IMPORTANT LEGAL NOTICE
 

 ISTMO - A FILEIRA DAS PESCAS COMO ESPAÇO DE NOVAS OPORTUNIDADES ascii version

Portugal

 
DP Managing organisation : CERCIPENICHE - Cooperativa de Educação e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados CR
Other national partners : ADEPE - ASSOCIAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DE PENICHE
Assoc.Mutua Financeira Livre dos Armadores da Pesca Geral do Centro
PESCAGEST - PRODUÇÃO E GESTÃO, S.A.
SINDICATO DOS TRABALHADORES DA PESCA DO CENTRO
EQUAL theme :Employability - (Re-)integration to the labour market 
Type of DP :Geographical - Other - LISBOA E VALE DO TEJO 
DP Legal status :Association without legal form 
DP identification :PT-2001-020 
Application phase :Project ended 
Selection date :09-09-2002 
Last update :30-03-2006 
Monitoring: 2002  2003   

Rationale

Text available in

Fishing is a human activity with prehistoric origins, from the time when hunting and recollection were mankind's only means of survival. Nowadays, fishing is an economic activity based on the exploitation of living sea resources and subjected to special situations as the strong interventionism from the state as well as the dependence on natural and human conditions. In the last 30 years several organisms have been founded, aiming at a balanced control of the fishing activity through measures that mainly intend to regulate it and to avoid conflicts and overexploitation. The European Commission established in 1983 a Common Fisheries Policy (CFP), which goals we can summarize in secure the maintenance of population units limiting the fishing effort and promoting the continuation of the fishing activity modernising production means and securing a decent income for fishermen. At present the revision of CFP is being confronted with the need for diminishing fishing efforts and increasing access restrictions to the resources. These measures are necessary due to the present situation of the fishing branch in Northern Europe, but they can cause serious problems to the Southern countries, where fishing is less industrialised, less depredatory of the sea resources and more intensive in work, thus having a more intensive social impact. The fishing activity in Portugal has indeed an economic and social importance that is bigger than E.U. average. Thus Portugal maintains a high number of ships and a high percentage of workers and the processing of fishing products, mainly conservation and deep-freezing, has an expressive importance. Due to reduction policy of the 80s and 90s, the present effort of the national fishing activity is close to the availability of resources. Added to the decrease of the number of ships and fishermen there is the 'less visible' market control, which causes the fishing 'restraint' to limit the offer. The fishing activity is still having its importance within Portuguese economy (the unloaded fish between 1995 and 1998 achieved 56 and 65 billion escudos/year). There are some national characteristics that restrain the development of the sector: - reduced continental platform that restricts the availability of species; - abundance of commercially low-priced species (which in the past led to the overexploitation of other species); - elderly and still unindustrialized shipping; - considerable importance of the industry of canned goods (although with structural weaknesses); - low level of working productivity. The historical image of Peniche is linked to the fishing activity. It was due to this activity that the town grew and developed during the last four centuries. Its peculiar location never allowed the development of many other activities. Tourism and industries linked to fishing appeared as main alternatives. Nowadays the tertiary sector is absorbing the largest part of working forces, but these are activities centred on social sectors, small commerce and restaurants and not on support services to the economic activity, as would be desirable. The development of the fishing activity in Peniche has revealed a huge capacity for survival, which makes it nowadays the most important Portuguese fishing harbour, a situation that will be reinforced once the expansion of the present infrastructure is concluded. It is worth mentioning the level of occupation of active workers and the amount of wealth produced - in 1999 1316 fishermen and 889 ships were registered, while the amount of unloaded fish has been maintained quite constant during the last 10 years, about 5 billion escudos/year. Bearing in mind all the activities linked to the branch, from shipbuilding to processing and trading of fishing goods, the dependence on the sector, in a municipality with approximately 27 thousand inhabitants, is quite big. The processing industry of deep-freezing the fishing products has steadily grown, having now a cold storage and deep-freezing capacity that represents 25% of the countries total amount. Specific Diagnosis of the Project: 1. Difficulties in recruiting workers for the fishing branch. The issue number 10 (December 2001) of the bulletin of the Fisheries Directorate-General 'The fishing activity in Europe' has exactly this topic. This is an excerpt of the editorial "Guarantee the renovation of the generations of the fishermen": "the youths are not interested in the profession, which is considered to be hard, unpleasant, sometimes dangerous and, in general, low-paid (?) during the last years several fishing schools were forced to shut down because of the lack of trainees (?) ". On the other hand, the average age of the workers in the fishing sector is close to 50 year of age, which shows that there has been no renewing of workers. 2. Bad working conditions. These account for the absence of youths and they can be summarised as the lack of habitable, hygienic and safety conditions, the strict working schedule with an excess of continuous working hours when fishing, the variable payment system and the low contributions to Social Security. 3. Usage of antiquated management methods, with a huge weight of the unindustrialized segments. This situation leads to low productivity of work and capital, which is also caused by a deficient competence of the working force and which originates its low payment. The technological-economical structure of the firms is quite unindustrialized and it is difficult to introduce modern business patterns. The quality of the products is little due to the lack of conservation technologies and there is a weak adjustment to the market and a great dependence on it. 4. Low qualifications of human resources, which strongly restrain the adequate usage of technology that the firms have already installed. The average schooling of the workers of the sector is very low (according to a recent survey, only 4,3% of the fishermen had more than primary school) and a very high percentage of the workers (according to the same survey, 80% of the active workers in the sub-sector of fishing) have never been to a professional training activity. The continuous training of the active workers has been reduced, irregular and inefficient, especially due to access difficulties and to the lack of motivation. 5. Professional training has been intense, but mainly in initial training. These youths choose not to pick up professions in the sector, due to sector's incapacity of attracting. Thus, the youths only take the courses to obtain the scholarship while getting a school certificate. 6. Existence of an increasing number of immigrant workers, which proves the recruitment difficulties the firms have to face. This is a growing reality with adjustment problems that are going to affect all the community. These workers are even more exposed to bad working conditions and further away from the possibility of participating in continuous professional training. 7. Initial professional training for the fishing activity has stopped in the last years, showing that innovating areas haven't been able to enter the sectors. Courses offered by Forpescas (the entity which organises most of the fishing training in Portugal up to high school level) have maintained the same structure. On the other hand, this training is becoming less attractive, since the number of trainees has been falling. 8. Existing professional training isn't sufficiently adjusted to reality. There is a lack of practical training and of training in the working context. Since the beginning, the main problem is the wanting of practical trainers, because experienced professionals aren't pedagogically prepared due to their low schooling. On the other hand, the absence of innovating areas has rendered the courses obsolete when confronted with the technological challenges the sector is facing. 9. Local difficulties in the socio-professional integration of the youths and the existence of youths with increased integration difficulties (due to deficiencies or social miss adjustment). In the municipality of Peniche it exists a for to high number of situations of exclusion, which can be confirmed by the number of registers in the employment centre, of applicants for social housing, of processes of guaranteed minimum income, or, in more desperate situations, of the cases which are treated in the drug-addiction treatment centre. The problem here is to adjust the offer of employment that exists in the fishing sector to the demand and to the stimulation of life paths. The integration training has had a great importance in Forpescas, but it has been operating apart from the other integration services and the firms - there is a lack of integrated insertion paths. 10. Youths have high expectations in what their schooling is concerned, even if they are mediocre. This is shown by the small interest for technological or professional courses, which is a result of an overvalued image of 'intellectual' profession in opposition to technical or manual ones. It is, thus, imperative to inform the youths in time about their professional opportunities, so that they may choose options that are likely to have a professional insertion. 11. Lack of capacity or of structure in the area of vocational and professional guidance to get to know the sector and to lead youngsters to possible solutions. There is a wall between the firms and the excluded population and the integration services. It's mainly the firms that have kept the distance from this integration process, because there is an excessive gap between the social and the market economies. Even the integration services operate as islands without any links between them, thus strongly limiting the results, which could be otherwise obtained.

dot Top


Objective

Text available in

1. Encourage a renewal of generations of fishermen and other workers of the branch. 2. Contribute to reduce increasing recruiting difficulties the factories face in the fishing branch. 3. Promote and value professions in the fishing branch, by sensitising youths to employment in this area. 4. Contribute to the improvement of working conditions in the fishing branch. 5. Sensitise this area to the necessity of modernising its management methods. 6. Influence the adaptation of the State's interventionist role and of its institutional supports. 7. Promote the qualification of active workers and the recognition of their skills. 8. Strengthen the training/skills of active workers, through continual professional training. 9. Support the integration process of immigrant workers, through training/informative activities. 10. Mobilise and stimulate the youths' search for professional training, by trying to influence the creation of training offers in innovating areas with a new technological dimension (which will attract more trainees and supply the firms with new qualifications/skills). 11. Promote the adjustment of initial professional training to the necessities of the branch, by observing the ongoing technological restructure and by granting it a stronger practical component. 12. Support the establishment/reinforcement of partnerships between firms, producer organisations, associations and training entities. 13. Promote the market integration of trainers who are experienced professionals. 14. Promote the socio-cultural integration of youths in the fishing branch, in a model of integrated training course. 15. Contribute to clear up the idea that youths and their families have of the quality of 'intellectual' professions and of the mediocrity of technical and manual professions. 16. Contribute to the adjustment of vocational and professional guidance to the integration necessities of firms, by involving the several responsible people for this task.

dot Top


Innovation


Nature of the experimental activities to be implemented Rating
Guidance, counselling **
Training ***
Training on work place **
Work placement **
Employment aids (+ for self-employment) **
Integrated measures (pathway to integration) **
Employment creation and support **
Training of teachers, trainers and staff **
Improvement of employment services, Recruitment structures **
Conception for training programs, certification **
Anticipation of technical changes **
Work organisation, improvement of access to work places *
Guidance and social services **
Awareness raising, information, publicity ***
Studies and analysis of discrimination features **

Type of innovation Rating
Process-oriented ***
Goal-oriented **
Context oriented **

Text available in

O projecto apresenta inovações de vários tipos: - De natureza processual, no sentido em que vai promover o desenvolvimento de novas metodologias e o aperfeiçoamento das existentes. Resumindo, podemos afirmar que o vasto conjunto de actividades a promover ocorre de uma forma integrada e articulada. A realização de um plano com um diagnóstico de necessidades, a promoção de um Fórum local, a concepção de um plano de marketing são exemplos de actividades que irão servir de suporte ao desenvolvimento harmonioso do projecto. Outro aspecto importante é o reconhecimento de que é necessário desenvolver economicamente o sector para assegurar o pretendido incremento na empregabilidade e inserção. - Relativos aos objectivos e metas, pela inovação nos objectivos traçados e na exploração de novas possibilidades de emprego. Todo o projecto gira em torno de uma perspectiva integrada e dinâmica do duplo problema - falta de recursos humanos nas empresas, dificuldades de inserção profissional dos jovens. O aumento das opções de inserção profissional dos jovens do concelho e o alargamento das opções de recrutamento por parte das empresas são outros dois exemplos de valor acrescentado do projecto. - Relativos ao contexto, na medida que vai intervir fortemente na delineação das políticas da administração e no desenvolvimento metodológico dos serviços de promoção da integração socioprofissional. A título de exemplo podemos referir o reforço da articulação entre as organizações, valorizando as parcerias já constituídas conferindo-lhes maior dinâmica operacional, através do envolvimento das empresas, sindicatos, etc. Além destes, podemos ainda acrescentar que o projecto é inovador a três níveis, geográficos e sectoriais: - Para Peniche, porque trata-se de uma oportunidade para em definitivo afirmar o sector, bem como para a promoção de um trabalho em parceria e em rede inter-organizações que ainda funciona muita aquém do possível; - Para o sector, porque normalmente não é mobilizado para empreender, somente para reivindicar e tem aqui uma oportunidade única de "empowerment", isto é de traçar o seu destino. O entusiasmo que os membros da PD profissionalmente ligados ao sector têm vindo a manifestar é demonstrativo de que estamos em presença de uma efectiva oportunidade; - Para Portugal e para a União, porque marketing de profissões é algo de praticamente desconhecido, situação que comprovámos no trabalho realizado com os nossos parceiros transnacionais.

dot Top


Budget Action 2

500 000 – 1 000 000 €

dot Top


Beneficiaries


Assistance to persons 
Unemployed  7.1%  11.8% 
Employed  29.3%  19.8% 
Others (without status, social beneficiaries...)  16.0%  16.0% 
  100.0% 
 
Migrants, ethnic minorities, …  2.6%  2.7% 
Asylum seekers  0.0%  0.0% 
Population not migrant and not asylum seeker  49.7%  45.0% 
  100.0%
 
Physical Impairment  0.1%  0.2% 
Mental Impairment  1.1%  1.1% 
Mental Illness  0.0%  0.0% 
Population not suffering from a disability  51.1%  46.4% 
  100.0% 
 
Substance abusers 0.5%  0.1% 
Homeless  0.0%  0.0% 
(Ex-)prisoners  0.0%  0.0% 
Other discriminated (religion, sexual orientation)  0.0%  0.0% 
Without such specific discriminations  51.9%  47.5% 
  100.0% 
 
< 25 year  23.5%  26.6% 
25 - 50 year  13.9%  16.8% 
> 50 year  15.0%  4.2% 
   100.0% 

Assistance to structures and systems and accompanying measures Rating
Gender discrimination **
Support to entrepreneurship **
Discrimination and inequality in employment **
Disabilities **
Other discriminations **
Low qualification **
Unemployment ***

dot Top


Empowerment

 

 With beneficiaries

Participation
Promoting individual empowerment
Developing collective responsibility and capacity for action
Participation in the project design
Participation in running and evaluating activities
Changing attitudes and behavior of key actors

 

 Between national partners

N.C.

dot Top


Transnationality

 

 Linguistic skills

  • português
  • português
  • English
  • español (castellano)

 Percentage of the budget for transnational activities

  • 0.2%

 Transnational Co-operation Partnerships

Transnational Co-operation Agreement DPs involved
1185 F.I.D.E. FR COR-2001-11167
IT IT-G-CAL-068
IT IT-G-LOM-028
2265 PONTE FR LGR-2001-10519

dot Top


Background

 

 Involvment in previous EU programmes

  • One partner involved in A&E

dot Top


National Partners


Partner To be contacted for
CERCIPENICHE - Cooperativa de Educação e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados CR Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Evaluation
Transnational partnership
ADEPE - ASSOCIAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DE PENICHE Monitoring, data collection
Assoc.Mutua Financeira Livre dos Armadores da Pesca Geral do Centro
PESCAGEST - PRODUÇÃO E GESTÃO, S.A.
SINDICATO DOS TRABALHADORES DA PESCA DO CENTRO

dot Top


Agreement Summary

Text available in

Within the scope of the Istmo Project the partners propose developing a range of professional marketing activities in the fishing branch, involving training courses for the different target groups, publicising of the activities of the sector, appreciation of the categories or occupations that are less respected by the public opinion, thus aiming at the creation of new insertion opportunities in this sector of vital importance for Peniche. In order to guarantee the quality, opportunity and efficiency of the ongoing work, experts in the areas of fishing, marketing and project evaluation will be involved in this project. The functioning of the PD will be mainly based on a relation of proximity and permanent interaction between the partners, consolidated by periodic PD meetings, whose periodicity is never superior to a fortnight. The decisions on matters which are direct- or indirectly linked to the functioning of the PD, and which were not foreseen, require the previous deliberation and agreement of all the partners. Technical responsibilities will be distributed among the partners according to the characteristics of their needs and their available resources, favouring experience and competence of each partner in the process of responsibility allocation. By decision of the PD, resulting from the functioning of the project, other entities might be invited to integrate, momentarily or permanently, into the project, whenever their contribution is thought to be important. The partnership will also use the TIC as a privileged means of sharing information, thus trying to exploit informatics' possibilities to guarantee a high level of efficiency of the available up-to-date information. The entities integrating the Istmo PD also propose the sharing of their own means and resources whenever it is advised or determined by the nature or the objectives of the ongoing activities.

Last update: 30-03-2006 dot Top


CERCIPENICHE - Cooperativa de Educação e Reabilitação de Cidadãos Inadaptados CR

(CERCIPENICHE)
Rua de João de Matos Bilhau, s/n
-
P-2520-453-PENICHE Peniche

Tel:+351262780080
Fax:262789963
Email:-

 
Responsibility in the DP: Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Evaluation
Transnational partnership
Type of organisation:Organisation providing support and guidance for disadvantaged groups
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:OESTE
Date of joining / leaving:01-04-2005 /

Text available in

A Cercipeniche foi criada em 1977, num processo que envolveu um conjunto alargado de pessoas na procura de uma resposta local para um grupo de crianças cujas necessidades não eram respondidas de forma aceitável pelo sistema de ensino. Dispõe das seguintes valências: -Serviço educacional - um Centro de Reabilitação Profissional (CREAP) adaptado para a realização de acções de formação profissional para pessoas com deficiência. - uma pequena unidade residencial, de apoio a jovens integrados em acções de formação profissional. - um Centro de Actividades Ocupacionais, denominado CERISC (Centro de Recursos para a Inserção Social e Comunitária). - uma UNIVA. -Um CRVCC denominado de “Rumo aos Saberes” - um enclave de prestação de serviços nos domínios da jardinagem, manutenção e limpeza que abriu a possibilidade de contratação de pessoas com deficiência. Disponibiliza ainda à comunidade de Peniche um conjunto de serviços nos domínios da hidroterapia e iniciação à natação, terapia da fala, terapia ocupacional e fisioterapia



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
António José F. S. Correia Santos António +351262780080 toze.correia@cercipeniche.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 30-03-2006 dot Top


ADEPE - ASSOCIAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DE PENICHE

(-)
Avenida do Porto de Pesca, Lote C 11
-
P-2520-208-PENICHE Peniche

Tel:+351262787959
Fax:262787855
Email:-

 
Responsibility in the DP: Monitoring, data collection
Type of organisation:Other
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:OESTE
Date of joining / leaving:07-06-2002 /

Text available in

A ADEPE é uma associação sem fins lucrativos, constituída em 1995, cuja missão é a promoção do desenvolvimento do concelho de Peniche. Desde então, a sua intervenção tem assumido uma multiplicidade de formas, o que tem resultado do cruzamento entre as necessidades que identifica e as oportunidades que se lhe deparam. Está acreditada pelo INOFOR para a Concepção, Organização e Execução de acções de formação profissional, pelo que a promoção de formação profissional tem sido uma das suas frentes de intervenção. Num outro domínio tem intervido na realização de estudos de investigação e desenvolvimento. Na dinamização das organizações locais tem promovido o projecto Fórum Social de Peniche e o boletim trimestral "Em Peniche Acontece!" com o qual dá visibilidade à acção de entidades locais. Nesta área tem apoiado o movimento associativo e sido suporte à criação / desenvolvimento de várias organizações. O envolvimento em parcerias locais e nacionais tem também sido de destacar.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Luís Duarte Luís +351262787959 istmo@adepe.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 30-03-2006 dot Top


Assoc.Mutua Financeira Livre dos Armadores da Pesca Geral do Centro

(AMAP)
Armazem 17 Porto de Pesca
-
P-2520-630-PENICHE Peniche
-

Tel:+351262780370
Fax:262780371
Email:amap.opcentro@mail.telepac.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Employers' organisation
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:OESTE
Date of joining / leaving:12-04-2005 /

Text available in

A AMAP tem por fim servir a indústria da pesca em geral, assegurar a contratação de todos os recursos financeiros necessários à prossecução e ao desenvolvimento da actividade típica dos seus associados e bem como assim salvaguardá-los ou promover a sua salvaguarda contra os riscos e responsabilidades a que estão sujeitos no exercício da sua indústria, e ainda, promover o seu desenvolvimento empresarial e tecnológico e procurar junto das entidades e autoridades competentes a melhoria do seu estatuto próprio.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Humberto Manuel Baptista Jorge Humberto +351262 78037 opcentro.hjorge@mail.telepac.p Entity contact person responsable for this project

Last update: 30-03-2006 dot Top


PESCAGEST - PRODUÇÃO E GESTÃO, S.A.

(-)
Edifício da Pescagest,Prageira
-
P-2520-208-PENICHE Peniche

Tel:+351262780480
Fax:262780481
Email:pescagest@mail.telepac.pt

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Enterprise
Legal status:Private
Size:Staff < 10
NUTS code:OESTE
Date of joining / leaving:07-06-2002 /

Text available in

A Pescagest é a principal empresa de pesca costeira do país, proprietária de nove embarcações de pesca de cerco que são responsáveis pela captura anual de cerca de 8000 toneladas de pescado, onde a sardinha assume mais de 90% deste total. A empresa intervém fundamentalmente na área da captura de pescado e desenvolve actualmente um processo integral de renovação da sua frota de pesca, visando as melhorias de produtividade e de competitividade exigidas pelo sector. A natureza das suas capturas é indispensável para o funcionamento da indústria de conservas de peixe, onde Peniche, com três unidades em laboração, se afirma como principal centro produtor nacional de conservas de sardinha. A dimensão da sua frota e o seu processo de renovação exigem também atenção particular da Pescagest nas áreas da construção e reparação naval, que se traduziu quer na criação de serviços próprios quer na participação significativa na empresa Estaleiros Navais de Peniche, S. A.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Jorge Serafim da Silva Abrantes Jorge +351968036245 (Unknown) Entity contact person responsable for this project

Last update: 30-03-2006 dot Top


SINDICATO DOS TRABALHADORES DA PESCA DO CENTRO

(-)
Rua Marquês de Pombal, 18 - 2º Esq.
-
P-2520-476-PENICHE Peniche

Tel:+351262782742
Fax:
Email:

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Trade Union
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:OESTE
Date of joining / leaving:07-06-2002 /

Text available in

Defesa e promoção dos interesses individuais e colectivos da classe piscatória e das pescas como sector. Principais participações: - Conselho Consultivo das Pescas - Comissão sobre a segurança social junto do Gabinete do Secretário de Estado das Pescas - Comissão Local de Acompanhamento de Peniche do Rendimento Minimo Garantido - Corpo Social da Adepe - Assoc. para o Desenvolvimento de Peniche - Corpo Social da Acompanha, Cooperativa de Solidariedade Social, CRL



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Henrique Bertino Batista Antunes Henrique +351262782742 (Unknown) Entity contact person responsable for this project

Last update: 30-03-2006 dot Top



 
 
 
 

 
 
 
 

 
 
 
 
Warning! This section is not meant to be read directly, but rather be navigated through from the main page above.
 
 
 
 

ISTMO - A FILEIRA DAS PESCAS COMO ESPACO DE NOVAS OPORTUNIDADES

Rationale

Text available in

A Pesca é uma actividade humana com origens pré-históricas, do tempo em que a caça e a recolecção constituíam os meios de subsistência do Homem. A pesca é hoje uma actividade económica que se baseia na exploração de recursos marinhos vivos e que é condicionada por situações peculiares como o forte intervencionismo do Estado e a dependência de diversos factores naturais e humanos. Nestes últimos 30 anos, diversos organismos têm sido criados visando a gestão equilibrada das capturas com o objectivo de regulamentar a actividade e evitar os conflitos e a sobre-exploração. A Comissão Europeia instituiu, em 1983, a Política Comum de Pesca (PCP), cujos objectivos podemos resumir no assegurar da conservação das unidades populacionais, limitando o esforço de pesca e na promoção da continuação das actividades de pesca, modernizando os meios de produção e assegurando um rendimento decente aos pescadores. A PCP está em revisão e confronta-se com a necessidade de diminuir o esforço de pesca, aumentando as restrições no acesso aos recursos. Medidas que se justificam pela realidade das pescas no norte da Europa, mas que poderão colocar graves problemas aos países do Sul, onde as Pescas são muito mais artesanais, menos depredatórias dos recursos marinhos e mais intensivas em trabalho, logo com um impacto social muito maior. As Pescas em Portugal caracterizam-se, efectivamente, por apresentarem um peso económico e social elevado na média da U.E., visível no número elevado de embarcações, na percentagem ainda elevada de trabalhadores e na importância significativa do processamento dos produtos da pesca (unidades de conservação e de congelação). Fruto da política de abates das décadas de oitenta e noventa, o actual esforço de pesca nacional está próximo da disponibilidade de recursos. Ao facto de ter diminuído o número de embarcações e de pescadores acresce o controlo "menos visível" do mercado, que origina a "contenção" das capturas de modo a limitar a oferta. O sector continua a ter a sua importância no panorama nacional (só o pescado descarregado representou nos anos entre 1995 e 1998 entre 56 e 65 milhões de contos/ano). Há características nacionais que condicionam a evolução do sector: - reduzida plataforma continental, que limita a disponibilidade de espécies; - abundância de espécies comercialmente pouco valiosas (o que resultou da sobre-exploração no passado de outras espécies); - frota envelhecida e muito artesanal; - importância considerável da indústria conserveira (embora com debilidades estruturais); - baixos níveis de produtividade do trabalho. A imagem do concelho de Peniche está historicamente associada à Pesca. Foi com base nessa actividade que a cidade cresceu e se desenvolveu nos últimos quatro séculos. A sua posição excêntrica nunca lhe permitiu o desenvolvimento de muitas outras actividades económicas. O Turismo e as indústrias associadas à Pesca assumiram-se assim como as principais alternativas. Hoje, o sector terciário é já o que absorve a maior parte da mão-de-obra, mas tratam-se de actividades centradas nos sectores sociais, no pequeno comércio e na restauração e não nos serviços de apoio à actividade económica, como seria desejável. A evolução das pescas em Peniche revela uma notória capacidade de sobrevivência nos últimos anos, o que faz dele hoje o mais importante porto de pesca português, situação que virá a consolidar-se após a conclusão das obras em curso de expansão da actual infra-estrutura portuária. O índice de ocupação de activos e o volume de riqueza gerada são dignos de realce: em 1999 estavam matriculados 1316 pescadores e 889 embarcações, enquanto o valor do pescado descarregado tem-se mantido nos últimos dez anos na casa dos 5 milhões de contos/ano. Se considerarmos todas as actividades associadas da Fileira, desde a construção naval até à transformação e comercialização dos produtos da pesca, percebemos que a dependência do sector, num concelho que tem aproximadamente 27 mil habitantes, é bastante grande. A indústria transformadora de congelação dos produtos da pesca tem crescido de forma muito importante, com a capacidade instalada em Peniche no que respeita à armazenagem frigorífica e congelação a representar 25% do total do país. Diagnóstico específico do Projecto: 1. Dificuldade em recrutar trabalhadores para a fileira Pescas. O número 10 (Dezembro de 2001) do boletim trimestral "A Pesca na Europa", da Direcção-Geral da Pesca, centra-se neste problema. Passamos a transcrever do editorial "Garantir a renovação das gerações de pescadores": "os jovens não se interessam pela profissão, considerada difícil, ingrata, por vezes perigosa e, no seu conjunto, mal remunerada (...) nos últimos anos muitas escolas de pesca foram obrigadas a fechar por falta de alunos (...)". Por outro lado, se verificarmos a evolução da idade média dos trabalhadores do sector das capturas, já muito próxima dos cinquenta anos, constatamos que não tem havido renovação de trabalhadores. 2. Más condições de trabalho. O que justifica o afastamento dos jovens e pode resumir-se na falta de condições de habitabilidade e de Higiene e Segurança, nos horários de trabalho exigentes com um excesso de horas de trabalho consecutivas no caso das capturas e no sistema de remuneração variável e com baixas contribuições para a Segurança Social. 3. Utilização de métodos de gestão antiquados, com elevado peso dos segmentos artesanais. Origina baixas produtividades do trabalho e do capital, que também resultam da deficiente capacitação da mão-de-obra e condicionam as remunerações. A estrutura técnico-económica das empresas é bastante arcaica, sendo difícil a penetração de modelos empresariais modernos. A qualidade dos produtos é reduzida por falta de tecnologias de conservação e há uma débil adaptação e uma grande dependência do mercado. 4. Baixa qualificação dos recursos humanos, fortemente limitadora da rentabilização da tecnologia já instalada nas empresas. O nível médio de escolaridade dos trabalhadores do sector é muito baixo (segundo um inquérito realizado recentemente em Peniche, apenas 4,3% dos pescadores tinha mais que o 1º ciclo) e uma percentagem muito elevada de trabalhadores (80% dos activos no sub-sector das capturas, segundo o mesmo inquérito) nunca frequentou qualquer acção de formação profissional. A Formação Contínua de activos tem sido curta, irregular e ineficaz, principalmente por dificuldades de acesso e por falta de motivação. 5. A Formação profissional tem sido intensa mas na modalidade de formação inicial. Estes jovens depois não seguem profissões no sector, devido à falta de capacidade de atracção deste. O facto dos jovens frequentarem cursos nesta área tem apenas que ver com a possibilidade de auferirem de uma bolsa de formação enquanto obtêm uma certificação escolar. 6. Existência de um número crescente de trabalhadores imigrantes, o que comprova as dificuldades de recrutamento das empresas. Trata de uma realidade crescente e com sérios problemas de adaptação com impacto em toda a comunidade. Estes trabalhadores estão ainda mais sujeitos às más condições de trabalho e mais afastados das possibilidades de frequência de formação profissional contínua. 7. A Formação Profissional Inicial nas Pescas estagnou nos anos mais recentes. Os domínios inovadores não têm entrado no sector. Os cursos realizados pelo Forpescas (que é quem organiza o essencial da formação nas pescas em Portugal até ao nível superior) têm-se mantido inalterados. Por outro lado, o nível de atracção desta Formação está em queda, pois o número de formandos tem diminuído. 8. A Formação Profissional existente não está suficientemente adequada à realidade. Carece de formação prática e formação em contexto de trabalho. O problema principal tem estado, desde sempre, na falta de formadores práticos, porque os profissionais experientes não têm preparação pedagógica, geralmente por possuírem habilitações muito baixas. Por outro lado, o afastamento dos domínios inovadores tem tornado os cursos obsoletos em função dos desafios tecnológicos com que o sector se confronta. 9. Dificuldades locais de integração socioprofissional dos jovens e existência de jovens com dificuldades acrescidas de integração (por via da deficiência ou do desajustamento social). No concelho de Peniche há um número demasiado grande de situações de exclusão, notórias nos níveis de inscritos no Centro de Emprego, nos pedidos de habitação social na autarquia, nos processos de Rendimento Mínimo Garantido ou nos casos em tratamento no Centro de Atendimento a Toxicodependentes. O problema aqui é o de acertar uma oferta de trabalho existente no sector das pescas com a procura e com a construção de percursos de vida. A formação de integração tem tido grande importância no Forpescas, mas isolada dos restantes serviços de integração e das próprias empresas (falta avançar para "Percursos Integrados de Inserção"). 10. Os Jovens têm elevadas expectativas quanto ao seu percurso escolar, mesmo quando são alunos medíocres, o que é visível no desinteresse por cursos técnicos ou profissionais, pois foi criada uma imagem de sobrevalorização das profissões "intelectuais" face às profissões técnicas ou manuais. É, assim, fundamental que haja informação atempada sobre as saídas profissionais que permita aos jovens fazer opções com maior probabilidade de inserção profissional. 11. Falta de capacidade ou de articulação da orientação vocacional e profissional para conhecer o sector e para conduzir os jovens para soluções viáveis. Há um "Muro" entre as empresas e entre a população excluída e os serviços de integração. São principalmente as empresas que se têm mantido afastadas deste processo de integração, porque foi criada uma excessiva separação entre a economia social e a economia de mercado. Mesmo os próprios serviços de integração funcionam em ilhas com pouca ligação entre si, o que é fortemente limitador dos resultados que poderiam ser alcançados.

dot Top


Objective

Text available in

1. Fomentar a renovação das gerações de pescadores e outros trabalhadores da fileira. 2. Contribuir para minorar as crescentes dificuldades de recrutamento das empresas da fileira Pescas. 3. Promover e valorizar as profissões na fileira Pescas, sensibilizando os jovens para o emprego no Sector. 4. Contribuir para a melhoria das condições de trabalho na fileira Pescas. 5. Sensibilizar o sector para a necessidade de modernização dos seus métodos de gestão. 6. Influenciar a adaptação do papel intervencionista do Estado e dos seus apoios institucionais. 7. Promover a qualificação de activos e o reconhecimento das suas Competências. 8. Reforçar a formação/competência dos activos, por via da Formação Profissional Contínua. 9. Apoiar o processo de integração dos trabalhadores imigrantes, através de acções de formação/informação. 10. Mobilizar e estimular a procura de Formação Profissional de jovens, procurando influenciar a criação de oferta de formação em áreas inovadoras, com nova dimensão tecnológica (o que atrairá mais formandos e levará para as empresas novas qualificações/competências). 11. Promover a adequação da Formação Profissional Inicial às necessidades do sector, acompanhando a reestruturação tecnológica em curso e conferindo-lhe uma componente prática mais forte. 12. Apoiar a constituição/reforço de parcerias entre empresas, organizações de produtores, associações e entidades formadoras. 13. Promover a integração no mercado de formadores que sejam profissionais experientes. 14. Promover a integração socioprofissional de jovens na fileira Pescas, num modelo de Percursos Integrados de Formação. 15. Contribuir para desmistificar a ideia junto dos jovens e seus familiares de qualidade das profissões "intelectuais" e de mediocridade das profissões técnicas e manuais. 16. Contribuir para adequar a orientação vocacional e profissional às necessidades de integração das empresas, envolvendo os vários responsáveis por este trabalho.

dot Top



Logo EQUAL

Home page
DP Search
TCA Search
Help
Set Language Order
Statistics