Percurso de navegação

Mobilidade dos estudantes

Durante quanto tempo podem os estudantes permanecer no estrangeiro?

Os estudantes podem permanecer no estrangeiro 3 a 12 meses (incluindo, se previsto, um período de estágio complementar). Cada estudante pode receber uma bolsa de estudos ou formação no estrangeiro por um período máximo de 12 meses por ciclo de estudos:

  • durante o primeiro ciclo de estudos (licenciatura ou equivalente), incluindo os ciclos curtos (níveis 5 e 6 do QEQ)
  • durante o segundo ciclo de estudos (mestrado ou equivalente - nível 7 do QEQ)
  • durante o terceiro ciclo de estudos como doutorando (nível de doutoramento ou nível 8 do QEQ)

A realização de um estágio por recém-diplomados conta para o período máximo de 12 meses do ciclo durante o qual se candidatam ao estágio.

Quais são as condições?

Os estudantes devem estar matriculados numa instituição de ensino superior em estudos que conduzam a um grau reconhecido ou a outra qualificação de nível superior reconhecida (até ao nível de doutoramento, inclusive).

A mobilidade decorre no contexto de acordos interinstitucionais celebrados previamente entre as instituições de envio e de acolhimento, que devem ser titulares da Carta Erasmus para o Ensino Superior (caso estejam estabelecidas num país do programa).

Que disposições estão previstas?

Antes da partida, é fornecido ao estudante Erasmus+:

  • uma convenção de subvenção abrangendo o período de mobilidade, assinada pelo estudante e pela sua instituição de ensino superior de origem
  • um «acordo de aprendizagem» que define o programa dos estudos a ser seguido, aprovado pelo estudante e pelas instituições de origem e de acolhimento
  • a «Carta de Estudante Erasmus+», que descreve os direitos e obrigações do estudante durante o período de estudos no estrangeiro

No final do período no estrangeiro:

  • A instituição de acolhimento deve fornecer ao estudante e à respetiva instituição de origem um certificado de estudos que confirme que o programa acordado foi concluído e quais foram os resultados alcançados;
  • A instituição de origem deve conceder total reconhecimento académico às atividades concluídas satisfatoriamente durante o período da mobilidade, conforme definido no Acordo de Aprendizagem, utilizando o sistema de créditos ECTS ou um sistema equivalente. O período de mobilidade deve ser igualmente registado no Suplemento ao Diploma.
Está previsto apoio financeiro e devem os estudantes pagar propinas ou outros custos?

Os estudantes podem beneficiar de uma bolsa da UE ao abrigo do programa Erasmus+ para ajudar a cobrir as despesas de viagem e de subsistência relacionadas com o período de estudos no estrangeiro.

Os estudantes Erasmus+ – quer recebam ou não uma bolsa Erasmus+ – estão isentos do pagamento de propinas, matrículas, exames e acesso a laboratórios e bibliotecas na instituição de acolhimento.

Se o estudante tiver direito a uma bolsa nacional ou um empréstimo no país de origem, esses deverão continuar a ser pagos durante o período de estudos no estrangeiro.

Como candidatar-se

Os estudantes interessados devem contactar o serviço internacional e/ou o serviço Erasmus+ do seu estabelecimento de ensino superior de origem, que lhes fornecerão informações sobre as possibilidades de estudar no estrangeiro, bem como sobre o procedimento de candidatura a uma bolsa Erasmus+.

Perguntas frequentes

Os estudantes que tenham outras questões sobre a participação no Erasmus+ devem consultar as perguntas frequentespdf(276 kB) Traduções da ligação anterior  antes de contactarem o seu estabelecimento de ensino ou a agência ou gabinete nacional do programa Erasmus+.

Testemunho pessoal

Vídeo com o testemunho  de Brechje Schwachofer, embaixadora dos Países Baixos em Chipre, sobre como o intercâmbio Erasmus contribuiu para a sua carreira no serviço diplomático neerlandês.

 

How can we help?