Percurso de navegação

Mercados de produtos

O funcionamento correcto dos mercados de produtos é fundamental para se obter um crescimento económico mais elevado e postos de trabalho de melhor qualidade, necessários para melhorar as condições de vida e de trabalho dos cidadãos da UE.

Os mercados de produtos cobrem mercadorias e serviços que as pessoas e as empresas compram e vendem, como, por exemplo, os alimentos que se vendem nos supermercados, os artigos de papelaria para repartições públicas ou as peças sobresselentes para as oficinas de automóveis. O funcionamento correcto dos mercados de produtos garante aos consumidores da UE preços mais baixos e uma maior escolha de bens e de serviços e resulta de uma maior concorrência, que leva as empresas a reduzir os custos de produção, aumentar a produção e baixar os preços. Favorece também a entrada no mercado de novas empresas com novos produtos ou marcas e aumenta os incentivos à inovação e à produção de novos bens e serviços por parte das empresas.

Uma maior concorrência também favorece a atribuição de recursos e incentiva as empresas a melhorarem a sua competitividade e a sua produtividade. Além disso, beneficia as permitindo lhes escolher entre um maior número de fornecedores e distribuidores e comprar as matérias primas a preços mais baixos.

A melhor integração dos mercados faz com que as empresas tenham acesso a um mercado com uma dimensão mais ampla do que o mercado nacional e oferece lhes mais oportunidades de expansão. Mercados de produtos mais competitivos e integrados também podem contribuir para aumentar o ritmo de adaptação e de a resistência a choques económicos, limitando assim o seu impacto a nível do crescimento e do emprego.

A melhoria dos sistemas de educação e das qualificações, o investimento em investigação e desenvolvimento (I&D) e a promoção da inovação são aspectos fundamentais da Agenda de Lisboa para o crescimento e o emprego, sendo elementos essenciais para aumentar a produtividade e a competitividade da economia da UE. Nestas áreas, o trabalho da DG ECFIN tem em vista conseguir uma melhor integração das políticas de educação, de I&D e de inovação no quadro económico geral.

Papel da DG ECFIN


A DG ECFIN participa na análise e acompanhamento do funcionamento do mercado de produtos em três áreas interdependentes:

  • Concorrência
  • Integração do mercado
  • Investimento em I&D e inovação.

A DG ECFIN pretende conhecer a evolução da produtividade e da competitividade para poder detectar possíveis problemas no funcionamento dos mercados.

Promover o aumento da competitividade e da produtividade é o objectivo prioritário da Comissão, uma vez que é essencial garantir que a economia da UE enfrente de forma adequada o desafio colocado pelo envelhecimento da população e por uma economia mundial cada vez mais integrada em que o progresso tecnológico está em constante evolução.

A DG ECFIN acompanha de perto o desempenho em termos de competitividade da economia da UE e de cada Estado Membro, analisa os respectivos desempenhos em matéria de produtividade, inovação, preços e custos, comércio e investimento estrangeiro directo e analisa que reformas têm repercussões importantes.

Outras ferramentas

  • Visualização pré-impressão 
  • Reduzir texto 
  • Ampliar texto