IMPORTANT LEGAL NOTICE
 

 IRVA - Inserção Real na Vida Activa ascii version

Portugal

 
DP Managing organisation : Associação para o Desenvolvimento Integrado de Matosinhos - ADEIMA
Other national partners : AEP - ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL DE PORTUGAL
ANJE - Associação Nacional de Jovens Empresários
Instituto da Segurança Social, IP - Centro Distrital de Solidariedade e Seguranç
Município Matosinhos
EQUAL theme :Employability - (Re-)integration to the labour market 
Type of DP :Geographical - Urban area - NORTE 
DP Legal status :Other 
DP identification :PT-2001-009 
Application phase :Approved for action 2 
Selection date :17-09-2002 
Last update :02-04-2007 
Monitoring: 2002  2003   

Rationale

Text available in

After the discussion groups,carried out during A1,with technicians in the field of social assistance and employers,it was concluded that the latter group are mainly unemployed people with low levels of education,who are having difficulty adapting to new technology and to other professional areas with which they were not previously involved. Amongst the unemployed,the highest percentage are women,and this appears to be a growing trend in Matosinhos-the amount of men registered as unemployed with the Employm. Centre in Matosinhos has dropped by 51.9% (between 1997 and 2000),whereas for women this decrease was only 46.4%-which leads us to conclude that unemployment is largely "fuelled" by difficulties with the professional insertion of women and the capacity of the labour market to contract female labour. The population (the general public,social and economic agents)recognise this situation.During the interview procedure carried out during A1,being a woman was recognised as being a disadvantage,mainly due to the difficulties in reconciling family and professional tasks,which affect women more than men. Furthermore,in accordance with the interviews carried out, there are still sectors of economic activity where access is still limited for women.Of the 114 companies interviewed,22 had never hired women. Moreover,there are also sectors where,despite containing a balance between male and female workers,certain types of activity are considered to be essentially masculine or feminine,as is the case of the "waiter/waitress",which,in the restaurants within the Borough,are almost exclusively men. The unemployed population are generally less academically qualified than the employed population, which indicates that the level of schooling is a determining factor for individual professional insertion.In fact,the percentage of the unemployed that have only first cycle of education or less is around 49%. Furthermore,after carrying out interviews with employerswe concluded that the 35 companies that created new work positions over the last year only took on people with the obligatory nine years of schooling or more. In 90% of those interviewed had held more than one job,with an average of 3.5 jobs per person.There were even 15% who had held 6 or more different jobs.The reasons behind such rotation in employment include: fragility of contractual bonds (end of contract);bankruptcy of the company;resignation on the part of the worker himself/herself; health reasons. In a lot of cases,the category of resignation was the result of difficulties felt during professional activity,according to those interviewed,included the following:low salaries,referred to by 70% of those interviewed; non-payment of all working hours (22%);non-fulfilment of working contract (17%);difficult working conditions-shift work, heavy tasks-(30%). For companies,this influx and outgoing of working personnel means a high rate of staff turnover. The sectors most affected by this turnover are,according to the companies interviewed (A1):restaurants;trade;some services,especially what are known as 'close services'.Most of the companies interviewed believe that this turnover is not created by the company,but is due exclusively to the characteristics of the labour force-incapacity to adapt to the activities;high expectations. The consequences of such a high staff turnover are recognised as negative by employers themselves,particularly as it represents a constant investment,taking into account the insertion/training of new staff in order to provide a good professional performance. In the questionnaire passed amongst the resident population of council neighbourhoods (in 1998),the results showed that searching for employment was made more difficult by several factors,which vary with age, as is to be expected.Not surprisingly,the people between 40/64 who were asked said that employers prefer younger staff.Amongst those between 15/24,the difficulties were mainly considered to be their low level of education,which is understandable when compared to the statistic that in 75% of cases,the degree of schooling achieved by these individuals is a maximum of 2nd cycle. During the process of listening to the population,the difficulties in looking for work was similar to those questions of age and schooling,with the added difficulty of the low salaries offered by employers and the narrow range of possibilities provided by the employment market.These difficulties were also highlighted by the social intervention agents interviewed in the same process. In turn,the employers find it difficult to recruit staff,given the low response to the offers they give.("there aren't enough people working") and the fact that those who are looking for work have profiles which are not suitable for the demands of the post,in terms of their low levels of schooling and professional training,and in terms of work experience.According to the population,there is a contradiction inherent in the fact that employers reject older personnel,but are still looking for workers who have already gained a certain amount of experience. As is well known,a large part of the unemployed population does not reach the Employment Centres,meaning that there is a distance between unemployment (in the wide sense) and those registered as unemployed - in the report produced on some council neighbourhoods in Matosinhos (1998) one third of the population that claimed to be unemployed was not registered with the Employment Centre.However,from the results gathered during A1,it seems that a large part of employment opportunities are also not displayed through the Employment Centres.It should be pointed out that the recruitment method most widely used by the 114 companies interviewed was that of personal acquaintances (43%), followed by publishing adverts (29%) and only then was the Employment Centre used (12%),followed by another type of strategy. It should also be noted that in 85% of cases,the existence of UNIVA's (units to guide insertion into active life) was unknown,even though they are situated in all zones of Matosinhos. The precarious nature of employment is reflected by the type of contract held by workers who are not self-employed. Amongst this group,less than half has a permanent contract;amongst the remaining members of this group,most work is carried out under finite or fixed-term contracts,or by service contract. "Non-permanent" contracts are an essentially female problem,covering 41.7% of dependent female workers,as opposed to 17.4% of dependent male workers. These factors governing the precarious nature of employment are confirmed by the diagnosis made during A1. The workers interviewed (population and social agents) make reference to low salaries,which are considered as obstacles (discouragement) in access to employment and as factors of professional instability,given that the worker is obliged to seek higher levels of pay.Once again,reference should be made to the non-existence of contractual bonds,or the weakening of such bonds,as supported by the 58% of workers interviewed during A1 who have no contract whatsoever,or who have a fixed-term contract (42%). Employment in Matosinhos is compressed,in comparison to industry. Effectively, during the 1990s, there was a loss of around 11,000 workers in industry and a significant growth among tertiary sector workers (+46.7%). Given the data recorded under the ambit of A1,it is possible to identify the sectors that demonstrate a greater tendency towards job creation in the Borough.In the near future these sectors should be:civil construction,transporting and warehousing, commerce and the restaurant industry. As we have shown,the level of schooling and professional qualifications of the population are determining factors in creating access to the labour market. Nevertheless,when asked about the "qualities" of a good worker,employers made reference to personal skills such as:sense of responsibility,related to the capacity to be punctual and hardworking; motivation for work;good physical appearance.These skills were at the top of the list,also containing other types of skills such as training and professional experience. While recognising the importance of professional training,60% of employers interviewed claimed not to give preference to workers with professional training courses,stating that "what matters is their desire to work" or the "person's character" and that,"those who have qualifications,have bad habits". Employers claimed that they preferred to train workers in a real working context,"well-suited to the way we work here".In the discussion group carried out with the employers,this was also a particularly important matter,particularly for the restaurant industry. According to the results of an enquiry held amongst the resident population in the Borough of Matosinhos and with social institutions which operate in the Borough,under the ambit of the Social Network Programme,the following problems were highlighted;Those interviewed indicated the following obstacles to this:The insufficient number of crèches and ATLs (extra-curricular activities for children),the incompatibility of their opening times compared with the working hours of the family,as well as the non-existence of public transport in some areas of the Borough. This diagnosis accompanies the data gathered in the interview process with employers,carried out during A1:according to 87% of those interviewed,job creation in social service companies (medics,transport) or support structures(crèches, kindergartens,canteens) are very important in order to ensure a "better quality of labour",in order to "facilitate the lives of the workers" and to promote "worker motivation and punctuality",although few (15%) were available to help this situation arise.Nevertheless,the recognition of the importance of these measures and their justifying arguments will remain as working tools for the future.

dot Top


Objective

Text available in

1- To help provide open access to the labour market by identifying and promoting the advantages of recruiting from underprivileged groups: a) Focusing the attention of economic agents on non-discriminatory practices in recruiting and working relations; b) Identifying and promoting good practice amongst employers with regard to the professional integration of underprivileged groups, helping to improve their social image. 2- To promote the active involvement of companies and other partners. 3- To empower professionals working with underprivileged groups, given the need to make their actions adequate to the increased demands of integrated guidance, training and insertion programmes. 4. To increase the capacity and efficiency of actions taken by the existing partnership network(s) in the Borough of Matosinhos, in which most members of the Development Partnership (DP) are active (CLAs for the Social Network; CLA for the Minimum Guaranteed Income), in matters concerning the professional insertion of underprivileged groups, by creating/maintaining an action co-ordination platform to accompany these groups in the transition from school to training or the workplace, throughout their training and during the beginning of their professional insertion. 5. To improve effective working conditions and to eliminate obstacles to professional insertion by creating/re-organising social support structures. 6. To promote socially and increase respect for professional areas with high employment capacity. 7. To promote personal, social and professional skills among groups with more difficulty in professional insertion, in order to facilitate their access (and return) to the labour market and to help them become independent. CLA = Local Action Council

dot Top


Innovation


Nature of the experimental activities to be implemented Rating
Guidance, counselling **
Training **
Training on work place ***
Work placement **
Employment aids (+ for self-employment) **
Integrated measures (pathway to integration) **
Employment creation and support **
Training of teachers, trainers and staff **
Improvement of employment services, Recruitment structures **
Conception for training programs, certification **
Anticipation of technical changes **
Work organisation, improvement of access to work places **
Guidance and social services ***
Awareness raising, information, publicity **
Studies and analysis of discrimination features **

Type of innovation Rating
Process-oriented ***
Goal-oriented **
Context oriented **

Text available in

O Projecto parte de um bom conhecimento da realidade local. O trabalho desenvolvido no âmbito do Programa Rede Social, com o Diagnóstico Social do Concelho permitiu fundamentar, em boa parte, o próprio surgimento do Projecto mas o mesmo, neste domínio (o do conhecimento), permitiu introduzir a óptica das empresas sendo este, desde logo, um importante valor acrescentado. IRVA integra-se no Plano de Desenvolvimento Social de Matosinhos, apontando-se, assim, para o cumprimento de objectivos sociais desenhados a nível local, com um conjunto de parceiros, o que se afigura como um passo importante no sentido da concretização de um objectivo pretendido pelo Projecto em si mesmo que é de fomentar uma maior coordenação inter - institucional. Nesta perspectiva o Projecto concorre para uma estratégia concertada de desenvolvimento local o que é, certamente, uma mais valia para o Concelho e para a intervenção social, em geral. Caberá à Câmara Municipal de Matosinhos introduzir este elemento . Um dos aspectos inovadores do Projecto diz respeito ao envolvimento das empresas desde a fase de diagnóstico até à implementação das acções. Estruturas representantes de entidades empregadoras estão presentes na Parceira de Desenvolvimento também como elementos estratégicos para a dinamização da participação do sector empresarial no seu todo. O Projecto pretende vir a criar um "portal digital" que, sendo um dispositivo informático onde se incluirá informação relativamente à população-alvo e a entidades potencialmente empregadoras poderá vir a ser um instrumento de comunicação e de trabalho fundamental à inserção social dos beneficiários. Para este trabalho será, ainda, fundamental a participação dos parceiros transnacionais. Com a criação da "plataforma técnica de acompanhamento para a inserção" onde se pretende envolver os serviços da área social mas também as empresas (com a identificação de elementos - chave nas empresas que sirvam de elos de ligação entre o "económico" e o social") o Projecto está a trabalhar no sentido da sustentabilidade das suas acções (e objectivos) para além do tempo de execução do mesmo e isto constituirá, sem dúvida, um valor acrescentado a nível local. A criação da referida "plataforma" só será possível com o envolvimento e contributo de todos os parceiros, incluindo o das empresas, e com a (re)orientação (ainda que parcelar) das suas práticas para o cumprimento daquele fim. Este elemento de inovação ao nível das práticas de intervenção social será assegurado pela ADEIMA, pelo Centro Distrital de Segurança Social do Porto e pela CMM.

dot Top


Budget Action 2

500 000 – 1 000 000 €

dot Top


Beneficiaries


Assistance to persons 
Unemployed  3.4%  5.6% 
Employed  29.2%  43.8% 
Others (without status, social beneficiaries...)  5.6%  12.4% 
  100.0% 
 
Migrants, ethnic minorities, …  1.1%  1.1% 
Asylum seekers  0.0%  0.0% 
Population not migrant and not asylum seeker  37.1%  60.7% 
  100.0%
 
Physical Impairment  1.1%  1.1% 
Mental Impairment  0.0%  0.0% 
Mental Illness  0.0%  0.0% 
Population not suffering from a disability  37.1%  60.7% 
  100.0% 
 
Substance abusers 1.1%  1.1% 
Homeless  0.0%  0.0% 
(Ex-)prisoners  1.1%  1.1% 
Other discriminated (religion, sexual orientation)  0.0%  0.0% 
Without such specific discriminations  36.0%  59.6% 
  100.0% 
 
< 25 year  3.4%  6.7% 
25 - 50 year  32.6%  46.1% 
> 50 year  2.2%  9.0% 
   100.0% 

Assistance to structures and systems and accompanying measures Rating
Discrimination and inequality in employment **
Disabilities **
Other discriminations **
Low qualification **
Racial discrimination **
Unemployment ***

dot Top


Empowerment

 

 With beneficiaries

Participation
Promoting individual empowerment
Developing collective responsibility and capacity for action
Participation in running and evaluating activities
Changing attitudes and behavior of key actors

 

 Between national partners

N.C.

dot Top


Transnationality

 

 Linguistic skills

  • português
  • English
  • español (castellano)
  • français

 Percentage of the budget for transnational activities

  • 0.2%

 Transnational Co-operation Partnerships

Transnational Co-operation Agreement DPs involved
1165 F.A.T. For Action Three IT IT-G-PUG-025

dot Top


Background

 

 Involvment in previous EU programmes

  • Two and more partners involved in A&E

dot Top


National Partners


Partner To be contacted for
Associação para o Desenvolvimento Integrado de Matosinhos - ADEIMA Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Monitoring, data collection
AEP - ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL DE PORTUGAL
ANJE - Associação Nacional de Jovens Empresários
Instituto da Segurança Social, IP - Centro Distrital de Solidariedade e Seguranç Transnational partnership
Município Matosinhos Evaluation

dot Top


Agreement Summary

Text available in

Responsibilities of the Partner: ADEIMA-Association for Integrated Development in Matosinhos -Cover all activities,given that the institution serves as a mediator with the Management Office -Inventory-keeping of existing teaching supports and materials -Meetings with partners and entities with a view to create new working tools suitable to the initiative -Organisation of the initial trans-national conference -Meeting with local bodies and structures -Inventory-keeping of existing teaching supports and materials -Organisation of training programmes for the project team,local social agents,socially under-privileged groups -Psycho-social support for individuals/families -Implementation of a computer system -Meeting with bodies on the Social Committees in the Borough -Trans-national Project evaluation Entrepreneurial Association of Portugal: -Carrying out activities to increase awareness among companies -Identifying companies which could potentially join the initiative. National Association of Young Businesspersons: -Carrying out activities to increase awareness among companies -Creating new working instruments suitable to the initiative -Identifying companies which could potentially join the initiative. Oporto District Centre for Solidarity and Social Security: -Meeting with local bodies and structures -Psycho-social support for individuals/families -Meeting with bodies on the Social Committees in the Borough -Identifying needs,in terms of the social options offered by bodies which could contribute to solving the problems -Negotiation between local agents Matosinhos City Council: -Meeting with local bodies and structures -Organising the trans-national closing conference -Meeting with bodies on the Social Committees in the Borough -Identifying needs,in terms of the social options offered by bodies which could contribute to solving the problems -Negotiation between local agents -Implementation/maintenance of a computer system -Continuous evaluation of the Project.

Last update: 02-04-2007 dot Top


Associação para o Desenvolvimento Integrado de Matosinhos - ADEIMA

(ADEIMA)
Avenida Joaquim Neves dos Santos, 1060/1082 - Urbanização do Esquinheiro
-
P-4450-125-MATOSINHOS Matosinhos

Tel:+351229578150
Fax:229578159
Email:adeima@mail.telepac.pt

 
Responsibility in the DP: Co-ordination of experimental activities
Design of the project
DP managing organisation
Monitoring, data collection
Type of organisation:Other
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE PORTO
Date of joining / leaving:01-02-2005 /

Text available in

A ADEIMA é uma Associação sem fins lucrativos que reúne, nos seus próprios órgãos, um conjunto de parceiros com autonomia administrativa e financeira de forma a potenciar a utilização de novos recursos como sejam os diferentes programas nacionais e comunitários que visam o combate a diferentes formas de pobreza e exclusão social. A ADEIMA tem procurado organizar a sua intervenção de acordo com as dimensões de vulnerabilidade que se constituem como factores de exclusão social e definem, simultaneamente, o perfil de uma intervenção local (Acção social; Emprego; Educação; Situações de Risco; Equipamentos e Saúde). A ADEIMA em articulação com a Câmara Municipal de Matosinhos foi responsável pela implementação do projecto-piloto de Rendimento Mínimo Garantido fazendo, actualmente, parte da Comissão Local de Acompanhamento de RMG (Núcleo Local de Inserção do RSI) e do seu núcleo executivo. Integra, desde o início, o Conselho Local de Acção Social da Rede Social de Matosinhos.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Lília Cristina Matos Pinto Lília +351229578150 adeima@mail.telepac.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 02-04-2007 dot Top


AEP - ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL DE PORTUGAL

(AEP)
Avenida da Boavista, 2671
-
P-4100-135-PORTO Porto

Tel:+351229981500
Fax:229981771
Email:-

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Employers' organisation
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE PORTO
Date of joining / leaving:07-06-2002 /

Text available in

A Associação Empresarial de Portugal (AEP), tem como missão afirmar-se como instituição representativa da comunidade empresarial portuguesa, através das suas competências e capacidades técnicas, elevado profissionalismo e independência económica e financeira, contribuindo para o desenvolvimento do país, na defesa dos interesses da comunidade empresarial nacional. Para este efeito, empreende as mais diversas acções visando dinamizar o espírito e a capacidade associativos, das quais se destacam: a assistência técnica às empresas, nos domínios da formação profissional de empresários, quadros e jovens, da consultoria formativa para PME, no reconhecimento e validação de competências profissionais, na consultoria sobre os sistemas de higiene, saúde e segurança no trabalho, qualidade e gestão ambiental, apoio à internacionalização, promoção de produtos, etc. Promove, igualmente, actividades de estudo e análise prospectiva sobre a realidade económica e empresarial portuguesa.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
António Manuel da Luz Pêgo António +351229981741 ampego@aeportugal.com Entity contact person responsable for this project

Last update: 02-04-2007 dot Top


ANJE - Associação Nacional de Jovens Empresários

(-)
Casa do Farol, Rua Paulo da Gama
-
P-4169-006-PORTO Porto

Tel:+351220108000
Fax:220108010
Email:-

 
Responsibility in the DP:
Type of organisation:Other
Legal status:Non-profit private organisation (including NGO...)
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE PORTO
Date of joining / leaving:07-06-2002 /

Text available in

A ANJE,Ass. Privada e Utilidade Pública tem o objectivo de promover a reunião dos jovens Empresários Portugueses visando a satisfação dos interesses específicos, nas vertentes da formação e informação empresariais.É regionalizada com núcleos Regionais em todas as regiões do continente Português e das regiões autónomas Madeira/Açores,detendo delegações de base distrital e uma delegação permanente em Bruxelas. Desenvolve acções de F. Empresarial transnacionais dedicadas aos jovens empreendedores/quadros de empresas;Concretiza um projecto de coop. transnacional designado por C. Residenciais de F. Empresarial,com infra-estruturas destinadas a Formação Empresarial de cariz intern.,especialmente dirigida a jovens empresários/quadros de empresas que recebem,formação modular de qualidade superior.Promove acções de participação em feiras internacionais,fomenta o permanente intercâmbio empresarial e ministra apoio técnico à exportação e internacionalização de empresa participadas por jovens.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Mário Luís Vidal Pires Genésio Mário +351220108000 anje@anje.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 02-04-2007 dot Top


Instituto da Segurança Social, IP - Centro Distrital de Solidariedade e Seguranç

(ISS - CDSSP)
Rua Rosa Araújo, nº 43
-
P-1250-194-LISBOA Lisboa

Tel:+351213507291
Fax:213507290
Email:

 
Responsibility in the DP: Transnational partnership
Type of organisation:Public authority (national, regional, local)
Legal status:Public organisation
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE LISBOA
Date of joining / leaving:02-02-2005 /

Text available in

O Instituto de Solidariedade e Segurança Social tem por objectivo a gestão das prestações do Sistema de Solidariedade e Segurança Social numa lógica de coordenação nacional, eficaz e racional que promova a melhoria qualitativa e quantitativa das prestações da Segurança social. Tem por igual objectivo a gestão das diferentes respostas sociais enquadradas pelos seus sub-sistemas (protecção social e cidadania, protecção à família e previdencial) no âmbito de uma política de desenvolvimento estratégico e integrado de protecção social.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Maria Eduarda da Silva Paula Claro Maria +351229398590 m.eduarda.claro@seg-social.pt Entity contact person responsable for this project

Last update: 02-04-2007 dot Top


Município Matosinhos

(CMM)
Avenida D. Afonso Henriques
-
P-4454-510-MATOSINHOS Matosinhos

Tel:+351229390900
Fax:229390972
Email:-

 
Responsibility in the DP: Evaluation
Type of organisation:Public authority (national, regional, local)
Legal status:Public organisation
Size:Staff < 10
NUTS code:GRANDE PORTO
Date of joining / leaving:01-02-2005 /

Text available in

A Câmara Municipal de Matosinhos tem como missão prestar um serviço público de qualidade baseado no planeamento, coordenação e gestão eficiente dos recursos municipais, tendo como princípio a participação activa dos munícipes. Este serviço, orientado para o desenvolvimento económico e social pretende promover a qualidade de vida e a segurança dos cidadãos/ãs, o desenvolvimento coerente e equilibrado do território, a preservação da herança e património históricos a prosperidade sustentada de longo prazo.Compete à Câmara Municipal a prestação de serviços nos seguintes domínios: equipamento rural e urbano; energia, transportes e comunicações; educação; património, cultura e ciência; tempos livres e desporto; saúde; acção social; habitação; protecção civil; ambiente e saneamento básico; defesa do consumidor; promoção do desenvolvimento; ordenamento do território e urbanismo; polícia municipal e cooperação externa.



Contact person(s)

Name First name Phone E-mail Responsibility
Manuel Fontes Orvalho Manuel +351229390900 manuel.orvalho@cm-matosinhos Entity contact person responsable for this project

Last update: 02-04-2007 dot Top



 
 
 
 

 
 
 
 

 
 
 
 
Warning! This section is not meant to be read directly, but rather be navigated through from the main page above.
 
 
 
 

IRVA - INSERCAO REAL NA VIDA ACTIVA

Rationale

Text available in

Os grupos de discussão realizados na A1, junto de técnicos/as da área social e de empregadores, aquele último grupo é composto por pessoas desempregadas em que às poucas habilitações escolares acrescem dificuldades de adaptação às novas exigências tecnológicas e a outras actividades profissionais que não foram por elas desempenhadas no passado.Entre as pessoas desempregadas é superior a percentagem de mulheres,parecendo ser uma tendência crescente em Matosinhos-enquanto que para os homens o decréscimo do desemprego registado no Centro de Emprego de Matosinhos foi de 51.9% (entre 97 e 2000),para as mulheres esse decréscimo ficou-se nos 46.4% - supondo-se que o desemprego se "alimenta" das dificuldades de inserção profissional das mulheres e das incapacidades de absorção de mão-de-obra feminina,por parte do mercado de trabalho. Esta realidade é,percepcionada pela população (público em geral,actores sociais e económicos) já que,durante o processo de entrevistas,o facto de ser mulher foi reconhecido como uma desvantagem baseada nas dificuldades de conciliação da vida familiar com a profissional que as mulheres apresentam. Das 114 empresas entrevistadas,22 nunca contrataram mulheres.Mas,existem sectores onde,embora haja um equilíbrio entre o nº de homens e mulheres enquanto trabalhadores,há certo tipo de actividades que são essencialmente masculinas ou femininas. A população desempregada apresenta-se escolarmente menos qualificada do que a população com emprego, revelando-se o nível de instrução como um factor determinante para a inserção profissional dos indivíduos.A percentagem de pessoas desempregadas como 1º ciclo ou menos,ronda os 49%.Verificou-se que as 35 empresas que criaram novos postos de trabalho absorveram pessoas com níveis de ensino iguais,ou superiores,à escolaridade obrigatória de 9 anos. Em 90% dos casos os/as entrevistados/as conheceram mais do que um emprego,sendo a média de 3.5, havendo mesmo 15% que conheceram 6, ou mais, empregos distintos.As razões que justificam uma tal rotação são: fragilidade dos vínculos contratuais;falência da empresa;motivos de saúde;despedimento accionado pelo/a próprio/a trabalhador/a.Este despedimento foi certamente o corolário das dificuldades sentidas durante o exercício da actividade profissional e que,de acordo com os/as mesmos/as entrevistados/as,passam por: baixos salários, evocados por 70% das pessoas entrevistadas;não pagamento de todas as horas de trabalho realizadas (22%); não efectuação de contrato de trabalho (17%);difíceis condições de exercício da actividade-trabalho por turnos,tarefas pesadas-(30%). Do lado das empresas estas saídas e entradas de população no mercado de trabalho correspondem a uma forte rotatividade de mão-de-obra.Os sectores atingidos são,de acordo com os empregadores entrevistados:a restauração,o comércio e alguns serviços,sobretudo os serviços de proximidade.Na maioria das opiniões a rotatividade não é fomentada pela empresa mas deve-se às características da mão-de-obra:incapacidade de adaptação às actividades;elevadas expectativas. As consequências de tal rotatividade são entendidas pelos empregadores como negativas,particularmente no que isso corresponde a um investimento constante,tendo em vista o enquadramento/formação da pessoa para um bom desempenho profissional. No questionário à população residente nos bairros sociais(em 1998),as dificuldades apontadas na busca por um emprego variam com a idade.Os inquiridos entre os 40 e os 64 anos, apontavam sobretudo o facto de os empregadores preferirem pessoas mais novas.Quanto aos inquiridos entre os 15/24 anos referiram questões relacionadas com o seu baixo nível de instrução,o que se torna compreensível quando se verifica que, em 75% dos casos,o grau de escolaridade alcançado por estes indivíduos é o 2º ciclo do ens.básico. No processo de auscultação da população durante a A1 as dificuldades evocadas na procura de emprego são semelhantes às já enunciadas,mas às questões da idade e da escolaridade acrescem os baixos salários propostos pelos empregadores e o pouco leque de oportunidades apresentado pela oferta de emprego.Estas mesmas dificuldades são apontadas pelos interventores sociais ouvidos no mesmo processo. Na óptica dos empregadores,as dificuldades de recrutamento de pessoal situam-se na pouca resposta às ofertas apresentadas e no perfil desadequado das pessoas que procuram emprego,às exigências da oferta de emprego que se traduz em baixos níveis de qualificação escolar e profissional dos/as desempregados/as e na pouca experiência profissional havendo uma certa contradição entre a recusa,na perspectiva da população,de gente mais velha e na busca,por parte dos empregadores,de pessoas já com um capital de experiência acumulado. Uma boa parte da população desempregada não chega aos C. de Emprego,provocando uma distância entre desemprego em sentido lato e restrito (ou registado).O método de recrutamento de pessoal mais utilizado pelas 114 empresas ouvidas são os conhecimentos próprios (43%),seguindo-se a publicação de anúncios (29%) e,só depois,o recurso ao C. de Emprego (12%). Salienta-se o desconhecimento dos empregadores (em 85% dos casos),da existência das UNIVAS que,no concelho,tem implantação em todas as freguesias. É entre os indivíduos menos escolarizados que se registam as maiores percentagens de ausência de descontos para a seg. social, chegando tal situação a atingir os 51% no caso dos analfabetos.O que significa que a integração profissional destas pessoas se faz fortemente através da economia informal.A precariedade do emprego é consubstanciada pelo tipo de contrato dos trabalhadores por conta de outrém.Neste grupo, menos de metade tem um contrato de trabalho permanente; entre os restantes, salienta-se a importância dos contratos a prazo, ou a termo, e trabalho à empreitada.Os contratos "não permanentes" são uma realidade feminina, abrangendo 41.7% das trabalhadoras por conta de outrém, face a apenas 17.4% dos homens. Os elementos sobre a precariedade do emprego são confirmados pelo diagnóstico realizado durante a A1. Veja-se as referências aos baixos salários feitas pelos/as entrevistados/as (população e actores sociais) e que se afiguram como obstáculos (desmotivação) no acesso ao emprego e como factores de instabilidade profissional já que o/a trabalhador/a é obrigado/a a procurar níveis de remuneração mais elevadas. Relembrem-se as referências,já apontadas, no que diz respeito à inexistência de vínculos contratuais ou à fragilização dos mesmos, reforçada pelos 58% de entrevistados/as durante a A1 que, estando a trabalhar, não têm qualquer tipo de contrato (16%) ou que têm contrato a prazo (42%). O emprego em Matosinhos é em compressão,no que diz respeito à indústria. Com efeito,na década de 90,verificou-se uma perca de cerca de 11 mil trabalhadores na indústria e um crescimento da população com emprego no terciário (+ 46.7%).No seguimento dos dados recolhidos na A1,os sectores onde se perspectiva uma maior tendência para a criação de empregos no Concelho, são:Construção Civil; Transportes e Armazenagem; Comércio e Restauração. O nível de instrução da população é um factor determinante no acesso ao mercado de trabalho,bem como a existência de qualificação profissional. Contudo,quando interrogados sobre as "qualidades" de um/a bom/boa trabalhador/a as competências apontadas pelos empregadores são as competências pessoais,tais como: o sentido de responsabilidade com o qual se relaciona a capacidade de ser pontual e assíduo/a; a motivação para o trabalhoa;boa apresentação física. Competências que figuram no topo de uma lista onde constavam outro tipo de habilitações como a formação e a experiência profissional. Embora reconhecendo importância à formação profissional,60% dos empregadores entrevistados afirmaram não dar preferência a pessoas com cursos de formação profissional argumentando que "o que importa é a vontade de trabalhar" ou o "carácter da pessoa" ou que "os que vêm com cursos, vêm com vícios" sendo preferível dar a formação em contexto real de trabalho "adequada à maneira de trabalhar na casa". No grupo de discussão realizado com os empregadores esta foi uma questão focada sobretudo pelo sector da restauração. De acordo com os dados de um inquérito aplicado à população residente no concelho de Matosinhos e aos actores sociais institucionais que actuam no Concelho, no âmbito do Prog. Rede Social,salientou-se a inexistência,ou insuficiência,de certas estruturas de apoio que facilitam a inserção profissional de certos grupos da população, em particular as mulheres, e uma melhor conciliação entre a vida profissional e a vida familiar. A insuficiência de creches e de ATL's, a desadequação dos seus horários de funcionamento face aos horários de trabalho das famílias e a inexistência de transportes públicos em algumas zonas do Concelho, foram alguns dos obstáculos apontados pelos inquiridos. Este diagnóstico complementa-se com os elementos recolhidos junto das entidades empregadoras.De acordo com 87% dos/as entrevistados/as a criação nas empresas,de serviços sociais (médicos, transporte) ou equipamentos (creches, jardins de infância, cantinas...),são muito importantes como estratégia para assegurar uma "maior qualidade no trabalho", como forma de "facilitar a vida dos trabalhadores" e de favorecer a "motivação e a pontualidade do trabalhador".Apesar disso,são poucas (cerca de 15%) aquelas que se disponibilizão para o vir a fazer mas fica, como elementos para o trabalho, no futuro,o reconhecimento da sua importância e os argumentos justificativos.

dot Top


Objective

Text available in

1. Contribuir para um mercado de trabalho aberto a todos através da identificação e divulgação das vantagens de recrutamento de públicos mais desfavorecidos: a) sensibilizar diferentes agentes económicos para práticas não discriminatórias no recrutamento e nas relações de trabalho; b) identificar e divulgar boas práticas das entidades empregadora ao nível da inserção profissional dos públicos mais desfavorecidos contribuindo para a sua boa imagem social. 2. Promover o envolvimento activo das empresas e outros parceiros. 3. Capacitar os profissionais que intervêm junto dos grupos mais desfavorecidos face à necessidade de adequar as suas práticas às exigências de uma actuação que favoreça os percursos integrados de orientação, formação e inserção. 4. Aumentar a capacidade e a eficácia da intervenção da(s) rede(s) de parceiros já existentes no Concelho de Matosinhos, nos quais a maior parte dos elementos da PD tem assento (CLAS da Rede Social; CLA do RMG), na inserção dos grupos mais desfavorecidos através da criação/sustentação de uma plataforma de coordenação de acções para o acompanhamento destes grupos na transição da escola para a formação ou trabalho, durante o seu período de formação e decorrer do seu processo inicial de inserção profissional. 5. Melhorar as condições efectivas de trabalho e eliminar obstáculos à inserção profissional através da criação/reorganização de estruturas sociais de apoio. 6. Divulgar e dignificar socialmente as áreas profissionais com boa capacidade de oferta de emprego. 7. Dotar de competências pessoais, sociais e profissionais alguns grupos com mais dificuldades de inserção profissional, como forma de facilitar o seu acesso (e regresso) ao mercado de trabalho e o seu processo de autonomia.

dot Top



Logo EQUAL

Home page
DP Search
TCA Search
Help
Set Language Order
Statistics