se : · no facto de se incluir, num mesmo programa didáctico elementos do mundo empresarial e características pessoais da área comportamental e de se dirigir esse programa didáctico a pessoas tão jovens (dos 15 aos 18), ainda estudantes do ensino secundário; · no facto de se "inserir" nos programas lectivos uma "disciplina" que não é homologada pelas instâncias superiores de Educação e que, em termos formais, não é uma "disciplina" propriamente dita mas sim um programa didáctico que apela à interligação com as outras disciplinas, à colaboração dos professores de diversas áreas e terá o seu decurso durante o ano lectivo. · no facto de se utilizar a criação de uma empresa como elemento de motivação dos alunos dos cursos tecnológicos; · no facto de se colocar em pé de igualdade, a possibilidade futura de trabalhar por conta de outrem e a possibilidade de criar o próprio emprego, na medida em que o projecto pretende trabalhar as duas vertentes. A primeira através da dinamização de um serviço de aconselhamento e orientação profissional e da realização de estágios profissionais. A segunda através da elaboração de um plano de negócio e o desenvolvimento de uma ideia de negócio, no âmbito da aplicação do programa "ENE" para apresentação a Concurso. · no facto de se constituir um grupo de trabalho formado por professores e eventualmente alunos e outros agentes que irão trabalhar no sentido do melhoramento dos materiais e das metodologias, · no facto de trazer à Escola uma dimensão transnacional, pelo contacto com parceiros (entre eles existem Escolas e Institutos de Formação) de outros países, que sem dúvida enriquecerão os grupos-alvo; · no facto de se por a trabalhar em conjunto entidades de natureza jurídica, dimensão e sobretudo áreas de intervenção e objectivos completamente distintos como um Centro de Apoio a Empresas e à Inovação ("Business Innovation Centre") como é o CPINAL, que pouco "entende" de Pedagogia e Educação mas que tem uma vasta experiência nos serviços de apoio à criação de empresas, fomento do empreendedorismo e coordenação de projectos estruturantes de carácter transnacional; uma Escola Secundária que pouco sabe de empreendedorismo mas que tem competências inquestionáveis em Pedagogia e Educação, assim como a Direcção Regional de Educação do Algarve que, para além disso tem a supervisão e a coordenação dos sistemas públicos de ensino a nível da Região; uma empresa na área da formação, que apesar de recém-criada é constituída por professores com grande experiência no ensino e na formação profissional; e uma associação profissional de professores, de reduzida dimensão mas com um papel político muito activo.

dot Top


Budget Action 2

1 000 000 – 1 500 000 €

dot Top


Beneficiaries


Assistance to persons 
Unemployed  0.0%  0.0% 
Employed  0.0%  0.0% 
Others (without status, social beneficiaries...)  30.0%  70.0% 
  100.0% 
 
Migrants, ethnic minorities, …  0.0%  0.0% 
Asylum seekers  0.0%  0.0% 
Population not migrant and not asylum seeker  30.0%  70.0% 
  100.0%
 
Physical Impairment  0.0%  0.0% 
Mental Impairment  0.0%  0.0% 
Mental Illness  0.0%  0.0% 
Population not suffering from a disability  30.0%  70.0% 
  100.0% 
 
Substance abusers 0.0%  0.0% 
Homeless  0.0%  0.0% 
(Ex-)prisoners  0.0%  0.0% 
Other discriminated (religion, sexual orientation)  0.0%  0.0% 
Without such specific discriminations  30.0%  70.0% 
  100.0% 
 
< 25 year  25.0%  57.5% 
25 - 50 year  5.0%  12.5% 
> 50 year  0.0%  0.0% 
   100.0% 

Assistance to structures and systems and accompanying measures Rating
Support to entrepreneurship ***
Low qualification **

dot Top


Empowerment

 

 With beneficiaries

Participation
Promoting individual empowerment
Participation in the project design
Changing attitudes and behavior of key actors

 

 Between national partners

N.C.

dot Top


Transnationality

 

 Linguistic skills

  • português
  • português
  • English
  • español (castellano)

 Percentage of the budget for transnational activities

  • 0.1%

 Transnational Co-operation Partnerships

Transnational Co-operation Agreement DPs involved
1099 EMPRENDER ALICANTE-ALGARVE ES ES308
1804 Empower Professionals AT 1A-16/109
FI 4
NL 2001/EQE/0008

dot Top


Background

 

 Involvment in previous EU programmes

  • Nobody involved in A&E

dot Top


National Partners


Partner To be contacted for
CPINAL-Centro Promotor de Inovação e Negócios do Algarve Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Evaluation
Monitoring, data collection
Transnational partnership
ARAPET-ASSOCIAÇÃO REGIONAL DO ALGARVE DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA
Direcção Regional de Educação do Algarve
Escola Secundária do Dr. Francisco Fernandes Lopes
GLOBALRUMO, Consultoria e Aplicações Informáticas, Lda.

dot Top


Agreement Summary

Text available in

Five partners from different nature, intervention fields and dimension constitute the Development Partnership. This diversity is seen as an added value for the project. CPINAL is the promoter and will be responsible for the co-ordination and the project follow-up, the contacts with the Equal national Agency, the transnational contacts (of the 2 Networks) and the Project Evaluation. CPINAL will also be responsible for the creation of a common image, the promotional material, the realisation of a Business Ideas Contest and a Final Journey. EFFL (The Secondary School) will be responsible for the implementation of a didactic program, which we call "ENE", aimed to stimulate the entrepreneurial spirit among students, within the schoolyear. GLOBALRUMO, a recently created firm, acting in the field of vocational training and e-learning, will be responsible for the conception and production of didactic materials, for the conception of training courses for teachers, for the realisation of complementary training courses for students, and for the liaison with the entrepreneurship themes (transnational network EEE). It will collaborate also in the search of stages for students and in the realisation of the Business Ideas and the Final Journey. DREAlg (Regional Department of Education) will collaborate with the School in the insertion of "ENE" program in the classes, will participate in the Development Workgroup, aimed to improve the materials and the methodologies, and will be responsible for the production of Guides for the students 'stages.

Last update: 02-05-2007 dot Top


CPINAL-Centro Promotor de Inovação e Negócios do Algarve

(CPINAL)
Av. Dr. Bernardino da Silva, 65 - 2º dto
-
P-8700-301-OLHÃO Olhão

Tel:+351289707920
Fax:289781121
Email:geral@bic-ah.com

 
Responsibility in the DP: Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Evaluation
Monitoring, data collection
Transnational partnership
Type of organisation:Other
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:ALGARVE
Date of joining / leaving:08-07-2004 /

Text available in

Missão: Contribuir para o reforço do tecido empresarial e para a qualificação do emprego da região através do fomento e apoio à criação e ao desenvolvimento sustentado de empresas inovadoras. Objectivo global: Contribuir para o desenvolvimento económico da região apoiando as iniciativas empresariais, a modernização e internacionalização de P.M.E e o partenariado, promovendo a criação e a preservação de postos de trabalho qualificados e a integração dos jovens na vida empresarial e activa. Outros Objectivos: Praticar uma abordagem integrada dos projectos empresariais, apoiar a criação e o desenvolvimento de empresas inovadoras, viáveis e competitivas. Levar a cabo iniciativas e participar em projectos que visem a cooperação empresarial. Promover o Empreendedorismo na região. Realizar projectos especiais de impacto regional ou supra-regional. O CPINAL é um Business Innovation Centre, organização comunitária vocacionada para os serviços de apoio a empresas. Existem cerca de 150 BIC’s na União Europeia. Juridicamente o CPINAL éÉ uma associação privada, sem fins lucrativos, tendo como promotores entidades públicas e privadas: autarquias, universidades, associações, empresas, etc. Foi constituído em 12 de Junho de 1995.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Eurídice Marcela de Sousa Cristo Eurídice +351289707920 ecristo@bic-ah.com Entity contact person responsable for this project

Last update: 02-05-2007 dot Top


ARAPET-ASSOCIAÇÃO REGIONAL DO ALGARVE DE PROFESSORES DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

(ARAPET)
Rua António Capa, 14-B 1º Esqº
-
P-8900-245-VILA REAL SANTO ANTÓNIO Vila Real de Santo António

Tel:+351281543583
Fax:
Email:mossmanel@mail.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Other
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:ALGARVE
Date of joining / leaving:02-07-2002 /

Text available in

A Ass. Reg. do Algarve de Professores de Educação Tecnológica (ARAPET) foi criada em 1992 com o objectivo de defender os interesses pedagógicos e profissionais dos professores da área tecnológica bem como dinamizar e desenvolver iniciativas tais como seminários, encontros, troca de experiências, etc. entre os prof. da área tecnológica. A ARAPET pertence à FNAPAT-Federação Nac. dos Professores das Áreas Técnicas e Tecnológicas. A ARAPET tem promovido diversas reuniões e encontros com a DREALG, Dir. Geral do Ensino Básico e Dir. Geral do Ens. Secundário. Tem sido parceira na revisão curricular que está em curso e tem sido sempre ouvida quando estão em discussão assuntos de áreas tecnica e tecnológica no Ensino. A ARAPET pretende participar em iniciativas que contribuam para a formação dos professores da sua área de influência e para a melhoria do ensino técnico-profissional. Pretende ainda participar em acções que possibilitem a troca de experiências com prof. de outros países.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Luís Manuel Pereira Martins Luís +351289864466 mossmanel@mail.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 02-05-2007 dot Top


Direcção Regional de Educação do Algarve

(DREALG)
Sítio das Figuras - Estrada Nacional 125
-
P-8000-761-FARO Faro

Tel:+351289893900
Fax:289893929
Email:

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Public authority (national, regional, local)
Legal status:Public organisation
Size:Staff < 10
NUTS code:ALGARVE
Date of joining / leaving:17-11-2004 /

Text available in

A DREALG, no âmbito territorial respectivo (Algarve), integra as várias áreas funcionais da Educação e dos Ensinos Básico e secundário, no quadro da Política educativa. Coordena, acompanha e apoia a organização e funcionamento dos estabelecimentos educativos e a gestão dos respectivos recursos humanos e materiais. Acompanha e apoia as escolas nos âmbitos técnico-pedagógico, de acção social e de desporto escolar. Promove a execução da política educativa de acordo com as orientações definidas a nível do governo. Dinamiza e coordena a recolha de informações necessárias para o acompanhamento e avaliação da execução da política educativa e assegura a divulgação das orientações e da informação técnica aos estabelecimentos de educação e aos utentes em geral. Coopera com outros serviços, organismos e entidades, tendo em vista a realização de acções conjuntas em matéria de educação e formação profissional



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Carlos Manuel Alves Afonso Carlos +351289893983 carlos.afonso@drealg.min-edu.p Entity contact person responsable for this project

Last update: 02-05-2007 dot Top


Escola Secundária do Dr. Francisco Fernandes Lopes

(ESFFL)
Avenida Dr. Francisco Sá Carneiro
-
P-8700-853-OLHÃO Olhão

Tel:+351289700450
Fax:289700459
Email:CE@esffl.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Education / training organisation
Legal status:Public organisation
Size:Staff < 10
NUTS code:ALGARVE
Date of joining / leaving:02-07-2002 /

Text available in

A ESFFL é uma escola do ens. secund., pública, onde são ministrados cursos de carácter geral para prosseguimento de estudos e cursos tecnológicos orientados para a vida activa., tendo ainda 2 turmas de Currículos Alternativos do 9º Ano, uma turma C.E.F.P.I. (Curso de Educ. Formação Prof. Inicial) e cursos nocturnos do Ens. Sec. por unidades capitalizáveis. A Escola tem uma pop. escolar de 1500 alunos repartidos pelos cursos atrás referidos. Tem 49 funcionários (pessoal auxiliar e admin.), na sua maior parte pertencendo ao quadro e 147 professores dos quais mais de 80% são do quadro de nomeação definitiva. A nível de instal. possui 38 salas de aula normais; um pavilhão gimno-desportivo; 3 laboratórios de física e química; 3 labor. de biologia; 4 salas de informática, 3 delas com acesso à internet; uma biblioteca; um centro de apoio e recursos onde os alunos tem acesso a material didáctico e acomp. de docentes para o estudo. A ESFFL é a única escola secundária do concelho de Olhão.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Carla Maria Antunes Caramujo de Sá Carla +351289700454 ccaramujo@hotmail.com Entity contact person responsable for this project

Last update: 02-05-2007 dot Top


GLOBALRUMO, Consultoria e Aplicações Informáticas, Lda.

(GLOBALRUMO)
Edifício Siroco, Bloco Nau Apartamento 145 Olhão
-
P-8700-383-OLHÃO Olhão

Tel:+351965830046
Fax:
Email:tomanel@globalrumo.com

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Enterprise
Legal status:Private
Size:Staff < 10
NUTS code:ALGARVE
Date of joining / leaving:17-11-2004 /

Text available in

Sociedade por quotas que consubstancia a sua actividade através da formação, consultoria e aplicações informáticas, desenvolvendo paralelamente projectos europeus em áreas afins. Na área da formação escontramo-nos envolvidos num plano de formação no âmbito do POEFDS, uma acção desconcentrada no âmbito do Pro-Algarve; paralelamente a empresa desenvolve formação pedagógica inicial de formadores. Na área dos projectos internacionais, somos parceiros de projecto ENE- Empreender na Escola, que se insere no âmbito do EQUAL, fase 1, acção 2. A missão da empresa centra-se na produção de serviços nas áreas da formação, consultoria e aplicações informáticas que vão de encontro às necessidades sentidas na região.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
António Manuel Coelho Condessa António +351289722384 globalrumo@globalrumo.com Entity contact person responsable for this project

Last update: 02-05-2007 dot Top



 
 
 
 

 
 
 
 

 
 
 
 
Warning! This section is not meant to be read directly, but rather be navigated through from the main page above.
 
 
 
 

ENE-EMPREENDER NA ESCOLA

Rationale

Text available in

Características demográficas O comportamento demográfico na região é simultaneamente marcado por um envelhecimento progressivo da população e as classes etárias até aos 14 anos sofrerem uma evolução em sentido oposto, associadas ao acréscimo de actividade feminina, suscitam a necessidade de investir em novas formações para novas oportunidades de trabalho. Comportamentos sócio-económicos Assiste-se à diminuição do emprego entre 1993 e 1995, com maior peso em certos sectores da actividade produtiva, como é o caso da indústria. Só a partir de 1996 se assiste a um maior crescimento de emprego global, apesar do emprego de muitas actividades económicas tradicionais continue a diminuir. A possibilidade destes sectores integrarem um novo modelo de desenvolvimento, em que a competitividade não se baseie no baixo custo da mão-de-obra, requer processos de reconversão e de modernização, a par da elevação dos níveis educativos da mão-de-obra. Em contrapartida, registou-se uma expansão do emprego no sector da construção e obras públicas, bancos, seguros e serviços pessoais. Verificam-se 3 grandes tendências ao nível do emprego, de acordo com os sectores: · Diminuição da capacidade empregadora sobre alguns dos sectores tradicionais: pesca, agricultura tradicional e sector conserveiro; · Recomposição da estrutura profissional, tendo em conta a evolução tecnológica e o aparecimento de novos perfis profissionais decorrentes da reconversão dos respectivos sectores (ex: pescas, indústrias de apoio à frota da pesca, horto-frutilcultura, serviços, etc.); · Expansão de novos sectores correspondentes a uma fase de desenv. industrial tecnologicamente mais exigente e nos quais se encontram as telecomunicações, a electrónica, comércio, floricultura, e a industria hoteleira, entre outros. Mercado de trabalho Verifica-se que é a população jovem a que apresenta maiores dificuldades de inserção no mercado de trabalho. Cerca de metade dos jovens desempregados está à procura do 1º emprego, ou seja, não dispõe de qualquer experiência profissional, o que agrava as suas dificuldades de inserção. Em termos de níveis de educação, o aumento das taxas de desemprego juvenil é particularmente nítido em dois patamares: · No de jovens com muito baixas habilitações (até aos 4 anos de Escol.); · No de jovens com habi. de nível secundário ou superior. A classe de desempregados à procura do 1º emprego percentualmente mais significativa, em 1992, era a que tinha como grau de instrução mais elevado o 2º ciclo do ensino básico, em 1996 são os portadores de uma formação de nível secundário que ocupam essa posição. Ao analisar o comportamento do desemprego por região, verifica-se que existem fortes variações regionais, com a emergência de regiões marcadas por valores mais elevados de desemprego, ou por variações sazonais. O Algarve, no contexto nacional, surge com a 2ª maior taxa de desemprego a nível nacional. A nível sectorial, a incidência da PME é generalizada, mas é particularmente nítida no sector dos serviços e em especial no comércio, restaurantes e hotéis e nos serviços prestados à colectividade. No entanto, verifica-se que as PME apresentam um peso elevado de pessoal não qualificado (27,5%) e de trabalhadores com baixas hab. académicas (66% até ao 2º ciclo do ensino básico), o que faz realçar uma evidente carência de formação dos trabalhadores. O trabalho a tempo parcial surge como uma estratégia para uma mais rápida inserção no mercado de trabalho, constituindo-se noutros casos como a única via de conciliar o exercício de uma actividade remunerada com o prosseguimento de estudos. Os jovens desempregados portadores de uma escol. máxima de 9 anos estão sobretudo concentrados na procura de um novo emprego, enquanto os possuidores de nível sec. ou sup. se encontram maioritariamente à procura do 1º emprego. De acordo com um relatório nacional elaborado pelo Min. da Educação (Dep. do Ensino Secundário), é destacada a necessidade de encontrar mecanismos que facilitem a inserção dos jovens no mercado de emprego, uma vez que se verifica uma tendência de crescimento do n.º de desempregados à procura do 1º emprego, ao contrário dos que procuram um novo emprego. Ensino Secundário O ens. secundário regular integra 2 ofertas formativas: os cursos predominantemente orientados para o prosseguimento de estudos, ou cursos gerais, e os cursos predominantemente orientados para a vida activa, ou cursos tecnológicos, todos eles com a duração de 3 anos. No ano lectivo de 1999/2000, 23% dos alunos que frequentavam o 10º ano desistiram antes de acabar., sendo a maior percentagem de abandono desde 1974. Um olhar sobre os anos de escolaridade revela que existem anos piores: apenas metade dos jovens com idade para estar no 10º anos o frequentam. No 11º ano a situação piora: só 30% com 16 anos estão matriculados. O que leva a crer que o 10º ano continua a ser uma espécie de barreira que boa parte não consegue superar. A Escola Sec. Dr. Franc. Fernandes Lopes Para efeitos do presente diagnóstico foi elaborado um levantamento da situação dos alunos que concluíram com aproveitamento os cursos tecnológicos nos 2 últimos anos. Os dados recolhidos permitiram verificar o baixo grau de ocupação profissional efectiva (33%). Este dado é importante pois seria a trajectória óbvia para os alunos que optaram por uma via profissionalizante. Acresce ainda a importância do estágio, já que 9,5% dos jovens continuaram a trabalhar na empresa onde efectuaram os respectivos estágios. Isto significa que a actual inserção na vida activa e os futuros percursos profissionais só terão a ganhar com a aposta nas formações de espectro largo e promotoras da iniciativa pessoal e empresarial. Inquérito aos alunos Procedemos à recolha de informação através de um inquérito aos alunos dos cursos tecnológicos. As respostas evidenciam que cerca de 50% não está a gostar do curso que frequenta. Porventura terá de se repensar os conteúdos didácticos e as estratégias de ensino para que melhore o grau de estímulo apercebido. O desconhecimento dos recursos que existem, quer no concelho, quer na região não ajuda a estimular as atitudes empreendedoras. É urgente proporcionar às instituições a divulgação das suas actividades na Escola e de todos os recursos - tanto públicos como privados, que existem na região. De facto, a cultura empreendedora, terá de experimentar um impulso mais expressivo doravante para poder ser uma alternativa instintiva às opções tradicionais do mercado de trabalho. Causas da desmotivação da Escola e/ou do curso tecnológico: -Pouca formação prática -Muitas disciplinas de carácter geral e poucas relacionadas especificamente com o curso. -Não gosto de estudar Os alunos apontaram estas razões como as principais pelas quais se desmotivam e abandonam a Escola. A escolha destes cursos, por vezes, funciona como fuga de disciplinas e conteúdos que são apercebidos como difíceis (Matemática, Línguas, etc.). Sugestões para tornar mais motivante a frequência da Escola/curso tecnológico: -Mais disciplinas específicas -Mais horas de formação técnica e mais trabalhos Pelo anteriormente exposto, é óbvio que os alunos preferem só os conteúdos específicos e uma componente mais prática. Como tal, o projecto vem dar resposta a estas necessidades aferidas já que pretende estimular o espírito empreendedor através de um programa específico já testado com êxito e de um conjunto de iniciativas didácticas que visam o desenvol. de capacidades e competências pessoais como a observação, a iniciativa, a gestão dos riscos, a tomada de decisão e a resolução de problemas. Inquérito aos professores Procuramos saber junto dos professores qual o grau de conhecimento que dispunham face aos recursos e infra-estruturas de apoio à criação de empresas, bem como sugerimos alguma reflexão quanto às causas da desmotivação dos alunos dos cursos tecnológicos e pedimos ainda algumas sugestões para inverter esta tendência. As respostas indicam a necessidade de formação dos professores nestas temáticas já que só alguns professores do curso tecnológico de administração estão familiarizados com estas matérias. Causas principais de insucesso escolar nos cursos tecnológicos: - Falta de motivação. - Absentismo elevado. - Desconhecimento do curso escolhido -"conteúdo das disciplinas". - Interesses divergentes aos escolares. - A Escola é, por exclusão de partes, a ocupação mais interessante. - Falta de pré-requisitos. Os professores constatam que na prática, que algo deverá ser introduzido para melhorar o clima motivacional junto dos alunos dos cursos tecnológicos. Foi-lhes também sugerido que apresentassem alternativas que implementassem uma nova dinâmica e que pudessem suavizar os pontos fracos realçados anteriormente. As sugestões foram as seguintes: - Mais disciplinas específicas. - Criar projectos a nível de Escola. - Transformar os conteúdos teóricos e práticos. - Realização de estágios em empresas nas paragens lectivas. Conclusão: É urgente enriquecer os conteúdos didácticos com matérias inovadoras, com uma componente prática mais acentuada e que seja facilitadora da empregabilidade dos jovens. É importante, para qualquer curso tecnológico, estimular os alunos para a possibilidade de se constituírem profissionalmente como empresários. Para tal é necessário prover formação para dotar os alunos e os professores das ferramentas necessárias. Assim o impacto deste projecto permitirá enriquecer o ensino secundário através da partilha de experiências, metodologias e boas práticas relativas ao domínio do empreendedorismo. Permitirá, também, encontrar formas alternativas de formação, mais aliciantes e eficazes, que resultem no aumento da motivação dos alunos e na diminuição do absentismo e do insucesso escolar.

dot Top


Objective

Text available in

Objectivo principal : Promover e estimular o desenv. de capacidades empreendedoras dos alunos do ensino secundário, frequentadores dos cursos tecnológicos, os quais geralmente apresentam problemas de insucesso escolar, proporcionando-lhe o aumento do seu grau de empregabilidade. Paralelamente pretende-se facultar a esses alunos um serviço de orientação e aconselhamento profissional prestando-lhes informações sobre as alternativas existentes quer no mercado de trabalho quer na criação do próprio emprego e estágios de curta duração em empresas locais facilitando-lhes, deste modo, a usa inserção na vida activa. Objectivos secundários: - Permitir aos alunos detectar e inventar alternativas pessoais no mercado de trabalho facilitando-lhes consideravelmente a sua transição para a vida adulta e aumentando-lhes a empregabilidade. - Dar a conhecer aos alunos e aos professores os recursos, quer públicos quer privados, que existem na região para a criação de empresas. - Facultar aos professores o desenvolvimento de capacidades empreendedoras e a possibilidade de aportarem aos alunos os meios adequados para a sua melhor inserção na vida adulta e activa, aumentando deste modo a empregabilidade de ambos os públicos. - Conseguir um grupo de pessoas formadas e activas, implicadas no aperfeiçoamento de materiais e metodologias e intercâmbio de experiências que agirão como agentes do processo de fomento do espírito empreendedor nas Escolas. - Enriquecer o ensino secundário através da partilha de experiências, metodologias e boas práticas relativas ao domínio em causa, a nível transnacional. - Encontrar formas alternativas de formação, mais aliciantes e mais eficazes, que resultem no aumento da motivação dos alunos e na diminuição do absentismo e do insucesso escolar. - Contribuir para a criação de novas iniciativas empresariais e da empregabilidade dos jovens. - Contribuir para uma maior colaboração activa das entidades públicas e privadas, na área da Educação e das Empresas.

dot Top



Logo EQUAL

Home page
DP Search
TCA Search
Help
Set Language Order
Statistics